Como ganhar R$ 327.547,20 cancelando 5 clubes de milhas, 4 cartões de crédito e 1 pacote de serviços bancários

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Existe uma estratégia de propaganda muito utilizada no comércio, que consiste em focar no valor da parcela.

Focar no valor fracionado, no tempo, do produto, pra gerar a impressão, no consumidor, ou seja, em você, que é possível comprar determinado produto ou serviço sem afetar o seu bolso. Afinal de contas, se a parcela cabe no orçamento mensal, que mal causaria?

Muito.

Causaria muito mal. É preciso levar em conta não só o preço integral do produto ou serviço, mas principalmente o custo financeiro dessa compra protraído no tempo, ou seja, o real impacto financeiro da compra a longo prazo. Por quê isso? Pra evitar ser arruinado financeiramente, e terminar a vida devendo a tudo e a todos, atolado em dívidas e sem reservas financeiras mínimas capazes de proporcionar uma aposentadoria digna ou um futuro financeiro com menos apuros.

Quando você vê os custos financeiros a longo prazo de uma vida desregrada, comprando as coisas só porque as parcelas cabem no bolso, muitas vezes você está degradando o seu eu futuro, enterrando uma vida inteira de possibilidades, sonhos e projetos.

Em tempos de coronavírus, embora a quantidade de alertas sobre a necessidade de reduzir gastos tenha aumentado ao longo das últimas semanas, muita gente ainda insiste em ver o mundo cor de rosa, como se nada tivesse acontecido.

Visando a esclarecer ainda melhor os impactos financeiros a longo prazo de decisões ruins de compra no presente é que resolvi elaborar esse artigo, com um título bem chamativo justamente pra alertar os leitores dos perigos que eles correm ao levar uma vida presente de gastos excessivos e que, no contexto atual, não se justificam.

Ganhe dinheiro economizando dinheiro

Muitas vezes é preciso “mudar a chavinha da mente”, fazendo uma releitura dos acontecimentos a partir daquilo que você não vê com os olhos, mas sim com aquilo que você vê com a mente.

É justamente o caso dos gastos presentes, quando visualizados no contexto do chamado fluxo de caixa futuro, a médio e longo prazos.

Uma das melhores e mais eficientes formas de ganhar dinheiro é simplesmente economizando dinheiro, ou seja, interrompendo fluxos futuros de saída de dinheiro, dados como certos e inevitáveis, a menos que… você decida cancelar a saída futura de dinheiro.

Contratos em que há saídas mensais de dinheiro de seu bolso são os primeiros que devem ser objeto de revisão financeira, já que são meios que podem fazer você liberar seus fluxos futuros de caixa de uma forma mais direta e precisa.

E quais são esses contratos?

No âmbito das milhas e pontos, tudo o que implicar saída periódica e mensal de dinheiro, e do qual você nem está conseguindo usufruir, seja por não conseguir resgatar os pontos e milhas para emitir passagens aéreas, seja porque você não consegue usufruir dos benefícios de salas VIP, seguros de viagens e demais benefícios que as operadoras de cartão de crédito oferecem.

Ou seja, os clubes de milhas e os cartões de crédito com anuidade, além de certos pacotes de serviços bancários (pagos justamente para conseguir acessar determinados cartões de crédito com pontuação mais elevada), devem ser alvo prioritário da redução de gastos, que se faz urgente e necessária na medida em que mais você tiver sido afetado nessa crise.

O quanto de dinheiro você pode ganhar ao cancelar clubes de milhas e anuidades de cartões de crédito?

Abaixo, elaborei um quadro onde demonstro o quanto de dinheiro você pode literalmente salvar se decidir adotar uma postura mais defensiva e mais apropriada para melhorar sua situação financeira pessoal:

O cancelamento de 5 clubes de milhas, 4 cartões de crédito com anuidade (sendo 1 da bandeira Master, outro da bandeira Visa, um do Amex, e mais um co-branded), e 1 pacote de serviços, em um mês representa um ganho de dinheiro de R$ 2.729,56; em um ano, lhe gera um ganho de mais de R$ 32 mil; em dez anos, faz você ganhar R$ 327 mil.

E olha que estou considerando a economia “seca” de dinheiro, ou seja, os cálculos acima foram realizados sem considerar qualquer tipo de juros aplicados, os quais, obviamente, fariam os valores acima crescer a taxas cada vez mais exponenciais – aliás, se alguém quiser refazer as contas acima, usando como base o rendimento médio líquido de uma aplicação conservadora em renda fixa, fique à vontade e me envie, para que eu edite o artigo, acrescentando a informação.

Quem assina muitos clubes, e paga muitas anuidades caríssimas de cartões de crédito, pode dar um belo jeito nas suas finanças pessoais simplesmente cortando esses itens de seu orçamento doméstico.

Embora a economia possa ser até insignificante no curto prazo, ela é decisiva e assume enorme peso e relevância a médio e longo prazos.

Observe que mesmo pequenas economias no curto prazo fazem uma diferença brutal no decorrer de mais de 10 anos.

Por exemplo, uma mensalidade de R$ 39 no Clube da TAP, ao longo de 10 anos, poderá resultar num ganho de dinheiro superior a R$ 4,5 mil.

Um pacote de serviços bancários, que custa cerca de R$ 80 mensais para você, no final de uma década, pode representar um gasto de R$ 10 mil!

Um clube de milhas que te custe de R$ 600 a R$ 700 mensais, se cancelado e, portanto, feita a interrupção do fluxo de saída futura de dinheiro, pode lhe dar a oportunidade de garantir a compra de um veículo zero quilômetro.

Mas aí alguém pode falar: “tá, mas esses valores são muito abstratos, e, de qualquer forma, eu só teria os tais R$ 327 mil lá ao final dos dez anos, em 2030”.

O argumento também não procede, já que você pode sentir imediatamente, ou seja, agora, os efeitos concretos de tais ganhos financeiros.

Basta, por exemplo, cancelar todos esses clubes e anuidades, e passar a investir, mensal e disciplinadamente, o dinheiro que sobrou. Ao final de dez anos, você certamente terá muito mais que os R$ 327 mil aqui mencionados, já que sobre a base monetária investida incidirão os efeitos dos juros compostos.

Dá também pra imaginar o caso de você ter um financiamento imobiliário com saldo devedor atual na faixa dos R$ 300 mil. Ao cancelar todos os clubes e cartões de crédito, na prática, é como se você já tivesse garantido a compra do apartamento! E ainda sobrarão mais de R$ 20 mil para investir (ou gastar) em outras coisas que podem ter utilidade imediata.

Os números acima são assustadores?

Na verdade, eu diria que são até conservadores. Pelos relatos que tenho recebido, há pessoas que chegam a gastar valores acima de R$ 4 mil, R$ 5 mil mensais com assinaturas de clubes de milhas, pagamentos de anuidades de cartões de crédito, pagamento de tarifas nos apps de pagamentos (MercadoPago, RecargaPay, PicPay etc.), e gastos com pacotes de serviços bancários, o que faria o ganho de dinheiro num prazo de 10 anos dar saltos, aí sim, assustadores.

Os números acima servem, antes de mais nada, como uma referência de valor – há pessoas que podem ganhar entre R$ 100 mil a R$ 200 mil cortando seus gastos no prazo de 10 anos, bem como há outros tantos que podem ganhar mais de um milhão de reais se abandonar o consumismo exagerado nos próximos anos pelo simples corte de despesas exorbitantes.

Por falar em anuidades, considerei na tabela, para o cálculo da anuidade do Amex TPC americano, o câmbio a R$ 5,50. Assim, teríamos uma anuidade de USD 550, com mais IOF de 6,38% resultando em USD 585,09, o qual, multiplicado por R$ 5,50, daria R$ 3.217,99 de custo anual, o qual, por sua vez, dividido por 12, resultaria num custo médio mensal aproximado de R$ 268,16. Não considerei na custo financeiro global outras possíveis despesas associadas (que eu não sei se existe pois não tenho cartões americanos), tais como tarifa de manutenção de conta nos EUA, envio de dinheiro para pagamento da fatura mensal etc.

Dinheiro se valoriza com o tempo. É ativo. Milha se desvaloriza com o tempo. É passivo.

Existe outro forte argumento para uma revisão geral dos contratos financeiros ligados ao mundo das milhas e pontos: R$ 650 economizados hoje podem virar R$ 6.500 daqui a dez anos. 20 mil pontos criados hoje não viram nunca 200 mil pontos daqui a dez anos.

Nesse contexto, fica claro que você deve dar preferência para o acúmulo de um bem que se valoriza no decorrer do tempo do que para o acúmulo de um bem que se desvaloriza no decorrer do tempo.

70 mil pontos Amigo Avianca te levavam para a Europa em classe executiva. E hoje, o que valem 70 mil pontos, ainda mais depositados no Amigo Avianca? 😉

Problema multiplicado: clubes de cônjuge, pais, filhos etc.

O problema se agrava na medida em que considerei, na tabela acima, os custos de manutenção para apenas um membro da família.

Porém, se você tiver pagando – ou gerenciando – mais um clube de milhas – o que é relativamente comum no universo milheiro – de seu cônjuge, irmão, pai, mãe etc., os números crescem vertiginosamente, fazendo com que os ganhos de dinheiro aumentem em escala diretamente proporcional, se você decidir por cancelá-los.

Conclusão

A grande dificuldade das pessoas que, de um lado, gastam muito dinheiro com assinaturas de clubes, pagamento de tarifas para ganhar milhas, gastos com anuidades etc., e, ao mesmo tempo, não têm controle financeiro, e gastam 90%, 95%, 100% ou 120% do que ganham, reside na dificuldade de enxergar os custos financeiros a longo prazo de suas decisões de compras tomadas no curto prazo.

A falta de educação financeira, combinada com uma necessidade narcisística desenfreada de ficar se exibindo em redes sociais, para os amigos, para os não amigos, para os desconhecidos, de suas “fantásticas” viagens, resulta, num futuro próximo, numa explosão de dívidas, mal estar, estresse, dor de cabeça, e dificuldade para gerenciar bem as finanças pessoais.

Sei que a verdade dói, como posso perceber da leitura de alguns comentários lacônicos de pessoas que revelam profundo mal estar ao estarem se defrontando, a partir da leitura dos artigos do blog, com seus próprios problemas (e que certamente vão dizer que o título do texto é forçação de barra, que o blog não deveria se ater a assuntos econômicos, que “eu tenho lucros de mil reais por mês vendendo milhas” blá blá blá, blá blá blá), mas é melhor revelar a verdade com que conviver com a mentira, pois a mentira é capaz de te aprisionar para sempre.

Como disse acertadamente o SwineOne há alguns dias, você não é um fracassado se não fizer diversas viagens longas em classe executiva e primeira classe por ano, pegar carona de Porsche até a porta do avião, se hospedar em hotéis que custam os olhos da cara (e mais o rim e o fígado), visitar a todas as salas VIP possíveis e imagináveis no caminho, tirar selfie no espelho da academia para receber 5 mil curtidas em redes sociais, fazer mil malabarismos para ter um cartão American Express Centurion com pedágio de entrada de US$ 10 mil e anuidade de US$ 5 mil etc. A vida não se resume a isso.

