[Guest post] As razões pelas quais o Clube Esfera é péssimo para você, consumidor

Ontem, por ocasião do lançamento do Clube Esfera, eu adverti os leitores sobre a necessidade de terem pensamento crítico e imparcial sobre qualquer novo produto ou serviço lançado no mercado.

Vários leitores perceberam esse fato, e a caixa de comentários está, para variar, repleta de comentários lúcidos, pertinentes e inteligentes sobre o novo programa.

Nesse contexto, segue mais um excelente comentário do SwineOne, acerca dos motivos pelos quais é um péssimo negócio assinar qualquer plano do Clube Esfera.

………………………………..

“Péssimo, não sei por onde começar a criticar.

O plano de 200 pontos não vale nada. Nem juntando o teto de 500 pontos bonificados valeria a pena. Um exemplo, para quem tem o cartão Unique (desconsidero cartões abaixo dele pois é impossível acumular uma quantidade razoável de pontos): por R$ 14,99 você assina o RecargaPay Prime+ e paga R$ 2.000 em boletos por mês (soube que baixou dos antigos R$ 3.000 para novos assinante).

Admitindo dólar a R$ 6, você junta 667 pontos com isso, quase o mesmo tanto que acumularia pagando o dobro no Clube Esfera.

O plano de 1.000 pontos é caro e tem o mesmo teto de 500 pontos extras que o plano 200. Se o teto fosse pelo menos uns 2.000 pontos, começaria a ficar justificável (desde que você conseguisse gastar o suficiente para juntar esses 2.000 pontos todo mês, o que são R$ 600 como dólar a R$ 6).

Nesse caso daria pouco mais de R$ 20 o milheiro, um valor que pessoalmente acho caro (considerando que dá para juntar sem custos, ou quase), mas de toda forma interessante.

Os outros planos, só um louco rasgador de dinheiro assinaria. E veja que eles sobem um monte o preço dos bônus x10, por exemplo, transformando o que era pra ser um benefício em uma venda de pontos disfarçada, e atrelada a metas mensais de gastos em lojas específicas.

Pra ganhar os 10.000 pontos extras do Clube 20.000, além de gastar R$ 150 a mais, precisa gastar US$ 500/mês, ou R$ 3.000/mês, TODO SANTO MÊS, nas lojas escolhidas. Netflix e Spotify? Não faz nem cócegas. Centauro? Quem gasta isso TODO SANTO MÊS? Só se viver de esporte.

Magazine Luiza? Mais razoável, mas haja consumismo?

iFood e Rappi ajudam bastante para quem come fora todo dia, mas meu amigo, se o seu orçamento de gastos comendo fora for R$ 3.000, sugiro repensar sua vida”.

……………………………….

Em época de pandemia, escassez de possibilidade de viagens (EUA, Europa e boa parte da Ásia ainda estão fechadas ao turismo) e crise econômica, que requerem controle absoluto dos gastos e moderação, não pode ser outra a atitude dos consumidores, a não ser a de terem posicionamento imparcial e inteligente diante das “ofertas” que aparecem a cada instante.