[Guest post] Compilação dos cartões co-branded do Itaú que oferecem sistemas de cashback indexados a reais, e não a dólares

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Diante do crescente número de leitores interessados em cartões de crédito com programa de fidelidade atrelado a reais, e não a dólares, o Assolini nos fez esse interessante compilado:

“Na mesma linha, o Itaú oferece:

– Cartão Ford e Fiat: iguais aos da VW;

– Cartão Brastemp: 5% das compras realizadas convertidos em pontos; descontos de até 5 mil reais em produtos, 2 pontos a cada R$ 1 gasto;

– Cartão Livraria Cultura: 2 pontos por real gasto, 10 pontos em gastos na Livraria, pontos podem ser usados na livraria ou enviados pra Latam, na proporção 3,3:1 ponto Latam;

– Cartão TIM: 2 pontos por real, podem ser trocados por aparelhos na operadora…

– Cartão Ipiranga: 3,5% das compras realizadas no app Abastece Aí e 1% cashback em outros estabelecimentos, 2 anos gratis no ConnectCar.

Fora os cartões das empresas aéreas, que, como sabemos, na maioria dos casos, não são um bom negócio, por concentrarem milhas apenas no emissor.

Conclusão

Se a alta do dólar vier para ficar, provavelmente assistiremos a uma migração de usuários para esses cartões com cashback e programas de fidelidade atrelados a reais, e não a dólares.

Resta saber se as empresas explorarão esse novo nicho do mercado com cartões realmente atrativos e de baixo custo.

Aguardemos as cenas dos próximos capítulos…

Agradeço ao Assolini pelo envio do compilado!

  • Henry

    Eu estava querendo tirar umas férias nos comentários….
    O trabalho, graças a Deus, está sendo mantido e até mesmo temos tido um certo crescimento.. então, o tempo pra “tectectec” está escasso…
    Por outro lado, eu sou uma pessoa que respeita muito o sofrimento alheio…
    Mas… não tá dando pra ver o desespero de uma das três jabalândias com a queda nos negócios do turismo e achar cômico as postagens que os caras estão fazendo…
    Não vai demorar muito vão postar resultados de análises clínicas do Führer Brasiliense… depois, vão fazer um upgrade e mostrar os exames clínicos do 01/02/03 e do new-dimenor, o 04…

    Mr. Guilherme, nadando de braçada com seus tópicos que realmente tem tudo a ver..
    Parabéns, continue nessa toada…
    Cada vez mais se tornando o Highlander….. vai acabar tendo apenas um… o “não monetizado”….

    • Mr_flying

      Eu já disse em fevereiro e em março, vou viver pra ver os caras postarem receita de bolo da Palmirinha. Já começaram com vídeos de Ofnis. Hilário, cômico e fim do mundo. Como sempre omitem as fontes.

      • Guilherme

        rsrsrrrsrs……. aquele dos OVNIs foi surreal!!!! O que tem a ver com milhas!? hahahahaha

        • Mr_flying

          Kkkkk Pois é! Outro ban ! Kkk viva a Palmirinha !!!

        • Henry

          OVNI´s e resgates com milhas Smiles: ambos transitam exclusivamente na faixa exclusiva da ESTRATOSFERA TERRESTRE..
          Tudo a ver, my friend…

    • Fcoimbrajr

      Henry, duas sei quais são (PP e MD). A terceira me fugiu….

      • Henry

        É só vc verificar qual é o site que está “monetizando”…
        Parece uma filial do PP… é uma “pena”…

  • Mr_flying

    Ahhã, se não seguem sequer o que a OMS recomenda, esse governo é um pérola. É verdade esse “bilete”.

    • Henry

      Eu tb não seguiria o que a OMS recomenda…
      Veja..
      A OMS demorou muito a divulgar a pandemia do vírus chinês… quando divulgou e informou que era pandemia, os turistas chineses mundo afora e os turistas do resto do mundo, China a dentro, já tinham se encarregado de espalhar o vírus pelo resto do mundo…
      O Brasil, em fev/20, fez um carnaval que, como de costume, arrebentou a boca do balão: Sr.º Dória / Sr.º Witzell / Sr.º Rui Costa / Sr.º Paulo Câmara, surfaram na folia do Bloco Unidos do Vermelhinho, e deixaram que brasileiros infectados no exterior espalhassem o vírus no carnaval, assim como turistas estrangeiros para cá vieram e deram uma mãozinha no “copiar/colar” do vírus chinês..
      Não vi o Sr. Tedros Ah Nãodánom Pra Aturar, não dar um pio sobre esse absurdo… não fez nenhuma recomendação de se cancelar os carnavais no Brasil..
      E, início de fevereiro já se tinha descoberto a farsa chinesa de esconder o vírus desde novembro…
      Em relação à China, principal e maior culpada por todo esse problema mundial, o Srº Tedros fez alguma recomendação de que a China deveria mover sua “fabrica mundial”, para prover o resto do mundo, sem ônus e custos, de máscaras, respiradores, equipamentos de UTI etc etc para o resto do mundo ???
      O cara não deu um pio, nenhuma reprimenda à China… pelo contrário, só lambeção de saco…
      O cara é político e como tal se porta….
      É mais do mesmo…
      Nosso país tem é que seguir as recomendações de nossos técnicos que não sejam movidos por viés político… que emitam pareceres eminentemente técnicos, sem intenção de ferrar o governo A ou B… e menos ainda, sem estar a serviço de políticos que querem apavorar a população para poder fazer o que sempre fazem – roubar/desviar, assim como aqueles políticos que são negacionistas, e pensam que uma pneumonia profunda é um reles resfriado…
      Nós só temos a nós mesmos…
      Se dependermos de OMS nós estamos f——–

      • Mr_flying

        Não tenho essa visão! Até porque os viajantes foram pra lá e espalharam pro mundo.
        Quem não seguiu a OMS se f…
        enfim, vírus chinês é, mas se mudou de país já nacionalizou e aqui tem 2 vírus fazendo estragos

        • Henry

          Os viajantes foram pra lá e espalharam para o mundo por culpa exclusiva do governo chinês, que acusou o médico que estava alertando do vírus de ficar divulgando fake-news, prendeu o cara, processou o cara e finalmente o cara morreu…
          Se a China tivesse a decência de acreditar no profissional de que aquilo lá não era uma “gripezinha” (tal como o Führer Brasiliense), os viajantes do mundo não teriam ido pra lá…
          Por sua vez, ao tratar o vírus chinês como uma “gripezinha” (tal como o Führer Brasiliense, reiteramos o comportamento irresponsável do país asiático e do gestor tupiniquim), o governo chinês, tão idolatrado pelo Sr. Tedros, deixou seus cidadãos, inocentemente ou não, saírem mundo afora espalhando o vírus…
          Quem não seguiu a OMS foi a própria OMS e o governo chinês, que deveria sim ser diretamente responsabilizado pela maior crise econômica mundial, que ainda nem sabemos até quando irá….
          Não vejo a OMS e nem demais governos mundiais, a exceção dos governos ditos de direita, cobrarem indenização do país asiático pela sua irresponsabilidade….
          Eu eu nem estou analisando as teorias da conspiração de que a China espalhou o vírus de forma proposital… o que não é de todo impossível e improvável..pois um país que mantém mais da metade de seu povo em regime de semi escravidão, de boa, não teria o menor constrangimento de causar um auê desses mundo afora pra atingir objetivos estratégicos de longo prazo…
          E, pra finalizar: o vírus tem uma taxa de mortalidade infinitamente inferior à que se publica por aqui…
          Não vejo nenhuma “autoridade” de saúde brasileira e nem a tal idolatrada OMS lembrar que, a quantidade de pessoas testadas não é sequer 0,1% da população…
          No Brasil, não temos nem 1 milhão de pessoas testadas…
          Só estamos fazendo uma simples divisão de pessoas mortas com vírus chinês (esse % é próximo da realidade) / número de pessoas que tiveram o vírus chinês (esse % é irrelevante porque nem 0,1% da população foi testada)…
          Veja o caso da Alemanha: testou um universo maior de pessoas, e o % de mortalidade deu na faixa de 1,0%, que em verdade nem deve ser isso, porque lá tb o % de testados não é nem 10% da população total do país…
          Vejo no Brasil, governadores como Dória e Witzell, fazendo alarmismos pra criar pânico na população e justificar toda a roubalheira que está ocorrendo na saúde…..
          Hospitais públicos lotados ??? até parece que isto nunca ocorreu antes… a realidade SEMPRE foi essa…
          Há mais de 20 anos prestamos serviços para a área da saúde, e vemos isso no dia a dia nestes anos todos….inclusive já tivemos situações piores de taxa de ocupação que a atual…
          Por acaso se esquecemos dos “hospitais de lata” do Sr. Sérgio Cabral ??? Um dos maiores casos de desvio público de recursos…
          Estamos vendo atualmente nos “hospitais de campanha”, desvios infinitamente superiores..
          Rio de Janeiro comprou respiradores, pagou antecipado, e os respiradores ninguém sabe onde está.. e o pior: a empresa que vendeu é fundo de quintal que ninguém sabe onde fica ao certo..
          A única coisa certa é que pagaram, SEM RECEBER e ANTECIPADAMENTE, R$ 30 milhões …
          Não vejo a mídia bater nisso… e nem a sociedade se indignar com isso…
          Será que não temos condições, como sociedade organizada, de construir um hospital de campanha, que custo o valor certo, sem superfaturamento e entregando o que se comprou ???
          Nós temos sim um idiota lá em Brasília fazendo a festa da mídia, principalmente da mídia que perdeu a boquinha das verbas publicitárias, mas nós temos tb uma sociedade que está idiotizada, sem cobrar decência, probidade e honestidade de seus gestores…
          Aí, vem o almofadinha paulista fazer palanque pra 2022, em plena crise de saúde e aproveita pra comprar respiradores por R$ 183.000,00..
          E todo mundo aplaudindo o corrupto…
          As palavras e as recomendações da OMS, através do Sr. Tedros, valem tanto quanto uma nota de R$ 3,00…

          • Mr_flying

            Well, Sao visões de um mesmo mundo.
            But, o palanque é palco para um governo idiotizado e como parafraseou Barão de Itacaré, se há um idiota como presidente, é porque o elegeram e estão bem representados!
            Enfim, é isso. Sigo Seneca.

            • Henry

              Sim…e nenhuma crítica ao governo chinês… e o massacre que praticou em âmbito mundial…
              Mao Tse Tung matou uns 100 mil de seu próprio povo…
              Xi Ping Pong, matou 243.000 pessoas no mundo…(e subindo….) com seu vírus chinês…
              Ambos idolatrados no cenário mundial…
              Parece que o errado só tem um lado… simples assim…

              • TRL

                Subscrevo seus posts sobre a crise, Henry.

  • juan bautista

    Cara. Dos melhores posts que já li em qualquer site. Parabens

    • Guilherme

      Obrigado, Juan!!

  • Henrique Prado

    Tomara que as Cias Aéreas e de Fidelidade atendam o Ofício.

  • juan bautista

    Não aprovado nem no pda nem nos de montadora.
    Vou cancelar o 2.0 , ta platinum, multiplus platinum ipiranga platinum kkkkk

  • Leandro Romero

    Só fico com uma dúvida com esses cartões cashback do Itaú , como a gente visualiza que os descontos podem ser de ATÉ 5 mil , será que na hora da troca o desconto no produto não será parcial , por exemplo vai comprar uma geladeira de 5 mil e pode usar os pontos para pagar apenas 1 mil ou um percentual pré estabelecido do produto ?

    • SwineOne

      Li o regulamento do cartão Volkswagen, não fala nada de limite de desconto em função do preço.

      • juan bautista

        Pois é. Se usar em um carro de pcd…… Foda que não fui aprovado

        • Dorgival

          Eu creio que não possa usar em carro para pcd, taxista… Só o de venda a consumidor tradicional.

          • Henry

            Dorgival…
            Respeitosamente eu discordo…
            O desconto que vc terá é em função de valores que vc acumulou… não é um desconto atrelado a uma determinada condição e sim decorrente do ato de vc usar o cartão de crédito, pelo qual vc acumulará valores, que futuramente será utilizado para comprar carros…
            A única restrição que pode ocorrer, e mesmo assim tem que ver se isso está expressamente previsto no contrato, é vc comprar carros da marca daquela montadora… isto se estiver expressamente previsto, porque se não estiver, vc pode até mesmo comprar em outra marca…
            Uns anos atrás, eu resolvi fazer um consórcio… pesquisando as taxas de administração, eu verifiquei que o Consórcio GM estava com a melhor taxa… além do mais, GM é um conglomerado relativamente sólido…
            Então, eu contratei o Consórcio GM, mas desde o primeiro momento, meu objetivo era comprar um carro da Ford…
            Lá no meio do prazo, dei um lance, que foi o vencedor…
            E, resgatei um carro numa concessionária FORD…
            A única coisa foi que a GM consórcio foi um pouco chatinha, pedindo um monte de documentos que não pediu se eu tivesse tirado um carro GM… os caras foram pedindo até a hora em que eu disse que, se pedissem mais alguma coisa, ia ajuizar ação de danos morais c/c lucro cessante, pois eu aleguei que usava o carro para poder exercer minha profissão de advogado…e que tinha vendido o carro anterior para poder dar o lance vencedor…
            Em 48 horas resolveram tudo…
            Aqui, se no regulamento estiver expresso que é para uso exclusivo em concessionárias da marca da montadora, tudo bem, é uma cláusula lícita e legal que vai te obrigar…
            Mas, se não estiver expressamente previsto, não existe presunção de que vc tenha que comprar na mesma montadora que é a cobranded do cartão…
            Regras contratuais não se presumem, principalmente se elas vão mitigar seu direito de livre escolha…
            No caso, como o regulamento não impede de vc usar para tirar carro para PCD – (Pessoa com Deficiência) e/ou taxi, vc tira obtendo as respectivas isenções fiscais e na hora de pagar, usa parte do saldo acumulado no programa…
            O custo do carro em PCD/Taxista não é a montadora que te dá desconto…. mas sim são os governos federais e estadual que te isentam de vc recolher impostos na aquisição do carro (IPI/PIS/COFINS/ICMS etc)
            Pera….

            PESSOAL EM GERAL AQUI…

            Uma coisa é vc obter um % desconto por ter uma determinada condição.. tipo, vc é cliente Gold e tem 10% de desconto por isso… basta vc ser Gold e obtém este desconto….

            Outra coisa totalmente diferente é vc constituir um saldo no programa para que este pague o valor que vc acumular segundo a regra de acumulação…
            E veja, o mais importante:
            O programa tem uma tabela de 1 ponto = R$ 1,00…
            Ou seja, o próprio programa estabelece que vc terá um saldo em reais para ser abatido no preço do carro
            E esse saldo em reais é decorrente do uso que vc fez do programa….

            Deu pra entender porque não podem impedir de vc usar livremente ???
            Não existe nada no regulamento que te impeça de usar livremente ou te obrigue a pagar preço sobre a tabela, etc etc..

  • Beto

    Pena que não comercializam mais… Seria sucesso total!

    • Luciano Polisseni

      Tenho um desse há 3 anos e tem sido a melhor opção de cashback neste período. Pra quem não tem feito uso de milhas nos últimos anos, foi certeiro.

