[Reflexões do leitor] Os gastos orgânicos de uma pessoa comum são insuficientes para gerar milhas para uma viagem em família. Isso foi engendrado para ser obrigatório compras de pontos e de clubes.

Segue mais uma excelente reflexão do Emmanuel Kalispera:

“Uma coisa que eu reparei aqui.

A Livelo, por exemplo, só tá se segurando vendendo pontos e clubes de forma acintosa.

Você pode pontuar o quanto for no cartão que nunca vai emitir nem de busão, se não comprar os clubes.

Os gastos orgânicos de uma pessoa comum são insuficientes para gerar milhas para uma viagem em família. Isso foi engendrado para ser obrigatório compras os clubes.

Mas como isso só interessa aos bancos para reduzir o custo deles com milhas e emissões, eles pagam influencers para vender os clubes, mostrando fotos de viagem em executiva e a faculdade de emissões.

Os preços apresentados são sempre um cálculo com base numa conta de milhas tirada do fiofó (viaje para NY por 2500 o trecho em executiva, eles anunciam).

Só funciona para solteiro e blogueiro. Não funciona para pessoas comuns. Que no final, se beneficiariam mais se abandonarem o jogo. É isso.

Como disse esses dias, Tem tanta pirâmide no Brasil que eu acho que a gente foi colonizado pelo Egito cara 😂😂.”

……………………..

E, para piorar, muitos sites e blogs gastam mais de 97% de seus posts com conteúdo publicitário: “assine o clube x por milheiro a R$ 13,75!”, “faça assinatura do plano e ganhe 350 mil pontos em 12 meses”, “último dia! ganhe 11 milhas por real em compras no shopping x. Acumule até 106 mil milhas”, “compre pontos com 53% de desconto!” etc. etc. etc. Haja paciência!