[Guest post] Como obrigar a TAP a honrar os bilhetes-prêmio emitidos com pontos Amigo Avianca

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Diante da repercussão do post de ontem, registro aqui o comentário do Celso, que resolvi transformar em guest post, a respeito do perrengue envolvendo a TAP e os bilhetes-prêmio emitidos com pontos Amigo, a fim de ajudar mais leitores envolvidos na mesma situação.

………………

“Guilherme,

Esse notícia gerou em muitos blogs manifestações inclusive com afirmações incorretas, induzindo leitores a erros. Porém, todos partem do ponto comum, e ficam falando sobre o mesmo.

Gostaria de mostrar por outro ângulo o problema.

1- David Neeleman não chegou onde chegou por acaso. Sabe eleger seus subalternos. Afirmar que português é burro além de preconceituoso, deve-se ver quem realmente é o burro, nós ou eles?

Vejamos alguns fatos:

a) Você acredita que a TAP tomou uma decisão desse porte porque o filhinho do Henry quis?

b) Você acredita que a TAP não tem um departamento jurídico que conheça ao menos em detalhe as leis no seu maior mercado fora de Portugal, no caso o Brasil?

c) Você acredita que a TAP toma uma decisão de confrontar a lei e arcar com perdas judiciais sem avaliar risco?

d) Você acredita que Neeleman permitiria prejuízo em caso previamente conhecido do teor das imensamente prováveis decisões judiciais?

Se você respondeu NÃO a todas essas questões, a resposta ao fato é simples.

CRM – Software de inteligência orientando decisões.

Como isso funciona?

O individuo X analisa aspectos na lei e passa a ganhar dinheiro com lei, com falhas, ou com aplicação pouco frequente.
.
Vamos ao exemplo.

A cobrança de taxa de combustível YQ é ilegal no Brasil, na emissão de bilhetes.

Pois bem, eu decido que minha empresa irá cobrar 100 euros por bilhete.

Hipoteticamente, vendo 100.000 bilhetes emitidos com milhas por ano.

Com esse custo recebo um adicional de 10 milhões de euros ano.

Porém, receberemos X ações judiciais com amparo na lei que teremos que devolver o valor em dobro (a empresa já sabe desse fato) e mais um ou outro dano moral arbitrado pelo juízo, que, exagerando, na média ficaria em 1.000 euros.

Digamos que, ao final, pagamos uns 500.000 euros na Justiça. Você não gostaria de ganhar 9,5 milhões de euros por ano?

Bem, mas agora o nível de ações aumentou, em número, o valor das indenizações está muito mais alto, ou isto pode impactar a fidelização de boa parte dos clientes (ISSO É MEDIDO POR PESQUISA).

Bem, nesse caso, passamos a imediatamente não cobrar mais a taxa YQ.

Veja que as empresas não afrontam a lei norte-americana. Um indenização lá por fatos muitos menos graves facilmente ultrapassam o milhão de dólares. Imaginem a afronta a lei!

Esse mesmo raciocínio vale para o cancelamento dos direitos dos bilhetes da Avianca/Amigo.

A empresa aposta que o resultado dessa ação frente ao desembolso na Justiça dará grande ganho a TAP.

Como agir

A TAP é solidária na responsabilidade e em bilhetes emitidos o transporte deverá ser honrado.

O que fazer caso o bilhete não seja honrado?

1) Caso tenha condição, compre no mesmo voo, no mesmo dia, na mesma rota, um bilhete PAGO da TAP! Retornando da viagem, entre no JEC e requeira a devolução em dobro mais danos morais.

No caso de múltiplos passageiros, compre separadamente os bilhetes e cada um fará uma ação para evitar os limites do JEC, 20 salários mínimos sem advogado, e 40 com advogado constituído.

2) Caso não tenha como comprar o bilhete pago, entre com pedido de liminar no JEC, com pedido de multa por dia em caso de descumprimento. Se sua viagem não for a turismo, anexe motivos da viagem pedindo elevação dos valores da multa em caso de descumprimento.

3) Todos os seus contratos desta viagem devem estar em português ( reserva de hotel , carro etc.). Se perder as reservas também poderá cobrar da TAP os valores.

4) Caso esteja no seu período de férias e tenha vínculo pela CLT com seu empregador, documente isto e apresente no JEC.

Agora, agradeça a TAP que, além de lhe honrar os bilhetes, vai lhe dar algumas diárias grátis na sua viagem.

Ter que solicitar a tutela do Estado para cumprimento de direito líquido e certo – no caso o transporte aéreo em bilhete emitido – dificilmente não gera indenização por dano moral. O problema é o valor que é baixo frente ao poder econômico dessas empresas.

Você também pode ir neste site, e resolver sua situação rapidinho:

www.consumidor.gov.br

Cadastre-se, abra reclamação e em no máximo 10 dias estará tudo resolvido.

Veja meu caso.

Tenho bilhete emitido com a AIR CANADA GRU-YYZ-YVR, ambos os voos no 789, com poltrona flat bed.

A Air Canada deu um downgrade na aeronave que opera o segundo voo e agora será num A321-200 cuja business tem poltrona recliner.

Não aceitei!

Liguei no Call Center da Air Canada e uma supervisora, infelizmente cega para visualizar o Código de Defesa do Consumidor, disse que não tinha mais lugar nos outros voos para passageiros com bilhetes emitidos com milhas.

Disse que isso não era problema meu!, Não aceitava o downgrade.

Diante do impasse, abri reclamação no site acima, já informando da judicialização caso não tivesse meu pedido atendido e, em 3 dias, rapidamente está tudo resolvido.

sds, 


Celso.

ESQUEÇAM PROCON E RECLAME AQUI!”

Tagged as: ,
  • Henrique P. P.

    Parabéns ao Celso pela postagem. Resume bem e indica os possíveis caminhos a serem tomados. Boa sorte a todos os prejudicados e busquem os seus direitos!!

  • Cicero Bezerra

    Celso, parabéns pela postagem, resumiu tudo de forma direta e correta. Sou advogado e infelizmente o que vejo é exatamente isso, a maioria das pessoas não busca seus direitos e as empresas se valem disso. Como você disse, se muitos entrarem na justiça logo, é capaz de a própria TAP voltar atrás na decisao em breve.

  • Gabriel

    Com relação ao item 1) das sugestões, acrescento apenas que é possível o ajuizamento conjunto de ação por pessoas que estão no mesmo bilhete mesmo que o valor global do pedido ultrapasse o teto do Juizado Especial (o valor por pessoa é que deve respeitar o limite). Existe inclusive tese do Superior Tribunal de Justiça de 2017 sobre o tema: “Em se tratando de litisconsórcio ativo facultativo, para que se fixe a competência dos juizados especiais, deve ser considerado o valor da causa individualmente por autor, não importando se a soma ultrapassa o valor de alçada.”

    • Beatriz Roland

      Exatamente. O valor de 40 salários mínimos é por litigante.

      • Observando Fato

        Veja isto,
        P: Emiti passagem de ida e volta, sendo a ida com a TAP e a volta com a Lufthansa/Turkish/Singapore etc. Está tudo no mesmo localizador. O que vai acontecer?
        R: Em condições normais, se o primeiro trecho for cancelado, os demais também são. Não sei como a TAP vai fazer nesses casos.

        Negativo, o STJ já sumulou inclusive que tal procedimento configura enriquecimento ilicito da empresa. Bilhetes cuja relação contratual estejam sob o olhar do Poder Judiciário Brasileiro não podem desde então ter ato lesivo ao consumidor cancelando-se os trechos subsequentes. Dado no show no trecho inicial a empresa por força de sumula do STJ fica obrigada a manter os demais trechos nao podendo recusar o embarque do passageiro.

        Saudaçoes.