  • Henry

    Pessoal..
    Acho que neste site só tem “jacaré que nada de costas em rio de piranha”, mas mesmo assim, fica a recomendação de sempre de:
    – imprimir o regulamento do cartão de crédito antes e durante o processo de adesão;
    – salvar cópia desse regulamento em “pdf” no seu e-mail e no seu e-mail alternativo para assuntos importante;
    – imprimir telas de eventuais ofertas para adesão. Salvar as telas no e-mail principal e alternativo…
    Sabe como é, né ??? as empresas aqui no Brasil costumam ter uma certa “amnésia regulamentar, persistente, reincidente e prejudicial ao consumidor”, isso quando não fazem “tosquices” à la Smiles & Congêneres..
    Teoricamente, esses cartões não impedem a acumulação de uso com eventuais promoções de venda…
    Não pelo regulamento atual…
    O saldo acumulado no programa de fidelidade é apenas um “meio de pagamento”, que pode ser utilizado de forma conjunta com outras formas, tais como: cash / boleto / cartão de débito (neste caso pode haver um % de acréscimo sobre esta parcela do pagamento) / cartão de crédito(idem cartão de débito) / carro usado com boa avaliação na troca…
    Imagina daqui a 2/3 anos… vc chega na concessionária e o carro que custa R$ 80.000,00 está com uma promoção de venda por R$ 70.000,00…
    Vc tem um crédito de R$ 20 mil no programa… e um carro que a concessionária avaliou em R$ 40 mil…
    Teoricamente vc vai pagar apenas R$ 10 mil (seja cash esse valor exato ou esse valor e mais um pequeno % pra usar o cartão de crédito)…
    Porque no regulamento do cartão de crédito não fala nada que o veículo tem que ser fornecido pela montadora e/ou que tem que vir de fábrica em seu nome (aí, seria o valor cheio da nota)..
    Porque se na hora de usar eles vierem com essa historinha, vc processo o cartão/montadora, porque te enganaram…
    Não pode uma vantagem, que na verdade é fruto de vc usar o cartão, te impedir de aproveitar outra vantagem (o desconto que a concessionária está concedendo)..
    Se for assim lá na frente, isto teria que estar bem claro agora..
    Deu pra entender o “espírito da coisa” ???
    As cláusulas restritivas de direito têm que ser expressas e PRÉVIAS… não pode lá na frente o cartão/montadora inventar regra pra restringir seu direito ao uso do desconto…

    • SwineOne

      Henry, uma dúvida: e se, durante o período de acumulação das milhas (alguns meses/anos entre a aquisição do cartão e a geração do voucher de desconto), o contrato do cartão for alterado?

      Não é exatamente a mesma situação que temos com as mudanças de paridade de conversão e tabela nos programas de fidelidade?

      Nesse caso, é earn and burn também. Junte o máximo possível, o mais rápido possível, e use o benefício imediatamente antes que resolvam dizer que cada ponto vale R$ 0,50 de desconto ao invés de R$ 1,00.

      • Henry

        SwineOne..
        Regras contratuais não podem ser alteradas, mesmo em contratos de adesão, sem que esteja previsto esta alteração no ato da contratação.
        No contrato de adesão, vc se compromete a seguir as regras do mesmo..
        Mas… se houver alguma regra/cláusula que seja ilegal, princípio de que ela não tem validade… mas isso precisa ser reconhecido em juízo.. o juiz vai decretar a ilegalidade da cláusula e que ela não opera efeitos entre as partes…
        Se vc por 2 anos enviou pontos na paridade de 1 ponto = R$ 1,00, eles não podem fazer com que esses pontos valham menos que isso…. tipo: “.. a partir do 07/05/2020, cada ponto acumulado valerá R$ 0,50….”..
        O que o programa pode fazer, é, informar que os novos pontos acumulados, valerão R$ 0,50, mas os já acumulados até esta data, mantém o valor de R$ 1,00..
        Só que, se o programa fizer isso, vc pode, perfeitamente, obter em juízo , o direito de obrigar o programa de fidelidade a te comprar todos seus pontos por R$ 1,00 e te pagar em dinheiro..
        Porque vc alega que, conforme previsto nas regras e no próprio modus operandi do programa, fica claro que a acumulação, mês a mês, é para uso futuro.
        No seu momento inicial de contratação (desbloqueio e uso do cartão) o valor é de 1 ponto = R$ 1,00 e vc decide aderir para acumular os pontos para uso futuro…
        Tanto é que os pontos têm 36 meses de validade e existe uma limitação de desconto máximo de R$ 20.000,00..
        Se o cartão modifica isso, então vc ajuiza a ação e pede que o cartão te pague todo o seu saldo em ponto, mantendo a paridade de 1 pra 1…
        Vc alega que usou o cartão fazendo um planejamento para 36 meses e que, com a modificação para 1 ponto = R$ 0,50, vc não consegue mais atingir seu objetivo..

        • SwineOne

          Então esse tipo de argumento tem chances razoáveis de ser acatado numa eventual ação?

          Estava com um pé atrás de solicitar esses cartões e acontecer justamente essa situação. Mas se dá até para “sacar” o cashback em reais caso mudem o regulamento, aí a coisa muda de patamar. Vou considerar essa possibilidade mais seriamente.

