A PRIORIDADE É VOCÊ E SUA FAMÍLIA! Hora de colocar seu cartão de crédito em quarentena

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sigo incansável na missão de orientar e ajudar os leitores – aqui os leitores sempre estarão em primeiro lugar – que estão muito preocupados com viagens canceladas, sonhos adiados e possíveis problemas financeiros à vista, como queda de rendimentos (para os profissionais liberais principalmente) e até iminência de falência (para quem é dono de empresa) ou perda de emprego, caso a crise chegue ao seu ponto extremo de gravidade.

Reforço, como tema central do post de hoje, uma dica que já havia dado em artigos publicados recentemente, de forma inédita e pioneira na blogosfera de pontos e milhas (como aqui e aqui): coloque seu cartão de crédito em quarentena.

Enxugue seu orçamento doméstico.

Corte gastos desnecessários e supérfluos – e corte até gastos necessários, se for preciso para manter a sobrevivência (como eu já disse no meu blog de finanças pessoais e investimentos).

Se você já estiver trabalhando em home office, provavelmente terá alguns custos já diminuídos por conta dessa crise toda, especialmente gastos com transporte: combustível, estacionamento, Uber, metrô, ônibus, passagens aéreas etc.

E, a depender de onde você morar, não terá acesso a gastos com restaurantes, cinemas, bares etc.

Faça mais economias.

Uma crise econômica já está ocorrendo. Negócios estão sendo cancelados, milhões de pessoas perderam ou estão em vias de perder os empregos, outras tantas terão um decréscimo considerável de renda – e isso sem contar nas vítimas fatais dessa pandemia de coronavírus.

Essa crise é diferente das outras mais recentes por vários motivos, e um deles está relacionado à imposição de severas restrições à livre circulação de pessoas e bens, e setores da economia que dependem justamente dessa livre circulação de pessoas – não estou falando apenas do turismo, mas também de outros segmentos da economia, como eventos esportivos, shows artísticos, teatros, lazer em geral, restaurantes e até supermercados etc. – serão atingidos em cheio.

A prioridade número um do momento é garantir a sua integridade física e financeira e a de sua família.

Viagens? Elas podem ser canceladas, e refeitas novamente para o futuro, se for o caso – e se você mantiver sua integridade financeira até lá. Elas não são prioridade no momento.

Promoções de acúmulo de pontos e milhas? Elas podem ser deixadas pra depois, afinal de contas, hoje interessa mais você ter dinheiro na conta do que ter milhas na conta, já que dinheiro, pelo menos, não corre o risco de evaporar se seu programa de fidelidade falir – e pode apostar que algum programa de fidelidade vai sucumbir nessa crise (só espero que não seja Smiles, Latam Pass, Livelo nem Tudo Azul).

Enfim, o mundo das milhas e pontos pode esperar. Sua saúde, sua integridade física, sua integridade financeira, sua integridade emocional e sua integridade psicológica, NÃO. As medidas têm que ser tomadas hoje. Não dá pra adiar. Não dá pra fingir que a crise está ocorrendo – ou só vai ocorrer – com os outros.

Eleja as prioridades certas nesse momento de crise, para depois você não sucumbir diante da falta de dinheiro ou de saúde. VOCÊ E SUA FAMÍLIA DEVEM ESTAR EM PRIMEIRÍSSIMO LUGAR.

Mais cedo ou mais tarde, essa crise vai passar, e todos poderemos retornar à normalidade no mundo das milhas e pontos.

p.s. 1: mais uma vez eu acertei. Ontem, falei que dava como certa a redução dos voos domésticos. E acertei: Latam, Gol e Azul, todas, anunciaram redução nos voos domésticos. Agora é torcer pra que nenhuma delas quebre (pois isso tornaria o mercado ainda mais concentrado), e nem a CVC quebre, apesar do mercado já praticamente precificar uma falência dessa importante empresa para o setor de turismo brasileiro.

p.s. 2: não posso deixar de registrar minha alegria, apesar desse momento de crise, ao saber que o prestigiado leitor SwineOne voltou a habitar a caixa de comentários do blog, sempre com mensagens inteligentes e de altíssimo conteúdo, riqueza e valor. Seja bem-vindo de volta, Swine!

Tagged as:
  • Marcos

    Esse blog é um balsamo no meio de tantos sites que só tumultuam e nada ajudam. Parabéns, Guilherme, pela série de posts que tem abordado de maneira tão lucida a realidade que estamos vivendo. Todos nós temos um apreço enorme por viajar. Eu mesmo pretendia emitir passagens para ir a San Francisco em junho e já abri mão da ideia há alguns dias. É hora de sermos racionais e pensarmos em sociedade, no bem comum. Que tomemos as ações necessárias para passarmos essa crise, ajudando aos outros sempre que possível. E que Deus nos abençõe!

  • SwineOne

    Fazendo uma contribuição relevante a esse assunto: se um dos seus cartões de crédito for o Santander Unique (e possivelmente outros do Santander, quem tiver outros deve checar informações semelhantes), ele é um belo candidato para ser o primeiro a enfrentar o tratamento da tesoura.

    Deu no Falando de Viagem (e eu confirmei no site do Santander) que, nesse momento de crise e redução de gastos, o Santander passará a exigir, a partir de abril, R$ 7.000 de gastos mensais para redução de anuidade (ou isenção para quem tem o pacote Select). Por anos, esse valor foi de R$ 5.000. Somado à promoção de bônus em triplo que minguou (e se voltar a ter, provavelmente virá com metas imbatíveis, especialmente nesse período de crise), e a quase inexistência de promoções de bônus de transferência, vejo que já podemos marcar o enterro desse cartão.

    • Henry

      Desde o momento em que começaram a zonear as metas de compra na campanha como forma disfarçada de acabar com a promoção, até o momento que começaram a reduzir os benefícios, a tesoura já cortou o Unlimited ha muito tempo..
      E veja que era um cartão sem anuidade por conta dos investimentos..
      Mas.. usar um cartão de crédito é um privilégio MEU.. eu uso o cartão onde eu quiser.. eu tenho plena noção de que, ao usar o cartão, tem uma cadeia de agentes financeiros ganhando em cima…
      E esses ganhos estão embutidos no valor da minha compra.. então.. USO onde eu quiser, me der na teia, me der maior retorno ou me der maior satisfação..
      Ah.. as pessoas ficaram horrorizadas com o fato de cortar um UNLIMITED.. que é tão difícil de conseguir..
      Mas, para isso eu falei, educadamente, aquela mesma palavra que o general Heleno falou: F——–
      Não pauto minha vida por dogmas… não existem divindades para mim, que não o próprio Deus em que acredito e a quem sirvo e de quem recebo muitas graças…
      Bancos não são deuses… seus gerentes não são santos…
      Simples assim….

      • HAROLDO AZEVEDO RODRIGUES

        “…não existem divindades para mim, que não o próprio Deus em que acredito e a quem sirvo e de quem recebo muitas graças…” Sensacional!

  • Cristiano Andrade

    pois é Guilherme
    Infelizmente boa porção da sociedade não caiu a ficha da inédita crise que estamos vivendo, outra parte está entendo com um pouco de atraso (e a situação é tão inédita que uma semana já é bastante atraso). Do ponto de vista social, o colapso nos sistemas de saúde mundo afora já nos dão uma noção de como será por aqui, e isso não exclui Einstein, Sírio Libanês, Rede D’or etc, obviamente irá afetar muito mais a parcela da população que depende do SUS e usa transporte coletivo… Não é uma gripezinha, é uma gripe com potencial de letalidade baixo, mas com velocidade de transmissão nunca vistos. E como qualquer gripe, nem todos os portadores são sintomáticos, mas mesmo assintomáticos são vetores de transmissão. Infelizmente para evitar um mal social ainda maior (especialmente mortes que não serão evitadas devido ao colapso no sistema de saúde) as medidas de distanciamento social são fundamentais. É momento de cortar não apenas as viagens, mas aquele chopp no barzinho, aquele churrasco com mil parentes, aquela ida a um restaurante que gostamos.. não são férias, não é hora de relaxar e ir para a praia. É distanciamento social, e serão várias semanas.
    O impacto econômico disso, ainda incerto. Os primeiros dados de Japão, Coréia e mesmo Estados Unidos mostram situações diversas. Para o turismo e tudo ligado a hospitalidade é DEVASTADOR, para o comércio há várias leituras, lojas de bairro e periferia parecem sofrer um efeito positivo, lojas de shoppings é desastroso, grandes supermercados estão vivendo momentos de alto fluxo (e baixo estoque) para depois viver baixo fluxo…
    Nos EUA, pra evitar um colapso econômico e até quebra do sistema financeiro o FED vai injetar $1.5 tri na economia e as pequenas empresas ganharam prazos alongados para pagar impostos… tudo isso para evitar uma quebradeira generalizada e para que as dívidas de pequenas empresas com bancos não os levem a default.
    Commodities chegando a baixa histórica (hello petróleo a $30/barril), aumento de desemprego a nível global, um longo ciclo de crescimento global deve ser interrompido. Aguardemos as medidas de fomento econômico depois de controlada a crise sanitária.
    Bom, no Brasil, alguns governos locais já se movimentando… mas no geral a crise sanitária e a crise econômica podem ser um tempero explosivo a uma já frágil “estabilidade” política. O que virá por aí? Não sei, mas sou pessimista em relação ao curto prazo em termos de aceleração econômica. Se a crise econômica se retroalimentar de uma crise política, nossos fundamentos serão deteriorados e a percepção de agentes econômicos não se recuperará… círculo vicioso. O círculo vicioso pode ser quebrado, quando, como e por quem é uma discussão longa e nem sei se temos paz social para tal…
    Enquanto isso, Guilherme está certo, tranca o cartão de crédito a sete chaves, seja conservador. Se possui reservas em dólar e/ou ouro, mantenha as mesmas lá, evitar dívidas….
    Quanto as milhas, pensando seriamente em aumentar minha reserva de pontos na Accor enquanto ainda temos 4:1 (Smiles e TudoAzul) ou 3:1 (Latam). não tenho muito nesses programas, mas já é alguma coisa.

    • Henry

      Excelente comentário… parabéns…

  • Henry

    Nos parece que nos últimos anos o espírito de Pompeu (é.. aquele mesmo.. general romano que tomou uma “trolha” de César na Batalha de Farsalos) andou incorporando em nós:
    “…. navegar é preciso… viver não é preciso…”
    (OK, séculos depois, Fernando Pessoa pegou uma carona na frase, surfou na onda e nada de copyright)…
    Pois bem.. nos últimos anos nós estávamos, e ainda estamos, meio que incorporando essa frase e a todo momento estamos “navegando”…quer dizer, “navegando de avião” (me permita uma licença poética), mas em suma é isso que eu, vc e todos nós estávamos/estamos fazendo..
    Se não viajar naquele ano e não colocar um carimbo de novo no passaporte, a vida dava/dá mal…
    Eu sei de uma coisa:
    Até agora eu não consegui compreender a dimensão dessa crise do “Corona Vírus” (eu, terminantemente me nego a chamá-lo de COVID-19… “covid” lembra muito “conveiro”…)
    Não entendo como uma doença que tem um índice de mortalidade de aproximadamente 3,5%, e ainda assim, restrita a pessoas que estão com baixa resistência e com doenças pré-existentes, conseguiu dar um nó no mundo e causar essa crise que está destruindo toda a economia mundial…
    Veja.. não é questão de dar uma de Alice no País das Maravilhas e sair por aí abraçando o mundo e as pessoas… mas, nos últimos anos nós presenciamos doenças muito mais letais e igualmente tão facilmente transmissíveis e o mundo nem aí pra elas…
    Então.. eu me pergunto: o que esse vírus tem de tão diferente em relação aos outros ?? eu me pergunto e não encontro resposta…
    Mas.. o fato de eu não ter a resposta não me impede de, como pessoa, esposo, pai e provedor de minha família, adotar algumas posturas defensivas para minimizar os impactos desse vírus…
    REPITO: tem uma conta que não fecha nesse circuíto.. as autoridades estão tomando decisões desta vez que não foram tomadas anteriormente… espero que isto seja um ato de correção de atitude e não vir a descobrir futuramente que fizeram isso, desta vez, porque detinham informações que não estão partilhando com a sociedade…
    Então… a orientação na família é exatamente esta que o Guilherme veio, desde o primeiro momento, nos repassar:
    Austeridade… vamos viajar desta vez para um destino diferente… vamos pegar “mala e cuia” e viajar para nossa casa….
    Vamos nos preparar para um futuro relativamente incerto, porque, sinceramente, não estou entendendo o que está rolando dessa vez…
    As autoridades impuseram um distanciamento social que nunca foi feito antes… e com um vírus que é % menos mortal que muitos outros…
    Isso está ocorrendo pela forma/taxa de contágio que é muito superior aos da outra vez ???
    Está ocorrendo porque a globalização e sociedade de risco que vivemos em 24 horas é capaz de levar um vírus da China pro resto do mundo ???
    Ok.. mas me pergunto sempre: nas outras vezes não era assim ???
    Vamos conter despesas… nos divertir em casa… usar mais o “faça vc mesmo”, até porque parece que teremos mais tempo para isso…
    E, com certeza, vamos nos livrar dos dogmas para sermos felizes: nós nos bastamos… nossa família é nosso maior bem… vamos protegê-la do “dragão chinês”(OBS)… rsrs
    (OBS).. por favor, é figura de linguagem.. sem xenofobias….

    • SwineOne

      Entendo que a grande preocupação vem da alta transmissibilidade desse vírus, basicamente inédita. A preocupação não tem sido de evitar a contaminação, e sim de minimizar a velocidade da mesma, para garantir que a capacidade do sistema de saúde seja suficiente para atender todo mundo.

      • Marcio Correa

        É bem por aí, minha cardiologista, disse isto ha cerca de uns 15 dias, moro em Belo Horizonte, ela dizia, que um aumento, mesmo não muito significativo, mas repentino e concentrado, no fluxo de pacientes graves, já congestionaria o sistema de saúde.

      • Henry

        Swine/Márcio..
        Sim isso eu entendo… concordo com tudo isso..
        O que me deixa com uma pulga atrás da orelha é que nos outros casos a taxa de transmissibilidade tb era alta, a letalidade maior e a capacidade de atendimento pelos serviços médicos era a mesma..
        Mas, a reação dos governos/mídia/sociedade foi bem diferente dessa.
        Não estou dizendo que a coisa não é séria.. mas questiono porque das outras vezes tb não foram…

        • Cristiano Andrade

          O Swine foi muito preciso e conciso! Mas a adicionar e tentar endereçar dúvidas do Henry:
          1. Nos outros casos (SARS, H1N1) a velocidade da transmissão não era tão alta, isso já foi atestado por muita gente, parece que a velocidade de contágio só se iguala a da gripe espanhola em tempos menos globalizados. Como o contágio da SARS e H1N1 foi mais lento, o sistema de saúde manteve capacidade de atendimento e não colapsou.
          2. As mortes computadas são apenas as relativas ao COVID-19 (sim, eu chamo de COVID, porque Corona me confunde com cerveja ou ducha, cada um com sua piadinha…). Como o sistema de saúde entra em colapso, outras enfermidades são sub-atendidas ou não atendidas e mais gente sofre/morre com a falta de atendimento dessas outras enfermidades.
          Tudo está ligado a velocidade de contágio e até agora as medidas de distanciamento social foram as únicas que conseguiram achatar a curva de contágio (veja Singapura, Hong Kong e outras províncias chinesas que controlaram a pandemia), enquanto nas localidades em que se demorou a agir as medidas de distanciamento social estão mais severas e o sistema de saúde está mais colapsado (Itália por exemplo).

          • Henry

            OK…
            A lógica de colapsar o sistema de saúde eu já tinha entendido.. mas a conta que não fechava é que o Corona Virus (sim, eu chamo de Corona, porque COV-ID lembra muito COV-eiro, dois atrás de um ID pra levar embora… rsrs) tem essa velocidade de contágio diferenciada…
            Entendi seu argumento, que é corretíssimo, mas continuo não entendendo como é que nos outros casos sendo a transmissão feita da mesma maneira (contato com fluidos da tosse), com a mesma duração da transmissão de doentes (14 dias), como é que antes não iria colapsar o sistema e como é que agora colapsou…
            Mas, se os especialistas estão dizendo que, neste caso, a velocidade é mais rápida e pregam o isolamento, vamos cumprir as determinações dos especialistas….
            Afinal, aqui ninguém vestiu a faixa presidencial para estar imune à doença e nem ser agente de transmissão…

            • Cristiano Andrade

              Tenho uma colega infectologista que tentou explicar para um simples ser de humanas como é isso… Enfim, pelo que ela falou dessas dúvidas tem relação a tempo de ativação do vírus fora do corpo humano (aprendi que é ativação porque vírus fica ativo ou inativo, ao invés de morto ou vivo), quantidade de vírus vaporizados (seja respiração, tosse, espirro, suor e outros fluidos). Se entendi certo esse vírus segue vaporizado em maior quantidade e se mantém ativo por mais tempo fora do corpo humano. Daí seu potencial de propagação ser maior. E segue o distanciamento social…

              • Marcio

                Cristiano perfeito todas as suas considerações !!

              • Henry

                E por que isso não é explicado de forma clara e simples para a população ?? porque o segredo da coisa está sendo mantida ???

                • Cristiano Andrade

                  Bom.. acho que a explicação não é tao simples. Mas para piorar, ainda hoje muitas autoridades ainda tratam como exagero o que o MUNDO inteiro está vivendo. Temos que tenhamos dias de Itália e Espanha proximamente. Chegar a quase 500 mortes num único dia como vimos na Itália, mais de 100 profissionais de saúde vieram a falecer também na última semana, falta de equipamentos, seleção de quem vai ser tratado e quem não será tratado, estado de sítio, medidas extremas de afastamento social…
                  E depois da crise sanitária a maior recessão global da história (talvez só a crise de 29 possa ser comparável ao que viveremos!), então TRANCA o cartão de crédito a sete chaves!

            • Pavan

              Pelo que entendi, apesar de ser menos contagioso que outras doenças, como o Sarampo, o novo vírus infecta mais gente mais rapidamente pois a população não possui anticorpos. No caso de sarampo e outras doenças mais graves e muito contagiosas, a população já foi vacinada ou é imune.

  • Marcio Correa

    Parabéns pelo post e mais uma vez meu apreço e respeito a vocês.
    Pois muito bem, hoje, pela manhã, escutei uma comentarista da BandNews, que esta em Toronto, onde ela disse mais ou menos o seguinte:
    “Neste momento, é hora deixar, por enquanto, nossos planos de viagem de lado e nos concentrarmos na viagem mais importante que estamos fazendo, a viagem da vida”.
    Achei um primor!
    Vamos nos preservar e aos nossos(as), sem alarde, mas com calma e serenidade. Vida que segue.

  • Flying_B

    Peço licença ao Guilherme e reproduzo um link do Paulo Alcântara:

    A Itália decidiu não prestar mais atendimento a quem tiver mais de 80 anos ou estiver com a saúde muito comprometida, simplesmente porque os números de infectados e pessoas em estado crítico não para de crescer e não há mais condições nos serviços de saúde. Serão deixados para morrer.

    https://www.telegraph.co.uk/news/2020/03/14/italians-80-will-left-die-country-overwhelmed-coronavirus/

    • Henry

      Eu não entendo como é que um país como a Itália não consegue montar CTI`s de urgência em hospitais de campanha..
      Caraca, nós estamos em pleno século XXI…

  • SwineOne

    Outra situação que vi rolando por aí e me deixou boquiaberto… Espero que o sem noção nessa situação não seja eu.

    Tem gente fazendo campanha que você dispense sua diarista, seu terapeuta, seu personal trainer, enfim, os profissionais autonômos, mas CONTINUE OS PAGANDO. Segundo estas pessoas, fazer diferente é “ganhar em cima deles”, é “oportunismo”, e assim por diante.

    Ora, só eu estou ficando louco, ou tem muita gente querendo fazer caridade com o chapéu alheio?

    Se perder meu emprego, vou poder sair por aí exigindo que continuem me pagando?

    Vejo que é responsabilidade de cada um ter a sua reserva de emergência para um momento desses.

    Talvez a única situação que me compadeça um pouco seja no caso das diaristas, já que para esse pessoal pobre é mais difícil ter reservas. Mas ora, se a pessoa não estiver doente, deixe ela continuar trabalhando, e continue pagando. Se está preocupado com a contaminação no transporte público, mande um Uber para buscá-la, ou vá você mesmo buscar e levar com o seu carro.

