O Itaú substitui o programa Sempre Presente pelo iupp: possível concorrente para o Livelo?

O Itaú resolveu reformular seu programa de recompensas dos cartões de crédito.

Sai o Sempre Presente; entra o iupp.

Pelas características apresentadas até aqui, ele vai competir diretamente com a Livelo:

Observem que não é preciso necessariamente ter um cartão Itaucard para acumular pontos no iupp – igual ao Livelo, onde você não precisa ter cartão de crédito do BB ou do Bradesco para acumular pontos no Livelo.

Igualmente, será possível acumular pontos no shopping online ou na loja própria, tal qual no Livelo.

Porém, até agora, diferentemente do Livelo, não foi lançado ainda o Clube iupp (e alguém aí duvida que eles não irão lançar um clube pra chamar de seu mais pra frente!?), embora estejam disponíveis venda de pontos por R$ 400 o bloco de 10 mil pontos.

Conclusão

Lançado com alguma pompa e circunstância, resta saber se esse programa vai ter musculatura suficiente pra bater de frente com a Livelo, que reina soberana e praticamente sozinha na liderança dos programas de pontos de cartões de crédito, com uma forte carteira de clientes assinantes dos clubes, e com as dezenas e às vezes centenas de promoções de acúmulo de pontos que lançam por semana e por mês.

Já que o Santander ficou pra trás, com o Esfera nunca apresentando novidades significativas (pelo contrário, esse programa está cada vez pior), resta a esperança de que o iupp possa fazer alguma concorrência com o Livelo.

Vale lembrar que os grandes bancos de varejo (BB, Bradesco, Itaú etc.) estão sofrendo concorrências em várias frentes, de um lado as corretoras e bancos de investimentos (XP, BTG, Sofisa, Easynvest, Modal etc.) tentando tirar as aplicações; de outro lado, os bancos digitais (Inter, BS2, Nubank etc) oferecendo serviços gratuitos e fazendo os clientes abandonarem as contas-correntes dos bancões.

Então esses programas de pontos não deixam de ser uma forma de os bancos capitalizarem uma parcela desse vasto mercado de milhas e pontos, que vale bilhões de reais.

Meu receio é haver uma nova inflação dos pontos  longo prazo, elevando os custos dos resgates de passagens para valores ainda maiores do que os atuais patamares, e tornando menos atrativa a manutenção de contas de milhagens e pontos, tal qual já ocorre hoje com alguns programas de milhagens, como o quase falido Latam Pass.

E você, o que achou disso tudo? 

Tagged as: