[Reflexões do leitor] Com a popularização das redes sociais, sites e blogs de viagem, criou-se a divulgação de um “Padrão de viagem perfeita”

O Rodrigo iniciou um debate muito interessante no post sobre a celeuma envolvendo salas VIP e o “brácki” do Inter:

“Só eu acho o acesso a salas vips supervalorizado? Mesmo viajando umas 40 vezes por ano, conto nos dedos as que valem a pena, a maioria em voos internacionais.

Claro que com o preço absurdo das coisas no aeroporto, é sempre bom um rango “grátis”, mas tirando para conexões um pouco mais longas, não acho um super benefício não”.

O Henry respondeu:

“Rodrigo…

Todas as vezes que usei as salas VIP, 90% da utilização se deu por conta das poltronas macias e do uso da Internet… e 10% pelo que é servido …

Eu como pouco antes das viagens, e não bebo nenhuma bebida alcoólica antes e durante o vôo…

Mesmo nos voos, nas poucas vezes que voei de executiva, comi pouco…

No início do uso das salas vips eu arregacei na comida, mas depois a viagem foi incomoda com barriga cheia… e tem que lembrar que a bordo também é servido rango…por isso, passada a fase inicial, eu comia na sala VIP alguma coisa bem leve e suco de laranja..

A Internet em 2022 já pega bem nos aeroportos do nosso plano de internet, que todo mês sobram gigas…

Para quem viaja muito a sala tem importância maior, mas quem viaja apenas 2 / 3 vezes por ano, a coisa vai relativizando…”

E, finalmente, o comentário do leitor Léo Morais, que dá título a esse post:

“Rodrigo, com a popularização das redes sociais, sites e blogs de viagem, criou-se a divulgação de um “Padrão de viagem perfeita” – que é supervalorizado, e basicamente consiste em viajar de executiva, acessar salas VIP e usar milhas”.

………………………

E você, concorda com a existência desse “padrão de viagem perfeita”, alardeada aos 4 cantos pelas redes sociais, principalmente nos posts de Instagram e vídeos de YouTube?

Tagged as: