Os devastadores efeitos da crise do coronav?rus sobre os apps de pagamentos (Mercado Pago, RecargaPay, PicPay, Ame Digital etc.)

A caixa de coment?rios sobre a recomenda??o de parar de gastar dinheiro com juros e tarifas de apps de pagamento de contas (post aqui), juntamente com outros dados que coletei por pesquisa pr?pria, est?o revelando, aos poucos, a avassaladora destrui??o, ainda que silenciosa, da crise do coronav?rus sobre muitos servi?os oferecidos pelos apps de pagamentos.

Os efeitos est?o sendo devastadores para os clientes, acostumados a obter descontos em pagamentos via QR Code, isen??o de tarifas em pagamentos de contas, limites at? ent?o razo?veis para transfer?ncia de dinheiro entre contas etc.

Eis o que sabemos at? agora (agrade?o ao Swine pela compila??o! se essa lista tiver algum erro, corrijam nos coment?rios):

  • Descontos no Madero, Giraffas, Droga Raia etc., para pagamentos com QR Code, simplesmente desapareceram do app do Mercado Pago;
  • RecargaPay diminuiu para R$ 500 a franquia isenta de pagamentos de contas no cart?o de cr?dito (e segundo o leitor Renan postou, est?o cobrando tarifa para pagamento de boletos de bancos digitais, independentemente do valor);
  • PicPay: franquia de R$ 800 por m?s (via transfer?ncia para outra conta – e acabaram-se os cashbacks que apareciam de vez em quando);
  • Iti: 10 transfer?ncias de at? R$ 500 (cart?es n?o-Ita?) a R$ 1.000 (cart?es Ita?);
  • Ame Digital: franquia de R$ 1.500 por m?s, mas somente contas de consumo.

Conclus?o

Se as empresas com faturamento na casa dos milh?es de reais (pelo menos no per?odo pr?-crise), est?o enxugando gastos, por qu? voc? daria uma de teimoso e continuaria aumentando os gastos como se n?o houvesse amanh??

N?o faz sentido.

Em momentos de crise, devemos adotar posturas mais defensivas. Ou seja, cortar gastos. Assim como as empresas est?o fazendo. Capisce?