Santander Esfera vende lotes de 10 mil pontos por R$ 490 – evitem!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

No pior “timing” possível – com pessoas perdendo emprego, outras tantas tendo diminuição de renda, estado de calamidade pública decretada em dezenas de países, impossibilidade de viajar etc. – o Santander resolveu lançar uma campanha de venda de pontos (agradeço ao Swine pelo envio da dica, bem como ao Henrique P.P. pela sugestão do post!).

Regulamento

Período de realização: das 10h00min do dia 02/04/2020 às 22h00min do dia 02/04/2020 (horário de Brasília).

Abrangência: território nacional.

Produtos Participantes: Programa de Pontos Esfera.

1. Poderão participar desta Campanha todas as pessoas físicas, maiores de 18 (dezoito)anos, titulares de: (i) cartões de crédito Santander participantes do programa de Pontos Esfera, que atendam às condições descritas neste Regulamento (“Cliente(s) Elegível(is)”).

2. Os Clientes Elegíveis se tornarão Clientes Participantes ao realizarem, dentro do Período de realização da Campanha a compra de pontos Esfera, em qualquer montante, conforme cláusula 3, abaixo.

3. Os pontos comprados devem necessariamente serem múltiplos de 1.000, onde o mínimo possível a ser adquirido são 1.000 pontos e o máximo 200.000 no período de 6 meses ou o equivalente a esse montante em 5 transações (o que ocorrer primeiro), por CPF ou CNPJ participante da Esfera.

3.1. Serão consideradas Operações elegíveis todos as compras realizadas (i) para produtos listados acima; (ii) por meio do website esfera.com.vc;

3.2. Todos aqueles que cumprirem com todas as condições desta Campanha, farão jus ao recebimento dos pontos bonificados, observadas a regra abaixo:

Desconto de 30% (trinta por cento) no valor total em reais (R$), calculados sobre a totalidade do montante em pontos comprados;

3.2.1. Tendo em vista as regras previstas nos itens acima, apresentamos o  exemplo:

  1. Exemplo: Cliente comprou 1.000 pontos Esfera, no dia 02/04/2020 às 13h00 e pagou R$ 49,00, durante a campanha;
  2. Exemplo: Cliente comprou 1.000 pontos Esfera, no dia 02/04/2020 às 09h00 e pagou R$ 70,00, por estar fora do horário de vigência da campanha;
  3. Exemplo: Cliente comprou 1.000 pontos Esfera, no dia 03/04/2020 e pagou R$ 70,00, por ser um período fora da vigência da campanha;

3.3. Caso o cliente tenha adquirido 200 mil pontos nos últimos 180 dias ou realizado 5 transações de compra de pontos nos últimos 180 dias, o cliente não estará elegível à campanha.

3.3.1 Caso o cliente atinja o limite de 200 mil pontos adquiridos nos últimos 180 dias ou 5 transações nos últimos 180 dias durante a campanha, ele estará elegível à campanha apenas até o limite de pontos e/ou transações restantes para atingir seu limite.

3.4. Os pontos só poderão ser adquiridos na modalidade crédito e poderão ser parcelados em até 6x, sem juros, com parcelas mínimas de R$ 30. Serão aceitos todos os cartões, com bandeiras aceitas pela GetNet.

4. Para fins desta Campanha, uma Operação é considerada realizada quando devidamente identificada pela Esfera como concluída, não sendo consideradas as operações que tiverem sido canceladas por qualquer motivo.

4.1. Os Pontos creditados por meio da Campanha poderão ser visualizados pelo Cliente Participante por meio do website esfera.com.vc > Menu Meu Extrato e identificados no extrato Esfera como “Campanha 30% – Oferta Esfera”.

4.2. As condições de participação e premiação descritas neste Regulamento referem-se única e exclusivamente a esta Campanha.

4.3. O Cliente Participante somente receberá os Pontos Esfera caso esteja em situação regular de utilização na data de crédito dos Pontos, devendo também serem observadas as demais regras do Programa Esfera, que podem ser consultadas em esfera.com.vc/termos-e-condicoes.

4.4. Os Pontos serão creditados para os Clientes Participantes em até 30 (trinta) dias contados do fim da realização da Campanha.

4.5. Os Pontos creditados obedecerão às regras de utilização definidas no Regulamento do Programa Esfera, disponível em esfera.com.vc/termos-e-condicoes e terão prazo de expiração de 12 (meses), contados da data da realização do crédito.

4.6. Os Pontos creditadossão pessoais, intransferíveis e não serão convertidos em dinheiro, em hipótese alguma.

4.7. Os pontos só poderão ser cancelados em até 7 dias úteis, após a compra, desde que o cliente não tenha utilizado parcial ou integralmente os pontos adquiridos.

5. A Campanha será divulgada nos canais de comunicação da Esfera, bem como por meio de e-mail marketing, podendo, ainda, ser divulgada por meio de outras mídias, tais como mídia eletrônica, impressa, mídia online, PDV, entre outros.

5.1. Este Regulamento estará disponível no website www.esfera.com.vc

6. CONSIDERAÇÕES GERAIS

6.1. A Esfera não se responsabilizará por eventuais prejuízos que os Clientes Participantes venham a sofrer em decorrência da Campanha, oriundos de fatos alheios àEsfera. Outrossim, a Esfera não será responsável por inscrições e/ou cadastros não efetivados por problemas na transmissão de dados no servidor do Cliente Participante, tais como: instabilidade do aplicativo Santander, dentro e fora do território nacional, problemas na transmissão de dados no servidor, problemas de acesso à rede de Internet, intervenção de hackers, vírus, manutenção, queda de energia, falhas de software ou hardware, problemas operacionais com as empresas de telefonia que possam, direta ou indiretamente, afetar o acesso à Internet e, consequentemente, a participação na presente Campanha, bem como por casos fortuitos ou de força maior, em provedores de acessos dos Clientes Participantes.

        6.1.2. A esfera não se responsabilizará, ainda, pela prestação de serviço dos Parceiros, tampouco pela qualidade dos produtos/ serviços resgatados.

6.2. Ao participar desta Campanha, nos termos deste Regulamento, os Clientes Participantes estarão, automaticamente:

i. Autorizando, reconhecendo e aceitando que os dados pessoais fornecidos e demais informações que porventura lhe sejam solicitados passam a ser de propriedade da Esfera, que poderá utilizar tais dados exclusivamente e de forma gratuita para os fins necessários à adequada realização, divulgação e conclusão desta Campanha. Os dados aqui indicados poderão ser utilizados pela Esfera e demais empresas do seu Grupo Econômico pelo prazo de 12 (doze) meses, contados do término da Campanha, em quaisquer mídias (inclusive mídia impressa ou eletrônica, CD, DVD, revistas, jornais, websites internet, redes sociais, TV aberta ou fechada, além de rádios).

ii. Autorizando os direitos de uso do seu nome, imagem e voz, em quaisquer mídias (impressa ou eletrônica, CD, DVD, revistas, jornais, websites internet, redes sociais, TV aberta ou fechada, além de rádios), para uso exclusivo na divulgação desta Campanha, pelo período de 12 (doze) meses, contados de seu término. Os Clientes Participantes poderão ser excluídos automaticamente da Campanha em caso de infração ao presente Regulamento, tentativa de fraude, fraude comprovada, abuso, falsificação de documentos, podendo ainda responder por crime de falsidade ideológica ou documental.

iii. Autorizando a coleta, armazenamento, tratamento, utilização e compartilhamento, pela Esfera, com os fornecedores envolvidos na Campanha, de todos os seus dados informados com o propósito de formação e atualização de cadastro, reforço de mídia publicitária, operacionalização e divulgação da própria Campanha e entrega dos Pontos Extras.

6.3. Na hipótese da ocorrência da verificação e/ou comprovação de fraude e/ou tentativa de burlar as disposições deste Regulamento e suas regras ou cometer qualquer tipo de fraude comprovada, ainda que independente a esta Campanha, o Cliente Participante perderá o direito aos Pontos, sem prejuízo de qualquer outra iniciativa por parte daEsfera (como responsabilização civil ou penal, conforme o caso), inclusive suspender, cancelar e/ou excluir o Cliente Participante da Campanha e/ou cancelar os Pontos concedidos em razão da Campanha.

6.4. O Regulamento poderá ser alterado, o cronograma poderá ser modificado e/ou a Campanha suspensa ou cancelada, sem aviso prévio, por motivo de força maior e/ou caso fortuito ou por qualquer outro fator ou motivo imprevisto que esteja fora do controle daEsfera e que comprometa a Campanha de forma a impedir ou modificar substancialmente a condução desta como originalmente planejada. Caso isto venha a ocorrer, os Clientes Participantes serão comunicados por meio do website esfera.com.vc/oferta-esfera e aEsfera garantirá que não haverá impacto àqueles com direitos adquiridos até a data do efetivo encerramento da Campanha.