Está certo o Augusto Cury ao dizer que foi necessária uma desaceleração do mundo para que nós finalmente percebêssemos que o grande luxo de nossas vidas é compartilhar mais tempo em família, dar mais atenção aos idosos, valorizar as relações humanas e sociais mais autênticas, e não nos ficarmos prendendo às artificialidades e à ilusão de determinadas indústrias, devidamente patrocinadas e que ganham dinheiro em cima das análises e indicações de produtos e serviços, os quais, se suprimidos (confesse aí, vai) não fariam a menor falta em sua vidacomo, aliás, não estão fazendo, agora.

Esse tempo de isolamento social está servindo para muitas pessoas realizarem profundas reflexões em seus verdadeiros valores, crenças e princípios. Ninguém vai morrer se não realizar 18 viagens de volta ao mundo por ano. Ninguém vai morrer se não frequentar 251 salas VIP a cada ano. A vida não se resume a isso e, aliás, há coisas muito mais importantes do que ficar gastando dinheiro em excesso para áreas nas quais pouco valor você conseguirá extrair, não só no presente, mas também no futuro.

Digo, por experiência própria, que é uma tarefa um tanto quanto espinhosa introduzir conceitos de educação financeira numa área extremamente comercial como é a das milhas, viagens e pontos.

Porém, a tarefa se faz necessária, porque muitas pessoas devem ler não o que querem, mas sim o que precisam, para que, a partir daí, façam uma profunda revisão em seus hábitos e comportamentos, e evitem problemas futuros de ordem financeira, emocional, espiritual e até mental. O desconforto psico-cognitivo muitas vezes é o primeiro passo para uma mudança substancial e positiva em seu modo de viver. E quem faz essa escolha não é o produtor da mensagem, mas sim o seu receptor. 😉

  • Rafael Garcia

    Excelente artigo!!! Parabéns 👏🏻👏🏻👏🏻 Muito bom ler textos ricos em conteúdo e reflexão.

  • Felipe Vieira

    O melhor post desse site! Só li verdades! 👏🏻👏🏻

  • Pedro Viajante

    Só faltaram 2 coisas:

    1 – Dizer como se cancela o Clube Tudo Azul – ao qual aderimos VIA INTERNET – pela Internet;

    2 – Os 6 números da mega sena.

    Se der a solução só pro primeiro item, nem faço questão do segundo.

    • Jorge Willian Cardozo

      E falo mais: Não consegui pelo site, nem pelo chat e muito menos pelo telefone.

      • Pedro Viajante

        Será possível que o Clube Tudo Azul receberá e-mails e chats solicitando cancelamentos MAS irá preferir efetuar COBRANÇAS INDEVIDAS e receber PROCESSOS?

    • Jair Batista

      Eu bloqueei o cartão que estava lá, e simplesmente deixei inadimplente, vai ficar mandando e-mail “Regularize seu clube” eternamente (pro spam, claro).

      • Adenilson

        Jair Batista, eu fiz a mesma coisa. Gerei um cartão virtual – paralelo ao meu cartão físico, em seguida cadastrei esse cartão virtual lá na página de cobrança do clube, depois bloqueei o cartão virtual. Pronto! Problema resolvido. Ah… fiz isso em várias contas, mesmo antes de sair esse belíssimo artigo.
        Situações extremas, medidas extremas!

        • Felipe Vieira

          Se fizer assim, os valores mensais, que não vão sendo pagos, não viram uma dívida passível de cobrança pelo programa ???

          • Adenilson

            Felipe Vieira… não vira dívida porque não há dívida, uma vez que o produto (milhas/pontos) do pagamento, ainda não foi creditado. Trata-se de uma compra recorrente subjetiva, ou seja, primeiro a gente paga, depois recebe o produto (a contrapartida daquele pagamento). A gente retém o pagamento e a empresa retém a contrapartida desse pagamento, que são os pontos/milhas não creditando-os… tudo fica no 0 x 0… não há dívida a cobrar… e tds vivem felizes para (quase) sempre.

            • Felipe Vieira

              Vlw, obrigado!

      • Dissidente

        Só tem um porém: não esqueça o cartão desbloqueado, porque eles lançam o valor acumulado. Isso aconteceu comigo na Livelo, lançaram quase 2 conto no meu cartão, que, desbloqueado, passou.

    • Jose Roberto

      Eh como o pessoal informou nos outros comentários, sobre o item 1 infelizmente somente via telefone (ou fazer o lance do cartao virtual), eu consegui cancelar apos 30 minutos de espera (coloquei no viva voz e fui fazer outras atividades até o atendimento), sabemos que trata-se de estrategia para cansar os clientes e com isto evitar o cancelamento…

    • Daniel Correia

      Bem fácil a resposta do 1. Faz um consumidor.gov.br 🙂

    • Marcos Lopes

      consumidor.gov

    • Max Pires

      também tive problema, vá no reclame aqui que resolvem rapidinho

    • Vá na pagina de dados de pagamento do tudo azul e coloca o meio de pagamento por cartão virtual, depois deleta o cartão.

  • Thiago84

    C* é um órgão muto pessoal, por isso cada um tem o seu e não se transplanta. O MEU está achando péssimo ficar em casa, não vejo a hora de meter o louco mundo a fora. Seja com milhas, cash, carona, assalto, eu só quero fugir desse isolamento.

  • Lênio

    N tem a ver c o post. Mas qual a melhor destinação p se dar as milhas smiles em relação ao custo benefício?

    • SwineOne

      Se estão para vencer, pode ser interessante mandar para o ALL, pelo menos na atual paridade de transferência (que não sabemos até quando dura).

  • JC

    Onde muitos enxergam “gastos” outros enxergam “oportunidades”, sempre busquem o conhecimento e fugir do senso comum.

    Bom, desses clubes o único que vale a pena manter seria o de R$650 da Livelo, os outros você assina somente no momento de fazer alguma transferência, ou seja, o gasto do clube vai ser revertido em mais milhas no programa, sendo que o Smiles de 10.000 tem uma estratégia bonificada que rende algumas migalhas, para alguns pode valer a pena, mas no geral é ruim.

    Sobre os cartões, quem em 2020 paga anuidade de CC? Da para isentar tranquilamente, talvez não um Unlimited, mas você consegue flexibilizar essa despesa sem dúvidas, mesmo em outras cartões tops como TPC brasileiro e o Elo Diners.

    Como eu disse no outro post, fujam do senso comum, as vezes você não enxerga como mas tem gente fazendo dinheiro justamente em algo que vc é ignorante, ignorante no sentido de não conhecer mesmo.

    • Luiz De Freitas

      … exatamente … devemos ter conhecimento e não medo cego … espelhemo-nos naqueles que hoje são gigantes exatamente por verem grandes oportunidades onde outros só viam desgraça: Cristovão Colombo, Fernão de Magalhães, Elon Musk, Steve Jobs, Bill Gates, Jesus Cristo, Maomé, etc, só para nomear exemplificadamente alguns …

    • SwineOne

      Só uma pergunta: como você comercializa 240 mil pontos Livelo (que, com bônus de transferência, viram 350, 400, 500 mil nos programas das aéreas) por ano com restrição de 5 CPFs na Azul, 25 na Latam, etc.?

      Ou você só teoriza que existe o potencial de lucrar com isso?

      • JC

        Vendendo passagens com média alta, na LATAM uma passagem internacional ida e volta custa em media 60-80k pontos, ou seja, 25 CPF’s você consegue emitir entre 1.500.000-2.000.000 de milhas por conta, Azul nunca compensou, e tem a Smiles tb que com bonus de 80%+ é interessante.

        Na verdade isso é só uma parte dos pontos que acumulo, juntando todas as fontes desde que comecei ja juntei mais de 10 milhões de milhas, mta coisa a custo zero e mta coisa abaixo do valor de mercado.

        • Gustavo on the telephone

          JC, vc usa o iti (10 transferencias de R$ 1000 no Itaucard por mes)? E sobre a sua fabrica de milhas, tem alguma dica para nao correr riscos de ter problema com a Receita?

  • ❤❤❤

  • Henrique P. P.

    Excelente post que serve de alerta para todos meu amigo. Eu já comecei a reduzir meus clubes, e agora que estou fazendo um curso de educação financeira (do Bruno Perini, excelente aliás), devo seguir neste caminho. Parabéns pelo trabalho educativo Guilherme.

  • Mr_flying

    Em terra de cego quem tem olho eh rei!! 👑

  • Mr_flying

    Não posso deixar passar a aberração do post do mestre da Latão recomendando esse cartão de 10 mil dólares e mais 5 mil dólares iniciais, como lá o costume é apagar os posts, aqui tenho liberdade. Como esse post foi estupido e exdrúxulo, quem em sã consciência vai gastar mais de 80 mil reais só pra possuir um cartão???

  • Diogo Avila

    Belíssimo artigo!
    Há uma terrível mania do brasileiro (e alguns outros) em gastar mais do que se tem, claro que como informado, em muito por conta da estratégia (“se a parcela cabe no bolso”).
    Por isso que mesmo quem tem alguma renda fixa e muitas vezes até razoável, não tem nada nos bancos.

  • Henry

    Vcs acham que o mundo está OK ???? que tá tudo legal ????
    Veja o barril do petróleo hoje:
    US$ 10.70… caiu 40% hoje.. vou escrever por extenso pra não pensar que é erro: QUARENTA POR CENTO!!!!!!!!

    Quem acha que a economia tá de boa e que o futuro é certo e tranquilo, parabéns….

    Não esquece de confirmar que o bungee jumping está bem amarrado na ponte… boa sorte… vc vai precisar…

    https://valorinveste.globo.com/mercados/internacional-e-commodities/noticia/2020/04/20/barril-de-petroleo-despenca-quase-40percent-nesta-segunda.ghtml

    • Dissidente

      E os Estados que fizeram dívidas pra 50 anos acreditando no barril a 100 dólares, principalmente o RJ, já começam a estralar. O servidor público de alguns desses já pode se considerar demitido.

      • Henry

        “Servidor público demitido” é ficção …não existe isso no Brasil…
        Existe empregado de empresa privada demitido…
        E aposto com quem quiser que o governador maluquinho daqui do Rio, como forma de compensação/ajuste para compensar a queda com arrecadação dos royalties, vai tomar medidas severíssimas:
        Tipo um aumento de salário de 10% pra todos os servidores… r….s….r….s…

        Mais um motivo pra quem trabalha na iniciativa privada “não contar com o ovo naquele lugar da galinha”….
        Tempos de se preparar para eventuais problemas adiante…

        • Dissidente

          Demitido, exonerado, pouco importa o termo. Já existiu no governo Color, e muitos não voltaram até hoje, apesar de alguns poucos que retornaram reingressaram em cargos superiores aos de origem. A parada na economia, a queda na arrecadação, o deficit, retomada incerta… tudo isso é algo sem precedente no mundo, não só aqui, então as medidas também podem ser sem precedentes. Exonerar em massa ou cumprir a LRF já não seria algo sem precedente, agora é algo iminente.
          Essa agenda já estava posta, agora com a pandemia…
          Mas eu diria mais, diria que os precavidos devem esperar, no curto a médio prazo: congelamento salarial, cortes de FG, grandes reduções salariais dos ativos, exonerações de não estáveis e estáveis, aceleração das privatizações (e mais demissões, ou achatamento enormes de salario como já aconteceu na BRDistribuidora) e até mesmo revisão com diminuição das aposentadorias do RPPS, como já aconteceu na Europa recentemente.

