Sem fazer nada, cartões de crédito Porto Seguro Visa Infinite voltam a ser uma opção atrativa

O mundo brasileiro das milhas e pontos é realmente curioso.

Sem fazer nada, os cartões PSVI voltaram a ser uma opção a ser pensada no concorridíssimo nicho de cartões de crédito.

O que houve foi uma piora dos concorrentes, em áreas nas quais o PSVI passou a ser uma opção um pouco menos pior.

Listo abaixo os dois fatores em que o PSVI voltou a ser atrativo, num comparativo mais direto com o Santander Master Unlimited Black.

Ticket mínimo de transferência para programas de milhagens aéreas

O concorrente Santander Esfera piorou a quantidade mínima de pontos de envio para Smiles, Tudo Azul e Latam Pass de 15 mil para estratosféricos 30 mil pontos.

Contudo, o PSVI continua mantendo a regra do envio a partir de 15 mil pontos.

Ou seja, o PSVI ganha do Santander Master Black Unlimited nesse quesito.

Priority Pass

O PSVI é o único cartão brasileiro que ainda oferece acesso ao Priority Pass, na modalidade Standard Plus, com 10 visitas anuais grátis.

Em termos práticos, ele continua dando acesso à antiga sala Star Alliance do T3 do Aeroporto de Guarulhos (post aqui).

Já os inúmeros concorrentes que oferecem LoungeKey ilimitado, incluindo os bancos de cooperativas, como Sicredi, Unicred etc., e outros dos grandes bancos, que oferecem 2 passes anuais gratuitos, ou visitas anuais ilimitadas, como o próprio Santander Master Unlimited, já não têm mais acesso a essa sala.

Novamente aqui, ponto para o PSVI.

Conclusão

Nada garante que essa situação permaneça assim no futuro.

Ou seja, é possível, em tese, o Santander Unlimited Black, por exemplo, voltar a ser um cartão atrativo frente ao PSVI, sem que o Santander faça nada.

Basta, por exemplo, que o Porto Seguro Visa Infinite resolva aumentar o ticket mínimo de transferência para 40 mil pontos, e o Priority Pass deixe de ser oferecido pelo PSVI.

Tagged as: