Cartões de crédito Porto Seguro Visa Infinite (PSVI) na berlinda

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Segue o depoimento do leitor Márcio (a quem agradeço!):

“Depois de muito refletir e lendo seus posts, decidi cancelar o Visa Infinite da Porto Seguro.

Além da anuidade cara e inflexível, a dificuldade de acúmulo de pontos em razão da alta do dólar, a falta de bons programas parceiros aéreos e promoções com eles, e a inutilidade do benefício das salas VIP no momento (cancelei todas as minhas viagens em 2020), foram fatores decisivos.

Devido à contenção de gastos, passei a usar um Nubank com anuidade grátis. Assim me sobrarão $ 1.500 a cada ano que passar….rsrs….

Grato pelos alertas”.

Conclusão

Na verdade a economia de dinheiro não foi de “apenas” R$ 1.500,00.

A longo prazo (devemos sempre raciocinar a longo prazo), e considerando que haja um aumento de R$ 100 a cada ciclo de anuidade, o ganho de dinheiro foi de pelo menos R$ 16.000,00considerando um prazo de 10 anos. E esses R$ 16 mil podem ser usados pra muita coisa melhor: ajudar na reforma (ou compra) do apartamento, comprar ações e fundos imobiliários, investir num curso educacional, nos cuidados com a saúde etc.

Devemos sempre raciocinar o ganho de dinheiro a longo prazo porque, no curto e curtíssimo prazo, os valores podem parecer desprezíveis. É a relatividade dos valores no tempo (fazendo com que pareçam menores do que são) que fez as operadoras de cartão de crédito instituírem as “mensalidades” da anuidade, ao invés das anuidades.

É por isso que uma tarifa de anuidade cheia de R$ 1.500,00 parece ser mais pesada do que uma mensalidade de R$ 125,00. Elas expressam a mesma quantia monetária e o mesmo impacto financeiro, embora, fracionadas no tempo, pareçam carregar “pesos” diferentes.

O PSVI já foi outrora o queridinho do mundo das milhas e pontos, não tanto pelas milhas e pontos em si, mas pelos benefícios de viagens, com visitas LoungeKey e Priority Pass ilimitadas.

Porém, a redução da franquia gratuita para apenas 20 visitas, e mais outras coisas agregadas (como spread alto na conversão cambial, falta de programas parceiros diferenciados etc.), obrigaram muita gente a cancelar o cartão.

Substitutos para o PSVI não faltam, como os leitores demonstraram nesse tópico: Dúvida do leitor: vou cancelar o Porto Seguro Visa Infinite. Por qual cartão devo substituí-lo?

Hoje em dia, então, com a necessidade cada vez mais urgente de cortar despesas não essenciais, pagar esse valor a título de anuidade ficou ainda mais sem sentido.

Alguém mais está a fim de dar um RIP no PSVI?

  • Eduardo

    Eu concordo que a anuidade do cartão é cara e a perda do Priority Pass ilimitado foi uma decepção. No entanto, acredito que o referido cartão talvez não fizesse mesmo sentido para o leitor Marcio. Vamos combinar que migrar do PSVI para o cartão do Nubank é como largar um carro importado para andar de ônibus. Se essa mudança vai gerar uma economia de R$ 1.500/ano é sinal de que leitor não tinha R$ 6.000 de consumo por mês. Gastos acima de R$ 6.000 geram 50% de desconto na parcela mensal da anuidade. Resumindo, não critico a postura e o bom senso do leitor de reconhecer que pode fazer economia. Meu ponto é que existem cartões melhores do que o do Nubank e que são possíveis de obter sem pagar anuidade alguma. Abs

    • Guilherme

      Perfeito. Sair dele pro Nubank é isso aí mesmo. O cartão Latam Pass Platinum por exemplo com regra clara: gasto de 4 mil por mês isento de anuidade, 2 pontos por dólar e pontos grátis pois não se paga anuidade. Em tempo, eu tenho o Latam Black e pra isentar é impossível, mas consegui 60% de desconto e me dei por satisfeito pelos benefícios que tem. Ano que vem se não me isentarem baixo pro Platinum e pronto.

      • Carlos Telles

        Estou na mesma que você com o latam black, só que só consegui 50% de desconto.

        • juan bautista

          Estou nele também.
          Saudades do tudoazul platinum e seus 6000 pontos mensais além da bagagem Free.
          Sou diamante azul e colocava minha esposa de.dependente do cartão. Sempre conseguia a mala

      • Gabriel

        Guilherme, só a título de informação, meu Latam Black foi isentado com média menor que R$ 1.000,00 ano passado. Nem ousei pedir qualquer tipo de isenção, apenas liguei para cancelar, mas eles me informaram que me dariam a isenção por um ano.

    • SwineOne

      É difícil especular sem conhecer a situação do Marcio; mas se ele quiser dar mais detalhes, com certeza os demais leitores do site podem dar excelentes sugestões.

      Um cartão sem anuidade, mesmo que sem pontuar, pode acabar sendo bom para “cortar o vício”, para quem está querendo levar muito a sério as importantes recomendações de cortar gastos e às vezes precisa de uma forcinha psicológica. Sei que existem opções interessantes que pontuam e isentam a anuidade mediante um gasto mínimo (digamos, R$ 4.000), mas aí arrisca que você só chegue no final do mês com uma fatura de “só” R$ 3.500, veja que está próximo dos R$ 4.000 que garantem isenção de anuidade, e decida “arredondar” com uma compra de R$ 500 que você não precisa, por ficar com dó de pagar anuidade por uma diferença “tão pequena”. Isso acaba indo contra a ideia de cortar gastos.

      Uma possibilidade seria um cartão com uma política de isenção diferente, não atrelada aos gastos; talvez uma promoção de aquisição com isenção no primeiro ano, ou um banco que ofereça isenção em troca de investimentos no banco (desde que você não pegue aqueles produtos com taxas de administração altíssimas, que só compensam para o banco).

      • Flavio

        O cartão Meliuz poderia ser uma melhor opção em relação ao Nubank, ele da cashback e não possui anuidade.

      • Thiago R.

        Cartão black do C6 pede um investimento de 150k no banco para isenção e pontua 2,5, como nem tudo são flores possuem apenas 4 entradas do LK, melhor que vários outros bancos.

  • Beto

    Só um complemento, a redução foi para 10 acessos. Via LK ou PP, eles não se acumulam.

  • pauloleo

    Eu cancelei o meu no final de janeiro

  • Henry

    Seu comentário abaixo, é perfeito:

    “….Devemos sempre raciocinar o ganho de dinheiro a longo prazo porque, no curto e curtíssimo prazo, os valores podem parecer desprezíveis. É a relatividade dos valores no tempo (fazendo com que pareçam menores do que são) que fez as operadoras de cartão de crédito instituírem as “mensalidades” da anuidade, ao invés das anuidades…..”

    Uns 30 anos atrás, indo até um bairro de São Gonçalo chamado “Coelho”, a procura de areia/pedra de mão para construção do muro de arrimo de um terreno que tenho em Nicty City, passei em frente a uma loja de eletrodomésticos que anunciava:
    “… Tudo em 48x… “.. e mostrava a parcela de móveis em geral (cama, armários etc) e eletrodoméstico, com valores bem pequenos..
    Fiquei curioso pra saber com qual instituição financeira ele trabalhava… e fui conferir…
    Uma graça a solução da loja…
    Eram sim 48 parcelas.. o pequeno detalhe é que as parcelas eram semanais…. era sistema “carnê” e se o cara atrasasse uma parcela, os juros eram estilo “cartão de crédito”: salgados…

    • Henry

      Não me pergunte o sistema de cobrança no caso de inadimplência… rsrs

      • TRL

        Imagino… e no Brasil, é o único que funciona garantido.

      • Dorgival

        Há 30 anos atrás? Conheço um ex gerente de loja que ia na casa do cliente, tomava o produto (móvel ou eletro) e depois vendia na loja como usado.

  • Henry

    Em função das reiteradas sacanagens que os programas de fidelidade estão fazendo de uns 6 anos pra cá, agravadas nos últimos 3 anos, eu tenho optado por procurar opções de pagamento que apresentem menores preços para compra de produtos e serviços…
    Assim, nesses últimos anos meu cartão de crédito passou a se chamar “BOLETO CARD”, para compra de produtos pela internet.. geralmente, pagando desta forma, consigo descontos de 5 a 10%… o que é realmente muito vantajoso…
    O BOLETO CARD é um cartão que não é de plastico, mas sim de papel, geralmente A4 e pressupõe que eu tenha dinheiro na conta corrente para pagamento imediato..
    Então, outra grande vantagem é que, no mês seguinte não tem fatura do cartão pra pagar…
    Que coisa maravilhosa, né ?? vc compra a vontade e no mês seguinte, zero de fatura…
    Quer dizer, vc compra à vontade até o limite do seu saldo bancário…
    Outra vantagem de usar o BOLETO CARD, é que vc ganha inteiramente grátis um curso on line, autopresencial, chamado “COMO TER DISCIPLINA NOS GASTOS”..e vc passa a gastar o que tem na conta e passa a viver com isso…
    Isso assegura um futuro livre de dores de cabeça, e um dia a dia em que vc dá valor a outras coisas que tem na vida e que são inteiramente grátis..
    No início de minha opção pelo BOLETO CARD, quando tinha um produto que pagando a vista no cartão de crédito tivesse o mesmo valor de pagar a vista no boleto, eu utilizava a opção do cartão de crédito pra acumular qq porcaria em pontos.. mas a mensagem principal era para o lojista largar de ser burro e dar um desconto maior no uso do boleto…
    Mas.. de um ano pra cá… mesmo em condições de igualdade no boleto x cartão de crédito à vista, tenho optado pelo boleto… porque as sacanagens dos cartões cortando benefícios e de outro lado aumentando anuidades foram tão grandes, que resolvi cancelar quase todos os cartões…
    O mais penoso num momento foi passar a tesoura no outrora poderoso Santander Unlimited Black Mastercard, que inclusive era isento de anuidade, por conta de uma certa reciprocidade em investimentos e seguros…
    Mas, posso te dizer que o sentimento de “alforria financeira”, com licença a Mastercard, esse sentimento “.. não tem preço….”
    Enfim… a tesoura rolou solta nos últimos 12 meses… e restou um cartãozinho bem mequetrefe que não tem anuidade alguma e pontua pouco, o Infinite Visa do Bradesco…
    A isenção de anuidade se dá por conta de receber o salário no Bradesco e porque eu tenho a fidelidade reconhecida pela minha gerente, quando eu ameacei tirar minha conta, que era (e continua sendo) Exclusive, porque o banco, sem me consultar, me transferiu para o segmento Prime… o que eu achei um absurdo…
    Isso foi há uns 5 anos atrás… eu disse que não trocaria o atendimento de minha gerente, que é realmente individualizado e que me atende de boa (claro que eu não peço coisas absurdas, aliás, eu geralmente não peço nada a bancos), mas, sempre que precisei, ela atendeu de boa… e ela tem uma coisa que não tem preço como gerente: não fica enchendo meu saco tentando convencer que o banco dela tem produtos melhores que outros bancos… isso é uma decisão minha e não do banco… nossa.. ter essa paz de espírito, é algo que “.. não tem preço…”

