Não deveriam Smiles, Latam Pass e Tudo Azul prorrogarem o status elite até março de 2023?

Ano passado, no começo da pandemia, os programas de fidelidade brasileiros tomaram uma medida que estava alinhada ao comportamento de praticamente todos os programas congêneres estrangeiros.

Tratava-se da prorrogação da validade do status elite, por mais um ano, até dezembro de 2021 ou março de 2022, conforme o caso.

A medida já era de certa forma esperada, pois houve uma queda abrupta nos voos, impedindo os clientes de realizarem as viagens e, consequentemente, acumularem pontos ou trechos qualificáveis para upgrade ou manutenção de status nas categorias elite.

Porém, no caso específico do Brasil, a pandemia nesse ano de 2021, ao menos até agora, está sendo pior do que aquela vivenciada nos quatro primeiros meses de 2020.

Embora as perspectivas para o restante desse ano sejam melhores em razão da vacinação, o fato é que a demanda por voos domésticos continua em baixa.

Por exemplo, segundo essa notícia, na Gol os voos em março tiveram queda em relação a fevereiro, e a empresa já projeta queda para esse mês de abril.

Diante de todos esses fatores, e considerando que muitos países ainda decretaram a suspensão de voos com ligação para o Brasil, como EUA, França etc., fica a pergunta: não deveriam Smiles, Latam Pass e Tudo Azul prorrogarem o status elite de seus clientes até março de 2023?

Muitas pessoas ainda não se sentem seguras em viajar pelo medo de aumento da exposição de risco ao contágio, e outras tantas ainda aguardam sua vez de vacinar.

Nesse cenário, obviamente são muito remotas as chances de haver requalificação para manutenção, e muito menos de upgrade, de categoria.

Qual sua opinião a respeito?