[Guest post] Mesmo o AAdvantage sendo um programa muito melhor que os nacionais, não vejo sentido em manter o Santander AAdvantage na modalidade pagante.

A respeito do post de ontem, veja o excelente comentário do Leandro Nicolau:

“Como é um local de opiniões, vamos lá:

Eu sou TERMINANTEMENTE contra de ser “refém” de Banco, seja o Banco X, o Y ou o Z.

Na minha visão não temos um produto que seja “incancelável”, algo que não importa o quanto doa, você acabe se forçando a pagar. Isso vale também para o AA Black.

A partir de 09/06 caso não tenha realmente nenhum desconto ou isenção, por mais que doa a alma irei cancelar o cartão. Será a segunda vez que cancelo por não isenção. Tive o AA Black assim que lançou, durante um ano que concederam de anuidade e quando tentei negociar, tanto na central como via gerente me disseram que era impossível e assim o cancelei.

Fiquei alguns anos sem e na campanha dos 40 anos peguei novamente o cartão e desde então tenho feito acúmulos massivos no AA e após os pontos do cartão contarem como LP, tenho me mantido direto como Executive Platinum. Já peguei boas recompensas pelo LP Reward mas irei cancelar pela segunda vez e quem sabe mais pra frente, pego novamente.

O mercado é cíclico e acho que já vimos dezenas de vezes um produto que hoje é ótimo começar a ficar ruim até se transformar em irrelevante e depois devido a essa ou aquela questão voltar a ser interessante.

A verdade absoluta é a seguinte: O gasto é CERTO e os benefícios são DUVIDOSOS. A pessoa paga anuidade e acredita que nada irá mudar para ter esse ou aquele benefício. Não existe motivo para deixar esse dinheiro na mesa, o dinheiro sempre que possível tem que ficar no nosso banco e não no bolso da instituição financeira, pronto.

Fatos hoje:

O cartão concede somente 4 acessos via LK além dos acessos as salas Master Black. (Pouco, muito pouco)

O cartão tem um ratio relativamente baixo: 2 pontos por dólar.

Não existe nenhuma certeza que o cartão voltará a participar da BG e mesmo que participe o ratio de multiplicação também mudou nas últimas BGs, sendo somente o dobro na meta máxima o que concede 4 pontos por dólar gasto. (E não sabemos se será sempre possível bater as metas da BG e se esse ratio permanecerá).

Paralelo a isso, devido ao histórico do que temos no nosso mercado, a chance é ocorrer melhoras ou pioras no produto? Historicamente entendo que devemos sempre contar que irá piorar. Já a anuidade continua sendo cobrada e convenhamos que não é um valor pequeno.

Sobre o desconto, já elaboraram sobre o quanto eventualmente de perde aplicando no Santander então também é um fator descartado na minha opinião (já que Toro e a corretora Santander parece que não contam).

Entendo que o único cenário que valha a pena manter esse cartão é se a pessoa voa somente com OneWorld e GOL e pontua todos os voos na AA além de viajar bastante pagante com ela, tendo gastos na AA em que pagar com o AA Black é sempre a decisão, sendo assim uma ferramenta para manter sempre o status Executive Platinum e alcançar altas bonificações LP Rewards (pelo menos os prêmios de 175k, 200k e podendo alcançar o de 400k – isso porque quem possui o AA Black tem incrementos nessas bonificações afinal atingindo os dois primeiros prêmios e escolhendo milhas AA já se ganha 85k pontos extras o que já permite uma Qsuite por exemplo).

Uma possibilidade é aguardar um pouco, quem tem medo de cancelar o cartão e depois não consegui-lo novamente: esperar um ou dois meses para ver se o cancelamento será massivo e então quem sabe o Santander passar a permitir alguma negociação mas isso é contar com o ovo…

Em resumo, acho que é isso.

Mesmo o AAdvantage sendo de longe muito, muito superior aos programecos que temos aqui, ainda não vejo justificativa em manter o cartão na modalidade pagante, afinal tem sempre algum banco de olho no que podemos oferecer para eles. Cada vez que fazemos um gasto o banco tem um ganho, cada vez que apresentamos o cartão fazemos uma espécie de propaganda em favor do banco e não tem nada errado nisso, “errado” é deixarmos o dinheiro na mesa para os bancos! rs

Aqui, cancelarei sem pena caso não tenha maneira de negociação. Vivi muitos anos sem o cartão e voltar a não ter esse plástico não ira me matar ou impedir de viajar. Vou usar o saldo que juntei e daqui uns anos quem sabe não tenha como pegar novamente o cartão? Quem sabe o cartão não fique melhor ou então até passe para outro banco?

O mercado é cíclico, cabe jamais esquecer disso!”

………………..

Já o Emmanuel Kalispera compartilhou a seguinte opinião:

“Minha sugestão é que, se o cartão faz sentido para você, não cancele só por causa do aumento da anuidade.

O valor é alto, mas compatível com os demais cartões do mercado, e há grande probabilidade dessa situação ser mudada ou do banco voltar atrás em alguma coisa, se muitas outras pessoas cancelarem; então você não precisa ser o primeiro.

Espere a poeira baixar e analise com calma daqui a um tempo”.

…………………

E você, irá manter o cartão, ou mandá-lo pra tesoura?