    • Henry

      Meu pai a vida inteira geriu dinheiro público…
      No começo da sua vida profissional como intendente… fazendo compras através de concorrências, que nem existia isso nas décadas de 50/60 em diante…
      Depois, durante 17 anos como diretor de economia e finanças dos aeroportos do Rio de Janeiro..
      Era um cara respeitado no meio…
      Mas, com tudo isso, ele me deixou como herança um ditado (aliás, muitos ditados e exemplo de vida)…
      Ele detestava comprar a prazo as coisas lá pra casa.. não comprava…
      E me dizia a respeito de comprar utilizando crédito de banco/cartão:

      “… você compra uma coisa que não quer, que não precisa, com um dinheiro que não tem…..”

    • Dorgival

      Quando o valor de algo que vou comprar está igual cartão x boleto, tenho uma outra opção: Compro no cartão e atualizo o saldo no banco. Coisa que se fazia quando se utilizava cheque.

  • assolini

    Qualquer cartão top hoje no mercado, os que pontuam 2.2, 2,3 são um nada com esse dólar caro. Sua pontuação está desvalorizada e ficará assim por um longo tempo.
    No momento o melhor cartão disparado é o Pão de Açucar 2.0, que pontua por real, livre das flutuações do dólar.
    Minha sugestão seria esse, mas o povo é dificil de largar o cartão preto…

    Quem for ligar pra cancelar o PSVI, saiba que a Porto não se importa, os atendentes não costumam fazer contra-proposta ou tentar segurar o cliente. É politica deles deixar que o cliente decida.
    Portanto se tentar pedir desconto na anuidade, saiba que a resposta padrão é sempre um NÃO.
    Agora, quem for cancelar, saiba que a Porto é vingativa. Vi casos de pessoas que cancelaram e depois, ao pedir o cartão novamente, a resposta foi um grande NÃO.
    Acho isso ruim? Sim eu acho, mas é parte da estratégia deles de “valorizar” o produto, que convenhamos, anda de mal a pior.
    Me pergunto quando eles vão se tocar. Talvez ao perder muitos clientes?

    Uma alternativa seria fazer um downgrade para cartões menores, porém é impossível manter o mesmo limite oferecido nos cartões top:

    * Platinum 52,00 mensal custo da anuidade/ 75k limite maximo
    * Gold 35,00 mensal custo da anuidade/50k limite maximo
    * Internacional 26,00 mensal custo da anuidade /30k limite maximo

    Ei, chegou a hora de largar o cartão preto, tem coisa melhor por ai!

    • Giovanni

      Assolini, 2018, cancelei o PSVI por questões listadas nesse post. Contudo, repensei e pedi novamente final de 2019. O operador me ligou e perguntou se queria ativar o mesmo cartão e com o mesmo número, achei por bem não fazer isso, e recebi novamente todo o conjunto, inclusive o PP.

      • assolini

        Giovanni, sim, vi relatos de pessoas que cancelaram e pediram depois de 3 meses, conseguiram de volta.
        Porém não sei se isso se mantém hoje ainda.. me parece que é possivel reaver o cartão depois de um tempo

  • Mr_flying

    Voltei depois de um merecido tempo longe dos comentários, dos blogs, e do tsunami que virou o mundo. n
    Guilherme só tenho a parabenizar o blog pela postura austera de contenção de gastos, afinal, viagens são o supérfluo do supérfluo e quem vive de brisa é o PP.
    Cartão Black da Porto Inseguro, cancelado sem dó, nem tentaram argumentar nada, só demorou porque foram falar com a supervisão para pedir autorização, já que eu cliente há 10 anos. e tem mais também vou mudar de segurado, expliquei que a palhaçada da mudança da política é safadeza e que perderam um cliente fiel com bonus 10.
    Tenho visto muito coisa nesses últimos dias, e sinceramente NAO TO COM VONTADE de comentar, haters serão haters, blogs que vivem de brisa continuarão, inclusive copiando na cara dura o Aeroin e publicando sem crédito, mas o Eloy também não escapou, depois da banana da Latão em que defendia a empresa com a alteração das malas, ficou mais queimado, porque todo dia publicava 10 noticias sobre a mesma, e a cereja do bolo foi divulgar um cartão AMEX cuja anuidade era 5 mil dólares, e 10 mil dólares para se associar, achei o fim da picada. Achei muito bom que o swinone tem contribuído para o site, afinal como eles disse que retornou porque aquele senhor (…) nunca mais apareceu por aqui.
    Enfim, ficarei mais resiliente e o ASSOLINI tem razão, devemos cortar o preto, hoje será a vez do Santander Unique, que pulou para 7 mil de isenção, também na tesoura hoje o SMILES infinite que peguei na promoção sem anuidade, já que o Smiles não vai depositar as 40 mil milhas, não tem porque eu ficar com ele.
    Abs a vocês.

    • Caixeiro Viajante

      “SMILES infinite que peguei na promoção sem anuidade, já que o Smiles não vai depositar as 40 mil milhas”

      Tenho o mesmo cartão e os bônus de adesão foram creditados pela metade. Abri uma reclamação ontem no Smiles mesmo e ficaram de responder em 10 dias.

      Informaram a vocês que não irão creditar?

      • Mr_flying

        Não vão creditar. E sinceramente não to com saco para ir no consumidor não, como eu disse, tenho ficado mais resiliente e na minha essas 2 ultimas semanas.

    • SwineOne

      Já que você tocou na questão dos seguros, tenho uma história muito interessante para contar. Pode contribuir como mais uma forma de cortar despesas diante do atual cenário.

      Os seguros aqui de casa, até o ano passado, eram feitos com uma corretor de seguros que já atendia meus pais desde que me conheço por gente.

      Quando minha esposa comprou um carro “diferente” há uns anos atrás, com poucas unidades vendidas no país, esse corretor veio com umas propostas totalmente fora da casinha. Na época, procurei outro corretor que me deu uma cotação bem mais próxima da realidade. Magicamente, quando mostrei essa proposta para meu antigo corretor, “descobriram” um erro no preenchimento da proposta e apareceram com uma cotação bem melhor que as originais. Pois bem, decidi fechar com eles naquela época.

      Ano passado, troquei de um carro de segmento mais alto, esportivo, e com mais de 10 anos de idade, para um carro popular novo. Cotei o seguro com eles antes de fazer a troca (como sempre faço, para não me surpreender) e veio um valor mais alto do que eu estava pagando pelo outro carro. Na minha cabeça, isto não fazia sentido algum. Pedi indicações de outras corretoras para um conhecido de confiança, que inclusive trabalhou com revenda de carros no passado. Ele me passou um corretor que fez uma proposta que era basicamente metade do que o corretor antigo havia feito. Não só isso, na hora de fechar, ele sentou comigo e analisamos cobertura por cobertura do seguro, ele deu as dicas de onde aumentar (por exemplo, danos materiais a terceiros, que pelo menos a partir de um certo valor dá uma diferença ínfima no valor final do seguro, e te dá muita tranquilidade) e onde diminuir (carro reserva, assistência/guincho devido). Fiz um excelente negócio.

      Semana retrasada foi a vez de renovar o seguro da minha esposa, que coincidentemente estava na Porto (ainda com o corretor antigo). Para esse ano, a Porto quis aumentar consideravelmente o valor do seguro, e o corretor, já sabendo que levei meu seguro para outro, pesquisou e conseguiu um mais barato. Mesmo assim, cotei com o meu corretor novo e ele conseguiu um negócio melhor ainda, quase 20% a menos que a proposta do corretor antigo e com coberturas muito melhores (por exemplo, R$ 250.000 para danos materiais a terceiros, franquia um pouco menor, e opção de 20% de desconto na franquia ou carro reserva).

      Moral da história? Não fique amarrado a uma empresa ou a um corretor específico. Penso (mas posso estar errado) que meu corretor antigo só fazia propostas de empresas que pagassem uma comissão melhor a ele, ao invés das que fossem mais baratas para mim. Então, na hora da renovação, pesquise bastante.

      • Mr_flying

        Ótimo, minhas 3 ultimas renovações foram com briga, a minha corretora trabalha dentro da Porto, esse ano como frisei para o pessoal do seguro não faço questão alguma de manter meu seguro com eles, depois de 10 anos. E sabidamente a Porto é a que cobra o preço mais caro da apólice.

      • Guilherme

        Excelente comentário, Swine! Me deu um poderoso insight para uma situação que eu precisarei resolver em breve. Muito obrigado!

    • Jhow

      Também pedi o Smiles Infinite na BF e também recebi apenas 20k. Pior foi receber semana passada incríveis 500 milhas (kkkkk) acompanhadas de um e-mail gentil e gracioso da Smiles informando que tais milhas se tratam de um reconhecimento e contrapartida do programa pela reconhecida falha no atraso do crédito integral da bonificação de aquisição do cartão (???), que segundo eles ocorreu na semana anterior (com o crédito total de 20k – ???). Agora não sei o que é mais bizarro: eles terem a coragem de informar que houve quitação do bônus com apenas 20k ou me darem 500 milhas de “consolo”.

      • Emanuel Soares

        Também recebi o dito e-mail da Smiles me devolvendo míseras 342 milhas com uma redação de ganhador da mega-sena. É pra acabar!

  • iarrul

    Apenas mais um a reforçar o coro de um dos blogs mais educativos do setor, sem dúvida! Parabéns!

  • Luiz De Freitas

    … acho que o blog deveria mudar o nome para “ORGULHO DE SER ZERO MILHAS” … leitores incautos podem clicar no chamativo nome “MEU MILHÃO DE MILHAS” … no entanto a leitura das postagens dos últimos meses só revela recomendações contrárias ao acúmulo de milhas … em tempos difíceis é onde mais se fazem necessárias idéias criativas e não idéias que pregam somente o abandono das idéias preconizadas pelo título do blog … rsrsrsrsrsrs …

    • Dorgival

      Muito radical. Podia ser MMdM utilizadas. ou MMdM passadas.

    • assolini

      Leia o blog. Leia os comentários.
      O que estamos dizendo e você e outros parecem não entender: cartão preto com anuidade cara NÃO é a melhor opção para milhas. Dolar caro, momento da economia ruim, aéreas em colapso.
      Corte gastos, fique com cartões mais baratos e que surpreendentemente pontuam mais (Pão de Açucar por exemplo).

      Simples assim. Ninguém aqui é contra milhas, mas entre acumula-las e preservar sua vida financeira, fique sempre com o ultimo.

      • Luiz De Freitas

        … certamente constitui uma visão muito reducionista enxergar somente as duas opções apresentadas! Sua visão não contempla a possibilidade de poder se ter vida financeira preservada, ou até mesmo incrementada, e o acumulo de milhas (em moeda forte). A isenção de pagamento de anuidades é algo fácil de se construir (vide como em comentário do SWINE ONE em outra postagem neste mesmo blog) e todo o pagamento de taxas e tarifas se convertem em moeda forte (milhas em programas americanos e/ou europeus) … inclusive há a possibilidade inclusive de se lucrar entre 1% a 1,5 % sobre o total da fatura pensando de maneira conservadora … no caso de geração de milhas para revenda esses percentuais são muito maiores … toda atividade, ou inatividade, inerentemente possui um risco …

        • assolini

          Milhas são moeda forte? Ah, me poupe… nessa crise só existe uma moeda forte: ouro e dólar.
          Milhas são desvalorizadas pelos emissores a todo tempo, tanto aqui quanto fora do pais. Ou vai me dizer que nunca ouviu falar de desvalorização das tabelas de emissões?
          Milhas são uma moeda forte que podem virar pó. Basta a companhia falir. Enquanto que o dólar e o ouro não…
          Se até Warren Buffet, no alto dos seus bilhões, se livrou de ações da Delta e Southwest, quem somos nós pra dizer que milhas são moeda forte?
          Venda de milhas? A Max quase foi a falencia e anunciou hoje o parcelamento das dividas. Isso é moeda forte?

          Existem muitas possibilidades fora daqui, porém não acessível a todos. O TPC americano é um excelente cartão.
          Mas não ache que a sua realidade seria aplicável para todos que aqui participam. Sua visão é de que o que é alcancável por você, seria por outros. Nem todos podem preservar sua vida financeira num momento de desemprego, tendo que manter o crítico e eliminar o superfluo. Não é o meu caso, também não é o seu, mas sim, há gente aqui que será impactada. Não extenda sua realidade aos outros. Na hora da crise, o que é mais importante? Manter o cartão preto ou garantir suas reservas de emergencia?

          Se você pode manter ambos, parabéns.
          Se não pode, o melhor a fazer é preservar sua vida financeira. Cartão? Você consegue outros…

          • Luiz De Freitas

            … ideias messiânicas e que pregam a salvação econômica são normalmente emanadas de pregadores e não de investidores … muitas vezes a pregação do fim do mundo e de dilúvios seriam melhor posicionadas em blogs de outra natureza, talvez religiosas … a mentalidade próspera e de investidor procura exatamente em época de mares bravios divisar ótimas oportunidades e arriscar … Argumento de autoridade, tipo Warren Buffet, também desmentem sua crença em manter reserva em ouro tendo ele afirmado que dava mais valor às suas ações da Coca-Cola e de ferrovias do que a um bloco enorme de ouro!
            “Lazy, good-for-nothing …
            Buffett hammered on gold in his 2011 shareholder letter calling it an “unproductive asset.” He said that assets like gold “will never produce anything, but are purchased in the buyer’s hope that someone else will pay more for them in the future.” He went on to say that the owners of assets like gold “are not inspired by what the asset itself can produce — it will remain lifeless forever — but by the belief that others will desire it even more avidly in the future.”

            Sobre dinheiro, cash:
            “The one thing I will tell you is the worst investment you can have is cash. Everybody is talking about cash being king and all that sort of thing. Cash is going to become worth less over time. But good businesses are going to become worth more over time. And you don’t want to pay too much for them so you have to have some discipline about what you pay. But the thing to do is find a good business and stick with it. We always keep enough cash around so I feel very comfortable and don’t worry about sleeping at night. But it’s not because I like cash as an investment. Cash is a bad investment over time. But you always want to have enough so that nobody else can determine your future essentially.”

            • SwineOne

              De fato, o momento é bom para investir. Investimento em ações, renda fixa, e para quem souber utilizá-las dentro de uma estratégia adequada de alocação de ativos, até em reservas de valor como dólar e ouro.

              Só tem uma coisa, e me corrija se eu entendi mal, mas depreendi do seu comentário que você considera milhas como um investimento ou moeda forte. Segundo Benjamin Graham: “An investment operation is one which, upon thorough analysis, promises safety of principal and an adequate return.” Sugiro um experimento mental de tentar enquadrar qualquer operação de milhas nessa definição (dica: não será possível). No máximo, se trata de uma operação de arbitragem, e com uma série de riscos: falência da empresa, inflação de resgates, restrição de disponibilidade para emissão, etc. Milha boa é aquela que você transfere e imediatamente gasta, conferindo claramente o status de operação de arbitragem.

              Quanto à discussão tangencial sobre ouro e dólar, acho que você interpretou mal as falas que você citou. Ouro não é, ou pelo menos não deveria ser, investimento; é reserva de valor. Comprar ouro torcendo para que a cotação aumente é tolice. Em geral, ouro tem uma correlação inversa com o desempenho de ativos “produtivos” — qualquer dúvida, consulte o que aconteceu com o ouro nesses últimos meses, especialmente sua cotação em real. Ele é interessante como hedge para o restante da sua carteira — quando você ver o resto da sua carteira derretendo, é muito provável que você olhe para o ouro e verá ele subindo, segurando um pouco da queda do resto da sua carteira. Caso não conheça, sugiro pesquisar sobre “Modern Portfolio Theory” (apesar do nome, é algo que já existe há décadas); resumidamente, você diversifica sua carteira em classes de ativos inversamente correlacionados entre si (ou seja, quando um aprecia, o outro deprecia, e vice-versa); se os seus ativos de fato tiverem esse comportamento, e forem comprados nas proporções certas, você consegue reduzir a volatilidade da sua carteira. O ouro tem lugar nesse tipo de estratégia. Também, é algo que tem um valor intrínseco, pelas suas propriedades físico-químicas interessantes; a menos que se desenvolva um processo barato de produzir ouro via fusão/fissão nuclear, ou se inventem materiais mais baratos com as mesmas propriedades, ele sempre terá algum valor.

              • Luiz De Freitas

                … quem trouxe a questão do ouro para a discussão foi o comentarista anterior, o Assolini .. quanto ao ouro, as citações colacionadas o foram em contraposição à invocação da preferencia pelo ouro como “moeda forte”, motivo pelo qual lancei mão de declarações em contrário da própria autoria da autoridade financeira invocada, ou seja, Warren Buffet e não são ou representam uma proposta de alocação de investimentos in genere … entretanto penso, como brasileiro que vive sob a égide do Real (BRL), ser vantajoso ter milhas para custear exatamente aquilo que com elas se pode adquirir: viagens aéreas, hotéis, e inclusive restaurantes, etc, ao invés de tentar guardar Reais (BRL) e depois ver o montante poupado retroceder e ficar distante do custo das viagens, hoteis, etc objetivadas com a poupança … também há a possibilidade dessas milhas apresentarem valorizações como por exemplo no momento atual em que é possível se encontrar muita disponibilidade para emitir passagens, pagando com milhas, até mesmo com descontos o que corresponde na realidade a uma valorização do poder de compra da sua reserva de valor nessas moedas virtuais … há também o fato inegável que quase sempre o custo das passagens em cabine premium, pagas com milhas, quando computado o custo da obtenção e geração dessas milhas, ser muito menor do que aquele que se paga em cash (qualquer moeda) … também no caso de pontos ALL (ACCOR) verifico que para o Natal e Ano Novo é possível se pagar com descontos equivalentes a 20/25% pelos mesmos dias correspondentes ao ultimo Natal e Ano Novo … inegavelmente isso representa um aumento no poder de compra dessa moeda e sua vantagem se mostra ainda maior quando se compara com a hipótese de se ter feito economias e aplicações em Reais as quais agora somente pela flutuação cambial se desvalorizaram em torno de 20/25 % … nesse mesmo prazo de 1 ano dificilmente as aplicações atreladas ao Real conseguiram se valorizar nesses percentuais de 20/25% …

                • SwineOne

                  Olha, depois de reler toda a sua sequência de comentários, percebi que você realmente não entendeu o espírito das postagens do Guilherme.

                  Talvez o seu ramo de atuação, de alguma forma, não vá ser afetado pela crise. Não consigo nem imaginar que ramo possa se enquadrar nessa descrição, mas enfim. Talvez você tenha muito dinheiro no banco, e possa sobreviver os anos de recessão que virão, sem prejuízo do seu padrão de consumo atual.

                  Se você se enquadrar numa das duas situações, parabéns. As postagens que o Guilherme tem feito nos últimos dias não são voltadas para você (embora acho que todos possam aprender com as reflexões que ele propõe).

                  Ou talvez você esteja no mesmo barco que a maioria de nós, e esteja com dificuldades de enxergar o tamanho da crise que vem por aí. Como o Guilherme disse no outro blog dele, até servidores públicos correm o sério risco de serem afetados.

                  Para a maioria de nós, não está na hora de pensar no diferencial de custo entre uma passagem em classe executiva com e sem milhas (até porque acredito que a maioria dos leitores do blog não tenha condição financeira real de comprar passagens em classe executiva sem milhas, pelo menos se tiverem um mínimo de amor pelo seu dinheiro). Não está na hora de ver quanto é possível economizar em hospedagem na Europa no Natal e Ano Novo. Está na hora de ter certeza que, se você perder o emprego (e muitos que nos lêem aqui perderão), você tenha feito alguma reserva financeira e “reduzido o padrão de vida” (se é que cancelar cartões de crédito possa ser considerado uma redução de padrão de vida) o suficiente para conseguir esticar ao máximo essa reserva financeira até conseguir uma recolocação, o que já não estava fácil antes e ficará ainda mais difícil agora.

                  Infelizmente, como cansei de dizer aqui, a Jabalândia propaga uma imagem que você é um fracassado se não fizer diversas viagens longas em classe executiva e primeira classe por ano, carona de Porsche até a porta do avião, hospedagem nos melhores hoteis, visita a todas as salas VIP possíveis e imagináveis no caminho, cartão American Express Centurion com pedágio de entrada de US$ 10 mil e anuidade de US$ 5 mil, etc. A gente acaba lendo isso e achando que é normal, quando na verdade só é sustentável se você é um blogueiro da Jabalândia que ganha dinheiro em cima das análises e indicações desses produtos.

                  Da minha parte: tenho pontuação acumulada no Santander para, caso transfira para a Iberia, quase 5 viagens de classe executiva GRU-MAD ida e volta na tarifa off-peak; e tenho pontuação na Accor para passar um mês na Europa em muitos hoteis Íbis. Vou continuar com os 2 cartões que eu tenho, e fazendo uso dos aplicativos com o objetivo de continuar não pagando anuidade, que nunca paguei em nenhum dos dois. Estou com o Clube TudoAzul 2.000, para mim e minha esposa, que adquiri numa promoção com gordos bônus de adesão, e cujos pontos serão usados para viagens de trabalho quando a quarentena acabar (e que será prontamente cancelado assim que possível, inclusive vou ler o regulamento com cuidado para ver se serei punido caso cancele o Clube após creditarem todos os bônus de adesão, até o quarto mês). Mas serei muito racional: se os aplicativos continuarem cortando benefícios (e hoje já tivemos a notícia da morte e enterro do Ame), e se tornar impossível continuar sem pagar anuidade desses cartões, vou ser obrigado a reavaliar. No mínimo ligar lá para ver se consigo algum benefício pelo meu tempo de relacionamento, e senão, tentar ver um cartão que pontue menos e com política de isenção mais fácil.

                  O que não dá é pra, nessa época de crise, começar a assumir despesas novas e nada baratas. E claro, a última coisa que passa pela minha cabeça agora é ficar correndo atrás de novos cartões com bônus de adesão mediante uma meta de gastos, pedir cartão Pão de Açúcar e começar a pagar anuidade só porque pontua em real e não em dólar, assinatura de clubes, pagamento de juros em aplicativos para acumular pontos, compra de coisas supérfluas porque tem uma “promoção imperdível” de acúmulo de pontos, etc.

                  Pra mim é essa a lição que o Guilherme quer passar: não é zerar o acúmulo de milhas, é acumular apenas na medida em que isso não gera custos extras para você. Neste momento, os acúmulos que geram custos devem ser, em geral, evitados. E convenhamos, o que deve ter de gente que gasta R$ 1.000, R$ 2.000 ou mais em anuidades de cartão, clubes de milhas e juros de pagamento de contas no cartão não tá no gibi. Já vimos exemplo de gente se debatendo com o cancelamento do Clube Livelo 20.000 por R$ 649 nos últimos dias (em alguns casos, dois destes planos, um para a pessoa e outro para o cônjuge). Trata-se do tipo de despesa completamente desnecessária na época que vivemos.

                  Inclusive, nem contei a história de como a empresa da minha esposa começou a pagar o salário pelo Sicredi, e a gerente de lá veio pra cima de mim, como um leão faminto, querendo que transferisse todos os investimentos para lá e pegasse um cartão Black sem isenção de anuidade. Isso um pouco antes da situação atual estourar. Fui bastante firme em recusar, apesar da intensa pressão, argumentando que já tenho investimentos de baixo custo e um cartão que consigo isentar a anuidade.

  • Pingback: [Guest post] Passei a tesoura no Santander Master Black Unlimited, e agora só compro à vista no “Boleto Card” | Meu Milhão de Milhas()

  • Gabriel

    Entendo que a redução de gastos é obrigatória nesse momento, com toda certeza, ainda mais se tratando de encargos bancários. Mas se tratando de anuidade de cartão de crédito, ela deve sempre ser zero ou muito próximo disso, não só em época de crise.
    Existem tantas opções de isenção quando da aquisição do cartão ou por média de gastos que não existe razão para o pagamento da anuidade. E não falo só de cartões de alta renda, alguns fáceis e sem custos diga-se de passagem, mas também os de média e baixa que se enquadram nos mais variáveis orçamentos. Só fica sem cartão que pontua e sem benefícios basicamente quem tem isso por opção.
    A situação é crítica, mas radicalismo nunca funciona. Aliás, justamente em períodos de crise como o presente, em que pese todos os graves problemas inerentes, algumas oportunidades interessante em paralelo aparecem, que depois perdurarão para o período pós-crise. Não vejo muitas alternativas senão garimpar isso com boas ideias, senão podemos abandonar nossa vida de milheiro hehe

    • SwineOne

      Concordo. Também não lembro a última vez que paguei anuidade (foi do Santander Reward, e ele está há anos sem cobrar anuidade por falta de uso).