6.5. A simples participação nesta Campanha implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste Regulamento.

6.6. A Campanha independe de qualquer modalidade de sorteio, vale-brinde, concurso ou operação assemelhada, não estando, portanto, sujeita à autorização prévia estabelecida no artigo 1º da Lei Federal nº 5.768/1971, beneficiando indistintamente a todos os que cumprirem ao disposto neste Regulamento, caracterizando-se como promessa de recompensa, efetuada em conformidade com o disposto no artigo 854 e ss. do Código Civil.

6.7. As dúvidas e casos omissos serão resolvidos pelaEsfera, por decisão soberana e irrecorrível. Em caso de dúvidas e/ou questionamentos relacionados a esta Campanha, estará disponível a Central de Atendimento Esfera, nos telefones: (11) 4004-3535 (para capitais e regiões metropolitanas) e 0800-702-3535 (para demais cidades).

6.8. Fica desde já eleito o foro central da Comarca de domicílio do Cliente Participante para dirimir quaisquer questões relativas a esta Campanha.

6.9. A Apple e o Google, que gerenciam as lojas de aplicativos por meio do qual o aplicativo Santander Brasil é disponibilizado, não patrocinam, avalizam, nem administram de modo algum a presente Campanha.

Conclusão

O troféu Bola Fora da Pandemia tem tudo para ser do Santander. Além dessa campanha lançada em péssimo momento, ainda resolveram aumentar, outro dia, o gasto mínimo de R$ 5 mil para R$ 7 mil, para obter isenção da anuidade dos cartões Unique (post aqui).

O valor promocional de R$ 490 o bloco de 10k está muito caro, haja vista que o Livelo costuma vender o mesmo lote por R$ 420 em suas promoções de 40% de desconto.

Num momento em que as pessoas mais precisam é de economizar, devemos evitar a todo custo as promoções que estimulem as pessoas a gastar. A crise está aí, e a cada dia está piorando. Só não vê quem não quer. Façam aquilo que está no controle de vocês: evitem gastos desnecessários.

Tagged as:
  • Pablo

    Acabei cancelando 2 clubes multiplus e 1 livelo hoje. Santander realmente está fora da realidade.

  • Henry

    Vc podia ser mais criativo…

    Podia colocar a música Don’t Cry for me Argentina, a foto da Madonna e a palavra

    EVITA

    rsrs…

    E fechava com um

    For don’t cry later…

    rsrs

    • Bohdan14

      Genial. Henry, você podia fazer uns guest posts aqui e em outros blogues para divertir a galera durante esta quarentena.

      • Henry

        Mas a gente já tem uma classe política que nos diverte muito..
        Ok que é humor negro…. rsrs

      • Henry

        Eu sou uma pessoa séria e compromissada, pois, tanto no ramo do Direito, quanto no da Psicologia, lido com muitos problemas e sofrimentos humanos…
        Tanto que hoje postei um pequeno comentário, de 7.349 linhas, no tópico onde o Guilherme exorta as pessoas a fazerem um isolamento financeiro total, para que seus recursos sejam imunes aos pedidos do Bottine Compre Compre… rsrs
        Como vc deve estar confinado tb, depois dá uma lida lá…
        Ah, sim..a leitura é um pouco mais demorada que assistir a temporada 4 da La Casa de Papel…
        Sim.. hoje nas melhores TV Smart´s com pipoca caseira grátis…

    • Viajante

      Rapaz, o ministro do turismo anunciou que sairá amanhã uma MP p que as agências, hotéis, etc. tb só devolvam o valor dos cancelamentos em 12 meses após a pandemia. Não comprei o pacote, mas na hora me lembrei daquele post que vc deu a dica e q o Guilherme fez sobre a HURB. Acendeu luz alta agora p quem comprou e acho que vão entrar pelo cano msm. A pergunta que fica é: pq o Estado faz isso com o consumidor? Será que já pararam p pensar se a empresa falir, o que será dos clientes?? O Estado sempre fazendo m.. msm!!!

  • Henrique P. P.

    Mesmo tendo um concorrente mais forte (Livelo) com preço mais baixo, e nem assim o Santander oferece um preço realmente acessível. Sem contar o momento trágico que estamos passando, como Guilherme destacou no post. Lamentável!

  • thiagocolorado

    Tenho acompanhado as recentes discussões do blog e gostaria de fazer 3 considerações a respeito, na tentativa de ajudar os amigos:
    1. PRUDÊNCIA: acho muito importante avaliar o cenário com a maior quantidade possível de parâmetros disponíveis. De fato, este é o momento de evitarmos despesas desnecessárias, controlarmos os gastos e fazermos os ajustes que forem possíveis. Nessa linha, e dos comentários acima, cancelei meus clubes Latam Pass/Multiplus, TudoAzul e Smiles. Não faziam mais sentido, pois não tenho perspectiva de resgates do curto prazo e essas empresas (como regra) nunca ofereceram benefícios imperdíveis.

    2. RACIONALIDADE: o pânico gerado pelo excesso de prudência pode causar distorções, aumentando os efeitos da crise (que não são desprezíveis). Entretanto, se todos forem agir movidos apenas por medo e por precaução, as coisas vão demorar ainda mais para retornar à normalidade. Nesse contexto de crise, olhando trás (em termos históricos) temos vistos que apenas as empresas mais eficientes sobreviverão; trata-se, portanto, de seleção natural na veia. “Ou otimiza o processo ou falece”. Levando tudo isso em conta, decidi manter o Clube Livelo (com preço antigo – 20k/R$649) por alguns fatores:
    (i.) os pontos estão vinculados a duas das instituições financeiras mais sólidas do país (BB e Bradesco); logo, o risco de prejuízo final é significativamente menor do que deixar o dinheiro “investido” em empresas aéreas ou suas subsidiárias (Azul, Gol/Smiles, Latam/Multiplus);
    (ii.) acho pouco provável que, mesmo após a crise, consiga recontratar o clube pelo mesmo preço;
    (iii.) como forma contribuir para que o mercado de viagens/milhas não pare completamente. Essa é uma decisão pessoal, e acredito que cada um precisa avaliar se faz sentido para si (ou não) manter a contratação; pra mim, faz. pra quem me lê agora, talvez não faça. Mais importante do que a sua decisão pessoal em si, é que o mercado “sinta” a resposta coletiva (sendo mais afetadas, em tese, as empresas que oferecem menos benefícios/trataram com maior descaso os seus consumidores). A resposta coletiva é que vai excluir (caso não se adaptem) os players que oferecerem menos vantagens.

    3. ESTRATÉGIA: tenho algum saldo de milhas em 2 programas de fidelidade essencialmente, TAP Miles&Go e Smiles. Esse conselho que vou dar, entretanto, aplicar-se-ia a todos os programas; depois de refletir bastante sobre a insegurança de deixar os pontos parados junto às empresas aéreas (sabendo que muitas delas não vão sobreviver à crise; nem a TAP (com parte do capital estatal português) está livre disso), pensei em fazer resgates pontuais (com viagens que eu, em tese, poderia e teria interesse de fazer em um horizonte amplo). Uma forma de aumentar a “garantia” contra falência de uma só empresa (veia-se o caso Avianca Brasil/Amigo), portanto, seria fazer um resgate com parceira da Star Alliance que fosse mais sólida. Assim, emiti bilhetes para a Índia voando Swiss (do grupo Lufthansa) e United. Esse movimento teve a estrita finalidade de “amarrar” em uma passagem a Star Alliance (enquanto empresa autônoma), a Lufthansa e a United (empresas maiores e confiáveis, na minha ótica que a TAP), além da própria portuguesa. Se a TAP falir, meu bilhete já está emitido, sendo “garantido” por outras empresas (em tese) mais confiáveis (United, Swiss/Lufthansa e Star Alliance). Se tudo passar, posso viajar ou receber os pontos de volta por 80 euros (caso os voos não sejam cancelados; se forem, recebo sem custo/abatimento de taxas). Dessa forma, acredito ter conseguido aumentar a garantia do meu saldo (fazendo a emissão de um bilhete). Talvez essa iniciativa possa fazer sentido pra você que lê e que estava preocupado com a perda dos pontos (tente fazer uma emissão flexível (que não cobre taxas de cancelamento absurdas) com empresas parceiras daquelas nas quais você possui seus pontos, pois todas seriam (sempre a ressalva: “em tese”) solidárias pela passagem emitida. Além de garantir seus pontos (objetivo principal), estará contribuindo para o caixa da empresa da qual é fiel (e, por conseguinte, para evitar uma falência, incentivando que ela retorne mais saudável).

    Desculpem o tamanho do texto, não pude deixar passar a oportunidade de dar a minha impressão sobre os comentários dos colegas.

  • Beto

    Ótima “campanha de lançamento”! Nota Zero! Santander sendo Santander.

  • Marcos Souza

    https://uploads.disquscdn.com/images/8c4c47fc30d12028fec60f9fd2364c41fb767b96c4775d4da47c690878caa7b0.jpg

    Mais uma “excelente” notícia nessa época de contenção de gastos, o RP seguiu o MP e reduziu o valor de pagamentos sem taxas pra R$500 ao mês. Tá difícil…

    • Fábio Wagner

      Dei sorte então, no dia 01/04 eu ainda paguei a mensalidade do jardim do meu filho que era R$780.

