Finja surpresa: LATAM Fidelidade exigirá gastos de até mais de R$ 100 mil por ano para obtenção de status elite

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

O programa de milhagens LATAM Fidelidade mudou novamente – e novamente para pior – as regras para qualificação aos status elite.

Em resumo: quanto mais dinheiro você gastar, mais status você obterá.

De acordo com as novas regras, como vocês lerão abaixo, para conseguir o status Black Signature o sujeito vai ter que desembolsar valores que podem chegar a mais de cem mil reais a cada ano (considerando a pontuação em voos internacionais com o dólar margeando os quatro reais).

Seguem as informações contidas na página oficial da LATAM:

“A partir de 1 de janeiro de 2019, o processo para qualificação às categorias mais altas do programa LATAM Fidelidade mudará. Será mais fácil entender e calcular os pontos acumulados em cada voo.

Para atingir nossas categorias mais altas e aproveitar os benefícios de ser um cliente Elite, a partir do próximo ano, você acumulará Pontos Qualificáveis*. Como sempre, o período para acumulá-los será de um ano calendário (1 de janeiro a 31 de dezembro).

*Durante 2018, você continuará acumulando Pontos Elite e, a partir de 2019, você começará a acumular Pontos Qualificáveis.

O que são os Pontos Qualificáveis?

São os atuais Pontos Elite que, a partir de 1 de janeiro, passarão a se chamar Pontos Qualificáveis e permitirão atingir as categorias superiores. Você acumula esses pontos em todos os seus voos.

É importante lembrar que eles são diferentes dos pontos Multiplus**, que servem para resgatar passagens, produtos e serviços.

**A regra de acúmulo e saldo de pontos Multiplus, não serão alterados.

Veja a nova maneira de acumular Pontos Qualificáveis

Os Pontos Qualificáveis serão calculados a partir do valor gasto na compra de sua passagem, descontando as taxas, impostos e serviços adicionais. É muito simples: a quantidade de pontos que você irá acumular vai depender do multiplicador, de acordo com o seu destino, ou seja, se o seu voo é doméstico ou internacional.

1. O que são Pontos Qualificáveis? Para que servem?

Os Pontos Qualificáveis são os novos acumuladores, que entrarão em vigor a partir de 1 de janeiro de 2019, e servem para alcançar as diferentes Categorias Elite (Gold, Platinum, Black e Black Signature).
2. Por que mudamos a maneira de qualificação às categorias Elite?

Mudamos a forma de qualificar de categoria, porque nós buscamos um modelo mais simples para facilitar o seu dia a dia.
3. Como acúmulo Pontos Qualificáveis?

Os Pontos Qualificáveis são acumulados a partir do valor pago pela passagem em reais para voos dentro do Brasil e em dólares para voos internacionais (descontando impostos, taxas e outros serviços) e aplicando um multiplicador que vai depender do destino de sua viagem (nacional ou internacional).
4. Quais são os multiplicadores por rota?

Os multiplicadores variam de acordo com a rota voada:

Rota da passagem Doméstico Brasil (Pontos/BRL) Doméstico Colômbia (Pontos/USD) Outros domésticos (Pontos/USD) Internacional (Pontos/USD)
Todas as cabines e tarifas
2,5
12
9
6

5. Se eu comprei um bilhete em moeda local, qual é a taxa de câmbio para a conversão em USD?

Deve ser aplicado o tipo de câmbio no momento da emissão do bilhete.
6. Posso acumular Pontos Qualificáveis LATAM voando em outras companhias aéreas?

Sim, você pode acumular Pontos Qualificáveis em outras companhias aéreas, desde que elas pertençam à aliança oneworld. Verifique em nosso site quais são as companhias aéreas associadas.
7. Existe um mínimo de Pontos Qualificáveis obtidos por meio dos voos da LATAM para atingir uma categoria?

Sim, para atingir as categorias Gold, Platinum e Black, você deve acumular pelo menos 80% dos Pontos Qualificáveis em voos da LATAM. Para atingir a categoria Black Signature, você deve acumular 100% de Pontos Qualificáveis em voos da LATAM.
8. Quantos Pontos Qualificáveis deverei acumular para atingir cada categoria do programa?

