American Airlines cancela todos os voos para o Brasil, e duas dúvidas dos leitores [viagem Europa em abril de 2020]

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Alerta do Fábio (a quem desde já agradecemos): a American Airlines, numa decisão sem precedentes, resolveu cancelar 75% de suas rotas internacionais de longo alcance para todos os continentes, o que inclui todos os voos entre Brasil e Estados Unidos.

De acordo com o comunicado, São Paulo-Dallas e Rio de Janeiro-Nova York estão suspensas até 6 de junho de 2020, e as demais suspensas até 6 de maio de 2020.

É bastante provável que outras empresas aéreas façam o mesmo em suas respectivas rotas. Ou seja, aposto que Latam, Gol e Azul também diminuam ou cancelem todos os voos nessas rotas operadas entre Brasil e Estados Unidos.

O prejuízo financeiro já está sendo enorme para todos os envolvidos, tanto aqueles ligados às empresas aéreas (é provável que tenhamos falências e/ou quedas de mais de 90% nos preços das ações de algumas delas), quanto para os passageiros (perdem viagens de lazer, perdem negócios, perdem temporadas de estudos no exterior, perdem tratamentos médicos etc.), e a tendência é a situação se agravar ainda mais.

Semana passada, eu já tinha alertado os leitores para não serem teimosos, e quem insistiu será bloqueado pelas próprias cias. aéreas, e não vai, portanto, conseguir levar adiante a teimosia. 😉

Dúvidas dos leitores – viagem Europa começando em 17 de abril

Segue a dúvida do Guilherme Henring:

“Sou leitor do Blog há alguns anos e acompanho de perto o excelente trabalho que fazem para nos manter informados de cada dica, reportagem (feitas com muito carinho, originalidade e qualidade) e notícia quentinha. É a primeira vez que comento numa reportagem, e logo para pedir ajuda… Tinha programado uma viagem paga início dia 17 de abril, para a Europa (que duraria cerca de 16 dias). Por sorte, fiz apenas a emissão das passagens e ainda não havia fechado as hospedagens e atrações. A viagem é composta de uma passagem de ida/volta de São Paulo para Warsaw (que emiti com pontos Azul através do Azul Interlines), e 6 passagens internas da Europa. As passagens internas foram emitidas em dinheiro, de companhias diferentes (Ryanair, Lufthansa, Kiwi etc…).

Não preciso nem falar que, dadas as circunstâncias e risco de contaminação ou de ficar preso na Europa devido à pandemia, a minha decisão foi de postergar ou cancelar a viagem.

Consultei todas as empresas:

A passagem mais cara (convertendo o que gastei de milhas para R$) é a de ida e volta. Liguei na Azul Internacional, e para cancelar/remarcar gastaria cerca de R$ 1000. Me recomendaram aguardar até dia 17 (30 dias antes do voo, que é o limite para o cancelamento com redução de taxas) pois pode ser que haja alguma diretriz para Abril. O atendente me informou que por enquanto a Azul está cancelando ou remarcando sem taxas apenas os voos de Março.

As demais passagens (as de voos internos da Europa) algumas compensa pagar a remarcação, outras compensaria cancelar e emitir uma nova (o custo da remarcação é mais caro que a emissão de uma nova…)

O que vocês me recomendam fazer? Meu foco era realizar a viagem, remarcando para julho, com o mínimo prejuízo financeiro.

E agora a dúvida do Márcio Correa:

“Guilherme, estou na mesma situação. Embarco no mesmo dia para Munique e depois vou para Lisboa. Não estou pensando em cancelar ou alterar nada, pelo menos por enquanto. Vou aguardar mais uns dias a evolução, ou retrocesso, é o que todos esperamos, do Conavid19 na Europa. Mas posso dizer que estou bastante preocupado e, na dúvida, cancelarei tudo, meu “prejuízo” não será significativo.

