Bônus de 100% na compra de pontos IHG: 200 mil pontos por USD 1 mil

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Promoção termina hoje.

Para acessá-la, é preciso que você esteja logado em sua conta IHG Rewards Club.

Os bônus de 100% valem para compras a partir de 7 mil pontos.

Conclusão

Fico com a conclusão do Henry (autor da dica):

“Muitas vezes é mais negócio comprar pontos e fazer reservas usando esses pontos.. outras vezes é mais barato você pagar cash a hospedagem nos hotéis da rede IHG.

Locais como Londres, por exemplo, NORMALMENTE, é mais negócio você usar os pontos.. em alguns casos fica QUASE a metade do valor de pagar cash…

Se você não conhece a rede IHG e o funcionamento em termos de quantos pontos precisa, não precisa sair igual a um louco para aproveitar essa promoção, porque a IHG a repete uma 3 a 4 X por ano…”

Enfim, como sempre, pesquisar e comparar preços é preciso.

Agradeço ao Henry pelo envio da dica!

Tagged as:
  • Observando Fato

    Henry,
    Já estamos quase no final do 1Q19 e nada, absolutamente nada de promoçãoi interessante, exceto esta que voce postou.
    O uso dos pontos na rede IHG quando bem utilizados, representam grande economia, para não dizer imensa.
    O leitor deve somente ter alguns cuidados.
    1-) Os pontos valem por 1 ano, MAS sao renováveis na totalidade toda vez que houver movimentaçao na conta.
    2-) Se tiver uma emissao em mente, compare os valores cash versus pontos e compre se vantajoso.
    3-) Utilizar a promoçao para poupança de pontos , jamais faria.

    sds;

    • Henry

      Observando…
      Eu concordo inteiramente com a sua observação nº 3…
      Mas.. eu sou um homem de fé… (as vezes me ferro por isso…rsrs)..
      Eu tinha uns 420k lá no IHG.. várias vezes fiz reservas para utiliza-los e, em função de compromissos, cancelei a reserva e os pontos voltaram..
      Mas… eu comprei esses pontos combinando três situações:
      1- Estava rolando a promoção de 100%;
      2- Eu usei meu cartão de débito americano… eu enviei os dólares para os EUA, via Santander.. paguei dólar comercial + 2,0% de spread + IOF da época de 0,38%… e, além disso, a cotação do dólar comercial na época tava excelente (se não me engando, tava R$ 2,15.. pra vc ver quanto tempo tem)…
      Agora em dez/18, eu consegui finalmente usar parte dos pontos… gastei 150.000 pontos no excelente HOTEL FAMILIAR StayBridge SeaWorld…
      Mas.. até hoje, nas minhas pesquisas, as melhores opções são para usar no Intercontinental de Londres, de Paris.. claro, na alta temporada, onde vc paga a mesma quantidade de pontos…

  • Henry

    Guilherme…
    Vou postar um off-topic, mas diante da tema, não dá pra fazer brincadeirinha de HOT.. é apenas off-topic.

    Mais off-topic relacionado aos dois acidentes com os 737-MAX…

    – saiu na mídia, que o 737-MAX tem recursos de segurança ESSENCIAIS vendidos como “extra” (me lembra algumas cias. aéreas que vendem passagem para Europa e a mala despachada é “extra”.. ). Pois bem, esses recursos poderiam ter evitados os dois acidentes nos 737-MAX. A propósito, os dois aviões que caíram, NÃO tinham esses recursos…
    – A Boeing, que fez um “puxadinho” no 737 (projetinho “old”, com quase 50 anos) e criou o 737-MAX, que é um avião que tem sérios problemas de estabilidade, a ponto de precisar de recursos de segurança pra não cair, em função dos dois acidentes, e a repercussão disso na sua imagem/resultado financeiro, chegou a conclusão que esses recursos devem ser fornecidos “free” e fará isso…
    – A coisa está complicada para a Boeing.. o FBI agora está coordenando as investigações, junto com o DOT, a respeito da aprovação muito rápida que foi feita pela FAA na homologação do 737-MAX, a despeito das novas tecnologias que estavam sendo implementadas no modelo. Está sendo feito uma auditoria.
    – Ontem ocorreu a primeira baixa na carteira de pedidos do 737-MAX. A GARUDA, cia. aérea da Indonésia, cancelou o pedido de 49 aparelhos 737-MAX, devido a quebra de confiança dos passageiros no modelo. A cia. aérea já está em negociações com a Airbus… Outras cias. aéreas estão analisando o cancelamento de pedidos.
    Essa história da Boeing e seu problemático modelo 737-MAX está muito parecido com o ditado que corre aqui no Brasil: “… puxa-se uma pena, vem uma galinha…”
    Desde muito pequeno, eu tenho verdadeira admiração/paixão pelo trabalho da Boeing… é uma empresa inovadora, participou/participa ativamente do projeto espacial americano…
    Seus aviões sempre foram pra lá de seguros… que os digam os 737 (claro, fora os MAX), os 767, 777 …
    Mas.. pelo visto “.. o bafo quente da Airbus no cangote” da Boeing, a deixou um pouco desnorteada…
    Tivemos o caso do 787 e suas baterias incendiárias… depois o problema com as turbinas (tudo bem que isso é outra empresa, mas afeta o operacional das cias.) e agora, os dois acidentes com o 737-MAX, que, diante dessas notícias que vão aparecendo em dose homeopáticas, causam efeitos alopáticos e imediatos em nós…
    A pergunta que talvez nós todos estejamos fazendo é:
    “… como pode a Boeing assumir esse risco e ser tão irresponsável…. ????? ”

    Criar um avião, puxadinho de outro, que precisa de um sistema pra não cair e cobrar para instalar esse sistema vital no novo avião ????

    Para o mundo, quer dizer, para o avião que eu quero descer….

    • A. Júnior

      A resposta é que talvez não seja isso e isso não passe de interpretação livre…

      • Henry

        Certamente.. . Talvez as pirâmides do Egito tenham sido construídas por ET’s ou talvez ali seja o berço dos males apontados na Lava Jato… vai saber…
        Não existe mal algum uma empresa esconder pequenos defeitos de fabricação de seus clientes… tá de boa…
        O que poderia ocorrer de ruim agindo assim??? Um avião cair..???
        Pois é… caíram dois….
        Talvez isso não passe de livre queda, isto é, pode ser livre interpretação pra ferrar uma empresa do porte da Boeing. .
        Porque ninguém deu a ela o beneplácito da duvida ….
        De repente não foram os aviões que caíram, mas movimentos abruptos de placas tectônicas que, lançadas em queda livre negativa ( de baixo para cima), atingiram os aviões e depois, como na maçã de Newton, retornaram ao útero da mãe terra …
        Pronto… está provada a inocência da Boeing…
        Só trás um Bom Ar…

    • Gustavo Botelho

      Podemos dizer que, enquanto a Airbus desenvolveu o A320neo para voar, a Boeing desenvolveu o B737max para cair…?!

      • Henry

        Não Gustavo..
        A Boeing fez o puxadinho no 737, projeto antigo da década de 60, para aproveitar o retrospecto de venda do avião.. simplesmente é o modelo mais vendido até hoje… avião MUITO seguro.. coisa que o MAX não é…pelo menos no momento…
        O projeto 737 foi sendo modificado de forma segura..
        Nesta última modificação foi que eles agiram errado..
        Ora, se as mudanças no modelo determinavam que precisava de um software e equipamentos para manter a estabilidade da aeronave, sob pena dela cair, não poderiam ser comercializadas à parte, mas sim na versão standard…
        Além disso, a própria Boeing dispensou o uso do simulador para pilotos com muita experiência em 737.. que era o caso do piloto da Ethiopian..
        A Boeing já estava tendo relatos consistentes de problemas no avião.. deveria ter tomado todas as providências para mitigar esses problemas..
        Dessa vez, ela foi inconsequente…
        A única coisa que parece que a Boeing fez para cair, foi a cotação de suas ações…..

