[Perguntas & Respostas] Quero trocar o cartão de crédito Smiles do BB pelo PDA. Vale a pena?

Leitor pergunta, leitor responde!

Toda semana o blog recebe novos leitores, ávidos para aprofundar seus conhecimentos no mundo das milhas e pontos e, assim, adquirirem as habilidades mentais para maximizarem o valor das suas compras nos cartões de crédito e, desse modo, realizarem sonhos de viagem com mais praticidade e economia.

Foi pensando nesses leitores iniciantes que estamos inaugurando uma nova seção no MMdM, onde, além da pergunta, já temos também uma resposta pronta – fora as respostas que outros leitores podem dar na caixa de comentários!

Confiram!

…………………..

Eis a dúvida do leitor Bruno:

Pessoal, bom dia, tenho o cartão da Smiles do Banco do Brasil, e estou pensando em migra para o PDA, por conta da pontuação de 1 ponto por real, vale a pena?

Qual a taxa que se paga para transferir os pontos do cartão?

………………….

E aqui a resposta do SwineOne:

1. Pensando apenas pelo acúmulo de pontos, a princípio vale sim a pena, mas leia o aviso do item 2 abaixo primeiro. A única coisa que você perde é a possibilidade de subir de status por acúmulo de pontos (só os cartões cobranded Smiles oferecem essa possibilidade).

Mas se você não se interessa pelo status, ou se não junta pontos suficientes para subir de status, ou se consegue status voando, ou se acha que vale mais a pena ter mais pontos para emissões do que atingir o status, então o PDA é, a princípio, a melhor escolha. Por outro lado, o PDA permite enviar para Latam Pass e Azul também, então te dá mais flexibilidade.

2. Não sei como está o valor da anuidade do cartão cobranded, e se você conseguiu negociar.

O PDA não tem uma regra transparente de isenção de anuidade (por exemplo, uma meta de gastos, ou relacionamento com o banco, como portabilidade de salários e/ou investimentos), então esteja preparado para pagá-la, se necessário — pode ser que consiga negociar uma isenção, mas não é garantido, e não é dos cartões mais simples de isentar. Note que, se por hipótese você não pagar anuidade hoje no cartão cobranded, e não tiver gastos mensais altos com o cartão, os pontos extras obtidos com o PDA podem acabar saindo muito caros em função da anuidade paga.

É preciso simular os custos em função do seu gasto mensal típico para responder se a troca vale a pena.

3. Se continua tudo como era antes, não basta você querer o PDA, o PDA precisa querer você também. A aprovação do PDA é uma verdadeira loteria. Que eu saiba, ninguém encontrou lógica no que leva uma pessoa a ser aprovada ou não para ter o PDA. Gente com score alto é negado, como foi o meu caso. Precisei pedir literalmente dezenas de vezes (fazia um pedido quase toda semana) até conseguir.

Gente com excelente relacionamento com o Itaú (clientes Personnalité, com investimento, etc.) são negados. Portadores de excelentes cartões do Itaú são negados. Enfim, é uma verdadeira loteria. Se decidir pedir, boa sorte — e se for negado, e realmente quiser muito o cartão, continue pedindo, talvez tenha a mesma sorte que eu e seja aprovado posteriormente.

4. Não se paga taxa nenhuma para transferir pontos do cartão. Porém, o acúmulo é de 1 ponto/R$ no programa do PDA. Na hora de transferir para o Smiles ou Latam Pass, há um deságio de 12%: cada 1 ponto PDA vira apenas 0,88 pontos Smiles ou Latam Pass. Para o TudoAzul, não há deságio: 1 ponto PDA = 1 ponto TudoAzul.

E claro, não seja louco de transferir fora de uma promoção de bônus de transferência — e lembre-se de verificar no regulamento se o PDA participa. Nem sempre isso é claro, mas se disser que vale para todos os parceiros financeiros, aí participa. Quando diz que vale para Itaucard/iupp, nunca vi falhar também.

………………….

Enfim, como tudo nesse mundo de cartões de crédito, o PDA tem seus pontos fracos também, inclusive quando comparado ao BB Smiles.

Há algum outro ponto que pode ser complementado a essa excelente resposta do Swine?

Tagged as: ,