        • Beatriz Roland

          Celso, não foi súmula. Foi entendimento da 3a Turma e não foi em sede de recursos repetitivos. Porém, vai explicar isso lá em Singapura. Esse é o x da questão. Para voos domésticos, tudo bem, as cias aéreas estão cientes. Mas a Asiana e a Thai não têm a menor ideia disso. Aí vc poderia argumentar que a TAP sabe. OK. Mas a TAP tbm sabe que é solidária com o Amigo perante o consumidor e nem por isso deixou de fazer essa burrice imensa. Mas valeu pelo toque – vou dar uma corrigida no texto e explicr o que acabei de dizer aqui.

          • Observando Fato

            Dra. Beatriz,
            A senhora esta confundindo as coisas. Cidadao brasileiro nao tem direito a estabelecer litigio em Cingapura, com C.
            O descuprimento por parte de uma empresa Asiática sem representaçao no Brasil em nada altera a responsabilidade solidaria do emissor, no caso em tela, a TAP.
            A burrice imensa da TAP está no seu ponto de vista e num mero palpite. Será que David Neeleman também acha burrice diante de analises estatísticas que deve possuir, será?

            sds

            • Beatriz Roland

              Eu não sei de onde você tirou que eu sugeri que cidadão brasileiro vai estabelecer litígio em Singapura ou qualquer outro lugar do mundo (e eu não sei se brasileiro tem ou não direito de estabelecer direito em Singapura, para dizer a verdade; mas parece que você conhece o assunto). A minha hipótese é do cancelamento do bilhete da ida com a TAP e a volta com outra empresa. Dei como exemplo a Singapore Airlines. A pessoa insiste, emite outro bilhete só de ida com o AAdvantage, MileagePlus, FlyingBlue – qualquer programa – e conta com a volta pela Singapore e Turkish. Pode ser – como disse e repito, não sei como a TAP está resolvendo esses casos – que a reserva toda caia e o passageiro só descubra isso no embarque em Changi. Qual é o efeito da decisão da 3a Turma do STJ de um caso envolvendo a GOL sobre os atendentes da SQ lá em Singapura com a reserva cancelada?

              • Observando Fato

                Dra. Beatrz, veja o que disse

                Vai explicar lá em Singapura que a 3a Turma do STJ tem um acórdão sobre isso.

                Isso esta fora do contexto. O litigio ocorrera no Brasil e isso a Dra. claramente sabe.
                sds

    • Observando Fato

      Sim, claro mas ao fazer acoes individuais com pleitos ate 20 SM nao ha custo nenhum com advogado. Pleitos de mais que 20 SM numa mesma acao o advogado representando ira querer honorarios sobre todos, ou nao.? Se tem uma classe com profissionais que merecem repararos sao os DVOGADOS. Verdadeiros analfabetos que cobram por serviços que nao sabem executar. NA MEDIA no Brasil, dentre as varias profissoes, advogados são os que mais mediocres tem no exercicio profissional. Se tiver o trabalho leia algumas petiçoes, sao nitidamente ridiculas! Há despachos de juizos sinteticos apos lerem essas perolas assim: ” Esclareça o autor no prazo x o que pleiteia sob pena de indeferimento no prosseguimento da açao”., ou seja , o magistrado não consegue entender o que o idiota solicita para seu cliente! Um absurdo!
      Existe uma forçação de barra, em pleitos onde a prova documental do direito é inquestionável, até 20 SM contratar advogado é mais que desperdício.

      Acima a legislação exige.
      Abraço Gabriel.
      Celso.

      • Gabriel

        Celso, se a ideia é não usar advogado, é possível o entendimento a partir da tese que indiquei, por analogia, que o limite para ajuizamento sem advogado é de 20sm para cada autor; a causa poderia, portanto, ter 40sm havendo dois autores, por exemplo.
        Sobre a questão dos advogados, entendo que como todas profissões no mundo existem os bons, os ruins, os corretos e os incorretos, infelizmente. Em alguns casos o advogado pode ser dispensado, tanto que já indiquei para algumas pessoas e para alguns casos o ajuizamento de ações por conta no Juizado Especial; por outro lado, já vi muitos casos de processos com prova inquestionável de direito considerados “vitoriosos” perecer por uma questão técnica processual que poderia ser evitada.
        Abraço!

        • Beatriz Roland

          Sim, o valor da causa pode ser até 120 SM se forem 6 autores e assim por diante …

        • Henry

          Neste caso da TAP, eu não aconselho a pessoa entrar sem um advogado… acho que a pessoa deve procurar um advogado de confiança dela… e ajuizar sim…

          • Gabriel

            Concordo plenamente Henry, apenas tratei do assunto para comentar a informação levantada pelo Celso.

            • Henry

              Eu tb aconselho várias vezes das próprias pessoas fazerem seus processos… mas neste caso não acho aconselhável porque tem que ter cuidado… porque para um juiz fazer a antecipação da tutela, com o pedido de liminar, a ação tem que estar muito bem instruída.. ainda mais, que algumas pessoas teriam que pedir a liminar sem o juiz ouvir a outra parte (TAP), porque a viagem está em cima da hora… além disso, a TAP certamente vai querer pular fora do polo passivo, alegando que o problema é da Avianca… pode até tentar usar a Convenção de Montreal…
              É preferível a pessoa gastar um pouquinho mais.. e ter uma chance maior… até porque o advogado certamente obterá, em tese, uma condenação maior…

              • Observando Fato

                Henry,
                Para antecipacao de tutela concordo ser o advogado muito importante para caracterizar o dano irreparavel eventual. etc…..

                sds

      • Beatriz Roland

        “Pleitos de mais que 20 SM numa mesma acao o advogado representando ira querer honorarios sobre todos, ou nao?”. Ué, em qualquer causa que atue o advogado quer ser remunerado. Vc trabalha de graça?
        Acho que vc não entendeu o que acontece. 5 pessoas entram, em uma mesma ação, pedindo, cada uma, 18 mil em danos. É a mesma ação. Não precisa de advogado.
        Quanto ao seu comentário …
        E ADORO esperar audiência na sala do JEC e ver gente sozinha porque quer fazer economia porca. Já vi dezenas, DEZENAS de pessoas aceitando acordos ridículos porque têm essa mentalidade. Aceitam R$ 1.000,00 quando aquele juiz ali dá R$ 8.000,00 nos casos semelhantes. Economizou R$ 2.000,00 e saiu feliz da vida e a empresa mais ainda porque economizou R$ 7.000,00.

        • Henry

          Os processos que faço no varejo (JEC/Varas Cíveis) não são o meu ganha pão, mas não abro mão de cobrar honorários… não é uma questão de grana, mas sim de não fazer concorrência predatória com os colegas e tb de valorizar o meu trabalho…
          A única coisa que eu faço de diferente é assumir um compromisso de não cobrar nada caso não consiga vencer a causa… ou seja, eu assumo o risco…mas, como nunca perdi, não tive prejuízo…. cobro 20% sobre o que o cliente receber… não tem contrato, é acerto verbal e nunca recebi calote de nenhum cliente… e se algum der, vai ficar por isso mesmo… só que não terá mais atendimento.. simples assim…

          • Beatriz Roland

            Claro, Henry. Mas tem gente que acha que sabe tudo de direito, mas que não entende o básico – como a diferença entre súmula e acórdão. Ou acórdão de turma e acórdão em sede de repetitivos. Mas, enfim, deixa pra lá …

            • Observando Fato

              Dra. Beatriz,

              Veja que conflitante, olhe o que a Sra. escreve na mesma data:

              P: A TAP é obrigada, legalmente, a honrar os bilhetes?
              R: Sim, pelo Código de Defesa do Consumidor, todas as fornecedoras de produtos e serviços são solidariamente responsáveis perante o cliente. Isso quer dizer que a TAP pode ser demandada na justiça a honrar os bilhetes ainda que a Avianca venha oficialmente a falir.

              P: É causa ganha?
              R: Não. Cada juiz pensa diferente. Acho que há grande chance de ganhar, sim, mas nada é garantido nessa vida.

              Afinal , a Sra vai de Bolsonaro , Haddad ou anula seu voto?

              Como seria isso, a empresa e obrigada e o juiz nao decreta a obrigatoriedade?

              Esta muito dificil entender esse raciocinio..

              Estamos diante de sumula ou acordao.

              Nao deixe pra la nao, esclareca, para quem nao conhece o basico.

              De uma ajuda por favor. Muito obrigado.

              sds

              • Beatriz Roland

                Celso, há pessoas que entendem que a Convenção de Montreal (antiga Varsóvia) seria aplicada no caso, como aventou um leitor. A jurisprudência brasileira, até a decisão do STF sobre indenização relativa a bagagens, era maciçamente favorável à aplicação do CDC. Milhares de indenizações foram dadas aos consumidores, com trânsito em julgado e sem possibilidade de rescisória. Isso vem acontecendo há anos, mais de década. Aí veio o STF e disse que não era – decisão do Pleno. Nisso, todos aqueles milhares de magistrados que entendiam como eu e muita gente agora são obrigados a aplicar a decisão do STF nesses casos. E aqueles magistrados que eram derrotados pois entendiam pela aplicabilidade da CM/CV agora já estão dando suas decisões com lastro no entendimento do STF. Daí que causa nenhuma é causa ganha. O entendimento HOJE é majoritariamente em favor do consumidor, mas nada impede que amanhã tudo isso mude.

        • Observando Fato

          Dra. Beatriz,
          O que disse e reitero consiste no desperdicio monetario em contratar advogado no JEC em acoes com valor abaixo de 20 SM por pessoa em ACOES cuja PROVA EXCLUSIVAMENTE DOCUMENTAL esta exibida ao juizo e o pleito consiste em cumprir o contratado no documento, APENAS.
          Nao falo em nao contratar em liminar ou qualquer subjetividade em sede de cognicao.
          Eu tenho pensamento diferente da Sra. que ADORA ver gente sozinha (sem patrono) aceitando acordos ridiculos. Isso mostra a baixa escolaridade do autor e ADORAR alguem ser prejudicado parece-me conflitante com que em tese busca justica para todos.
          Que pena que adore o prejuizo do hiposuficiente, uma pena.

          sds.

          • Beatriz Roland

            Celso, vamos parar por aqui, porque percebo que seu entendimento jurídico, inclusive no que tange honorários, é limitado em muitos sentidos. Fora essa questão, que exige conhecimento formal, aprecio muito suas postagens e espero ler outros guest posts seus aqui no MMdM.

            • Observando Fato

              De acordo Dra. vamos para por aqui, porque percebo que seu entendimento de justica so vale para seu cliente e quando alguem no JEC sem advogado faz um acordo ruim sendo injusticado a Sra. ADORA, conforme grafou em letras maiusculas. Fora essa questao que esta na essencia da condicao humana, buscar justica para todos, aprecio que mantenha seu site com informacoes sem se vender como muitos dos seus concorrentes.
              Cordialamente.
              Celso.

  • Gustavo Castro

    Parabéns pelo post, muito bem explicado!! Alguém já ajuizou ação contra a Emirates por cobrança de YQ? Estou pensando em emitir Emirates com milhas tap e depois cobrar no JEC a devolução das taxas YQ.

    • Observando Fato

      Gustavo,
      Aqui so uma dica, entre com a açao no JEC contra as duas para evitar que uma empurre a responsabilidade a outra.
      O juizo na sentença afasta a responsabilidade da outra e voce nao é penalizado por isso.

      sds,
      Celso.

      • Beatriz Roland

        Celso, elas vão empurrar uma para a outra de qualquer modo, endoprocessualmente.

  • Rodrigo Pinto

    celso, boa tarde!! saberia me informar se as “taxas cobradas pela cia” que são cobradas pela smiles quando vamos emitir um voo TAP (fortaleza > lisboa) se refere a taxa de combustivel? Essa cobrança continua ilegal?

    • Observando Fato

      YQ em bilhete emitido em site brasileiro, por cidadao brasileiro, naturalizado ou residente no Brasil, com origem no Brasil é ilegal.
      As taxas devem vir especificadas no detalhamento da tarifa.

      sds

      • Beatriz Roland

        O cidadão pode ser estrangeiro também, desde que resida no Brasil.

        • Observando Fato

          Esta escrito acima OU RESIDENTE NO BRASIL.

          • Beatriz Roland

            Nossa! Foi só uma complementação à informação, já que pode não ter ficado claro vez que a palavra “estrangeiro” não foi mencionada. Calma, Celso. Não tem ninguém brigando aqui, não.

    • Albino

      Esse tipo de emissão é uma emissão pagante em tarifa Discount, convertida para milhas. A taxa de conversão é altamente desvantajosa para o cliente por conta da taxa de combustível. Além disso, o bilhete não é reembolsável e não inclui bagagem.
      Melhor vc comprar o bilhete pagante e usar suas milhas para outra coisa, nem que seja vender.

  • Cinthia Rangel

    Mas essa atendente da Air Canadá é boa! Estou com problema parecido na LATAM/British Airways e vou ter que acionar o Judiciario! A Multiplus/LATAM lavou as mãos!

    • Observando Fato

      Mas tu é guria esperta! Vais obter sucesso.
      Peleia mesmo!
      sds.

  • Cinthia Rangel

    Vcs viram que no Jabá de Primeira está cheio de advogados de cias aéreas dando pitaco?
    Celso,
    Adorei a atitude da Air Canadá. Estou com problema semelhante em voo emitido pela Multiplus para voar BA e nada se resolve. Vou ter que ir ao Judiciário, certamente.

    • Observando Fato

      Cinthia,

      Jaba de Primeira é o site preferido do Henry. Nao leio.
      Tem um outro site que o Henry adora, que se autopromove falando em credibilidade. Aquele que enquanto a American Airlines cacifava era o maximo, agora vao de Smiles. Veja o que ele disse aos leitores:

      CENTRAL DE AJUDA TAP

      “Agora, é preciso também expor o pior cenário possível, pois de acordo com o CDC também é possível da empresa aérea indenizar o valor do bilhete e com isso pode ser interessante para a TAP indenizar quem entrar na justiça um bilhete de classe econômica promocional no valor de até 2 mil reais, e pegar esse assento e revender por 4 mil reais no mês de alta temporada de julho. Esse cenário é possível, e vai depender única e exclusivamente do entendimento do Senhor Doutor Juiz de Direito encarregado da questão.

      Ele diz ser advogado.

      Curioso, veja o que diz o CDC,

      Art. 4º A Política Nacional das Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo, atendidos os seguintes princípios: (Redação dada pela Lei nº 9.008, de 21.3.1995)

      I – reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor no mercado de consumo;

      II – ação governamental no sentido de proteger efetivamente o consumidor:

      Esse editor do blog muito provavelmente nunca leu o CDC e o que ele alega jamais podera ocorrer, pois a mera afirmação do consumidor que esse ato lhe é prejudicial
      honerando a nova aquisiçao afasta a intenção do fornecedor do serviço.

      Afirmar em tom ironico, josoco, “Esse cenário é possível, e vai depender única e exclusivamente do entendimento do Senhor Doutor Juiz de Direito encarregado da questão.
      é atribuir a outrem incapacidade, quando na realidade o autor do blog posta fatos nao amparados na lei, criando situaçoes hipoteticas nao amparadas na lei, fazendo terror
      nos leitores com seus achismos.

      Claro que no Brasil há Gilmar Mendes, mas na media ainda há muito mais magistrados que julgam de acordo com o que o cidadao mediano interpreta na leitura da lei.

      O Juizo fica adstrito as leis e nesse caso o CDC é MUITO CLARO, MUITO MESMO!.

      Esse é o Brasil, onde autopromoção, propaganda enganosa, propina para divulgar noticias, nos sites A, B, C, D,………. existem aos montes.

      Aqui busco apreender com todos.

      sds,

      • Cinthia Rangel

        Fui lá ver a postagem. Realmente, lamentável.

      • Igor

        Já vi Juiz de JEC condenar uma empresa que nem era parte num processo… Não duvidaria nada se acontecesse o acima descrito

        Aqui onde moro, por sinal, dependendo do JEC, é melhor pro autor ajuizar na justiça comum

  • ROBERTO MACHADO

    Apagaram o comentario do henry no outro blog.

    Queria saber o q ele escreveu rs

    https://uploads.disquscdn.com/images/5d5a6d87d15d3998ec913c1902d44207cc85b6e7daf6b81ab077ffe6dd530526.jpg

    • ROBERTO MACHADO

      Agora.. o comentario sobre as pelucias foi sensacional kkkk

    • Henry

      Roberto…
      Há um ano que eu não posto mais comentários naquele site…
      Primeiro porque eu tenho uma postura muito crítica ao comportamento deles de sempre se alinharem do lado dos anunciantes, mas por outro lado eu acho um horror eu ir dentro da casa da pessoa e ficar falando mal dela.. acho uma falta de educação dizer desaforo na casa dessa pessoa… se o regulamento lá deles é para bajular anunciantes.. voilá.. que se fartem disso… sejam felizes e prósperos dessa maneira… quando o Fábio manejava o site, a coisa era outro nível.. o cara é o cara.. era uma águia em termos de dicas… mas… isso é passado…
      Segundo que posso perfeitamente expor minhas opiniões sem censuras e reprimendas, em outros locais, como este aqui…
      Eu apenas comentei lá no site deles porque acho isso tudo que a TAP está fazendo o absurdo dos absurdos….
      A propósito: o meu comentário foi algo do tipo:… “… acho mais fácil a galinha criar dentes….” rsrs…
      Como se vê, o Henry evoluiu.. agora, além “….de não perder a oportunidade de falar mal do Smiles….”(TM), resolveu falar mal da TAP e do PP… rsrs.
      (TM) By Né nom ???

  • Henry

    Sr. Celso…
    Serve a presente mensagem para NOTIFICÁ-LO a prestar, no prazo de 69 horas inúteis, “imporragáveis”, o esclarecimento e sentido da frase: “…Você acredita que a TAP tomou uma decisão desse porte porque o filhinho do Henry quis?…..” sob pena de responder por dano à imagem de menor impúbere.., sob a égide do ECA QUE TROÇO É ESSE ???
    Oportunamente, no caso de não responder ao questionamento, informo que estarei ajuizando a respectiva Ação de Indenização de Dano Imoral, com pedido de 20 Legos com valor individual menor que 1 Salário Mínimo..
    Ass: Filhinho do Henry…

    • Observando Fato

      Henry,

      Voce ja notou que em todos em sites de picaretas voce sempre é censurado, tem post deletado ou é expulso.
      Acho que estao com HENRYFOBIA.

      sds,

      • Henry

        Só foram 2 … não escrevo tanto assim:
        – Jabalandia;
        – Melhores Desatinos…
        O resto da liberdade às pessoas…

        • Observando Fato

          KKKKK, so tem mala querendo enganar as pessoas!
          Um tempo atras um enganador veio aqui no site se autopromover como grande expert!
          Que viajava o mundo , que isso , que aquilo e por ai vai.
          Quando questionado sobre fato especifico de voo na Qatar em First Class para testar seu conhecimento saiu com essa perola> eu ainda estou monitorando esses voos para emitir um dia!
          Esse metido a grande entendido hoje é um dos editores da Jabalandia.
          Nao sabe nem para ele vai ensinar o que?

          abraco Henry.

  • Observando Fato

    Felipe,

    Sob sua otica, totalmente correta, quero reformular o que disse de esquecer os sites PROCON e RECLAME AQUI.
    Quero entretando dizer que em ambos nao vejo efetividade e rapidez na resolucao se comparado ao http://www.consumidor.gov.br do Ministerio da Justica.

    sds,
    Celso.

  • Ismael Elias Branco Ossayran

    As empresas aéreas no Brasil tem um forte aliado contra o consumidor, a ANAC…

  • Igor

    Tive um caso com a NET e VIVO em que eles (e o MP) ignoraram…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×