[Guest post] Muitas pessoas, com a “farra dos aplicativos / pagamentos”, inflaram seus gastos de forma tão surreal que simplesmente não conseguem mais trabalhar mentalmente com a sua realidade

Seguem as oportunas e excelentes reflexões do leitor Leandro Nicolau (obrigado!):

…………………..

“Pessoal, acho que estamos chegando num momento de reflexão.

Muitas pessoas com a “farra dos aplicativos/pagamentos” inflaram seus gastos de forma tão surreal que simplesmente não conseguem mais trabalhar mentalmente com a sua realidade. Não digo isso pelos comentários daqui não, digo baseado em varias pessoas que conheço e no choro que estão alguns perfis de Instagram de “milheiros”.

Galera perdeu a noção, inflou artificialmente pra cima de 50x seus gastos reais e agora vai ter que trabalhar mentalmente pra se programar para conseguir seus pontos dentro da realidade, como era alguns anos atrás (ok, alguns anos atrás teve a festa de pagar boletos no Santander que eu mesmo tive pontos pra viajar de executiva e primeira classe por um bom tempo), mas fora isso o acumulo não era de forma desenfrada e tão artificial como e hoje.

Acho que todos têm que traçar estratégias para conseguir seus pontos a “custo zero” e também isentar seus devidos cartões, mas temos que avaliar que realmente a galera estava numa vibe “sem limites”, que ja havia dado uma queda com o fim da “zona” que era o Iti e agora os outros apps estão modificando sua forma de funcionar também.

Eu me incluo nisso, embora essa diminuição de geração de pontos não me afete, eu continuo gerando pontos suficientes para bancar minhas viagens em primeira classe ou executiva, mas vou ter menos pontos “sobrando” a partir de agora.

Aqui a galera parece bem consciente, mas não é anormal já ter visto casos de pessoas que acabaram entrando num loop de “jogar pra frente” que acabam se enrolando depois – que no caso é “agora”.

A maioria sei que não se preocupa com a Receita Federal, mas esse “fator de risco” deveria ser considerado, não digo que a pessoa vá ser multada, mas um simples atraso na restituição pode ser uma baita dor de cabeça, e resultar em perdas financeiras gigantes depois, dependendo do que a pessoa faça com essa restituição.

Em 2020, por exemplo, eu comprei tudo de algumas cryptos e foi bem bacana ver lucros percentuais na faixa dos 4 dígitos, coisa que se minha restituição tivesse sido retida, eu não teria conseguido.

Conclusão

Galera tem que olhar pra sua realidade e ver que cartões pode manter a custo zero, e qual sua estratégia de onde acumular mediante o PERFIL DE CADA VIAJANTE, coisa que vejo que muita gente não percebe: o que é bom para um, não é para outro.

Acho que vale a reflexão, talvez ate a curiosidade de analisar agora em quantas X vezes os gastos estavam inflados de forma artificial.”

……………………………….

Como costuma dizer o Fábio, além dos instagrammers, os vendedores de cursos de milhas também devem estar preocupados com a atual “seca” dos apps de pagamentos e terão que se reinventar agora que a coisa ficou bem mais complicada para eles.

E você, o que pensa a respeito?

Tagged as: