Reflexões sobre o trinômio Tempo x Dinheiro x Energia, e suas implicações para as viagens

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

A respeito do post de sexta-feira, onde comentei sobre as desvantagens de pegar uma promoção pra viajar entre 2:15 da madrugada e 6:15 da manhã, e as inversas vantagens de aproveitar uma promoção de um voo entre meio-dia e 4 da tarde, o leitor Cristiano Andrade novamente lançou excelentes argumentos para reflexões, na hora de montar o planejamento de suas viagens.

Gastar o menos possível para viajar num horário ruim ou com muito intervalo de conexões?

Ou gastar ou pouco mais e viajar num horário melhor e que te dê mais energia, com menos paradas, ou, se possível, nonstop?

Confiram!

…………………

“A questão dos horários, preços, Econômica x Business…. É lógico que queremos um vôo direto, no maior conforto possível pelo menor custo (em $ ou milhas).

Mas o mundo não é tão simples, e temos que priorizar algo. Aquela história de Tempo x Dinheiro x Energia. Qual dos 3 é o maior limitante da sua viagem?


Se você é limitado em tempo, o horário do vôo é fundamental, para evitar perder um dia (ou mais das suas férias).

Se a questão da energia é um problema, você é do tipo que fica estragado depois de perder uma noite de vôo na econômica, e/ou múltiplas conexões, horários ruins…. opções que minimizem isso são foco.

Se tempo ou energia é um fator limitador para ti, provavelmente se prepare para colocar a mão no bolso e gastar um pouco mais (seja em Econômica num vôo em horário mais conveniente ou numa Business por exemplo).”

……………………

Realmente, em qualquer viagem, considere sempre esse trinômio, e veja o que lhe é mais oportuno priorizar.

O que você costuma valorizar mais: tempo, dinheiro ou energia? Prefere pagar mais barato e viajar naquele voo corujão ou com infindáveis conexões e paradas intermediárias? Ou topa sacrificar um pouco de dinheiro visando um voo onde você possa chegar mais descansado ao local de destino?

Agradeço ao Cristiano pelo envio do comentário!

  • Fábio

    No meu caso tenho flexibilidade de tempo, então minhas opções são normalmente baseadas no menor custo possível. Mas é um erro considerar apenas o custo do voo. Deve estrar no cálculo o valor do transporte (na madrugada, por exemplo, taxis normalmente são as únicas opções e seu preço é mais elevado) e eventuais extras na hospedagem.

    Por exemplo, ano passado emiti um voo com milhas pela Multiplus para o Cairo. Era pela Turkish com escala em Istambul. Eu tinha a opção de uma pequena escala na Turquia chegando no Cairo as 3h da madrugada, ou passar a noite no aeroporto chegando no destino por volta das 9h. Preferi a segunda opção. No Cairo os taxistas são conhecidos pela desonestidade com os turistas e mesmo tendo uber na cidade não quis arriscar (não sabia se conseguiria comprar um chip de internet nesse horário nem a disponibilidade dos carros). Além disso haveria despesas de early check in. Minha opção foi utilizar um louge no próprio aeroporto de Istambul

    • Guilherme

      Gostei desse trecho:

      “Mas é um erro considerar apenas o custo do voo. Deve entrar no cálculo o valor do transporte (na madrugada, por exemplo, taxis normalmente são as únicas opções e seu preço é mais elevado) e eventuais extras na hospedagem.”

      Hä de se fazer o famigerado CET – Custo Efetivo Total – da viagem, para ver o que vale mais a pena, e computar esses custos extras de transporte na madrugada e extras de hospedagem, principalmente se houver a chance de se chegar ao hotel muito cedo, já que o early checkin em muitos locais é tarifado e não dado como cortesia.

      • Fábio

        Pensar só no custo do voo é a famosa economia porca. Funciona bem no esquema mochileiro dormindo em dormitório de hostel, mas para a maioria dos outros perfis não funciona tão bem

    • Rogerio_USA

      Exatamente! Sempre priorizo vôos diretos, ou com menos escala possível e desde que em horários de conexões diurnas, e claro, o custo maior tem que ser acessível. Importante mesmo também keep in mind computar os valores no prosseguimento, como no seu exemplo com o transfer do aeroporto e sua disponibilidade ao desembarcar, ckeck-in hospedagem e outros…

      • Fábio

        Eu sempre opto pelo melhor custo benefício. Não adianta gastar menos no vôo e depois gastar mais dinheiro em táxis e hotéis e ainda perder 1 dia de viagem para descansar após o voo.

        Sou novo, solteiro e normalmente viajo sozinho, então normalmente faço viagens econômicas. Mas essa economia tem que ter um mínimo de dignidade. Nada contra quem faz, mas pra mim não vale a pena dormir em uma sala de embarque do aeroporto, nem tampouco dividir com mais 10 desconhecidos um quarto de dormitório de hostel

        • Rogerio_USA

          Idem, sempre o melhor custo benefício!

    • Flying_B

      Mas onde no mundo (tirando o Japão) não é sinômino de falcatrua????
      Desconheço … o Chile é bem emblemático também

      • Fábio

        Você tem razão. Taxistas cometem falcatruas em boa parte do mundo. Quis dizer em meu comentário que os taxistas egípcios possuem uma desonestidade bem acima da média. Muitas vezes mesmo combinando previamente o preço eles querem te cobrar mais chegando no destino.

        • Flying_B

          Alias, tá ai Guilherme, um tema para um futuro POST. Taxis no mundo. Já tive problemas na Inglaterra, na França nem se fala, na Argentina, no Chile é endêmico, no Brasil, na Irlanda também. Nunca tive problemas no Japão.

          • Fábio

            Com certeza. Ótimo típico.

            Lembro quando viajava a trabalho para o Rio. Normalmente me hospedava no Botafogo e visitava um escritório na região do Aterro do Flamengo. Em 85% dos casos os motoristas “perdiam” o local da conversão pra me deixar no prédio. Sempre tinham que rodar mais 1 quilômetro pra pegar o próximo retorno. Nunca impliquei muito porque era reembolsado pelo escritorio., mas a malandragem irritava bastante.

            Lembro outra vez que voltei de Fernando de Noronha pra SP. Não existia Uber naquela época e o taxi custava cerca de 200 reais. Peguei um daqueles ônibus executivos até a rodoviária do Tietê, e de lá um taxi para minha casa. O taxista tentou me dar o golpe da troca da nota. Dei uma de 50 enquanto pegava a bagagem e ele fingiu que foi guardar o dinheiro e voltou com uma de 5 na mão me cobrando a diferença. Dizem que esse golpe também tem sido muito usado em Buenos Aires

            • Gabriel Goncalves

              Esse golpe da troca de notas é o mais “manjado” em Buenos Aires. Sempre que for pagar taxi por lá, recomendo entregar a nota pro taxista e olhar bem pra nota e pros olhos dele, não vacilar e desviar o olhar pra pegar mala ou o que quer que seja. Assim fica mais difícil de ser passado pra trás pelos espertões.

              Quando morei no Rio de Janeiro também percebia a maldade de alguns taxistas. Às vezes, quando chegava no aeroporto Santos Dumont, o taxista percebia que meu sotaque não era carioca e, a caminho da zona sul, perguntava se eu queria ir pela praia ou pelo aterro. Quem conhece a cidade sabe que aterro x praia é um “false-friend”, pois o caminho mais rápido é pelo aterro, pois não tem uma penca de semáforos no caminho. Como muita gente acha que pela praia é a rota mais próxima da areia, fica parecendo que farão o caminho mais rápido. Só que não!

          • Guilherme

            Anotado!!!

          • Henry

            Nas 3x que fui a Buenos Aires nunca tive problemas com taxi’s
            Único detalhe fui um taxista que achava que era a reencarnação do Manuel Fangio… eu pedi pra ele ir devagar e ele, meio que chateado, reencarnou no Barrichello … rsrs
            Mas lance de cobrar a mais, alterar trajeto e educação, sempre tive sorte em BA…

            • Flying_B

              Sempre que posso uso Uber.
              Porém quando a viagem é pequena, não invisto em chip, e depender de Wi-Fi é sorte tb, porquanto não é fácil achar no apuro.

  • Márcio Cunha

    Isso tudo é fato. Sugiro tb que seja feito um post sobre quando vc compra uma passagem na promo bug baratinha, fica felizão e depois descobre que o destino não é pra seu bolso. Tipo Nova York ou Dubai ahaha!!!