Ir em julho, tem de pensar e pesar os novos custos, já é alta temporada na Europa, apesar do que, acho que estarão “em liquidação”.

Enfim, é um dilema mesmo, mas como você decidiu postergar, ou cancelar a viagem, refaça custos e roteiros em outra data e veja o que for melhor. Saúde e paz!”

Na minha opinião, em ambos os casos, eu aguardaria chegar até a primeira semana de abril, pela questão de evitar custos com a Azul cancelando agora em março (no caso do Guilherme), mas também para ver se a epidemia retrocede na Europa (como disse o Márcio).

Mas tomaria essa decisão de espera com um norte em vista: cancelamento de toda a viagem já pré-programado em minha mente. Eu não remarcaria para julho pelo fato de ser ainda uma época ainda meio “perigosa” para viajar, mas principalmente porque as remarcações geralmente custam mais caro (você tem que pagar a diferença tarifária, e os voos em julho geralmente são mais caros por ser de alta temporada), e, justamente por ser de alta temporada, os custos acabam sendo maiores – e tem a questão do euro ficar lá no patamar de seis reais se a crise econômica se prolongar…

Em resumo: no final das contas, eu cancelaria tudo, e faria novas emissões para viajar somente na mesma época em 2021, ou seja, em abril de 2021, mantendo as datas e roteiros originais, só que “transportadas” para 2021.

Até lá a epidemia deve retroceder (tomara), e o euro (vamos torcer) deve voltar para um patamar mais baixo.

  • Leandro Esteves

    Euro baixar acho difícil kkkk

    • Bohdan14

      Um pouco de wishful thinking não faz mal a ninguém =D haha

    • TRL

      Estão muito fora da casinha o dólar e o euro, entendo que não refletem hoje os fundamentos.

      • Bohdan14

        O Fernando Ulrich comenta sobre isso no Flow Podcast. Mas o podcast é verem grande, nem terminei de ouvir. Acho que a parte do dólar tá lá pra 1h30min .

        • TRL

          Já acompanhava o cara. O maluco é inteligente, vale a pena assistir.

  • Flying_B

    Se não bastasse isso, Trump criou o caos, agora são poucos os aeroportos onde podem recebem bois de fora, filas quilométricas na imigração e na 2a inspeção !!! Americanos e estrangeiros !

    Se isso não discriminar vírus eu não sei de mais nada, aglomeração nos aeroportos ! Doideira geral!

  • Henry

    Errado a American Airlines cancelar todos os voos para o Brasil…
    Claro que é uma inconsequência alguém viajar nos próximos dias para fazer turismo… não é hora disso… é hora de colaborar com a diminuição da transmissão da doença e apenas nos deslocarmos para os nossos trabalhos, com as recomendações sanitárias/médicas necessárias, porque o país precisa continuar produzindo…
    Mas… existem diversos profissionais que precisam viajar a trabalho.. temos médicos, engenheiros, empresários, etc etc que precisam ir para os EUA por estrita necessidade de trabalho e estes profissionais agora terão que procurar outra cia. aérea… me parece que a United tb está pensando em fazer isso..
    A American Airlines deveria manter, pelo menos, 3 voos semanais, no eixo GRU MIA (ou JFK ou DFW), para que estes profissionais possam se deslocar.. mesmo que estes voos sejam deficitários…
    Mas, a gente sabe que a AA está mal das pernas.. então, tomou a decisão que é menos deficitária: cancela tudo…
    Errado… esqueceu das pessoas que precisam continuar fazendo a economia girar…

  • Henry

    Hoje cedo fui num Extra ki em Niterói e achei o movimento um pouco acima do normal para o dia do mês… e nem tinha promoção…
    Vi muitas pessoas estocando gêneros de primeira necessidade como refrigerantes e cervejas….rsrs
    Seção que vende cereais, legumes, leite e proteínas estava às moscas….
    Vai entender isso….

    • Bohdan14

      Fui ao extra aqui em Sampa.
      Havia uma baixa em arroz, macarrão, água mineral e papel higiênico… Acho que legumes não tem muito jeito, não dá pra conservar por muito tempo. Tlsbz preparando e resfriando ou até congelando. Mas tinha um clima de pré-guerra sim.

      Henry, você que é o mestre da Disney. Tô com viagem pra visitar o Mickey pela primeira vez em junho… Por enquanto só aguardando o desenrolar da situação.

      • Henry

        Bohdan…
        Se tudo estiver OK até lá, o que eu ñ acredito, vale sim a pena ir à Disney uma primeira vez…
        Eu fui algumas vezes e só voltarei um dia quando tiver netos… somente o encantamento de uma criança me fará voltar lá…
        Desde que eu vou lá, a par do encantamento da primeira vez, nas outras a gente vê a coisa com mais objetividade… e notei algumas coisas muito ruins lá…
        As atrações estão superlotadas.. vc paga quase 100 dólares por dia pra ficar quase 4 a 6 horas em filas e brincar em até 4 a 5 atrações…
        Se vc fizer a programação antes, vc fica menos tempo em filas, mas tb fica limitado na quantidade de uso das atrações e uma coisa extremamente desagradável é vc ver o serviço de fura fila passando monte de gente chegando e passando na frente de todo mundo…
        Além disso, a primeira vez que fui em 2013 pagava 68 dólares por dia, para o pacote de 4+2 dias… hoje tá quase 100 dólares…
        Mas, nada disso deve tirar o encantamento de se ir lá uma primeira vez, porque o local tem uma magia única… tudo é lindo…
        Especialmente o Magic Kingdon…

        • Bohdan14

          Pois é… eu disse para os meus pais que eu poderia esperar ter fllhos pra ir.. mas meu pai quer ver o Star Wars e me conheceu a ir – se bem que ele me livrou de uma furada, provavelmente eu teria planejado uma viagem pro Velho Mundo, ver Eurocopa (que dificilmente vai transcorrer tranquilamente) etc.. aguardaremos.
          É bem caro mesmo. Espero que eu goste =)

          • Henry

            Vai gostar muito… pode ir tranquilo….

        • Dorgival

          Concordo plenamente e complemento: o Magic Kingdom vale a pena ir também pra ver os cenários e o show de encerramento. Indo em Junho você ainda curte um pouco porque não estará superlotado. Se for em Julho, só vale a pena com o fastpass. Senão você vai passar o dia em filas. Ou gasta e curte, ou não vai e não gasta.

  • Khalil Chaves

    Com relação ao Euro, minha opinião é que pode até baixar a cotação, mas não será muito, ou seja, um outro patamar em câmbio veio pra ficar. Adiar pra 2021 (exclusivamente por esse motivo) não vai mudar muita coisa, pq a crise brasileira não permite pensar em aumento de salários, pelo contrário. O poder aquisitivo em euro/dolar tende a ser menor ainda nos próximos anos.

    • Henry

      Sim.
      Neste momento, como o Guilherme vem prudentemente orientando, a estratégia é concentrar recursos pra enfrentar a crise que virá….
      O setor de Turismo vai tomar um tombo… no Brasil ele não tem a expressão de outros países, mas ainda assim, gera muitos empregos …
      Setor de energia de hidrocarbonetos perdendo muito valor por causa do racha na OPEP+, setor de minérios em baixa tb… e falta de uma liderança firme e tranqüila é fator de instabilidade, porque logo logo aparecem os “salvadores da pátria” na área política, o que, invariavelmente tem se mostrado a pior solução…
      Hora de ficar quietinho no canto…

  • Flying_B

    Agora eu vi que o troco tá o coos. Paraguai acaba de anunciar que fechará a fronteira. Aqui onde eu moro tem 650 km de fronteira!!

  • Pingback: Um giro global na aviação que está derretendo - O Homem das Milhas()

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×