  • thiagocolorado

    Tenho acompanhado as recentes discussões do blog e gostaria de fazer 3 considerações a respeito, na tentativa de ajudar os amigos:

    1. PRUDÊNCIA: acho muito importante avaliar o cenário com a maior quantidade possível de parâmetros disponíveis. De fato, este é o momento de evitarmos despesas desnecessárias, controlarmos os gastos e fazermos os ajustes que forem possíveis. Nessa linha, e dos comentários acima, cancelei meus clubes Latam Pass/Multiplus, TudoAzul e Smiles. Não faziam mais sentido, pois não tenho perspectiva de resgates do curto prazo e essas empresas (como regra) nunca ofereceram benefícios imperdíveis.

    2. RACIONALIDADE: o pânico gerado pelo excesso de prudência pode causar distorções, aumentando os efeitos da crise (que não são desprezíveis). Entretanto, se todos forem agir movidos apenas por medo e por precaução, as coisas vão demorar ainda mais para retornar à normalidade. Nesse contexto de crise, olhando trás (em termos históricos) temos vistos que apenas as empresas mais eficientes sobreviverão; trata-se, portanto, de seleção natural na veia. “Ou otimiza o processo ou falece”. Levando tudo isso em conta, decidi manter o Clube Livelo (com preço antigo – 20k/R$649) por alguns fatores:
    (i.) os pontos estão vinculados a duas das instituições financeiras mais sólidas do país (BB e Bradesco); logo, o risco de prejuízo final é significativamente menor do que deixar o dinheiro “investido” em empresas aéreas ou suas subsidiárias (Azul, Gol/Smiles, Latam/Multiplus);
    (ii.) acho pouco provável que, mesmo após a crise, consiga recontratar o clube pelo mesmo preço;
    (iii.) como forma contribuir para que o mercado de viagens/milhas não pare completamente. Essa é uma decisão pessoal, e acredito que cada um precisa avaliar se faz sentido para si (ou não) manter a contratação; pra mim, faz. pra quem me lê agora, talvez não faça. Mais importante do que a sua decisão pessoal em si, é que o mercado “sinta” a resposta coletiva (sendo mais afetadas, em tese, as empresas que oferecem menos benefícios/trataram com maior descaso os seus consumidores). A resposta coletiva é que vai excluir (caso não se adaptem) os players que oferecerem menos vantagens.

    3. ESTRATÉGIA: tenho algum saldo de milhas em 2 programas de fidelidade essencialmente, TAP Miles&Go e Smiles. Esse conselho que vou dar, entretanto, aplicar-se-ia a todos os programas; depois de refletir bastante sobre a insegurança de deixar os pontos parados junto às empresas aéreas (sabendo que muitas delas não vão sobreviver à crise; nem a TAP (com parte do capital estatal português) está livre disso), pensei em fazer resgates pontuais (com viagens que eu, em tese, poderia e teria interesse de fazer em um horizonte amplo). Uma forma de aumentar a “garantia” contra falência de uma só empresa (veia-se o caso Avianca Brasil/Amigo), portanto, seria fazer um resgate com parceira da Star Alliance que fosse mais sólida. Assim, emiti bilhetes para a Índia voando Swiss (do grupo Lufthansa) e United. Esse movimento teve a estrita finalidade de “amarrar” em uma passagem a Star Alliance (enquanto empresa autônoma), a Lufthansa e a United (empresas maiores e confiáveis, na minha ótica que a TAP), além da própria portuguesa. Se a TAP falir, meu bilhete já está emitido, sendo “garantido” por outras empresas (em tese) mais confiáveis (United, Swiss/Lufthansa e Star Alliance). Se tudo passar, posso viajar ou receber os pontos de volta por 80 euros (caso os voos não sejam cancelados; se forem, recebo sem custo/abatimento de taxas). Dessa forma, acredito ter conseguido aumentar a garantia do meu saldo (fazendo a emissão de um bilhete). Talvez essa iniciativa possa fazer sentido pra você que lê e que estava preocupado com a perda dos pontos (tente fazer uma emissão flexível (que não cobre taxas de cancelamento absurdas) com empresas parceiras daquelas nas quais você possui seus pontos, pois todas seriam (sempre a ressalva: “em tese”) solidárias pela passagem emitida. Além de garantir seus pontos (objetivo principal), estará contribuindo para o caixa da empresa da qual é fiel (e, por conseguinte, para evitar uma falência, incentivando que ela retorne mais saudável).

    Desculpem o tamanho do texto, não pude deixar passar a oportunidade de dar a minha impressão sobre os comentários dos colegas.
    (Postado novamente, pois o antigo foi detectado como spam.)

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×