A nova política “flexível” (pero no mucho) de compra de passagens na Latam, com dinheiro ou com pontos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

A Latam criou uma página específica onde estabelece as novas regras de alterações de passagens compradas na Latam, que é válida tanto para compras com dinheiro quanto para compras de passagens com pontos Latam Pass.

Em suma:

VOOS CANCELADOS OU REAGENDADOS ➥ Você pode alterar uma única vez a data do voo ou rota (mantendo mesma origem e destino) sem multa ou diferença de tarifa, sujeito à disponibilidade da cabine e à validade do bilhete. Você também pode alterar o destino pagando somente a diferença de tarifa.

VOOS NÃO AFETADOS ➥ Você pode alterar a data do voo ou rota uma única vez, sem multa ou diferença de tarifa (mantendo mesma origem e destino), sujeito à disponibilidade da cabine e à validade do bilhete. Você também pode alterar o destino pagando somente a diferença de tarifa. A flexibilidade se aplica a bilhetes adquiridos no Brasil até 31 de julho de 2020, voando a partir de 01 de março de 2020.

DESEJA CANCELAR SUA VIAGEM E DEIXAR SEU BILHETE ABERTO PARA REMARCAR EM OUTRO MOMENTO? ➥ Cancele sua reserva até 7 dias antes da data original da viagem, para que não sejam aplicadas penalidades.

Validade do bilhete: 12 meses a partir da data de início da viagem original não iniciada e para bilhetes com viagem iniciada, sujeitos à estadia máxima da tarifa.

Se o seu bilhete foi adquirido em uma Agência de Viagem e LATAM Travel ou é parte de um pacote, entre em contato com seu agente de viagens para alterar a seu voo.

Caso o bilhete tenha sido emitido pelo LATAM Corporate, deverá ser remarcado através do Call Center LATAM Corporate”.

………………………………..

Como bem alertado pelo leitor Viajante (a quem desde já agradeço!), essa nova política é flexível, mas nem tanto, pois omite o principal direito do consumidor: o reembolso integral em caso de não querer viajar mais. Só são permitidas remarcações para “deixar o bilhete aberto para remarcar em outro momento”.

Ou seja, se você pagou R$ 300, R$ 1 mil, R$ 5 mil ou R$ 10 mil em passagens Latam, não terá a opção do reembolso integral, mesmo que a passagem tenha sido comprada, digamos, em setembro de 2019, ou seja, antes da pandemia.

Conclusão

Sabemos que a situação não está fácil para ninguém, inclusive para as empresas aéreas, mas tenha em mente que, se você resolver comprar uma passagem, dentro dessa nova política flexível da Latam, não vai ver o dinheiro de volta, caso desista da viagem.

Ou você viaja, ou você… viaja – e arca com os consequentes custos integrais associados a qualquer viagem (gastos com diárias de hotel, transporte, alimentação fora de casa etc.).

Lembre-se, ademais, que viajar de avião e transitar pelos aeroportos brasileiros está mais arriscado do que nunca – ontem, o Brasil conseguiu ultrapassar a Rússia, tornando-se o segundo país do mundo com mais casos confirmados de coronavírus (link).

Evitem ao máximo viajar e gastar dinheiro com passagens, pelo menos enquanto a pandemia ainda estiver se alastrando por todos os cantos do Brasil. 🙁

  • Ítalo Alencar

    Coloca uma observação ” se solicitado o cancelamento antes da MP 925 é Direito adquirido”. A latam é obrigada a reembolsar no prazo anterior a nova MP.

    • Henry

      Exato…

      • Viajante

        A MP perde a eficácia se não for votada até 16 jul/2020 (120 dias da vigência 19/03).
        Por ironia do destino, o recesso é só 17/07, o que terrivelmente suspenderia a contagem dos 120 dias, caso, por exemplo a MP começasse a vigorar em 20/03. Graças a Deus, nesse ponto, os editores dessa MP, embora mal intencionados, tb são burros, pois era só esperar mais um dia p publicar e as aéreas ainda contariam com todo o recesso p nos engrupir..
        Eu acho que vão deixar caducar. Então quem comprar ou já comprou e puder esperar até 17/07 p pedir o reembolso do voo cancelado, eles são obrigados a reembolsar em até 7 dias e não mais em 12 meses. Se não fizerem, pau neles na justiça que ganha certo.
        Fica a dica!

