2020: o ano em que o cartão de crédito Pão de Açúcar Platinum (PDA) brilhou como nunca

2020 foi, definitivamente, o ano de consolidação e brilhantismo do cartão de crédito Pão de Açúcar Platinum – o PDA, queridinho da turma dos milheiros.

Figurando aqui no site em dezesseis artigos ao longo do último ano (fonte), o PDA mostrou toda a sua imponência e força com a brutal desvalorização cambial ocorrida ao longo do ano, ou seja, com o dólar passando fácil, em vários momentos de 2020, acima dos seis reais no fator de conversão de todos os demais cartões de crédito, cuja pontuação está atrelada ao dólar (não estou considerando o dólar comercial, mas sim o dólar praticado pelos bancos na hora da conversão dos pontos, que sempre embute um spread).

O PDA brilhou por causa disso por um motivo bastante elementar: ele tem o fator de conversão atrelado a reais.

Além disso, ele sempre figurou em todas as promoções de bônus de transferência das quais o Itaú Programa Sempre Presente (PSP) participava. Porém, com a iminência da substituição integral do PSP pelo iupp, permanecem as dúvidas sobre se o GPA Mais Itaucard continuará participando das promoções de bônus de transferências.

Conclusão

Apesar de seu futuro incerto, e apesar das inúmeras dificuldades relatadas ao longo do ano com o cartão – dificuldades para a sua aquisição, dificuldades para aumentar o limite, a treta com a pontuação oriunda do iti etc. – o PDA se sobressaiu e termina 2020 como o melhor cartão de crédito do ano, ao menos para fins de pontuação no Tudo Azul, Latam Pass e Smiles.

Resta saber se ele continuará com toda a sua força em 2021 ou se, ao contrário, no final de 2021 teremos que eleger outro cartão ao posto de número 1 das milhas e pontos – ao menos para fins de maximização de acúmulo de pontos nos programas brasileiros de milhagens aéreas.

Você acha que o PDA manterá a dianteira ao longo de 2021? Ou você nem considera o PDA na lista de cartões top do mercado brasileiro?