[Dúvida do leitor] Pensando em migrar do Amex TPC Bradesco para outro cartão. Foco: Interline da Azul pra EUA/Canada via United e AirCanada. Tenho o C6 Carbon como backup. Co-branded AAdvantage nunca consegui. O que recomendam?

O leitor Vinícius Barbosa pretende, assim como muitos outros clientes, tesourar o Amex TPC Bradesco.

Ele deu informações completas sobre o seu perfil de gastos, viagens e cartões no comentário abaixo:

“Fala turma, aproveitando o tema do tópico, queria sugestões dos colegas para a seguinte situação: Atualmente meu cartão principal é o Amex TPC do Bradesco, do qual sempre consegui isenção da anuidade após chorar as pitangas no atendimento ao cliente. Porém, vi rumores aqui mesmo no fórum que o Bradesco está irredutível quanto a isenção de uns meses pra cá: ou paga full, ou cai fora.

Pela comodidade, ACHO que eu aceitaria um desconto na anuidade, de pelo menos 50% pra não ter o trabalho de procurar um cartão equivalente e ter que iniciar a via crucis de solicitar > esperar aprovação > reconsiderar se for negado etc etc etc. Gosto do cartão, do acúmulo, do bônus-aniversário para restaurantes e da Sala da Amex em GRU (melhor que já entrei no Brasil).

Sabendo disso, quais cartões vocês tentariam pegar ou qual estratégia seguiriam?

– Eu tenho o C6 Carbon como backup (limite maior que o Amex) , que deve ficar isento de anuidade até o segundo semestre desse ano, mas 2 acessos VIP/ano não sei se seriam suficientes.
– O foco, ao menos por enquanto, seria no Interline da Azul pra EUA/Canada via United e AirCanada, uma galinha morta de outros parceiros para Europa (raro, mas acontece) e na própria Azul para um ou outro resgate nacional — não faço ideia de como andam os resgates nacionais
– O Unlimited do Santander me parece interessante, porém, não tenho conta lá (abriria se fosse necessário, até pq to meio injuriado com o Itaú e consideraria migrar meu salário pro vermelhinho rs) — não sei como funciona a isenção do Unlimited e facilidade de aprovação
– O AAdvantage, como já comentei algumas vezes aqui, nunca consegui após diversas tentativas e dado o cenário de aparente exclusão das B&Gs (que pode ou não mudar), não sei se meu gasto mensal faria sentido com ele
– Consideraria usar os cartões Azul do Itaú, mas não sei se me sinto seguro com toda essa volatilidade do mercado pra deixar os pontos presos em um único programa

O que acham?”

………….

No tópico original, já tivemos várias respostas interessantes.

O Paulo Henrique disse:

“O Itaú para portabilidade não isenta co-branded, ele dá 4 pontos no programa e fica fácil isentar os cartões próprios….”

Já o leitor Emitir com milhas só gravando disse que resolveu criar seu próprio programa de fidelidade:

“Você pega o dinheiro que gastaria num clube livelo, por exemplo, e deposita pra si, com essa finalidade de viajar. 1 real = 1 ponto.

Com esses pontos talvez você não viaje na executiva / primeira classe, mas vai conseguir emitir em qualquer cia.

Ano passado fui pros EUA, a aproximadamente 7100 pontos, dois adultos em econômica.

Neste ano vou pra América Central, foram uns 7200 pontos, dois adultos em econômica. E assim vai…

Se a Azul cortar benefício, se o Santander deixar o AA de fora da bateu ganhou, se o seu cartão virar US$ 1,00 = 0,005 pontos, tanto faz…

Não fica mais ansioso nem precisa ficar fazendo gincana pra emitir passagem, só entrar no site e emitir o que você quiser com seus pontos.”

………………

E você, o que recomendaria para o Vinícius, além das opções mencionadas?