          O populismo dos políticos tupiniquins hoje é como a fé na recuperação um paciente terminal.

          • Henry

            Época Collor o Estado brasileiro não estava tao aparelhado…

            • Sou servidor concursado na União, Henry. O “aparelhamento” é um mito no Executivo. Somente as carreiras que exercem o poder de polícia podem ser consideradas “aparelhadas” – privilegiados. A gestão da Adm Pub brasileira nunca esteve tão fracionada nos últimos 20 anos…

              • Henry

                Fábio…
                Vc esqueceu de colocar no Executivo as faculdades federais, as agências reguladoras ???

                • Na verdade não, Henry. Sugiro uma olhada na tabela de vencimentos dos servidores públicos federais, no site servidor.gov.br. De todos modos, estas duas ai que vc citou, no governo atual, estão na mesma situação que os demais. Basta fechar a torneira do custeio que a atividade fim fica diretamente prejudicada. Enfim, debate pra outro blog e em outro momento…

    • Henry

      Só atualizando (se é que vcs já não sabem disso):
      Ontem, o barril de petróleo atingiu a marca de – US$ 37,90 .. é isso que vc leu, valor negativo..
      Isso significa que as petroleiras estavam PAGANDO US$ 37,90 pra vc levar o barril, porque elas não tem mais onde enfiar petróleo… os tanques de armazenamento estão lotados e não existe demanda…
      Desde que os dinossauros foram extintos e milhões de anos depois tinham virado petróleo, até onde eu sei, isso nunca aconteceu antes…

      Hoje, vou rodar os postos de gasolina daqui de Niterói e ver quanto eles pagam pra encher o tanque do meu carro….r>….s>….r>….s>…

  • GP

    Excelente artigo, parabéns!

  • GP

    Sigo a máxima “Ponto bom é ponto de graça”.

  • Dissidente

    Achei sensacionalista e muito. Deixar de gastar é diferente de ganhar. Se o post considerasse o custo de oportunidade, já seria fora da realidade 10 anos sem nenhum resgate dos pontos, mas nem isso…

    • Leonardo

      Pensei a mesma coisa! Um coisa é alertar os leitores acerca de gastos desnecessário em época de crise! Agora ganhar? Quer dizer que 20.000 pontos livelo valem 0!Eu mesmo cancelei diversos clubes, pois entendo que, para mim, o momento vigente desafiador. Só acho que o blog está exagerando no tom alarmista. Como o próprio Post infere, a capacidade de seus leitores é acima da média, acho que não é necessário dezenas de post tocando no mesmo assunto, ainda mais com o título no mínimo, exagerado.

      • Ítalo Alencar

        Mercado altamente afetado pela crise gerada pela pandemia do coronavírus pelo mundo, o setor aéreo deve sofrer impactos negativos em sua cadeia pelo menos até o fim de 2023. É o que projeta um estudo realizado pela consultoria Bain & Company e divulgado pelo Estado de São Paulo ontem (19). De acordo com o relatório, atualmente, a maior parte da frota global de aviões está parada por causa do fechamento de fronteiras e das medidas de distanciamento social.

        O estudo afirma ainda que fabricantes de aeronaves devem registrar queda significativa em suas produções nos próximos cinco anos. No que diz respeito às companhia aéreas, a demanda global só deve voltar ao patamar pré-coronavírus em meados de 2022, isso considerando que a crise seja moderada.

        A consultoria Bain & Company prevê que, para as fabricantes, a situação mais difícil no segmento de aeronaves de grande porte (com dois corredores), que deve retomar o nível pré-crise em dezembro de 2023. Entre os aviões menores (de um único corredor), a projeção é de recuperação a partir de novembro de 2021.

        O levantamento estima que, com a crise, 35% da frota global de aeronaves ainda deverá estar parada no fim deste ano, e que o cancelamento de encomendas de aviões pode chegar a 20% menos, já considerando que governos apoiarão as aéreas. Para ficarmos num exemplo nacional, vale lembrar que a Gol, na semana passada, anunciou um acordo com a Boeing. O trato compensa a companhia brasileira com dinheiro pela diminuição da encomenda de aviões 737 MAX, o pedido baixou de 129 jatos para 95.

        No âmbito das companhias aéreas, a Bain & Company prevê cenário igualmente complexo. Segundo a consultoria, a queda na demanda global por voos deve atingir 70% em junho e ficar entre 40% e 55% neste ano. O número está em linha com estimativas da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata), que prevê recuo de 55% na receita com passageiros.

        No caso das empresas aéreas que operam na América Latina, o estudo aponta que a demanda por voos domésticos retorne ao nível que se tinha antes da crise apenas no início do segundo semestre de 2022. Para voos internacionais, isso não ocorrerá antes de junho de 2024.

        • Viajante

          Vai cancelar teu Clube Livelo 20k antigo?

          • Ítalo Alencar

            Cancelei 7 clubes livelo da família e todos da azul. Deixarei 3 smiles 1 mil e tap. Fui bandido do latam pass graças a Deus.

            • Guilherme

              👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

            • Viajante

              Pois é. Eu tenho esse Livelo 20k antigo e, embora a pandemia não tenha afetado minha renda, estou me inclinando a cancelar, uma vez que não sei como ficarão as emissões com milhas após essa crise. O que me deixa puto é por exemplo eu ter q pagar p usar as milhas, prática iniciada pela Latão e que certamente será copiado pela Smiles. Só resta as internacionais msm.