  • Henry

    Primeiro tem o aspecto que Ítalo falou abaixo…
    E… façamos um exercício mental para reavivar nossa memória…
    Quem é o CEO do programa de “fudelidade” da DELATAO?????
    Lembraram dele ???.
    Nada mais, nada menos que Mr. Pinóquio Angelin …. é.. é aquele mesmo que deu entrevistas assegurando que o Amigo ia reajustar na faixa de 20%, reajustou 400% e incentivou milhares de pessoas a
    comprar milhas de uma empresa que ele sabia que iria falir.. se isso ñ é golpe no mercado, então eu acho que a única coisa que sobrou seria golpe de karatê e de ar…
    Até aí é uma coisa, mas vcs já pararam pra pensar que, com esse currículo todo no mercado consumidor, quem foi que a DELATAO contratou pra gerir o programa de fudelidade dela ???
    Deu pra perceber o quanto os chilenos estão ligando ou preocupados com o cliente do DELATAO Passo ??? deu pra perceber qual será a estratégia deles em relação a nós????
    Vc acredita realmente que dá pra esperar alguma coisa boa de uma empresa que contrata uma pessoa do “nível” de Mr. Angelin ????
    Se amanhã a empresa fizer alguma coisa de ruim pra vc, te causando um baita prejuízo, vc estaria surpreso com isso ou dá pra ter um pouquinho mais de responsabilidade com teu dinheirinho???
    Ok.. o dinheirinho é teu e fazes com ele o que quiser, mas é prudente ñ fazer fezes dele…
    E, se fizer, ninguém vai te dizer “ah… nós avisamos…”.. ninguém fica contente com o insucesso dos outros….
    Com relação a essa tarifa flexível da DELATAO eu só lembro aos colegas que as cias aéreas chegaram a nível de desrespeito ao consumidor, com a omissão das autoridades, de na hora de vc emitir eles virem com uma nova tarifa de despacho de malas, que por sinal, já é dinâmica dentro de limites mínimos e máximos, mas a cia pode simplesmente aumentar o valor mínimo e o máximo e vc só vai poder reclamar ao Papa….
    Ele tb podem cobrar uma taxa para pessoas que sejam destras e uma multa pra quem entregar o bilhete no gate com a mão esquerda…
    É absurdo isso????
    Mas tb ñ é absurdo cobrar despacho de quem vai viajar pro exterior???
    E eles não cobram ???
    Pense duas vezes antes de se encantar com essas novas regras….
    Infelizmente eu perdi a credibilidade nas cias aéreas brasileiras…
    Já disse várias vezes que há 2/3 anos estou boicotando voar a lazer com elas.. só a trabalho…
    Com o vírus chinês matando pessoas a rodo e diante da constatação de que os prefeitos e governadores estão baseando suas CARAS e SUPERFATURADAS ações apenas para desviar recursos públicos, eu não tenho porque arriscar minha vida e a dos que amo, porque meu ímpeto de viajar e correr mundo fica apitando no meu ouvido…
    A vida é constituída de fases…
    No momento a fase das viagens está “sem teto” .. ñ vou teimar e sair no meio do nevoeiro…
    Aqui eu sei qual são os bons hospitais particulares do Rio e Niterói… aqui eu tenho minha família pra ajudar ( e pra ser ajudada tb)… estou perto de minha mãe e irmãs……
    E tô morrendo de peninha da DELATAO….

    “Ah… mas se vc não comprar passagens da cia aérea e não aderir ao movimento VADIA, as cias aéreas vão quebrar Henry….”

    É mesmo ????

    “E daí????”(TM)

    (TM) By Gentileza gera gentileza…. rsrs

    • SwineOne

      Tristes efeitos do oligopólio que vivemos no Brasil, associado ao fato que pelo menos 95% das pessoas (senão 99%) não vão nem ler as letras pequenas e raciocinar um pouco para dar por falta de uma cláusula de reembolso.

      Os 5%, ou 1%, que lerem, podem correr para onde?

      • TRL

        Por essas e outras que eu ainda acho que a estratégia mais segura é manter os pontos no cartão e/ou livelo… só enviar numa promoção de bônus conjugada com a vontade de já resgatar uma passagem. Nesse ponto eu invejo certos planos de milhagens de fora… meu status na Star Alliance é na Aegean Airlines (A3). Quando voo na aliança mando os pontos para lá. Nunca expiram, a tabela é fixa e a mudaram apenas 1 vez só e mesmo assim foi num destino específico do oriente médio em toda a minha vida no programa (10 anos).