          O próximo problema que vejo é o limite de crédito. Pedi o TudoAzul Itaucard e recebi menos de R$ 8.000 de limite. Nesses cartões de montadora, precisaria de mais de R$ 11.000 por mês para conseguir atingir o teto de desconto ao longo de três anos (isso gastando todo o limite do cartão todo mês), e idealmente mais do que isso para encurtar o prazo. Talvez eu precise esperar mais uns meses até que o Itaú libere aumento de crédito nesse cartão da Azul antes de arriscar.

          • Henry

            Vamos fazer a conta reversa;
            Para R$ 20.000,00 ser equivalente a 5,0% de alguma coisa, essa alguma coisa é: R$ 20.000,00 / 0,05 = R$ 400.000,00…
            Como vc tem 36 meses para acumular/usar esse valor, teríamos um gasto mensal de R$ 400.000,00 / 36 = R$ 11.112,00.. ou seja, a sua conta está certinha.. (sorry, mas como adepto de São Tomé, eu tem que ver/calcular para acreditar… r….s…..r……s)…
            Acho que talvez o banco não libere um limite nesse valor..
            Mas.. pensa bem:
            Se vc tem realmente a intenção de comprar um carro daquela marca, então, qq valor que vc abata na compra significa que vc vai economizar/deixar de usar na hora da troca..
            E, veja que, 5,0% de cashback para compra de um carro, é um baita valor… nenhum cartão de crédito dá isso de cashback…
            Mesmo que o banco de tê um limite de R$ 2.000,00, ao longo de 36 meses vc gasta R$ 72.000,00 e abate R$ 3.600,00 na compra do carro..
            que é um bom valor…

            ÚNICO PORÉM…
            Quando se compra um carro, normalmente a pessoa não tem uma marca/modelo pré-definido.. normalmente a pessoa tem uma opção por uma “solução de carro” que te atenda…
            E, dentro desta solução talvez tenha algumas montadoras e modelos de carros que te atendam..
            Aí, na época da compra, pode ser que, um determinado modelo/montadora esteja com preço melhor do que vc ter que comprar na montadora do cartão de crédito, que mesmo te dando os tais R$ 3.600,00 de desconto, a outra montadora/modelo te dá opção melhor, sem vc precisar de desconto algum do cartão…

            • SwineOne

              Concordo a princípio com a conta, porém é necessário se ver a questão da anuidade também. No seu exemplo, são R$ 1.200 de desconto por ano, mas um cartão Platinum tem anuidade de mais da metade disso (tudo bem que nessa situação o cartão internacional seria suficiente, mas você pede o Platinum contando com a possibilidade de ganhar até R$ 20.000 de desconto, sem saber quanto receberá de limite). Adicionado ao fato que isso limita a sua escolha de carros posteriormente, pode perder o sentido se o limite for baixo demais.

              Quanto à escolha da marca do carro, se o desconto for grande o suficiente (digamos, uns R$ 10 mil pra cima), duvido que alguma montadora consiga ser tão mais eficiente que a outra, ofertando carros numa mesma categoria, que exceda essa diferença.

    • Viajante

      Imagine eu então, que tenho 800k na Latam p uso próprio e agora eles querem me “embutir” uma taxa de 220 paus p eu usar minhas milhas numa viagem internacional, as quais comprei deles msm. Ou seja, já tenho as milhas acumuladas antes de colocarem a cláusula no regulamento a partir de julho. Sou advogado. Vou ter que acionar a justiça agora pedindo p declarar nula a cláusula abusiva, tentar liminar e tudo mais. Tudo por causa da “tosquice” como vc falou em outro post… rsrs. Sempre digo em relação às aéreas brasileiras: “para o mal não há limites”…

