[Dúvida do leitor] Problemas na Avianca Colômbia: paguei executiva para todos os voos, mas voei na econômica em um dos trechos. Ela ofereceu uma compensação. Devo aceitá-la?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Segue o relato do leitor Wagner:

“Uma situação que eu gostaria de uma ajuda dos mais experientes, eu voltando da Europa (Munich), quando eu cheguei em Bogotá pela AVIANCA Colombiana, deu problema em um dos vôos e só consegui embarcar para Lima 11h depois.

Eu estava de executiva, me deram 260 dólares de compensação e tudo que está na Lei colombiana, quando cheguei em Lima para pegar um outro vôo para Santiago (destino final), perdi esse vôo obviamente.

Me colocaram em um hotel e fiquei 24h em Lima.

Eu estava voando de executiva, no outro vôo que me colocaram 24h depois foi em econômica, ao entrar em contato com a Lifemiles eles estão querendo me recompensar em 206 dólares ou 17k em milhas Lifemiles.

Já tentei negociar e eles foram irredutíveis.

Pergunto, entro com algum processo junto com essas empresas europeias que cobram tipo 15 a 30% do que ganhar, ou aceito isso visto que a AVIANCA está falindo e é melhor aceitar qualquer coisa?”

Na caixa de comentários onde o Wagner relatou o caso (post aqui), o Afonso leu e rapidamente compartilhou a experiência dele:

Tive a mesmo problema com viagem pra Aruba. Perdi uma perna, pois o voo atrasou “apenas” 8h e fiquei hospedado em Bogotá pela Avianca Colômbia (com minha noiva).

No dia seguinte, deveríamos ir em executiva porém eu fiquei em econômica mas ela na executiva.

No dia foram irredutíveis e queriam me reembolsar 100 dólares mas apenas na loja da Avianca.

Quando voltei ao Brasil entrei com processo e em 6 meses ganhei!

Mas já adianto que foi o suficiente pra pagar advogado + diferença de um vôo (econômica pra executiva)!

Juiz julgou o atraso como algo corriqueiro!

Ele apenas acatou a mudança indevida de classe.

Conclusão

Essas compensações da Avianca Colômbia realmente são bem irrisórias.

Além dessa dor de cabeça toda, o que me chama a atenção são os atrasos nos voos dela, o que tem potencial para tornar a viagem ainda mais negativa, já que praticamente todos os voos têm conexões obrigatórias em Lima ou Bogotá etc.

Pontualidade, pelo visto, parece não ser o forte dela (seja a pontualidade dos voos, seja a pontualidade de pagamento aos credores….rsrsrs).

Porém, como a empresa está a um passo de beijar a lona, o Wagner está com receio de não levar nada. O Afonso ajuizou o processo e ganhou.

E você, o que faria no lugar dele?

  • Jair Batista

    Eu particularmente prefiro correr o risco de perder R$ 850 que estão oferecendo e entraria na justiça.

    • Não eh tão simples assim não…

      • Jair Batista

        Porque?

        • Tudo o que já foi dito aqui e no post original já aponta pra isso. De todos modos, meu resumo do porquê de não reside no fato de que o Juiz tende a “penalizar” o consumidor quando ele acredita se tratar de causa “irrisória” ou “medíocre”, aos olhos dele, claro. No final das contas pode não valer a pena. Recentemente, por força das tempestades duradouras no verão americano, não pude voltar ao Brasil por dois dias seguidos e só consegui voltar (na terceira tentativa) em econômica mesmo tendo sido o bilhete emitido em executiva. Mesmo assim, por saber desses melindres do judiciário, ainda não me animei sequer a tentar reparação com a aérea, apesar do que muito bem afirma o Henry sobre má instrução processual e boa fundamentação na argumentação… 🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️

          • Jair Batista

            Mas aparentemente a dúvida do passageiro não é essa. Pelo que entendi ele entraria com um processo caso a Avianca não estivesse em situação ruim. Aparentemente o medo é de a empresa acabar falindo antes de conseguir receber algo no judiciário. Quanto a ponderar se ele vai ganhar ou não, acredito que ele já tenha ponderado. Mas eu, caso achasse que tenho grandes chances de ganhar, não deixaria de entrar com a ação por medo de a empresa falir, já que o que ofereceram de indenização não é tão relevante.

            • Talvez eu tenha entendido não mesmo o cerne da questão… Acontece 🤷🏻‍♂️

            • Wagner

              Exatamente isso Jair, minha dúvida é se vale a pena ajuizar uma ação contra a Lifemiles, sendo que a Avianca está nesse entra em falência ou não entra. Outra dúvida seria onde eu entraria com uma ação sendo que o produto foi milhas Lifemiles. Eu gastei 80k por uma perna na executiva por Avianca Internacional.

  • Thiago R.

    Tentaria ajuizar na justiça, em uma dessas da Latam fui indenizado em 8,5 mil reais. Se isso atrapalhou seu serviço ou descanso para retornar ao serviço dá um gás na petição, principalmente que ficou muito tempo em solo estrangeiro, atraso de 35h.

    • Ariel Prates

      processei a latão por perder minha mala (demoraram 3 dias pra encontrar) enquanto estava em bariloche, frio de -1 e eu com 1 casaco apenas. processei a latão e o juiz lazarento me deu o ressarcimento das compras feitas + 2.000 de danos morais. hoje em dia tudo é ‘dissabor do cotidiano’.

      • Henry

        Num é juiz lazarento não.. é processo mal instruído…
        Mesma situação que vc… casal em lua de mel teve a mala extraviada por 3 dias… o dano moral foi de R$ 25 mil… é uma questão de saber argumentar, fundamentar o pedido e fazer o percurso lógico do dano moral…
        Mas.. boa parte dos advogados ficam perdendo tempo com o “.. de acordo com a lei tal.. blá.. blá.. blá… ” como se o juiz não soubesse de “cor e salteado ” a lei…..

        • Ariel Prates

          Verdade em partes: meu advogado já entrou com pedidos para casos ‘menos graves’ de perda de mala (1 dia, 2 dias, nacionais) e ganhou bem mais do que no meu caso. Vai do juiz, tanto que na segunda audiência quando ele viu o juiz já falou: nos ferramos.
          Outro ponto: os valores para danos morais estão diminuindo SIM, pois tive febre (comprovada nos autos) e mesmo assim o juiz disse que não tinha como aumentar o dano e o limite para danos materiais (no caso de perda definitiva da mala) é de uns 4 mil e poucos reais (lei não me lembro qual).

          • Henry

            Ariel…
            Indenização por danos MATERIAIS em caso de extravio de mala, tem o limite de 1.000 DES – Direitos Especiais de Saque – fixado pela Convenção de Montreal, que o Brasil é signatário, que prevalece sobre o CDC APENAS no quesito dano material..
            Já o dano MORAL, não existe nada fixado na Convenção de Montreal e, inclusive, o STF, através do voto ministro relator, Gilmar Mendes, foi taxativo que o DANO MORAL não está adstrito ao previsto na Convenção de Montreal, que é utilizada basicamente para limitar valores de danos materiais e para reduzir o prazo para ajuizamento da ação em 2 anos (no CDC é de 5 anos)..
            Fora isso, tudo que não é expressamente previsto na Convenção de Montreal, é aplicado sim o CDC…

            • Ariel Prates

              Exato, como no meu caso eles recuperaram a mala, eles só me reembolsaram com as despesas das roupas que tive que comprar + danos morais de 2.000.

              • Henry

                Dependendo do valor da roupa comprada, eu não pediria.. porque a roupa o juiz pode entender que ela foi integrada ao seu patrimônio e havia o risco de não te dar o dano material, neste caso…… e, se vc alegasse que estava com o dinheiro certo para as refeições/passeios, não tendo assistência da Latam para comprar roupas, reforçava o pedido de dano moral, poque vc passou frio, e não pode fazer parte dos passeios, por conta do frio, pois não tinha dinheiro sobrando pra comprar roupas…

                • Ariel Prates

                  Mas foi exatamente isso que foi feito, anexei comprovantes de limite do CC e tudo para mostrar que: abri mão de passeios não só pelo $, mas porque as lojas só abriam em horário comercial, sendo impossível ir até elas antes de ir ou depois de voltar de um passeio. Reforço: o juiz foi lazarento nesse caso.

                  • Ariel, apesar do que respondido ao Henry acima, ele tem alguma razão. A receita do bolo todo confeiteiro tem. Nem por isso todo bolo fica igual! 🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️

                • A comprovação do dano moral nem sempre é fácil mesmo quando tentamos produzir a provas, Henry. Eh isso que o colega Ariel está dizendo. E isso, a produção e coleta de provas, o “percurso lógico do dano”, só meia dúzia de gente sabe. O consumidor não sabe. E um juiz sabe disso. Mas ele também é brasileiro e também tem um rei na barriga. Pra alguns deles é um acinte fazê-lo descer do Olimpo pra desperdiçar o tempo dele com um mero “dissabor do cotidiano”… 🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️🤷🏻‍♂️

  • Cristiano Andrade

    Tem 2 coisas que são difícil de computar e é muito pessoal:
    – Qual o valor do seu tempo? Num processo na justiça você gastará horas e horas (não é apenas largar na mão do advogado) nisso, que seja um par de hora.. quanto vale seu tempo?
    – Qual o valor do estresse adicional? da expectativa de ganhar ou perder, dos sentimentos causados por uma decisão judicial menos satisfatória? de uma apelação da companhia aérea?
    Esses casos de mudanças de horários se tornaram frequentes nos últimos meses. A Avianca já vem reorganizando a malha faz um tempo, devolvendo alguns aviões, cancelando rotas… é um processo que poderia se melhor gerenciado com antecedência… enfim, sendo ou não, gera problemas.
    Em resumo, a situação da empresa, cancelamentos e atrasos constantes, pouco ou nenhum interesse em manter a base de clientes… cortei Avianca das minhas opções, limpei o saldo do Life Miles e segue a vida.
    Nesse caso específico… 206 dólares? em espécie, na conta? aí ok… 17k Life Miles eu não aceitaria, nem aqueles vouchers que só pode usar com eles. Mas sim, se você tiver tempo e paciência, e a passagem tenha sido comprada no Brasil, ir pra Justiça (e pequenas causas) pode ser a melhor alternativa.

    • Wagner

      Olá Cristiano, não são 206 dólares na conta (cash), são 206 dólares que eu terei que usar obrigatoriamente em produtos Avianca Holding ou Lifemiles. Esse seria o problema. Porém, meu medo seria e se a Avianca Internacional falir? Arrisco ou não. E onde devo ajuizar a ação? No Brasil?

  • Henry

    Onde foi que vc emitiu a passagem ?? foi no Lifemiles com milhas ?? foi em outro programa de fidelidade com milhas para voar pela Avianca ?? Comprou cash ?? se comprou, foi direto na Avianca ou em algum consolidador (Decolar, Submarino etc) … ??? isso é importante para uma análise/sugestão do que deve ser feito…

    • Henry

      É Guilherme…
      Fica difícil ajudar… existe uma boa possibilidade da pessoa ser indenizada.. mas precisa saber contra quem será ajuizada a ação…
      Se for contra a Avianca Internacional… aí, tem que sopesar bem, porque pode ser que ganhe uma indenização de “UM MILHÃO” de milhas Lifemiles, que hoje pode até valer alguma coisa, mas amanhã pode valer tanto quanto uma nota de R$ 7,00…. rsrs…
      Já se for conta Decolar, Submarino, Miles & Go, etc etc.. aí é outra história…

      • Cristiano Andrade

        Verdade! Se for contra um desses aí a ação vale muito mais a pena! Fiquei pensando aqui… a galera que processou e ganhou poderia disponibilizar pro Guilherme o contato de advogados e ~ o custo de honorários via mensagem privada. Pensando aqui só o trabalho de falar com 3 ou 4 advogados que você não tem ideia se sabem o que estão falando e as referências… deu preguiça.

      • Wagner

        Justamente Henry é o que eu estou pensando, como vou ajuizar uma ação contra a Avianca Internacional e nesse tempo ela vai lá e entra em falência. Tenho medo, visto que todo o processo foi direto na Lifemiles. O que você faria?
        Já perdi mais de 100k na Avianca Brasil, estou traumatizado.

    • Wagner

      Olá Henry, tudo bem?
      Eu emiti diretamente com o programa Lifemiles (Colômbia). Eu voei Avianca Colombiana de Munich a Bogotá e depois subsidiaria da Avianca (Avianca Peru). Comprei usando milhas e paguei a taxa de embarque e de emissão no cartão de crédito.

  • Humberto

    Em setembro passado tive um problema parecido. Na véspera me ligaram falando que o meu vôo original havia sido cancelado e me ofereceram outras duas opções de vôo. Ao chegar ao aeroporto para o check in na executiva, fui informado que o avião que faria o trecho naquele dia não tinha classe executiva e me ofereceram um voucher de 500 dólares por passageiro ou ir no próximo dia. Tentei aumentar o valor, mas foram irredutíveis e então acabei aceitando os 500 dólares para não perder mais um dia de viagem. No fim utilizei o voucher para emitir uma passagem para Miami em abril de 2020, só espero que até lá não tenham falido.

  • Afonso

    Primeiramente, fico feliz em poder retribuir de alguma forma com algum relato (e obrigado por corrigirem meus erros pois digitar no celular estava difícil rs).

    Entrei com processo por N motivos:
    – Foi minha primeira viagem de executiva pagante (GRU-BOG-AUA). Na época consigui um valor excelente para uma viagem que planejava a muito tempo. Saiu pouco mais caro que uma passagem pagante de Econômica;
    – No pior dos casos, eu ficaria “empatado” financeiramente. Eu acredito que se você pagou por um serviço você deve ser tratado de acordo e você tem direito sobre cada centavo pago. Pagamos pela experiência;
    – Apesar de ficarmos em um ótimo hotel em Bogotá, perdi 1 dia de hotel em Aruba. Não deu para aproveitar a cidade pois chegamos tarde no hotel;
    – Equipa da Avianca despreparada. Não sabiam nem mesmo como iríamos do aeroporto para o hotel que eles ofertaram. Esperamos mais de 2h no aeroporto para achar uma VAN que nos levaria ao hotel;
    – Na segunda pernada da ida, como já relatado, fui em Econômica mas no bilhete constava Executiva. No próprio aeroporto falaram que não tinha o que ser feito e depois de muita insistência iriam reembolsar U$100 em produtos da loja da Avianca (“ótimo” negócio). E ainda quiseram me barrar no Lounge da Avianca ¬¬”;

    Logo, por conta dessa experiência + tratamento da Avianca resolvi pagar o advogado. Conforme fui avisado pelo mesmo, sabia que a possibilidade de ganho sobre “danos morais” (devido ao tratamento da empresa + perca de diária do hotel em Aruba) seria pequena, mas mesmo assim ajuizei! Segui a vida mas ao menos fiquei “empatado” financeiramente.

    Impressão: o aeroporto de Bogotá me pareceu que tinha muitos outros voos atrasados! Tinha pessoas que estavam na cidade a mais de dois dias pois não conseguiram reembarcar no dia seguinte! Acredito que se estivesse com bilhete pagante de Econômica eu estaria nesta situação!

  • Neto

    É uma opinião muito pessoal, mas em resumo, creio que faria o seguinte:
    Se for U$206 em cash, eu aceitaria, pra resolver isso logo.
    Se não for esse o caso, então bora pra justiça.

    • Wagner

      Não é em cash, seria em produtos Avianca, onde eu posso usar na própria Lifemiles ou compra de passagens AVIANCA.

  • M.M

    Acabei de aterrisar um voo TAP emitido com pontos Azul. Perdemos a conexao em lisboa deviado a um atraso no voo em porto e chegamos no destino com 25 Horas de atraso. Perdi compromisso profissional que posso comprovar
    Eu fui em executiva e o meu amigo que estava em executiva teve downgrade pra economica e ficamos sabendo apenas na porta do aviao. Qual o valor medio de indenizacao pra um caso desses?

  • Felipe Barboza Pinheiro

    Comprei para dezembro/2019 ida e volta a miami pela Avianca para mim, esposa, filha pai e mãe! Estou um pouco preocupado, qual o seguro viagem que vocês indicam que possa cobrir despesas caso ocorra algum problema relativo a cancelamentos em função de crise da Aviança?

    • Rogerio_USA

      Alguns cartões de crédito possuem seguro em caso de perda/cancelamento de vôos, verifique com a administradora do cartão que utilizou para compra dos bilhetes, ou pagamento das taxas caso tenha emitido com milhas/pontos, para saber se terá cobertura….

  • Henry

    Caraca Guilherme..
    O cara lançou a dúvida, todo mundo procurou ajudar… aí, o cara tomou Doril… rsrs…

    • Guilherme

      kkkkk….. calma Henry, calma, que ele logo aparece……rsrsr

      • Wagner

        Apareci hehehehe! Muito obrigado Guilherme, gratidão pelo post!

    • Flying_B

      Kkkkk

    • Wagner

      Opa Henry, tudo bem?
      Apareci hehehehe, eu estava fazendo várias entrevistas de trabalho fora da minha cidade, não estava conseguindo acompanhar aqui.
      Obrigado por tentar me ajudar!

  • Wagner

    Muito obrigado a todos que responderam! Principalmente ao Guilherme que abriu esse espaço para um leitor. Gratidão pela tentativa de ajudar ativamente. Nem imaginei que minha dúvida poderia se transformar em um post.

    Bom para deixar mais detalhes que pode servir para outra pessoa futuramente eu usei 80k Lifemiles por uma perna entre Munich e Santiago, com várias conexões através da Avianca Peru. Todos trocados em um bilhete único.

    Me ofereceram 206 dólares em produtos AVIANCA ou Lifemiles, nada de cash, ou 17k em milhas Lifemiles.
    Pensei em aceitar os 206 dólares pensando em uma possível promoção de compra de pontos com bônus. O problema que também não sei se poderia usar desse artifício para ganhar os bônus.

    Outra coisa eu poderia entrar com uma ação no Brasil, sendo que a Lifemiles não tem representação no Brasil?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×