    • Fábio

      Consegui fazer NY no estilo lowcost em 2014. Foi bem legal. Já Dubai acho mais difícil, mas não tenho a mínima vontade de conhecer

  • Alex Melo

    O problema é quando o custo é tão alto que a opção é entre fazer um voo com conexões ruins mas com preço mais acessível ou simplesmente não ir.

    Já me aconteceu no passado e fui são Paulo a Madrid com conexão em Buenos Aires.
    A diferença do voo direto era uns 1000 reais e na época eu não podia bancar isto. Pelo menos a parte até a Europa era noturna.

    A ida foi jóia, mas na volta foi triste sobrevoar a região próxima a SP pensando que tinha várias horas ainda para voltar…

  • Felippe Der

    Muitas vezes essa situação fica complicada. Basta lembrar as promo/bugs da Smiles para Ásia viajando de Emirates. Por 39 mil milhas smiles o trecho a pessoa pegava o voo Guarulhos – Bangkok voando Emirates. Uma passagem a um preço incrível. Podemos dizer mais que incrível (menos de 400 reais de taxas). Contudo, tinha uma pegadinha: 34h de voo na ida e 55h na volta. A pessoa iria sair de SP para Buenos Aires pela Aerolineas, depois Buenos Aires – Rio pela Emirates. Para depois Dubai e finalmente Bangkok. Uma odisseia completa. Na volta a pessoa poderia “perder” Rio- Buenos – São Paulo. Uma passagem dessa estava com uns 50% sobre o valor de face. Ficaria a critério da pessoa analisar o quanto ela estaria disposta a sofrer em aeroportos pela economia. Já vi muita gente fazendo Mia-JFK-GRU na volta de Miami. Bem como o voo mais barato na Multiplus costuma parar em algum país antes de chegar nos EUA. É muito subjetivo. Há os que queiram viajar muito e aceitem isso. Há os que só viajam se for de executiva. Há os que viajam de econômica, mas só em horários bons. O mundo é eclético m os viajantes também são. Há voos meio termo, algumas vezes com 50/100 reais a pessoa escolhe um voo muito melhor. Não recrimino nenhum tipo. Acredito que há opções para todos os gostos e bolsos. Sim, há pessoas que querem viajar e tem um orçamento limitado.

    • Carlos Telles

      Já fiz isso no bug de Florianopolis x Seoul por R$ 1200 reais, só que no meu caso a diferença era de uns 6 mil reais. Tive que fazer: Rio x Florianópolis x Buenos Aires x São Paulo x Doha x Seoul e a volta: Seoul x Doha x São Paulo x Buenos Aires x Florianópolis x Rio. Era mais novo e encarei, hoje em dia jamais.

      • Felippe Der

        Kkkkkk baita preço. Realmente diferenciado esse preço. Falei que uns bugs destes a pessoa tem que analisar se aguenta encarar.

        • Carlos Telles

          Eu peguei outro mais light: Rio x São Paulo x Toronto x Tel Aviv e Tel Aviv x Toronto x São Paulo x Rio por 1500 reais. Também não faria novamente.

          • Leandro Godinho

            Peguei esse bug aí tb. A passagem custou menos de 1300, saindo de GRU, mas não foi só isso. Ganhei 60 mil milhas Smiles, entre as milhas normais, mais os bônus dobrados por voos na Air Canada (promo exatamente na época do bug) mais os bônus por upgrades de status no Smiles. E a conexão era tão grande (umas 12h) que deu pra bater perna o dia inteiro em Toronto. Em 2016, a Alitalia estava 35 mil pra Europa. Essa eu faria de novo fácil. 🙂
            Mas eu não sou muito parâmetro: pra descansar eu uso o fim de semana, quando viajo é pra me destruir!

            • Gabriel Goncalves

              “Pra descansar eu uso o fim de semana, quando viajo é pra me destruir!”
              Você é dos meus, Leandro eahuehaueha penso exatamente dessa forma!!
              O que eu menos faço quando viajo é descansar =D

        • Carlos Telles

          Acabei de falar que nunca faria e me vem tel aviv por 980 reais com escala nos eua uHAUAHU

          • Fábio

            Mas podia fazer stopover. Aí ok

        • Fábio

          Em 2014 peguei por 10 mil milhas Smiles um voo da Aerolineas entre Lima e SP, com escala em Buenos Aires.

