Quem tem o melhor sistema de cartão virtual: BB, Bradesco, Caixa, Itaú ou Santander?

A cada dia que passa mais e mais pessoas aderem ao sistema de geração de cartões virtuais para realizar compras pela Internet, principalmente pensando no fator segurança, diminuindo a exposição ao risco de terem os dados do cartão clonados e, portanto, garantindo mais tranquilidade nas compras online.

O problema é que cada banco adota um sistema próprio para a geração de seus cartões virtuais.

Por exemplo, o BB adota um sistema em que um único cartão é gerado, com dados (número do cartão, validade, código de segurança) válidos até determinada data.

Já o Itaú adota um sistema em que o cartão virtual vale para um brevíssimo período de tempo, após o qual sempre é necessário gerar novo cartão virtual. E, na fatura, as compras feitas com os cartões virtuais vêm agrupadas pelo respectivo cartão virtual gerado, de modo que, se forem 20 cartões virtuais gerados para 20 compras distintas, cada cartão virtual gerado estará separado com suas respectivas compras, e não dentro de um único “bloco”, como acontece com a fatura do BB, por exemplo.

Há vantagens e desvantagens em todos esses sistemas. No caso dos cartões do Itaú, por exemplo, você não consegue cadastrar um cartão virtual num app como o iFood, Uber Eats ou Mercado Pago, em virtude da expiração rápida dos dados de cada cartão virtual gerado.

Tenho certeza que muitos leitores do blog não só já estão adaptados a esses diferentes sistemas, mas também já têm consigo a opinião sobre o melhor sistema de cartões virtuais.

Entre BB, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander (e qualquer outro, como Nubank, C6, Porto Seguro etc.), qual deles você acha que tem o melhor sistema de geração e administração de cartões virtuais?

Tagged as: , , , ,