              • Ítalo Alencar

                Eu irei manter 1 clube e vou queimando às milhas de forma gradual. Aconselho a vc manter 1 livelo e tipo, faz um tap. Se for diamante na smiles não tem necessidade de manter o clube deles e no caso da azul não aconselho manter tendo em vista a limitação por cpfs…Latam pass? Esqueci! Eles desvalorizaram a tabela nacional e vão cobrar taxas nos resgates! O clube tap eu irei continuar por conta das viagens p europa e star alliance. Enfim, Você tem a grana e eles os pontos! Você dita o jogo agora!

                • Viajante

                  Só tenho 1 Livelo 20K msm que é o meu e acho um ótimo clube, pois as milhas não vencem e dá p transferir p praticamente qualquer cia, além de custar 32,50 cada K Livelo. Dá até pena de cortar. Sou Diamante na Smiles e no Tudo Azul e não tenho nenhum clube deles. Tenho muitos pontos no LatamPass, mas vou deixar p emissões internacionais com antecedência.

                  • Ítalo Alencar

                    Se tá dentro do orçamento eu aconselho a manter 1 na sua família. Acima disso não é momento.

                  • Ítalo Alencar

                    Vai ter muitas promoções de adesões, bônus e etc. Imagine que as companhias diminuíram quase 95% no Brasil!

            • Pedro Viajante

              Cancelou os da Azul numa boa, pelo site?

      • Caraca! Nunca ouviu falar em linguagem poética? Desinformação a gente encontra em outros blogs. Aqui a gente trata a verdade é com muito sarcasmo e ironia mesmo!!!

    • Caraca! Nunca ouviu falar em linguagem poetica? Desinformação a gente encontra em outros blogs. Aqui a gente trata a verdade é com muito sarcasmo e ironia mesmo!!!

  • Gui, muito bom artigo! Se me permite só vou fazer um aparte aqui, diferente dos cartões de crédito brasileiros, o AMEX TPC americano é possível conseguir de volta o valor da anuidade ou até mais em função dos créditos e benefícios. Obviamente que isso só é válido para quem utiliza tudo. Eu mesmo, utilizo cerca de 80% dos créditos, pois não consigo utilizar os crédito do UBER, então pra mim volta apenas os 200 USD das cias aéreas e 100USD da SAKS, reduzindo assim minha despesa de 550 usd para 250 usd, o que considero um valor legal, pois faço muito uso do Membership Rewards e suas parcerias. E esse valor ainda pode diminuir caso consiga utilizar algum crédito do UBER (50 USD somente), que também serve para UBER EATS (Descobri recentemente e tenho pedido comida no hotel em função disso). Obviamente que é preciso também um tanto de expertise utilizando gift cards para não produzir gastos desnecessários, como por exemplo gastar 100 usd na SAKS à toa, então o ideal é comprar um gift card que tu já teria um gasto e aplicar aquele valor ali, assim como nas aéreas.

    De resto, perfeito o artigo. Mas acho que essa conta do Amex TPC americano ficou desfavorável em virtude dessa questão do retorno de benefícios, que diferentemente dos cartões no Brasil, é bem possível.

    Forte Abraço!

    • Guilherme

      Excelentes ponderações, Eloy! Não sabia que o cartão tinha esses créditos.

      Realmente, no caso do TPC, o mais condizente seria fazer a análise de custos envolvendo o TPC brasileiro, que, até onde eu saiba, não oferece nenhum tipo de crédito.

      Um forte abraço!!

      • Leonardo

        E no caso do Clube Livelo é óbvio. Patente que o valor do ponto livelo não é zero. Sou fã do site. Mas o post é sensacionalista. E no mínimo, a conta está errada. Eu, pessoalmente, não vou cancelar meu clube livelo 20.000 (649,00). E minha esposa não vai cancelar o 7.000 antigo dela (199,00). Mas isso é minha opinião hoje. O mundo é dinâmico.

  • Dissidente

    Não entendi qual a relação.

    • Ítalo Alencar

      Que não adianta vc ter pontos se você com cash vai poder ter mais barganha no setor que só voltará ao normal em 2022.

      • Guilherme

        👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

      • Dissidente

        É óbvio que o dinheiro tem mais barganha. E é claro que adianta ter pontos, ou agora não se emitirá mais com pontos?
        Porém o fato de o dinheiro ter mais barganha do que os pontos não quer dizer que o valor dos pontos passou a 0, como sugere o título.

        • Ítalo Alencar

          É que teremos uma recessão global. O que eles pretendem fazer? Jogam pontos pra sardinhas e depois desvalorizam feitos tubarões focando apenas na tarífa pagante que vai gerar fluxo de caixa ganhando duas vezes em cima do povo.

          • Dissidente

            Isso aí já é esperado, até porque eles já fazem isso sem precisar de pandemia, então agora só vão aumentar a escala. O dinheiro que já está com eles, que é os pontos, eles já ganharam e então vão em busca do novo, que é o pagante.
            Mas eu acho que todo ônus tem seu bônus. Os programas de pontos estavam sendo esculhambados ano passado. Agora, com esse caos que reprime a demanda tanto de aéreas quanto de grandes varejistas, as duas devem se juntar em promoções agressivas de compras com boa pontuação, vide semana passada Netshoes dando até 26 pontos Latampass por real pra quem tem o co-branded e é do Clube (corajoso hein?).

            O aniversário Livelo já está em cima, mas na blackfriday eu espero 20 pontos por real Netshoes (ja tivemos 16), 12 pontos PontoFrio/CasasBahia/Extra (tivemos 10 ano passado, no lançamento da parceria), 15 pontos Camicado e Polishop (ja tivemos 12 em ambas). O questão será precificar o valor do milheiro até lá, com a estabilização do cenário e retomada da atividade econômica.

