Reduza ao máximo os gastos com anuidades de cartões de crédito

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Estamos vivendo o início de uma crise econômica, que pode deflagrar para uma recessão de alguns meses ou uma depressão econômica de alguns anos. Só no futuro, ao olharmos para trás, é que teremos a exata noção do tamanho da destruição econômica que a pandemia está causando.

Dentro desse contexto, a ordem é uma só: corte drasticamente seus gastos com anuidades de cartões de crédito. Principalmente para aqueles que perderam ou estão em vias de perder seus empregos ou sofrerem substancial redução em seus salários, o negócio não é acumular mais benefícios de viagens ou pontos e milhas: o negócio é diminuir o rombo financeiro em seu orçamento doméstico, cortando despesas que por ora não fazem sentido. E anuidades de cartão parecem ter pouca importância num momento onde a prioridade é ter dinheiro para comprar comida.

Mesmo para aqueles que vão sofrer menos os impactos dessa crise, é hora de reavaliar os gastos com anuidades, que não devem ser vistas apenas em função da fração mensal do débito, mas sim levando-se em conta seu custo cheio anual.

R$ 125 por mês pode não fazer muita diferença no seu bolso, mas e R$ 1.500 por ano!? É mais que um salário mínimo. Vale a pena manter esse gasto?

Outra questão também é que, com os fechamentos temporários de diversas salas VIP no Brasil e no mundo, bem como na diminuição drástica de viagens programadas pelos próximos 12 meses, que algumas pessoas se propuseram a fazer, é de se refletir se vale a pena manter o cartão de crédito apenas para ter acesso às salas VIP.

Você pode cancelar agora, no momento em que a previsão de uso dessas salas é ZERO, e recontratar novamente depois, caso haja necessidade ou previsão de volta do uso desses serviços.

A questão da pontuação sofrível também é outro item a ser avaliado. Se com o dólar a R$ 4 já estava difícil acumular algumas migalhas de pontos, agora com o dólar a R$ 5 vai ficar pior ainda. E, para completar a tempestade perfeita, até as empresas de comércio de milhas estão com problemas para pagar os vendedores de milhas, tornando realmente pouco útil tentar acumular migalhas de milhas nesse momento em que a prioridade é tentar poupar algum dinheiro.

Conclusão

Enfim, reduza ao máximo os gastos com anuidades de cartões de crédito, e priorize aqueles cartões com isenção de anuidade ou aqueles em que você consiga isenção total de anuidade. Depois, quando a crise passar, e seu ritmo normal de viagens se restabelecer, você pode, querendo, voltar a contratar esses serviços.

Tagged as:
  • Eduardo Gonçalves

    Neste momento faz mais sentido ter cartão com Cashback e sem anuidade.

    • Flavio

      Cartão meliuz do banco Pan, se enquadra no que vc disse…

      • Eduardo Gonçalves

        Fala Flávio, já possuo o Meliuz a 4 meses, combinando alguns Cashback de 10% na Amazon (já peguei), pode-se alcançar 11,8% no total.

      • Ou Mooba também do banco Pan com 1% fixo para qualquer estabelecimento.

  • Eliana Rocha

    Cartões American Express com isenção de anuidade WhatsApp 11 99439-7649 – Consultora Eliana Rocha

    • Afonso Leibanti

      Pessoal, cartão se faz com o emissor, não com terceiros, não deixem dados pessoais e financeiros por aí, peçam via central de atendimento Bradesco.

  • Emanuel Soares

    OFF TOPIC: Pessoal, Latam mudou a quantidade de trechos para obter status Platinum de 30 para 45. Na surdina, como sempre…

  • davidalben

    Santander aproveitou o momento para aumentar o gasto mínimo para isenção da parcela de anuidade do Master Black de R$ 5.000,00 para R$ 7.000,00. Quem é Select ainda tem 50% de desconto, mas esse é um dos cartões que está na mira da minha tesoura.

    • SwineOne

      Já foi postado aqui há uns dias.

  • Fábio Wagner

    Um amigo meu ligou para cancelar um cartão dele que cobrava uma pequena anuidade (cerca de R$200). Pois vejam só, a atendente ofereceu um ano de isenção de anuidade e ainda o crédito das 11 parcelas que já haviam sido cobradas da anuidade anterior como crédito na próxima fatura.

    • Henry

      Assim dá uma melhorada… se o cartão/banco se oferece a devolver anuidade é sinal de que o alerta do Guilherme fez, de que dinheiro é a “milha do momento”, uma milha valorizada, é a coisa certa..
      E como o Henry tinha brincado, posto uma pequena imagem para nós consumidores que tenham recursos possam se sentir um pouquinho mais poderosos:

      MINHA VEZ

      https://uploads.disquscdn.com/images/40518e413e12410edbf0ae2dc6919a4cec88192b982435d6832767ee6ad6ecff.jpg

      “E num é ????” (TM)

      (TM) By Bia dos Três Mosqueteiros…

    • SwineOne

      Pois é, pode ser que na hora de cancelar o cartão, aposto que vários bancos vão oferecer anuidade grátis.

  • SwineOne

    Não só esses, mas principalmente os clubes de milhas. Não lembro se aqui no site já foi feita a recomendação.

    Particularmente, estou apenas com o Clube TudoAzul 2.000, adquirido na promoção em que totalizava 48.000 pontos/ano, porque estava com uma necessidade de viagens frequentes de/para Campinas, a qual deve se reestabelecer a partir do próximo mês, se não houverem novas prorrogações da quarentena.

    Quanto ao conselho do Guilherme, não vou precisar segui-lo. Devo estar na contra-mão de muitos leitores aqui, mas até o começo desse ano, possuía apenas dois cartões, Santander Unique e Santander Reward (cashback). Nunca paguei anuidade do Unique, por sempre atingir o gasto mínimo, e do Reward, após ficar um certo tempo sem usar, pararam de cobrar a anuidade, então estou mantendo o cartão, mas caso venha a cobrar, será cancelado no mesmo instante.

    Pessoalmente, para mim os R$ 7.000 para não pagar anuidade ainda não estão sendo um impedimento a manter o cartão. Com apps de pagamento de boletos e agora o iti, para mim não há dificuldade em continuar atingindo a meta de gastos mensais. Mas se a situação mudar, vou repensar.

    Só esse ano que, justamente por conta das viagens de/para Campinas, adquiri o Itaucard TudoAzul Platinum para subir de categoria no TudoAzul e ter acesso às 2 bagagens grátis, que é um benefício que vou usar sempre, e exigiriam pagamento a cada viagem se não tivesse o cartão. Havia também uma merrequinha de pontos bônus com metas de gasto durante os 3 primeiros meses, mas não influenciaram para mim na aquisição, foi só um bem-vindo bônus mesmo. Preciso gastar R$ 4.000 por mês para ficar livre de anuidade, o que é factível com as compras normais associadas ao iti. Vale notar que, se o objetivo é acumular pontos TudoAzul, está melhor acumular a 2,2 pontos/R$ no cartão cobranded do que acumular a 2 pontos/R$ no Esfera, já que nunca há promoções de bônus. Na verdade, só me mantenho no Santander com o objetivo de mandar para a Iberia — se a parceria acabar ou desvalorizar, adeus Santander.

  • SwineOne

    Off-topic: dei um pulinho no site do Esfera e vi que agora eles também estão vendendo pontos, na base de R$ 70/1.000 pontos. Alguém já tinha visto isso? É o preço “padrão”, embora na prática desconheça quem tenha coragem de pagar esse preço cheio, mesmo em pontos Livelo que tem frequentes bônus de transferência; exceto talvez se faltarem só 1.000 pontos para completar uma emissão e não der para conseguir de nenhuma outra forma. Quando será que veremos venda de pontos Esfera com 40, 50% de desconto como faz o Livelo?

    • Henrique P. P.

      Vi isso também e acho difícil descontos da ordem de 40%, tal qual a Livelo. Porém cerca de 30%, saindo próximo ao que cobram na opção pontos + dinheiro, aí acho que talvez uma ou outra vez por ano pode ser que ocorra. Mas o melhor mesmo seria o clube Esfera. Esse será que sai algum dia? Abs.

      • Henrique P. P.

        E não é que foi só falar que eles fizeram. Pena que veio só os 30% que eu havia chutado. Deveria ser 40 ou mais. Vale um post né Guilherme?

    • Carlos E. Araujo

      Tao sim. E alem disso, estao dando a opcao de usar pontos + dinheiro tbm, tal qual como o livelo, porém um pouco pior pq a opção é engessada. Não tem varias opcoes como no livelo.

  • Leandro Romero

    A dificuldade é quando você tem uma grande quantidade de milhas no cartão , eu não pago anuidade no Porto VI por conta dos gastos , só estou esperando uma oportunidade de transferir , mas ai também transferir para que na atual conjuntura ?Bom caso eu transfira e se continuarem a exigir o gasto mínimo vou ceifar o cartão da carteira porque agora infelizmente nem os 10 acessos da sala VIP vai dar para usar por um bom tempo .

  • Marcos C Rodrigues

    Uma precaução que acho importante num momento de tanta incerteza econômica, é tentar manter o crédito que foi conquistado nos cartões! Cancelar um cartão, significa abrir mão desse crédito, que pode ser útil agora. Liguei pra tentar uma negociação com os cartões Porto Seguro (tenho o Master Black e o Visa Infinite) e eles sugeriram um dowgrade para cartões Platinum, com 6 meses de anuidade grátis). Daqui 6 meses, basta solicitar o upgrade, se for o interesse e, caso o Score esteja saudável, é tranquilo de obter. Ou então, basta cancelar em 6 meses!

    • Beto

      É uma pergunta pessoal, mas qual a vantagem de manter o Porto Master e Visa? Considerando que as taxas de isenção são separadas (a menos que seja isento por investimento).

      • Marcos C Rodrigues

        Oi Beto, ele deram isenção de 6 meses junto com o downgrade dos cartões. Eu aceitei ter 2 cartões “mais simples” por 6 meses, com isenção total de tarifa! Mas preservei R$ 80 mil de crédito (R$ 40 mil em cada) para o caso de precisar usar nesses próximos meses de dificuldade. Mantive ativos outros cartões com isenção de anuidade (AMEX TPC, Bradesco VI e C6 Carbon).

  • SwineOne

    E agora um relato de picaretagem das famosas promoções “x pontos Livelo/Multiplus/Azul por R$” que o varejo costuma fazer.

    Está vigente (30 e 31/03) uma promoção de 5 pontos Livelo/R$ nas Casas Bahia. Vi um produto que me interessou, de valor relativamente alto, fiz as contas de quanto valeriam os pontos, decidi que iria comprar. Li o regulamento, aparentemente vale para qualquer produto vendido e entregue pelas Casas Bahia e pago no cartão de crédito.

    Acontece que eu sou macaco velho. Já deixei de receber 50 ou 60 mil pontos Multiplus numa promoção do Ponto Frio (longa história, fui logrado pela atendente do televendas que funcionaria comprando por lá também, ela até narrou todos os passos que ela fez para garantir o crédito dos meus pontos, mas nunca recebi). Então, escolhi um produto barato, vendido e entregue pelas Casas Bahia, com frete grátis, que nem me interessa, para ser boi de piranha. Se aparecesse a pontuação correta no final do processo de compra, eu repetiria a compra com o produto que eu realmente quero.

    Comecei limpando os cookies do navegador, e acessei o link indicado para fazer a compra. Localizei o produto barato, conferi que é vendido e entregue pelas Casas Bahia, e dei sequência no processo de compra. Após o pagamento, adivinha se apareceu alguma pontuação? Não apareceu NADA da Livelo.

    Agora estou no telefone há 20 minutos para cancelar esta compra, pois obviamente eles não dão a opção de cancelamento pelo site.

    Francamente: é muita picaretagem desses sites. A justiça deveria aplicar pesadíssimas multas para quem engambela o consumidor dessa forma.

    • SwineOne

      Terminei a ligação e consegui cancelar a compra. Detalhe: em um raro caso de sincericídio, o atendente me disse que eu não sou a primeira pessoa que reclama desse crédito dos pontos Livelo hoje.

    • Fábio Wagner

      Infelizmente esta sua situação já aconteceu comigo e com outros conhecidos. Atualmente pelo que já vivenciei, mapeei 3 possíveis possibilidades nestas promoções de varejistas e companhias aéreas.
      1) A pontuação somente será concedida apertando um maldito botão após a confirmação do pagamento. Este modelo geralmente é aplicado nas lojas da Via Varejo (Casas Bahia, Ponto Frio e Extra). Já tive problemas com esse maldito botão comprando numa promoção da TudoAzul e também com a própria Livelo. Se o botão não apareceu pra você, sugiro logo cancelar o pedido, pois em 99,45% das vezes não tem como a pontuação entrar.
      2) A pontuação aparece somente no carrinho de compras (promoções Multiplus com a Netshoes, por exemplo, ou Livelo com a Submarino Viagens). Neste caso um print da tela final deveria resolver qualquer questão de não pontuação.
      3) A pontuação simplesmente não aparece em lugar nenhum, nem na página do produto, nem no carrinho e nem após a confirmação do pagamento. Nestes casos a única coisa que resolve é você gravar todo o processo de compra, desde o momento que você acessa o “hotsite da promoção”, onde explicitamente está descrito que você ganhará X pontos por R$.

      Chega a ser inacreditável que o próprio cliente tenha que ter todo esse controle, pois deveria ser um “agrado” ao cliente final e não uma incomodação, mas é incrível a quantidade de problemas que acontecem nestas promoções. Na minha visão o mais justo seria a possibilidade 2), pois nesta está explícito que tal pontuação será creditada. Ah, fora isso tem a questão do regulamento da promoção que muda de promoção em promoção: em algumas você receberá os pontos X dias depois de aprovado o pagamento, em outras Y dias depois de ter recebido o produto e em outras Z dias depois do check-out, geralmente o caso do Submarino Viagens.

      Recentemente na possibilidade 3), fiz uma compra de R$6.000 na Centauro pontuando 10:1 Livelo que não creditou após a data limite. Outra compra de R$2.400, feita na mesma data, pontuou normalmente. Entrei no chat da Livelo perguntando a respeito dos pontos da compra de valor maior, e abriram um chamado interno. Três dias depois a pontuação foi creditada. Essa situação é rara, pois geralmente começam a te pedir inúmeras informações. Tenho pedidos que fiz há 1 ano na Shoptime pontuando TudoAzul, que chegam a solicitar a NF da compra, como se eles não poderiam tratar este tipo de informação diretamente com o varejista! E tudo isso para no fim me dizerem que não acessei o site corretamente e como eu não tinha mais nenhuma prova (de junho de 2019 para cá eu faço o vídeo da compra), a pontuação não seria creditada!

      • SwineOne

        Pois é, no meu caso dos 50-60 mil pontos Multiplus, eu gravei um áudio a partir de um certo momento da conversa, onde eu pergunto e a atendente garante, várias vezes, que está fazendo tudo certo, que os pontos serão creditados. Quando contatei a empresa (Ponto Frio), eles simplesmente mandaram eu catar coquinho. Se tivesse saco, teria levado para a justiça. Ao invés disso, deixei de comprar por muito tempo no Ponto Frio (sei que as Casas Bahia são do mesmo grupo). Era pra ser uma promoção para cativar o cliente, e ao invés disso, me transformou em praticamente um inimigo. Bela estratégia de fidelizar o cliente.

        • Fábio Wagner

          É o que eu sempre falo, o pessoal se esforça em “ser bom em ser ruim”.

    • SwineOne

      Atualização: parece que acertaram o sistema e voltou a pontuar. Decidi correr o risco e apareceram as telas de pontuação. Vamos ver se creditam mesmo.