      • Henry

        O colega deve ser lembrar das aulas de direito contratual o termo chamado “volitivo”…
        É algo que eu bato nesta tecla quando vejo os chamados contratos de “adesão”, onde o contratado altera o contrato à sua mera vontade…
        O volitivo é o composto pelo conjunto de ações que te levaram a contratar… em termos simples: é a vontade que nasceu de contratar diante das situações do contrato..
        Estas condições são iniciais… e não podem ser alteradas sem consentimento de ambas as partes…
        Isto não significa que o contrato seja estático e não possa sofrer alterações, MAS, estas condições de alterações têm que estar expressamente previstas no ato da contratação, no momento “T zero”, quando vc analisa e até mesmo prevendo as prováveis alterações, decide se contrata ou não…
        Por exemplo: quando se contrata um financiamento, normalmente se prevê um indexador para o valor das contraprestações… tipo, o contratante (no caso o consumidor que adquire o financiamento), irá pagar prestações, que serão reajustadas pelo IGP/M (p.ex), ou até mesmo se elege um conjunto de outros índices, em ordem sequencial, que substituirão o IGP/M, no caso dele ser extinto..
        Veja.. existe flexibilidade no contrato… mas essa flexibilidade é de valores e não de regras, de cláusulas contratuais…
        Cláusulas contratuais só podem ser alteradas, quando ocorrer uma nova legislação que obrigue a tal.. ainda assim é algo bem complicado, porque normalmente a nova lei até mesmo dá o tratamento para repercussões nos contratos vigentes..

        Esse caso aí da DELATÃO, é mais um capítulo da sequência de “crimes contra as relações de consumo” que as empresas de programa de fidelidade praticam contra seus associados…
        Veja… vc enviou pra lá, provavelmente de forma escalonada, 800k milhas, para uso futuro, contando para isso com regras que, no(s) momento(s) que vc enviou, não previam o pagamento de taxa para emissão de passagens, mediante resgate das milhas..
        Aí, do nada, a DELATÃO resolve criar esta taxa e quer que vc pague…
        Aí, vc “volta no tempo” e se auto pergunta: “… Viajante, para vc emitir passagem na DELATÃO existe uma taxa de R$ 220,00… vc vai enviar, mesmo assim, seus pontos para este programa de fidelidade ????”
        Provavelmente não, né ??
        Ou seja, meses ou anos depois, a DELATÃO cria uma condição nova que não estava presente no(s) momento(s) em que vc enviou seus pontos pra lá..
        E (com licença do termo), mas e que porra é essa de empresas saíram criando taxas a seu bel prazer ????
        Se é pra ficar fazendo isso, então, vamos nós, que somos os contratantes, comunicar a DELATÃO, que à partir de hoje, todos os resgates no programa de fidelidade, vc só vai pagar 10% da quantidade de milhas constante na tabela de resgates… é uma cláusula, a exemplo do que ela fez, que vc, como contratante, criou agora… a seu bel prazer…
        Velho ditado: “… pau que dá em Chico, dá em Francisco…”
        Se as partes podem sair por aí livremente alterando as cláusulas ou criando novas cláusulas contratuais, então faça isso: envie um telegrama, criando uma cláusula “x”, em que vc informa que:
        “… Cláusula X – O associado, neste ato e até que consuma todo seu saldo presente na data atual, terá um desconto de 90% (noventa por cento) em todos os resgates no programa DELATÃO, podendo inclusive, acumular este percentual com outras promoções vigentes….”
        Não importa se o contrato é de adesão e que, neste caso, a DELATÃO é que cria o contrato…
        A legislação faculta o direito da contratada criar o contrato de adesão, mas a mesma legislação não permite alterações que não estejam AUTORIZADAS pela legislação e a criação de novas cláusulas, é uma dessas proibições…
        Se a DELATÃO pode agir à margem da lei, vc também pode…
        Até porque vc, na condição de consumidor, é a parte frágil na relação contratual…
        Então… meta um belo processo na DELATÃO, solicitando que ela se abstenha de cobrar qq tipo de taxa não prevista no momento em que vc enviava seus pontos pra lá, além de restituir eventuais taxas que vc foi obrigado a pagar, c/c uma bela indenização por dano moral…
        Vc pode até ser magnânimo e oferecer ao juízo que, não obrigue a DELATÃO a nada disso, desde que ela compre todo o seu saldo de milhas, pelo valor da tabela, R$ 0,07/milha, devendo o pagamento ser feito à vista e mediante depósito em conta corrente.

        • SwineOne

          Uma verdadeira aula.

  • Fernando Gonzales (ferzao)

    Itaucard Extra Gold, da pontos referente a 3% dos gastos nas lojas Extra e 1,5% de outros gastos, que podem ser convertidos em crédito na fatura do cartão, na proporção 1 ponto = 1 real, para gastar exclusivamente no nas lojas Extra.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×