[Guest post] Viajando pelo mundo: 7 golpes que eu já levei; 1 que tentaram me dar

A propósito do post de ontem, que rendeu excelentes relatos, segue mais uma contribuição do Emmanuel Kalispera:

“Bem, acho que vale compartilhar aqui nesse post a minha lista pessoal de “golpes”

Golpes que tentaram me dar

1 – Londres, perto da Totteham Court Road -> entrei em uma esquina meio escura e pouco movimentada com minha mãe, chegou um cara falando em espanhol Neymar, Ronaldo, etc e logo apareceu um falso policial vestido a caráter pedindo para conferir minhas notas de libras.

O golpe seria eu entregar as notas e ele levar para verificação e sumir com elas. Escapei ignorando o aviso do falso policial para parar e gritando alto para minha mãe não atravessar a rua e continuar para o outro lado (2016)

Golpes que já levei

1 – Roma, Itália – 2015 – Itália foi o lugar em que mais levei golpes, lá é basicamente o Brasil da Europa. Nesse caso, levei o golpe do falso arranhão na roda do veículo locado. Na entrega, o malandro que falava até português, dizia que havia um arranhão de 1 mm na roda e isso custaria 160 euros. Não tive o que fazer, então caí no golpe.

2 – Coliseu, 2014 – Caí no golpe, ao pagar o ingresso com audio guide, pediam a identidade e nisso deixei a carteira com cartões em cima do balcão por poucos segundos, quando vi, alguém tinha pego, não deu tempo de correr atrás.

3 – Roma, Metrô 2013 – Caí no golpe da cigana que te joga um bebê falso em cima de você no metrô, enquanto você tenta descobrir o que fazer, passam a mão na carteira, que estava no bolso da frente.

4 – Argentina – 2009 – Caí no golpe do taxista que te aborda no aeroporto e depois troca suas notas por outras de menor valor.

5 – Ushuaia – 2014 – Tive pulseira de ouro roubada no hotel (não chega a ser um golpe, mas prejuízo).

6 – Marrocos – 2019 – Levei o golpe do táxi. Mesmo você perguntando o preço antes, na hora de pagar, ele diz que é o preço por pessoa e não por corrida. Valor pequeno o prejuízo (cerca de 20 reais).

7 – Marrocos – 2019 – Golpe da blitz na estrada. Esse eu já fui preparado, sabia que era bem possível acontecer pois havia lido muito sobre dirigir no Marrocos e acabou acontecendo. Na primeira blitz, inventaram que eu tinha atravessado faixa contínua (o que não fiz) e acabei escapando porque acharam (pelo mal inglês deles) que eu oficial ou policial no BR (o que não sou eles, eles entenderam errado o que eu falei). Na segunda blitz, não teve jeito, os caras falavam muito bem inglês e inventaram um excesso de velocidade. Tem que pagar na hora, sem choro, não mandam para locadora para você resolver depois.

Alguns golpes previsíveis que podem ser evitados

Tirar foto de encantador de cobras // pessoas fantasiadas com apetrechos locais — não chega bem a ser golpe, mas é constrangedor ver que eles cobram de maneira incisiva um valor qualquer que não foi avisado antes

Golpe da fitinha em vários locais da Europa, como Florença, Veneza, Barcelona – pedem para você aceitar uma fita (ou flor) supostamente de graça e depois ficam violentos se vc não der uma boa quantia

Pelo tanto que viajei, achei que levei poucos golpes, mas é quase inevitável e é bom se acostumar com isso e levar de boa quando acontecer, tomando algumas precauções, geralmente, eles são de pequena monta.

Uma coisa que eu sempre faço, é nunca andar com passaporte original e isso me salvou nas vezes em que tive a carteira furtada duas vezes em Roma. Sempre no hotel e com uma foto no celular, até hoje só me pediram uma vez nos EUA e aceitaram assim, espero não ter problemas no futuro.

Se fosse fazer uma lista de países onde há mais “golpistas”, a Itália estaria em primeiro lugar, depois Marrocos, e daí os países da Europa muito visitados (França, Espanha e Inglaterra). Não precisa evitar, mas bom redobrar a atenção.

Surpreendentemente, um local que achei que poderia ter problemas e nada aconteceu foi na Colômbia. E vejo o pessoal reclamando muito do Egito, quase fui, mas tive que mudar em cima da hora. Países da América do Sul são muito variados. Chile e Uruguai são muito seguros, mas não senti o mesmo em Lima, por exemplo. Na Argentina, deu ruim duas vezes para mim, mas no geral parece de boa.

……………………………

E você, já caiu em algum golpe viajando pelo mundo Quais dicas daria para evitar cair neles, além daquelas mencionadas pelo Emmanuel?