  • Marcio Correa

    Então pessoal. Vivemos tempos inimagináveis, quem diria.
    Eu, particularmente, no “alto” dos meus 62 anos, já tenho uma reserva financeira que permite certo conforto. Não muito, mas o suficiente.
    Não possuo nenhum cartão que cobra anuidade, mas cancelei meu clube tudo azul, que só fiz por que estava no desafio diamante, e ajudava nos pontos qualificáveis. Como trabalho “terceirizado”, meu contrato foi “suspenso” até as coisas voltarem ao normal, ou seja, só tenho renda da minha aposentadoria privada, investimento que devo “assessoria” ao meu saudoso pai, a do Governo ainda não faço “por merecer”.
    Enfim, realmente é hora de cortar estes gastos “desnecessários”.
    No mais, saúde e paz a todas(os).
    Se cuidem, por favor!

    • Henry

      Calma concidadão …
      Se não vc acaba cancelando o título do Club Português também…..
      Esse vale muito a pena… é igual Rexona: “não te abandona….” rsrs

      • Marcio Correa

        Nem tanto caro patrício, cancelar o título do glorioso Vitoria de Setúbal, ai já é demais.

  • assolini

    Hora de aposentar o cartão preto, que no momento, tem pontuado pouco com essa subida do dólar. Além dos fatores listados, deixe-me adicionar mais um a lista: fim do QR gratuito do Mercado Pago. Com isso muita gente não vai mais conseguir “inflar” as faturas…
    Depois do tsunami da pandemia e o do mar de cancelamentos, acredito que os emissores devem lançar promoções agressivas, com bônus de adesão, etc.
    Faça um favor pra você e pro seu banco: cancele seu cartão preto.

    Em tempos de dólar alto, feliz quem tem o cartão Pão de Açucar que pontua em real. Aproveitem enquanto ele existe.

  • Luiz De Freitas

    … Nem sempre a estratégia de “earn & burn” é a mais adequada, depende da situação e de como se analisa o caso. Os saldos de pontos e milhas (cotadas em dolares/euros) sofreram uma dupla valorização (medida em Reais) em 90 dias: 1) pela desvalorização do Real; 2) pela redução do valor de resgate ou pagamento (para datas futuras distantes) de passagens ou diárias de hotéis!

    Mesmo pagando tarifas ao se pagar boletos no cartão de crédito, às vezes até equivalentes ao valor (em dólares/euros) das milhas “ganhas”, entretanto, cada uma dessas operações pode ser encarada como uma poupança em moeda forte que não só manteve como até mesmo sofreu valorização em seu poder de compra. Por outro lado os investimentos atrelados ao Real sofreram desvalorização próxima a 20%.

    De certa forma mesmo pagando “caro” é conveniente sempre se ir juntando moeda forte até mesmo na compra de um pãozinho francês, motivo pelo qual acho mais seguro sempre manter os cartões de crédito que rendem 2 ou mais pontos/USD e rodar boletos para atingir as metas mínimas para conseguir a isenção de tarifas, pois afinal até a manutenção da isenção rende pontos, ou seja, moeda forte.

    Certa ocasião tive a oportunidade de conversar com um passageiro, de meia idade, no lounge da British Airways em LHR, residente na Austrália, que contou-me ser detentor de 2,5 milhões de milhas da QANTAS … se considerarmos um valor de 1 centavos de euro por cada milha o patrimônio acumulado seria por volta de 25000 Euros. Também o autor do blog “Head for Points” confessou possuir na conta família da Birtish Airways cerca de 6 milhões de Avios. Não creio que essas pessoas sejam ingenuas razão pela qual acredito ser importante refletir sobre esses fatos.

    Recomendo o livro: “The Art of Contrary Thinking” de Humphrey B. Neill …

    • Henry

      A estratégia do “earn & burn” está intimamente ligada ao conceito de fidelidade…
      Por que surgiu essa estratégia ???
      Porque alguns programas “ácidos”, (isto é, meio chegados a uma laranjinha… localizou ???), andaram fazendo “desvalorização acentuada de milhas” / “extermínio em massa do poder de compra” dessas milhas…
      Nós vimos nos últimos 7 anos a tática desses programas de usar “marketing” de captura, para vender suas milhas, e com o dinheiro da venda, desviar esses recursos para a cia. aérea que é a dona/acionista (ou que faz parte da cia. aérea) do programa de fidelidade…
      E na hora em que o usuário do programa ia utilizá-lo, os programas tinham/têm um arsenal de maldades para mitigar as emissões… sacanagens do tipo: aumento da tabela de resgates (sem aviso prévio decente) e/ou adoção de “tabela flexível” (isso é o máximo da enganação) / limitação do número de assentos incompatível com o volume de vendas de milhas / “bugs” (propositais) nos programas de emissão de passagens com milhas / cobrança de taxas extras para emissão, like “taxa de combustível” ou “taxa da cia. aérea” ou “taxa de conveniência/utilização”… em termos práticos, vc combina esses fatores e muitas vezes sai muito mais barato vc emitir uma passagem cash…
      E o cúmulo da picaretagem: a criação do Viaje Fácil, que é uma mão na roda para o infiel e um chute no saco (ou um tapa nos seios… meninas desculpem pela comparação…) do associado fiel, que está sempre enviando/acumulando milhas… porque AMBOS podem disputar eventuais promoções de emissões, quase sempre lançadas em períodos em que a cia. aérea precisa de dinheiro e quer turbinar a venda de milhas… aí, lançam promoções de emissões..
      O cara que não tem milhas vai lá, emite sem saldo e depois fica esperando uma promoção de bônus pra enviar os pontos e quitar a passagem… já o fiel otário, que enviou as milhas antes, não tem nenhuma benefício e/ou prioridade sobre o infiel.. AMBOS disputam o mesmo assento, quando pelo conceito de FIDELIDADE, apenas quem tem o saldo deveria poder emitir…
      Ou seja, pra que vc vai deixar suas milhas num programa que te trata desta maneira ??
      Já programas sérios, decentes, honestos e que te avisam com anos-luz eventuais mudanças, LIKE o Executive Club, e que ainda por cima, além de suas milhas não sofrerem poder de compra, também tem o valor de sua milha atrelada a uma moeda forte (no caso, US$ mesmo… embora o programa seja britânico, as operações de compra de milhas na opção milhas+money, são cobradas em US$)…
      Então, se a pessoa tem alguma condição de ter saldo de milhas em programas que reconhecem sua fidelidade, efetivamente ter saldo lá é excelente e vc não precisa usar a estratégia do earn and burn…
      Mas, como são programas em que o envio tem um custo de moeda forte, o que se tem que destacar é o timing que vc vai enviar seus pontos pra lá, para eles virarem milhas/ávios/pontos e, a partir daí, vc um dia usufruir..
      Eu enviei pontos para os programas Executive Club (via Iberia e saldo do Superbônus do Santander, gerados com ping pong de boletos) com um custo quase zerado, porque a cotação do dólar para acumular os pontos no cartão estava baixa (comparada com valores atuais), valor médio de R$ 2,25… e ainda por cima, foram gerados nos áureos tempos do “ping pong”(TM) de boletos…
      Mesma coisa foram pontos enviados para o Le Club…
      Além disso eu comprei, via cartão de crédito, pontos no IHG para hospedagem, com dólar a US$ 2,75, ainda por cima com bônus de 100%…
      Também comprei muitas milhas na Usair, usando a opção “share”, que bonificava 100% em milhas… com isso o custo médio da milha ficou em US$ 0,001125… fiz isso acreditando que a incorporação com a AA iria levar todas essas milhas para o AAdvantage.. o que efetivamente ocorreu…
      Então, hoje eu ainda tenho um saldo razoável em milhas/pontos em programas estrangeiros, e considerando o valor do dólar quando eu enviei e o valor de hoje, e MAIS IMPORTANTE, que os programas não desvalorizaram o valor das milhas/pontos na hora de usar, eu me dei bem…
      Mas.. hoje, considerando o valor do dólar, não acho que seja negócio priorizar acumular milhas e pontos em nenhum desses programas, a menos, é claro, que a pessoa descubra alguma maneira/truque/pulo do gato de fazer isso com custo reduzido… e também a necessidade de realmente ter que viajar.. aí, é uma questão de ter um prejuízo menor..
      Como exemplo, citamos o caso da pessoa ter que se hospedar na Europa, onde a rede Le Club tem custo / benefício bom….
      Se pagar cash, o euro vai sair a ATÉ R$ 6,50, considerando dólar do seu cartão + IOF…
      Se fizer macete usando o Smiles pra enviar pro Le Club, talvez se consiga enviar esse “euro hotel Le Club” por algo em torno de R$ 4,00 / R$ 4,50..
      Mas.. não se esqueça que pagamento cash sempre tem um desconto em euros… mas acho que usar pontos com o euro na faixa de R$ 4,25 seja mais barato sim…
      Mas.. veja que, estamos numa situação sem precedentes na história da humanidade em termos de globalização / turismo…
      O vírus chinês acabou gerando uma guerra, em que a primeira vítima, é a informação..
      Na dúvida, nós estamos seguindo as orientações dos “técnicos” da saúde e ficando na quarentena…
      E não sabemos como o setor do turismo estará daqui a alguns meses…
      Nós sabemos que cias. aéreas SEMPRE foram muito problemáticas em termos de sobrevivência.. isso com o mercado normal..
      Agora, imagina isso com essa situação sem precedentes…
      Então, as minhas milhas / pontos em moedas fortes, pode, daqui a alguns meses, estar depositados em empresas fracas, ou mesmo empresas falidas
      Então, hoje, eu já tinha auto adotado a orientação do Guilherme de acumular moeda… saldo no banco.. corta custos…

      • Henry

        Só pra vc ter idéia: em dez/2012, eu emiti 6 passagens Rio x MCO, ao custo de 25k cada trecho/pessoa no Executive Club…
        Hoje, decorridos 7 anos, o mesmo trecho custa 27.5k e note que eles avisaram com quase 18 meses de antecedência o aumento…
        Isso sim é programa decente…

        • Luiz De Freitas

          … seu comentário, em linhas gerais, referenda o que escrevi acima … não acredito ser bom fazer poupança em moeda fraca (Reais e pontos de cias nacionais) … para essas moedas sim vale o ditado “earn & burn” pois fatalmente haverá um aumento de preços no BR em razão do aumento da cotação do dólar … até mesmo a moeda do “povo” de DUBAI (a elite de DUBAI poupa em dólares, euros, etc) sofreu desvalorização! … quanto aos programas de “fidelidade” nacionais também os utilizo majoritariamente para voos nacionais … são bons trampolins para o LE CLUB razão pela qual desisti de vociferar contra eles …

  • Henry

    Uma palavra aos amigos e amidas daqui do site, antes de fazer algo mais perigoso do que circular em época de Corona Vírus: voltar para casa, passando pela Linha Vermelha… rsrs
    Pois bem…. já que estamos falando de Corona, uma informação importante para vcs não entrarem em parafuso…
    Nos próximos dias veremos um aumento imenso do número de mortos e o crescimento da taxa de letalidade
    O número de mortos é algo triste e irreversível para as famílias dessas pessoas… a elas todos devemos nossas condolências e sentimentos…
    O número de mortos por Corona Vírus é algo que é quase que 100% perceptível, porque as pessoas que hoje estão morrendo por mortes não violentas, estão quase todas elas sendo testadas para o Corona.. então, se alguém morre e realmente tem o Corona, ela é testada e, óbvio, dá positivo…
    Já o número de infectados é um número que não é plenamente perceptível e não é corretamente medido.. para isso teríamos que testar 100% da população, porque, muitas pessoas que têm o Corona Vírus, são assintomáticas.. e, mesmos as que são assintomáticas, a imensa maioria não é testada porque não se tem ainda testes para todas elas.. quando ocorrer a disponibilização dos testes, a pessoa já curou e não será mais testadas…
    Mas.. aquelas que estão com a doença e que estão piorando, estas, infelizmente morrerão e entrarão nas estatísticas…
    Então, de um lado cresce em níveis exponenciais o número de infectados reais, mas não cresce o número de infectados confirmados…
    De outro lado cresce o número de mortos, que são 100% testados e confirmados..
    Aí, cada dia daqui pra frente que se medir o % de letalidade, o índice vai subir assustadoramente, mas isto não significa que a letalidade real está aumentando, apenas a letalidade medida…
    Na Alemanha, eles estão fazendo um esforço sobre humano para medir/testar cada vez mais pessoas, por esse motivo lá a letalidade tem estado bem menor que nos outros países..
    O Brasil tem sido exemplar em termos de tratamento aos doentes… não tem medido esforços, mas não tem priorizado a medição/testagem..
    Então, não se assustem com o aumento do % de letalidade… ele se dará muito mais em função do fato de que não estamos testando todos, aí a amostragem fica comprometida..
    Boa sorte a todos que estão de quarentena e a todos os que, como eu, estarão retornando para casa…