        • Gustavo Botelho

          Eu compreendo, Henry… o 737 é realmente uma aeronave muito segura, o grande problema é a versão MAX. Quando eu digo que a Boeing fez um avião para cair, eu me refiro ao princípio básico de um avião, AERODINÂMICA. Um avião depender de um software para evitar sua queda é algo muito arriscado, e se algo acontecer… como aconteceu nesse caso! E como você disse, além dos problemas no MCAS, a falta de treinamento da tripulação e os “acessórios” vendidos como opcionais.
          Pior, a Boeing não deu tanta importância para primeira queda, no caso da Lyon, a alegação foi que a cia era considerada insegura, com péssimos níveis de segurança, e realmente é, mas esse não foi o fator determinante para queda.
          Como caiu uma segunda aeronave, do mesmo modelo, com as mesmas características e de uma empresa diferente, deu-se a real situação do problema, não havia mais como esconder…

          • Henry

            Sim Gustavo… realmente concordo contigo… quando eles mexeram na turbina, colocando mais alta e mais pra frente, deslocaram o centro de gravidade do avião e aí, tiveram que usar um software para compensar o problema…..
            Deve ser surreal uma aeronave ter que voar monitorada o tempo todo pelo software fazendo compensações por conta dessas modificações..
            Na verdade, ainda estão fazendo apurações dos dois acidentes, mas o que parece é que no momento da decolagem, com os pilotos puxando o joystick para levantar o avião, um sensor lá gerou uma informação errada, e o software fez uma leitura de que o avião ia estolar e virou o bico pra baixo para evitar perda de velocidade e o stol…
            Aí, os pilotos ficaram brigando com isso até não ter mais jeito…
            Uma coisa que eu falei logo no início, muito antes dos dois acidentes, foi que, no caso dos 737-MAX da Gol, que iam fazer voos de quase 8 horas, que eu achava uma loucura, primeiro submeter as pessoas a um voo tão longo num avião de corredor único… segundo, que não contente a Gool ainda por cima enfiou mais 11 assentos, porque os assentos são mais finos (o que é uma insanidade total num voo tão longo) e ainda por cima, me lembro que eu tinha comentado que tinha receio em relação ao fato de que o avião, na volta dos EUA, normalmente as pessoas voltam com 2 malas de 23 kg.. e seria uma loucura em termos de consumo de combustível x distância + margem de segurança de combustível para problemas no aeroporto destino…
            Em qq situação de anormalidade climática essa aeronave muito provavelmente teria que declarar alerfa porque não poderia ficar aguardando muito tempo para pousar… ou até mesmo declarar emerfa…
            Me lembro uma vez que, indo de MCO para MIA,o piloto da AA teve que fazer um zig zag danado por conta de uma tempestade e o voo, que normalmente dura 1 hora, durou quase 2 horas… fico imaginando um problema desses num 737-MAX da Gol chegando nos EUA… complicado…
            Jamais imaginaria que as alterações seriam tão complicadas a ponto de precisar de um software para corrigir…

            • Gustavo Botelho

              Verdade Henry, acredito que fizeram essa adaptação nas “presas” para concorrer com o NEO, ao invés de redesenhar o projeto devido à essas alterações no motor…
              Deve ser horrível o fato da aeronave não responder aos seus comando, e no caso, inverter-los. Fica imagino no que esses pilotos e co-pilotos passaram.
              Se eu não me engano, li seu comentário sobre isso da Gol, só não me lembro em qual blog e se realmente foi você, mas era algo parecido.
              Isso é uma loucura sem precedentes, tanto no sentido operacional, como no conforto ao pax… eu não vejo econômia em voar numa lata de sardinha dessas, chegar ao destino e precisar descansar um dia inteiro para se recompor desse sufoco.
              E realmente, levando em consideração esse fatores apresentados por você, imagino no verão americano, com grande incidências de tempestades e furacões na região da Flórida e Bahamas, o problema que pode ocorrer!
              É totalmente sem noção, colocar um avião mid-size para fazer uma rota longa… o 767 eu já acho desconfortável!

  • Cristiano Andrade

    Eu sempre recomendo comprar pontos apenas quando você já tem uso definido e disponibilidade garantida! É comprar e gastar!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×