    • Cristiano Andrade

      Eu dispensei a minha funcionária e continuo pagando o salário dela (registrada), mas aí é uma funcionária e tem um salário mensal e, ainda assim, obviamente é uma opção de cada um.
      A questão do distanciamento social é para que possamos (enquanto sociedade) achatar a curva de contágio e evitar o colapso do sistema de saúde. Isso vai além de evitar que nosso núcleo familiar seja contagiado, mas evitar que nossa sociedade possa reagir com os recursos que dispõe, se trata talvez de caridade com chapéu alheio, ou talvez de solidariedade com a comunidade a qual estamos inseridos, podem olhar de vários ângulos. Então não é apenas o transporte coletivo, mas Uber ou mesmo o uso do carro particular podem minimizar, mas não trabalham na direção do distanciamento social.
      Tenho algumas situações no trabalho a qual felizmente a empresa a qual trabalho divide os mesmos valores, estamos trabalhando de casa, mas alguns contratados que não podem performar suas funções (normalmente pela natureza das mesmas) estão sendo enviados para casa, mantendo-se os pagamentos de salários dos mesmos (e também do contrato com a empresa responsável por estes terceiros). A ideia é achatar a curva de contágio, para isso há de se reduzir o contato social e manter o máximo de pessoas em casa.
      Concordo contigo que a suspensão de pagamentos de alguns profissionais autônomos não é oportunismo e vejo caso e caso, até porque na maioria das vezes tem relação com a dinâmica da profissão, sejam médicos, advogados, personal trainers etc.
      Terapeuta pode experimentar ferramentas de VC, não?
      Diaristas tem o problema até de sobrevivência, difícil como lidar, né?
      Nada fácil… o impacto social vai além do impacto sanitário. Um desafio para a sociedade lidar.

      • SwineOne

        Penso apenas que a questão do distanciamento social não precisa ser absoluta. A principal preocupação deve ser a de evitar aglomerações, buscando evitar uma propagação exponencial do vírus. Se uma diarista pode vir para a sua casa sem usar transporte público, considero como um risco calculado. Claro, isso depende também da compreensão das outras pessoas que usam os serviços desta diarista, de evitar que ela venha de transporte público.

  • Henry

    DALLAS / USA – URGENTE!!!!!!!!!

    Notícia importante, mais um furo de reportagem da Henry News…

    Vc sabia que Governo da República do Bundão, ops, do Sudão acaba de liberar o sobrevoo em seu espaço aéreo de aeronaves com destino à Israel ???
    Com isso o voo de Sampa para Israel será encurtado em 2 horas…
    Alvissaras… era uma notícia maravilhosa dessas que precisávamos para melhorar o astral tão carregado de más notícias de Corona Vírus no Planeta Terra A, que está conseguindo infectar o Planeta Terra B…
    Ah sim… infelizmente as duas horas a menos não poderão ser descontadas nas 14 x 24 horas = 336 horas que vc terá que ficar em quarentena assim que descer em Tel Aviv…
    Não se esqueça o velho ditado do filósofo Inbraim Sued: “.. olho Aviv que cavalo não desce escada…”

    Meu comentário: acho que o Corona Vírus não ataca apenas os pulmões.. mas tb o cérebro, e pelo visto, tá na hora de colocar a Jabalândia em peso em quarentena… senão periga da população da web contrair diarreia mental… putz.. sem noção…

    • Guilherme

      kkkkkkk….. rachando de rir até terminar de comer meu prato de “jabáticabas”……….kkkkkkk

  • Henry

    Sabe aquelas frações de segundo que seriam maravilhosas se vc pudesse ter uma fração dessas de novo ??
    Já imaginou poder distrair a atenção do Ayrton Senna lá em Maranello e ele entrar naquela maldita curva um penteléssimo de segundo mais tarde ???
    Provavelmente essa fração de segundo a mais, seria suficiente para que não precisasse de outra fração de segundo mais, porque o Schumaker estaria até alguns anos atrás tentando ser tri campeão mundial de F-1 e não estaria esquiando naquele fatídico dia.. ah sim, e o Ayrton estaria encerrando sua carreira, de boa, com o 12º título, 730 vitórias, 1237 poles positions e 648 voltas mais rápidas..
    Sabe aquele penteléssimo de segundo que vc gasta enfiando seu cartão de crédito na maquininha para depois digitar a senha ???
    Pois bem, pode ser esse pequeno tempo que vc precisa a mais para tomar a decisão de não comprar aquele bem supérfluo, que não quer, que não precisa, com um dinheiro que não tem…
    Além de colocar seu cartão na quarentena, mande a merda o cartão contactless… porque ele facilita vc a gastar mais… mas não te ajuda a ganhar mais dinheiro…

  • Fábio

    A política de cancelamento da Gol está bem canalha. A empresa está facilitando apenas para quem deixe o crédito na empresa.

    “Você poderá cancelar sua viagem e manter o valor em crédito para voos futuros. O valor estará disponível integralmente por um ano, a contar da data da compra;”

    Para remarcação (algo difícil já que não sabemos por quanto tempo haverá restrição de voos) eles cobrarão a diferença de tarifas, o que pode se tornar bem caro para quem comprou uma passagem promocional.

    “Se preferir, poderá remarcar sua viagem para qualquer período dentro de 330 dias, a contar da data da compra. A taxa de remarcação não será cobrada, incidindo apenas a diferença entre as tarifas, se houver”

    Caso você queira cancelar poderá incidir uma “taxa de reembolso”

    “Ao optar por cancelar sua viagem e solicitar reembolso, não haverá taxa de cancelamento. Contudo, a taxa de reembolso poderá ser cobrada, dependendo da regra da tarifa escolhida.”

    Ou seja, a empresa quer que o consumidor assine um cheque em branco em seu favor e ainda vende isso como um benefício.

    https://www.voegol.com.br/pt/informacoes/comunicado-coronavirus?br=banner1=&of=comunicado-coronavirus

    • Emanuel Soares

      cancelei três voos da gol ontem, foi bem pratico, as milhas entraram na hora de volta para a conta, e as taxas irao voltar no cartao. Fiz tudo pelo site e nao precisei ficar horas no telefone ou chat.

      • Fábio

        Smiles e Gol são empresas diferentes. No caso do Smiles as milhas são devolvidas na hora. Mas não existe a opção automática de remarcação.

        Se uma empresa aérea modifica ou cancela um voo por lei o passageiro tem direito a remarcar o voo na mesma rota na data em que achar mais conveniente.

        Existem pessoas que ainda precisam viajar mesmo com a pandemia, e nesses casos com a redução dos vôos provavelmente subirá a ocupação e os preços. E o consumidor terá que pagar mais caro pelo mesmo serviço

      • Flying_B

        Smiles nao é Gol! Menino eh menino e menina é menina.

  • Já faz um ano que eu ando tão corrido que quando tenho tempo de vir aqui conferir as novidades, já estou atrasado! 🤦🏻‍♂️🤦🏻‍♂️🤦🏻‍♂️ Mas enfim… Minha pequena contribuição: nenhuma das crises econômicas mundiais das últimas duas décadas, incluindo-se a singularidade de 9/11, teve tamanha proporção de escala na economia global. Nem mesmo a bolha imobiliária americana, que “quebrou” ‘grandes fortunas’ em 2008 refletiu com o mesmo potencial que o que estamos começando a vivenciar no presente. Em resumo: o cenário atual tem grandes chances de se comparar à crise de 1929. Quebradeira e desemprego generalizado. Quem tiver juízo, economize. Evite os grandes varejistas e tente favorecer o pequeno comércio. Eu já estou nessa onda desde meados do ano passado. Não parei de viajar pois muito dessa prática me vem por necessidade* (*complicado), mas o que eu emiti de julho em diante passou a ser em Y especificamente com esse objetivo, o de poupar onde era possível. Viajo sempre de dia, permaneço a 90* a maior parte do tempo, concentrado no que estiver fazendo e voilà! Cheguei! Não é tão ruim assim não! 🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️

  • Alcunhaa

    Enquanto fala do mundo das milhas e viagens tem todo meu respeito, agora acho esse post um desserviço, ajuda a quebrar a economia como um todo. Se todos seguissem seu conselho o país quebra, o que não é difícil pois já não anda bem a anos. Numa análise simplista de todos gastarem apenas com o essencial para apenas economizar para um futuro incerto (não existe futuro certo), restaurantes, bares, varejistas e todo segmento de lazer sucumbiram de vez, assim como seus empregos indiretos, aumentando a taxa de desemprego para o sofrível nível de 20%, quem sabe? Consequentemente, o Estado arrecada menos com impostos e aumenta o já combalido déficit fiscal. Um ciclo vicioso que pode facilmente quebrar o país. O que vai acontecer com a economia ninguém sabe, não há precedentes na história recente, tudo é mera especulação. Vamos nos focar na saúde das pessoas, pois isso é a prioridade número 1, 2 e 3 nos tempos atuais. Dinheiro se ganha e se perde, já vidas perdidas não voltam.

  • Hugo

    Guilherme, você pode passar mais notícias sobre a informação das apostas na falência da CVC?
    Algum site, etc? Obrigado!

    • Guilherme

      São comentários que vi no Twitter, de especialistas da área de investimentos em ações.

  • Henry

    Surreal…
    Ontem fui ao supermercado e o pessoal tá neurótico com o papel higiênico… monte de carrinhos com pirâmides de Neve/Soft/Cotton…. preço no Extra aumentou 40%…
    Pessoal está mais preocupado com o que sai do que com o que entra: setor de alimentos sem carrinhos e sem pessoas comprando…
    Diante da preocupação das pessoas com as m—–, agora consigo entender o tal tópico ADIA, lá da Jabalândia: as cias. aéreas/programas de fidelidade fizeram merda esses anos todos com os consumidores, e a Jabalândia está preocupada em salvar as cias e limpar o rastro de cagadas delas….
    Ah, sim, nem de longe estão preocupados com o Jabá dos próximos meses… não, isso não… os caras são castos, puros e imaculados…
    Eu sou francamente favorável ao que os governos socorram a economia neste momento…mas isso tem que ser feitos por governos, com regras e legislação claras e principalmente porque os Estados/Governos, mediante a obediência da Lei, tem o chamado poder de império: se a empresa que foi ajudada não cumprir o pactuado o Estado tem o poder de agir imediatamente…podendo até encampar a empresa e transferir/alienar o controle acionário…
    Enfim… não cabe ao consumidor pegar seus recursos limitados (com viés de ficar mais limitado nestes tempos) e ficar socorrendo empresas do setor turístico pra que essas possam não atrasar o Jaba de Primeira..fala sério…

    • Guilherme

      kkkkk…….. a roda do jabá tem que girar, meu caro Henry……kkkkkk…….

  • Ricardo Campos

    Enquanto isso, preferia 100 vezes mais pagar a taxa de cancelamento ou de alteração e ficar isento da diferença tarifária, que está escandalosa. A tal diferença tarifária está superior a R$2.000,00 em trechos domésticos. É o verdadeiro lobo em pele de cordeiro essa política das empresas, faturando alto por conta do vírus…

    • SwineOne

      Suponho que depende da época que você está tentando remarcar. Se for para breve (próximos meses, início do segundo semestre), acho que eles estão precificando a redução na malha aérea. Para o ano que vem, aí já se trataria de especulação da parte deles. Mas o mercado deve corrigir tudo: só quem realmente precisar vai comprar.

      • Henry

        Assim que essa crise de saúde passar, as cias. aéreas nacionais vão “deitar os cabelos”…
        Com a tradicional canalhice delas, vão se aproveitar da crise econômica e querer cobrar o que devem e não devem…
        Vão se aproveitar da redução da malha, do fato que novas cias. aéreas não virão (não enquanto não sair o laudo psiquiátrico encostando o Valentão do COVID-19), e do fato que teremos muitas pessoas nervosas para voar, principalmente se a Jabalândia ficar enganando com os marketing One Seven One, no suporte às sales…

  • maria lucia

    Presa em casa, é um alento poder ler alguém que não tem medo de dizer verdades que definitivamente não são agradáveis de ouvir, mas são necessárias. Obrigada.

  • Alcunhaa

    Aqui também apaga comentários que não são amigáveis? Kkk lamentável

    • SwineOne

      Só lembro de ter visto o Guilherme apagar (ou editar o conteúdo) de comentários quando o nível baixou demais e entrou no terreno das ofensas pessoais. Não quer tentar enviar de novo? Se traz uma contribuição para o tema, mesmo que dissonante, desde que bem fundamentada e sem ofensas, tenho certeza que ele deixa publicar.

  • Marco Assumpção

    Gsotaria de sabe se nestes tempos bicudos de Coronavírus valeria a pena trocar 105.000 pontos Latam e 50.000 da Azul por diárias da Accor? Vejo com peocupação a situação das companhias aéreas…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×