Certificados brasileiros de vacinação contra o covid-19 e entrada de turistas brasileiros em países estrangeiros: problemas à vista (?)

O artigo de hoje é uma contribuição do leitor L., a respeito de um tema de verdadeira utilidade pública, que envolve os assuntos da entrada de turistas brasileiros em países estrangeiros e o certificado brasileiro de vacinação contra o covid-19. Ou melhor, os diversos certificados de vacinação, onde cada Estado parece adotar um modelo próprio.

A temática está na ordem do dia e merece ser objeto de debates, a fim de que soluções possam ser encontradas que não impeçam ou dificultem o ingresso de viajantes oriundos do Brasil em países que possam exigir um eventual certificado de vacinação.

Confiram!

……………………….

“Conforme você sabe, diversos países estão pedindo certificado de vacinação para entrada de turistas.

Porém, os certificados que estão dando no Brasil – ao menos em alguns Estados – não vão servir.

A vacina chamada de CoronaVac é conhecida na OMS pelo fabricante, Sinovac, e o certificado diz apenas “Butantan”. Quem fora do Brasil vai saber o que isso quer dizer?

Fiz cópia do certificado para você ver. 

————
Então, coloco nessa mensagem o certificado de vacinação de 2 amigas minhas que já tomaram a primeira dose (com os nomes apagados).

Observem, acima, os dados destacados em vermelho.

Agora outro comprovante:

Observem, acima, os dados destacados na seta vermelha.

………………

Ambos dizem “Comprovante de Vacinação Influenza”.

Covid-19 é um tipo de Influenza?

Influenza não tem nada a ver com Covid-19. Parece ser apenas o papel que sobrou nos postos de saúde do Rio de Janeiro.

Note ainda que num dos certificados diz “Butantan” e no outro, de forma bem ilegível, “FioCruz”.

Veja se você consegue decifrar o que está escrito antes. 

……………………………

Além do fato de não ser em inglês, mesmo se fizer uma tradução juramentada nem tem como alguém fora do Brasil saber o que isso quer dizer.

Destaco, ainda, na imagem abaixo, a lista das vacinas e certificações obtido no site da OMS, reproduzida abaixo:

A vacina que nós chamamos de Coronavac, distribuída pelo Butantan, deve ser a que chamam de Sinovac, que é o fabricante. A da FioCruz é a Astra-Zeneca. Por que não escrevem isso no certificado?

……………….

EDITADO: Olha aqui o cartão de vacinação de SP.

Esse sim é um cartão de verdade, serviria para apresentar em qualquer lugar. Não aquela porcaria que estão dando no Rio, que ainda diz que é vacina de influenza.

Conclusão

Enfim, sem entrar no mérito da (péssima) gestão da pandemia no Brasil, muitos brasileiros que tomarem as 2 doses da vacina não terão como comprovar a vacinação – ou terão dificuldades para comprová-la.

Ha vários países começando a exigir certificado de vacinação de turistas.

Há alguns dias, li em algum lugar que os navios de cruzeiro farão o mesmo.

Seria tão difícil disponibilizarem um certificado decente, com as informações relevantes escritas claramente?

Como blog de viagem, creio que é um assunto muito importante.”

………………………………………

Realmente, esse é um assunto que preocupa, pela falta de uniformidade na elaboração dos comprovantes de vacinação. O ideal seria haver um modelo único padronizado nacionalmente, e devidamente compatibilizado com as normas internacionais.

Mais alguém aqui que tenha tomado as vacinas recebeu um certificado incompleto ou faltando informações relevantes escritas de modo claro?