    • SwineOne

      Você tocou num ponto importantíssimo.

      Infelizmente a mídia não tem dado espaço para vozes dissidentes, mesmo quando se tratam dos especialistas do mais alto gabarito, como John Ioannidis (médico, epidemiologista e pesquisador, possivelmente a maior autoridade em metodologia científica da atualidade) ou Peter Gøtzsche (cofundador da Cochrane Collaboration, que publica as revisões sistemáticas que são consideradas o mais alto nível de evidência na medicina). É bem possível, sim, que 1. seja só uma gripezinha e 2. as medidas de quarentena sejam ineficazes, ou mesmo se possivelmente eficazes, tenham sido adotadas tarde demais. Claro que, depois, todos vão falar que os casos caíram graças à quarentena, muito embora cientificamente seja impossível afirmar isso; dá para afirmar separadamente que “houve quarentena” e que “os casos caíram”, mas estabelecer a relação de causalidade dependeria de termos realizado um estudo em escala global, onde pré-determinássemos aleatoriamente (sem dar margem de escolha a cada governo) que metade dos países fizesse quarentena e metade não fizesse.

      Deixo alguns links para reflexão, para que cada um possa formar a sua opinião:

      https://www.statnews.com/2020/03/17/a-fiasco-in-the-making-as-the-coronavirus-pandemic-takes-hold-we-are-making-decisions-without-reliable-data/

      https://www.deadlymedicines.dk/corona-an-epidemic-of-mass-panic/
      https://www.bmj.com/content/368/bmj.m800/rr-1
      https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/eci.13222
      https://www.nature.com/articles/d41586-020-00885-w
      https://swprs.org/a-swiss-doctor-on-covid-19/

      • Srta. D

        Interessante ponto de vista, porém eu sou da opinião de que nem um e nem outro podem estar mais certos ou não com esta situação e nas vindouras (e piores do que esta). Para mim existe uma linha bastante tênue entre o quão realmente podemos nos reinventar enquanto humanidade ou se já estamos na abertura do 5º ou 6º selo.

        Levando em consideração a última situação a única coisa que nos resta e olharmos melhor para dentro de nós e buscarmos o que realmente importa (e não, não é você sobreviver ou torcer para não ficar sem renda), é algo muito maior do que tudo e todos.

  • Pingback: Está na hora de cancelar seus clubes de milhas | Meu Milhão de Milhas()

  • Pingback: Pare de gastar dinheiro com tarifas e juros de pagamento de contas (Pague Contas, PicPay, RecargaPay, MercadoPago etc.) | Meu Milhão de Milhas()

  • Paulo Cezar Tonácio Júnior

    Minha opinião é de ficar parado onde está.

    Claro, quem está com dificuldade financeira , vai ter que fazer cortes até maiores…

    Mas é bom lembrar que cartão de crédito é CRÉDITO na hora da pindaíba. Dá para pagar uma conta e jogar pro mês seguinte, organizar o fluxo de caixa.

    O importante disso TD é ver quão necessária é ter uma reserva. Gostamos de viajar…mas com o aprendizado dessa pandemia, é bom sacrificar algumas viagens para ter uma reserva na emergência

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×