          A escala seria de apenas 2 horas, mas alguns dias antes do voo recebi um e-mail de alteração. A má notícia que que ficaria cerca de 16 horas no aeroporto. A boa notícia é que o último trecho seria pela Qatar. Te digo que a espera foi angustiante

  • Carlos Telles

    Eu não tenho horário flexível, então sempre que viajo normalmente precisa ser sexta após as 17:00 ou sábado, sou do Rio e minha viagens são sempre para Europa, dou preferencia pelo voo da Lufthansa pois chega em um horário bom em Frankfurt e eu consigo boas conexões saindo de lá, mas sempre tenho que pensar no custo. Por exemplo, agora no natal queria sair dia 20/12, mas os preços estavam exorbitantes, consegui emitir executiva com a TAP usando pontos azul para o dia 21/12, porém não tinha Rio x Lisboa, ou Rio x Bruxelas (com conexão em Lisboa) só Rio x Paris com conexão em Lisboa, sendo que eu não tenho a minima intenção de ficar em Paris, então terei que adicionar mais um trecho até Bruxelas que será feito de trem. Vou perder mais um dia de viagem com os deslocamentos pois o voo Rio x Bruxelas com conexão em Lisboa não tinha disponibilidade e nem o voo Rio x Lisboa (e eu pegaria um voo extra de Lisboa parta Bruxelas, o voo da tap chega 6 da manhã em lisboa então seria uma boa) . Uma solução que eu arrumei caso chegue antes das 14:00 em um destino é nesses casos é sempre me hospedar em hotéis da Accor onde tenho status e tenho o Early check in e Late check out de graça.

    • Fábio

      Existem vários ônibus, muitos deles executivos, fazendo essa rota. As vezes vale a pena checar. A partir de Gare du Nord devem ter muitos trens fazendo essa rota, mas a qualidade dos trens franceses não acho das melhores

      • Carlos Telles

        Vlw, darei uma olhada. Mais o meu problema nesse caso é que além de chegar em paris (vai ser via ORY) eu ainda terei que ir pra Gare du Nord pegar o trem ou ônibus. E eu estou com um medo absurdo de perder meu voo de conexão em lisboa, pois eu chego 5:40 e meu voo de lisboa para Paris é 6:40 e como eu não ficarei em Paris, isso pode acabar com todo meu planejamento. Estou pensando seriamente em só levar bagagem de mão, abandonar o trecho lisboa x paris e comprar lisboa x bruxelas por fora.

        • Luiz Rodrigues

          Carlos. Te falo que 1h entre as conexões nesse vôo de Lisboa Paris realmente está arriscado. A fila de imigração para estrangeiros em Lisboa tem estado enorme.

          • Carlos Telles

            Eu vou estar de executiva e acredito que tenha um fast track na imigração.

            • Luiz Rodrigues

              Vai ser corrido! Torcendo por você!

              • Carlos Telles

                Obrigado, se eu perder o voo lisboa x paris vou fazer eles me colocarem num lisboa x bruxelas haha

    • Henry

      Tb sempre priorizei viajar na sexta feira a noite..e voltar no sábado a noite pra chegar no domingo cedo e ter o dia todo pra recuperar…abrir as malas….
      Ñ por outra quase sempre tive que fazer a emissão da ida e da volta em momentos distintos, muitas vezes em cias. aéreas/ programas de fidelidade distintos…
      Por esse motivo priorizei emitir com milhas porque pagar passagem cash em trecho único é inviável…

  • Jose Luiz

    Esse é o famoso problema dos 3T’s… Tempo, Tutu e Tesão. Ninguém tem muito dos 3 simultaneamente. O estudante tem demais Tempo e Tesão. No seu período produtivo, provavelmente terá muito Tutu e Tesão. Aposentado, terá de volta o Tempo, um bom Tutu ainda, mas a Tesão será apenas para repetir todo dia a cada neto: “Ai, que saudades que eu tenho!”…

  • Pingback: Táxis no mundo: em qual país você nunca teve problemas? E em qual país(es) você teve problemas acima da média? | Meu Milhão de Milhas()

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×