        • Veja por esse lado: você está comprando blocos de gelo. É obvio que tem algum valor e portanto são contabilizados direitinho. Mas sai do ativo corrente líquido espécie, e vira investimento de liquidez incerta e, pior, depreciável…

  • Sério que alguém gasta quase 3k/mensais para acumular milhas? Ou o cara vende para ganhar lucro ou vai viajar.

    • juan bautista

      Segundo o post sim . Existem tio patinhas de milhas que só acumulam e não gastam ou vendem .
      Aliás, ninguém que lê esses blogs vende milhas. Nem aqui nem no PP nem no mestre etc.
      Não sei nem como esse mercado funciona visto que ha tão pouca oferta de milhas e pontos para serem vendidos

      • O post apenas considerou o custo, e ainda fez uma projeção dos juros ao longo de 10 anos. Quem compra milhas irá usufruir, imagina quantas viagens alguém que investi isso mensalmente irá fazer ao longo de 10 anos, e algumas coisas como experiências, memórias não são contabilizadas em reais.

      • João Pereira

        Acompanho os três blogs citados há anos e vinha vendendo 12 (doze) milhões de milhas / ano apenas com um celular na mão! rsrsrs Com esta pandemia nos assolando, este comércio foi ferido de morte. As aéreas já havia tornado as coisas difíceis para o milheiro. Agora, acabou … Pelo menos pra mim!

        • Henry

          É João… eu tb fabriquei muitas milhas na época do ping pong de boleto….. mas, para uso pessoal…
          Agora, é meio que um rio cheio de piranhas…
          Como a ponte ruiu, nós que somos jacarés, vamos nadar de costas… né nom ??? r>…..s>……r>……s>…

          • João Pereira

            Oopa, Henry! Como vai?

            Sobre “Ping Pong de boleto”: nunca usei desse recurso! No meu caso, o acúmulo de milhas sempre se deu à partir da Livelo, onde eu administrava diversas contas da família no Clube 20K (com o consentimento de cada um deles).

            Quando surgiam as compras promocionais de pontos, eu não perdia a oportunidade, “caía pra dentro” comprando o máximo possível e repetia o processo em todas as contas sob minha responsabilidade.

            Aí era só aguardar as promoções de transferências das aéreas, sempre resultando em operações muito lucrativas.

            Nenhuma novidade nisso … Era o que muitos brasileiros vinham fazendo, apesar do grande número de críticos dessa atividade.

            E também nunca acumulei milhas para viajar. A minha finalidade sempre foi ganhar dinheiro, fazer corretagem, arbitragem, enfim, atuava como milheiro tendo em vista lucrar com a atividade, para o desespero e desprezo dos MILHEIROS VIAJANTES! kkk

            Foi um período bastante interessante (que já dou por encerrado).

            Exigiu muito do meu tempo, mas foi válida a experiência, pois o objetivo foi plenamente atingido: ganhar dinheiro.

            Agora é partir pra outra … Minhas últimas vendas foram agora recentemente, em Março (limpei o estoque que tinha na Gol), pela Hot Milhas …

            Aaah!

            Hot Milhas pediu água!

            Propôs pagar o que me deve (e provavelmente para todo mundo nessa mesma situação) em 6 parcelas: 10% em 5 dias úteis + o restante em 5 iguais à partir de Junho!

            Aceitei! Fazer o quê?

            Mas, se der merda e esses meus créditos com eles “virarem pó”, seguirei com a vida, pois desde o início tinha consciência dos riscos inerentes á atividade.

            E mesmo neste cenário, ainda encerraria as operações com lucro, um bom lucro!

            Enfim, só tenho que agradecer por ter sido “apresentado” ao mundo das milhas, anos atrás! r> …..s> ……r> ……s> …

            Um abraço!

  • Henry

    Bom dia a todos…
    Pra não esquecer a lição que tivemos nos últimos 7 anos aqui no Brasil…

    Milhas é dinheiro do passado, que já entrou no caixa da cia. aérea/programa de fidelidade e que eles já torraram… virou um passivo pra eles…. eu diria que é o meio de aquisição de passagens sem status elite
    Não se esqueçam do arsenal de maldades que eles têm: limitação do número de assentos / “bugs” propositais no site (nossa Delatão/Smiles/TudoAzul jamais fariam isso, né ??) / datas em que eles querem, não necessariamente são as datas que você quer/ou pode…

    Cash é ativo para as empresas…e como tal é tratado… eu diria que é meio de aquisição de passagens com status elite….
    Cash é dinheiro do dia, do momento do desespero e é o dinheiro que a empresa vai buscar com mais necessidade pra tocar o momento..
    E esse dinheiro não tem enrolação ou arsenal de maldades: é toma lá, da cá… é emissão imediata, geral e irrestrita…

    O vírus chinês não vai mudar a forma como os gestores nos tratarão daqui pra frente…
    Quem é correto, continuará correto… quem é “Angelin”, continuará “Angelin”… ou seja, desonesto, mentiroso e enganador…
    O vírus chinês ou vai “matar” alguma/algumas dessas empresas, ou, se elas sobreviverem, farão as mesmas coisas que sempre fizeram..

    Só pra não to forget disso… tá bom ??

  • juan bautista

    Numa crise, sem precedentes , até o cash desvaloriza.
    Tivemos petróleo negativo essa semana.
    Até ouro desvalorizou.
    Isso é a vida. Antes do coronga vai me dizer que todo mundo tinha dinheiro em que? Cdi?
    Ninguém tinha nada lastreado em índice Bovespa por ex?
    Todos perderam. Aéreas, CNPJ pequeno e grande, CPF’s.
    Os únicos que seguem a vida mais ricos são sempre os mesmos funcionários públicos e a casta dos políticos. Por que, de resto, ninguém salvou. Seja com milha ponto ou dinheiro

    • Henry

      Negativo…
      O cash pode até desvalorizar… mas será o que vai desvalorizar menos…(claro, que produtos pra pandemia são ativos mais atraentes, assim como alimentos em geral…)
      Se vc for no mercado, vai pagar com o que ?? com milhas, com petróleo ?? Com ouro ??
      Claro que não.. vai usar dinheiro….
      Veja, as ações da Netflix estão subindo dia a dia.. já valorizaram mais de 40% desde o vírus chinês…
      Mas, no mundo real, ainda usamos dinheiro…cash…ou o equivalente a ele, que é um cartão de débito / crédito (este, vai usar teu saldo depois…)
      Então, na crise alguns poucos ganham sim… como os que vc citou… e outros tb… que têm informações privilegiadas e recursos sobrando pra comprar ativos a preço de galinha morta…)
      Ontem nos EUA estavam pagando US$ 37.00 pra vc levar barril de petróleo, porque eles não tem mais onde estocar…
      E aí, é que entra a pergunta:
      Com essa economia toda esculhambada, sem horizonte nos próximos meses, e com o perigo das instituições e o caos vir daqui a uns meses, a galera tá preocupada com viagens ???
      Sinceramente, estou mais preocupado em manter a família sadia, o status quo (ou perder pouco), o ensino do meu filho (9º ano), e manter o meu “castelo” intocado….

      • juan bautista

        Sr Henry

        Estamos fora de sintonia. Vc está falando de Um cenário apocaliptico, onde qualquer economia será afetada em colapso TOTAL , com falta de dinheiro para alimentos e itens básicos. Se vc está pensando dessa forma, sugiro não só as medidas que vc está tomando assim como outras como comprar uma arma, se já não tiver, e se isolar em algum local do interior ai , onde poderá se abster do mundo acabando.

        Créio que todos que leem este tipo de blog, e ainda vem perder ou ganhar seu tempo aqui comentando, tem o mínimo de inteligência financeira , acadêmica e etc.

        Se uma pessoa que eh “milheiro” não tem uma reserva financeira para se segurar por 6 meses, está no investimento e mundo errado. Tem que voltar para a 1 série e aprender tudo de novo.

        Assim como todos os investimentos , aqui existem riscos e benesses.
        Quem não perdeu em Bovespa esse mês?
        Quem.nao viu seu poder de compra , em moeda forte, se esfacelar?
        Quem não percebeu o aumento dos preços dos mercados?
        Até a rappi, por onde faço todas minhas compras embutiuuma “taxa de servico” de 9% para pedidos de supermercado. Se for pensar assom, perdi meu poder de compra em 9% tambem em um mes…..
        Enfim. Cada um sabe aonde a corda aperta.

        • Henry

          Não é um cenário apocalíptico, mas sim um cenário real.. e que já está acontecendo…
          Não se trata de ter uma reserva para se segurar por 6 meses.. porque, passados os 6 meses, caso a pessoa perca o emprego e/ou tenha uma redução significativa de salário, vai fazer o que ???
          Veja… quem tem filhos no colégio, tem prestações mensais pra pagar para além de 6 meses… agora, some a isto curso de inglês, robótica, dinheiro pra lanchinho, transportes etc etc…
          Tb tem contas de água, luz, telefonia/internet, tv por assinatura… alguns têm prestação do carro, casa…
          Ah… temos que se alimentar tb… e, caso a pessoa perca o emprego, terá uma nova despesa: plano de saúde…
          Enfim… HOJE nós temos que investir tempo para descobrir formas de sermos criativos em termos de equilibrar despesas daqui a 6 meses, caso a economia desande…
          Veja que não estamos apenas diante de uma pandemia do vírus chinês… longe de ser controlada/entendida/combatida de forma eficaz…
          Existe uma guerra comercial / política entre EUA / China.. e mesmo entre EUA e o resto do mundo…
          Nos EUA, é ano de eleição presidencial…
          Assim como o Brasil, desde 2019, estamos em ano eleitoral pra presidente também…aliás, nossas eleições duram 4 anos…os caras são eleitos, diplomados, empossados e 10 segundos depois já estão pensando na próxima eleição.. esquecendo que neste meio tempo tem uma gestão pra tocar…
          Não é tempo pra criarmos alarmismos, mas também não é tempo pra dar uma de Alice no país das maravilhas..
          Como vovô Tancredo sempre falava: “.. caldo de galinha e prudência, não fazem mal a ninguém….” ( exceto pras galinhas….)

  • Edimar Eustaquio

    Sinceramente e uma matéria muito ridícula, voce nao ganha dinheiro quando deixa de gastar, também nao sou a favor de manter nos clubes pagando para obter milhas, porque isso ficou inviável. Neste post so faltou falar para a pessoa morrer, pra nao gastar.

  • Ferreira

    Muito bom o post! Ótimos comentários. Acho que a turma está esperando um retorno rápido dos vôos e condições de turismo, e não é o que especialistas em vírus estão predizendo. Eu acho que vai ser difícil o retorno, mesmo após a vacina – cada país com suas regras, ondas de lockdown, falências dando insegurança de adquirir hospedagens e bilhetes com antecedência, etc. De forma que cancelei todos os clubes desde o mês passado, e agora me vejo com 2000K de milhas que vão depreciar e dificilmente gerarão benefícios para mim. Já me conformei com um mundo novo sem milhas, janeiro é passado, acabou.

  • Carlos

    Excelente! Obrigado pelo artigo!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×