LATAM: marcação de assentos em voos internacionais passou a ser mais um serviço tarifado

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Notícia enviada pelo leitor Fábio: como era de se esperar, a LATAM agregou mais um serviço pago ao seu cardápio de opções – marcação de assentos em voos internacionais.

Os valores são os seguintes (classe econômica):

  • USD 15: voos para os EUA, Europa e Ásia na tarifa Light;
  • USD 20: voos para os EUA, Europa e Ásia na tarifa Promo;
  • USD 6: voos para México e América do Sul na tarifa Light;
  • USD 8: voos para México e América do Sul na tarifa Promo;

Clientes das categorias Platinum, Black e Black Signature não pagam pela marcação, assim como, por óbvio, clientes que pagarem as tarifas mais caras Top e Plus.

Em voos nacionais, os valores variam de R$ 20 a R$ 30 pela marcação dos assentos.

Conclusão

Foi-se o tempo em que bastava olhar o valor da tarifa + taxa de embarque pra saber se o preço da passagem na cia. A era mais barato que na cia. B.

Hoje em dia, o sujeito tem que avaliar – e pesar nas contas – o preço da marcação de assentos, adicionar o preço da franquia de bagagem, ver quanto custa a comida, analisar se cobram pelo reembolso, examinar quanto cobram para alterar o voo etc.

O cálculo – principalmente para voos internacionais, em que tudo é cotado em dólar – ficou mais complexo e, muitas vezes, sai mais em conta comprar uma tarifa intermediária que contemple mais serviços inclusos, do que comprar uma tarifa mais barata que não tenha quase nada incluso. :-/

Porém, para quem tem status elite nos programas de fidelidade, a tarifa mais barata pode ainda compensar, devido aos benefícios das categorias elite que contemplam determinadas franquias de serviço (como marcação de assento, franquia de bagagem etc.).

Enfim, o exercício ficou mais complexo e exige uma análise de um número maior de fatores a considerar.

Agradeço ao Fábio pelo envio da notícia!

  • Cicero Bezerra

    Infelizmente a latam ficou impraticável para mim (que não tenho status). Dou preferência para a gol ou suas parceiras, ou *A, enquanto voos latam só se forem aquelas tarifas com super desconto, para ver se assim consigo tirar algum valor.

    • Fábio

      E só vai piorar pois cada vez está mais difícil conseguir status na LATAM

  • hotel_soap

    daqui a pouco vai ter catraca e cobrador no banheiro do aviao

  • Cristiano Andrade

    Fico pensando nessa transição lenta do modelo da Latão de Full Carrier para Los cost.
    Num dia eles falam de reformular a Business para 1-2-1, no outro falam em diminuir espaço na econômica. Num dia falam em reformulação de salas VIPs e no outro matam o programa de fidelidade. Num dia alinham seus preços com AA (com um bom Premium price vs outros Carriers) e no outro criam cobrança de taxas de tudo que possível e imaginável.
    Não tem nada errado em ser Spirit ou RyanAir.
    Fica no custo e preço, crie eficiências, elimine programa de fidelidade e classe executiva, sala vip, aliança global, etc! Entregue custo e preço mais baixo e foque na eficiência operacional (menos atrasos e melhor uso dos slots).
    Mas no meio do caminho, é sub-pair de Low cost, sub-pair de full Carrier, sub-pair en eficiência operacional e engana o consumidor.
    Viajante corporativo já migrou pra outras, não fosse a conectividade de vôos internacionais o mercado doméstico estaria com vôos em baixíssima taxa de ocupação (mesmo com preços mais baixos), vamos ver com essas mudanças como a taxa de ocupação internacional fica (e impacta o doméstico por consequência).
    O ruim é que este modelo tende depois a ter ajustes de oferta, o que impactará preços para cima.

  • Neuris

    Como falei em outro blog, para mim não é problema.. Evito voar LATAM, priorizo a gol e azul… Nem para Chile vou com eles… Lembro de ter curtido na última viagem internacional que fiz com eles GRU – ASU. Um maravilhoso muffin de 3 reais e suco no café da manhã.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×