Azul Fidelidade (ex-Tudo Azul): introdução de qualificação por trechos voados, extinção de pontos qualificáveis vindos de bancos etc.

O programa de fidelidade da Azul Linhas Aéreas mudou. Além das mudanças de nomes (tiraram a palavra “Tudo”, p.ex.), vieram requisitos mais difíceis para obtenção de pontos qualificáveis:

A partir de 1/4/2024, por exemplo, compras de pontos direto da Azul não contarão mais para subir de nível.

Os pontos qualificáveis, agora, se resumem a trechos qualificáveis (novidade) e pontos qualificáveis, oriundos de gastos com passagens e serviços associados, com o cartão co-branded e com o clubinho:

Para subir de nível no programa, um resumo está abaixo:

Conclusão

Faltaram melhorar pontos críticos do programa:

  • Aumentar o limite de 5 pessoas para mais pessoas, pois há muitos leitores que têm mais pessoas na família e não conseguem fazer o cadastramento de todas elas;
  • Instituir um teto Diamante, de no máximo 35 mil ou 40 mil pontos Tudo Azul (ops, Azul Fidelidade), já que o teto atual, que beira os 90 mil pontos, é exageradamente alto;
  • Melhorar a precificação dos resgates de pontos de uma maneira geral, tornando-os menos exorbitantes.

Sei que é pedir muito, mas o que falta mesmo, e isso vale para todos os 3 nacionais (Latam Pass e Smiles inclusos no pacote), é o ingresso numa aliança aérea global.

A última vez que tivemos isso foi com o finado Amigo Avianca, integrante da Star Alliance, que proporcionou uma miríade de resgates, alguns sensacionais, por todos aqueles que tiverem a oportunidade de usufruir daquele período.

Mas isso não vai acontecer tão cedo – talvez nunca mais aconteça. Essas mudanças no Tudo Azul (ops, Azul Fidelidade) é o que temos para hoje. E você, que é do Team Azul Lover, o que achou disso tudo?

Tagged as: