Você marca suas viagens em razão da disponibilidade para emissão com milhas? Ou primeiro marca as datas em que vai viajar, e só depois analisa se há disponibilidade com milhas para aquela data específica?

Essa dúvida surgiu a partir de um comentário do leitor Caio, que, no dia de ontem, relatou que havia encontrado voo de Belo Horizonte para os Estados Unidos por apenas 39 mil pontos Tudo Azul, para junho de 2023:

Encontrei voos Belo Horizonte – Fort Lauderdale por 39k Tudo Azul para junho de 2023.

O Henry respondeu:

É.. muito bom…. mesmo que seja apenas 1 trecho, considerando os bônus de 80/100%, fica um valor interessante..

Quais meses vc achou esse valor ?? tem diversas datas ou apenas umas 5/10 datas no período de 1 ano???

Ao que o Caio disse:

Encontrei apenas em junho/23, a volta esta por volta de 65k.

Daí me surgiu a dúvida:

Você marca suas viagens em razão da disponibilidade para emissão com milhas?

Ou primeiro marca as datas em que vai viajar, e só depois analisa se há disponibilidade com milhas para aquela data específica?

Diante da escassez de disponibilidade com milhas, muitos leitores preferem primeiro garantir as compras das passagens, e só depois fazem todo o resto de planejamento: marcação das datas das reservas de hotéis, ingressos etc.

Mas outras pessoas, por questões variadas (questões atinentes ao trabalho, calendário escolar dos filhos etc.), não têm muita alternativas e acabam tendo que primeiro marcar as datas das viagens, e só depois ir à caça e ter a sorte de encontrar disponibilidade para emissão com milhas naqueles exatos períodos em específico.

Em qual grupo você se encaixa? No primeiro ou no segundo?