      Só estranho quando leio posts da região da Jabalândia, onde vemos pessoas que aparentemente tem 5 a 10 cartões diferentes (ou mais), e tenho minhas dúvidas se essas pessoas se preocupam com a anuidade. Alguns dos cartões até podem ser isentos, mas acho que é um caso raríssimo alguém que tenha essa quantidade de cartões dos mais caros do mercado e não pague anuidade em nenhum (ou mesmo em só 1 ou 2) — tem outro leitor aqui do blog afirmando que tem vários e não paga, vamos ver qual a técnica que ele usa.

      Sinceramente, tem gente que dá zero valor ao seu dinheiro. Duvido que, se a pessoa sentar e analisar com cuidado, as necessidades dela não sejam atendidas por no máximo 3 cartões, quando não 2 ou mesmo 1. Além disso, existe o problema de você pulverizar a pontuação por vários programas e instituições financeiras. Também, você acaba tendo que assinar vários clubes para ter acesso às melhores promoções. Aposto que a maioria dessas pessoas acaba gastando mais em anuidade do que os benefícios que são revertidos — e alguns deles, pode-se argumentar, um tanto supérfluos, tipo salas VIP: legal para quem gosta (se é que gosta, às vezes só quer aparecer no Facebook/Instagram mesmo), mas a menos que você seja um blogueiro de viagens e ganhe dinheiro com as suas avaliações, ou faça viagens internacionais a trabalho pelo menos uma vez por mês, provavelmente sai mais barato pegar um cartão em que você consiga isentar a anuidade e pagar por acesso. E ainda assim, tem cartões como o Sicredi Black que, salvo engano, dão acessos ilimitados.

  • Emanuel Soares

    Anuidade de cartão de crédito, o que é isso?
    Nunca precisei pagar para ter acesso aos melhores cartões como os Blacks, PDA, TPC, Elo Diners. Se precisasse, acho que perderia o interesse…

    • SwineOne

      Pode compartilhar suas técnicas para isentar a anuidade? Será de grande valia para outros leitores do blog.

      • Henrique Prado

        Fale com seu gerente, negocie com seu Banco , tenho Visa INFINITE do BB e sou isento por gastar acima de R$ 10mil todo mes

    • Mr_flying

      Pago pra ver!

  • Leonardo Albano

    Não entendi o porque do cancelamento. Geralmente dependendo do valor da fatura por mes a pessoa é isenta de anuidade. Não aconselho a ninguem pagar por anuidade de cartões, pois as milhas acumuladas deixariam de ser gratuitas. Tem cartoes melhores que o nubank (que nada pontua) e que são gratuitos. Mas nao critico a decisão do leitor em querer cortar gastos ainda mas na crise que estamos passando.

  • Luiz De Freitas

    SWINEONE: …circunscrito ao tema de milhas e pontos vc captou a estratégia que defendo ao dizer:
    “Da minha parte: tenho pontuação acumulada no Santander para, caso transfira para a Iberia, quase 5 viagens de classe executiva GRU-MAD ida e volta na tarifa off-peak; e tenho pontuação na Accor para passar um mês na Europa em muitos hoteis Íbis. Vou continuar com os 2 cartões que eu tenho, e fazendo uso dos aplicativos com o objetivo de continuar não pagando anuidade, ….”
    Essa é uma postura pragmática e não de pregador religioso.
    Ampliando genericamente a discussão, no meu entender e considerando minha experiencia de ter já passado por muitas e muitas crises e sacanagens aprontadas principalmente no Brasil não acho interessante poupar ou investir riqueza a longo prazo em moedas fracas … mesmo no Brasil há “moedas fortes” na forma de commodities agrícolas e minerais cotadas internacionalmente como, por exemplo, soja, milho, café, gado, minérios, … terras agrícolas. O pior investimento, no meu modesto entender, é poupar em nossa moeda sendo possível observar isso apenas com visitas frequentes a um supermercado … os preços já subiram ao longo dos últimos 12 meses muito mais que os índices oficiais (e há décadas tem sido assim!) … É, então, possível poupar em “moeda forte”, no conceito lato do termo, estocando todo tipo de consumíveis (ganhando milhas) e, inclusive, trocando por eletrodomésticos mais econômicos e eficientes e por geração de energia solar, eólica e a coleta e uso de agua das chuvas nas condições em que isso for possível…. certamente o poder de compra de suas milhas e pontos servem para mostrar exatamente esse ponto, principalmente se vc comparar essa valorização vis a vis a valorização de seus investimentos (mencionados por vc anteriormente) em fundo de previdência privada … o mais provável é que, mesmo medido pela moeda Real, seus investimentos em previdência privada andaram para trás e se medido em moeda de aceitação universal a desvalorização certamente foi ainda maior! … Ao longo de muitos anos é fácil verificar que as quotas desses fundos somente compensam o resgate em períodos muito curtos ao longo do tempo e que na maioria das vezes os resgates apresentam ganhos inexpressivos …

  • Mr_flying

    Já dizia o filósofo Séneca: ” Seja breve e agradarás”

  • Felippe

    Por incrível que pareça, eu acho vantagem o visa Infinite BB smiles para manter, mesmo com a anuidade de 1.000. Já fiz inúmeras contas e ele compensa. Ainda mais se a pessoa não for diamante.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×