        • SwineOne

          Mas aí pergunto: será que essa empresa vende pontos a rodo? Para mim, essa é a origem de todo o mal.

          Torno a fazer o questionamento que fiz há alguns tópicos atrás: o que as empresas locais ganham vendendo passagens em milhas (dado o preço típico de venda de milhas que elas, ou a Livelo, praticam em promoções) mais barato do que em real? O que elas perdem, eu sei: elas dividem os lucros com os milheiros e as empresas de arbitragem (MaxMilhas, HotMilhas, etc.) Mas o que elas ganham? Sinto cheiro de alguma regulação imposta pelo governo sendo burlada, só não sei dizer qual é.

          • TRL

            Vender milhas ela até vende em seu próprio site. Até 50.000 pontos por ano. Eu entendi isso mais como uma forma de inteirar a necessidade para tirar uma passagem que funcionar como uma forma de vida do programa.

    • M.M

      Gostei da política da Latam, emiti essa semana 14 voos ida e 14 volta e deixei todos abertos. Emiti todos pra dezembro podendo reemitir até dezembro de 2021 pra voar até dezembro de 2022. A pandemia vai passar e logo estaremos voando de novo. Essa política de comprar agora com preço reduzido e depois reemitir alguns dias antes do voo independente do preço do momento é excelente.
      Apenas espero que não façam problemas e inventem regras pra não deixar reemitir em qualquer data.

      • Henry

        Embora exista o risco da empresa quebrar e/ou inventar historinha na hora de usar, a sua estratégia de emitir a ida separada da volta e principalmente de usar dezembro, ficando com 24 meses pra voar foi inteligentissima….
        Vc poderá usar uma ida pela DELATAO e volta por outra cia. aérea que esteja fazendo promoção….
        Apenas ressalto o risco do negócio em função da empresa, dos destinos restringirem acesso, do câmbio pra frente e do seu poder de compra se alterar…
        Mas se vc está com folga e tem estabilidade, não deixa de ser um jogo que eu, no passado, jogaria..
        Hoje não jogo porque só tenho moeda estrangeira pra mais duas viagens…
        A terceira vou ter que comprar e com o atual câmbio é desanimador… e ainda sou eu que banco as 6 pessoas da família na hora de viajar…
        Eu sou do partido PPT
        Papai Paga Tudo…. rsrs

        • M.M

          Eu moro fora do BR, quando comprei o dólar estava a 5.89.
          Levando em consideração que paguei 43K cada lado, dólar a 5.89, pontos a 24.5, 2 malas de 23KG e emitindo em dezembro assim tendo a liberdade de reemitir em qualquer data me pareceu um excelente negócio. Os voos que emiti custavam pré corona entre 800-1700 USD dependendo da data…
          É um jogo arriscado e que não faz sentido pra todos…

      • Viajante

        Pelo que entendi tem até 1 ano do voo original p voar, que é o período de validade do bilhete. Não entendi a parte que vc diz em poder viajar em dez/22. Explica melhor pq me interessei.

        • M.M

          Se comprou pra dia 31/12/2020 poderia remarcar ate dia 31/12/2021 pra voar ate dia 31/12/2022. Assim me passaram pelo chat…

    • Ítalo Alencar

      Me ofereceram vouchers alegando a MP 925, eu recusei. Tem 73 dias que eu aguardo o comprovante de cancelamento e o reembolso no valor de R$ 6307,48. A MP não existia quando eu solicitei… Estou trabalhando com 3 hipóteses: A ) Prestar queixa por estelionato contra o jerome cadier e demais. B) Aguardar mais alguns dias antes de entrar com o pedido de tutela de urgência e denunciar a recusa do fornecimento de comprovantes. C) Ir no escritório do Celso Russomano pedir que isso se torne público.

  • Paulo

    Pelo menos a LATAM tem uma política de flexibilidade, e a Azul que finge que nada está acontecendo e só permite alterações para o mês corrente? Acho péssimo…

    • Ivan Aguiar

      Eu consegui mudar sem multa ou diferença tarifária meu vôo da AZUL de Junho/2020 para Novembro/2020, mantendo a origem e destino sem custos através do telefone 4003-1141, tente com outro atendente caso o primeiro não autorize, comigo deu certo 🙂

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×