Os Pontos Qualificáveis necessários para atingir cada categoria variam de acordo com a categoria Elite que você deseja atingir e o mínimo de pontos exigidos em voos da LATAM ou comercializados pela companhia.

Gold Platinum Black Black Signature
10.000

(pelo menos 8.000 em voos LATAM ou comercializados pela LATAM)
30.000

(pelo menos 24.000 em voos LATAM ou comercializados pela LATAM)
100.000

(pelo menos 80.000 em voos LATAM ou comercializados pela LATAM)
160.000

(pelo menos 160.000 em voos LATAM ou comercializados pela LATAM)

9. Quando eu acumulo Pontos Qualificáveis? Ao comprar um bilhete ou depois de voar?

Você acumulará os Pontos Qualificáveis correspondentes a um voo depois de voar. O prazo para o acúmulo é de até 7 dias em voos da LATAM e 30 dias em voos de outras companhias aéreas. Sempre informe o seu CPF no momento da compra, no Check-in on-line ou no Check-in do aeroporto e garanta os seus pontos.
10. Os pontos Multiplus são os mesmos que os Pontos Qualificáveis?

Não, enquanto os pontos Multiplus são aqueles que você acumula para resgatar passagens, produtos e serviços, os Pontos Qualificáveis são necessários para atingir as diferentes categorias Elite, do programa LATAM Fidelidade.

11. Onde posso ver os meus Pontos Qualificáveis acumulados?

O saldo de Pontos Qualificáveis estarão disponíveis no seu extrato de conta, tanto no site como no aplicativo da LATAM.
12. Os segmentos serão contabilizados?

Não. Com o novo modelo de qualificação, os segmentos deixarão de ser acumulados a partir de janeiro de 2019.
13. Não haverá uma regra na qual eu possa combinar segmentos voados em cabine Business e Pontos Elite para subir de categoria?

Não. A partir de 2019, a única maneira de se qualificar às categorias Elite será acumulando Pontos Qualificáveis.
14. Quando começarei a qualificar sob as novas regras?

As novas regras começarão a ser aplicadas a partir de 1º de janeiro de 2019.
15. Qual é a validade dos meus Pontos Qualificáveis?

Os Pontos Qualificáveis são válidos durante um ano calendário, isto é, para voos entre 1º de janeiro e 31 de dezembro.
16. Essas mudanças afetarão meu processo de qualificação de categoria para o ano de 2018?

Você não será afetado e continuará acumulando Pontos Elite e Segmentos até 31 de dezembro de 2018. Eles serão usados ​​para você se qualificar nas categorias do programa. Além disso, esses pontos continuarão sendo contabilizados para a requalificação de 31 de março de 2019.
17. Como será feita a próxima requalificação, que ocorre em março de 2019?

A requalificação de 31 de março de 2019 será feita com base nos seu saldo de Pontos Elite, acumulados em 2018.
18. A compra de serviços adicionais, como bagagens e assentos LATAM+, acumulam Pontos Qualificáveis?

Não, a compra de bagagem e assento LATAM+ não acumularão Pontos Qualificáveis.

*Esta informação é válida para clientes do programa residentes no Brasil.

 

Conclusão

LATAM sendo LATAM.

Incrível como a empresa consegue piorar cada vez mais seu programa de milhagens. Daqui a pouco vão exigir duzentos mil reais, quinhentos mi reais, um milhão de reais, para gastar por ano para obtenção de status elite.

Mas pra quê mesmo buscar status elite? Que diferença isso faz para 99% dos passageiros? E na LATAM, ainda por cima? Oi? Aquela empresa cujo avião pousou na pista errada do Aeroporto de Guarulhos semana passada e quase causa outra tragédia?

Faça-me o favor. Não sei você, mas essa eu passo. E bem longe.

EDITADO: sobre o incidente envolvendo o pouso na pista errada em GRU, a assessoria de imprensa da LATAM me enviou o seguinte comunicado:

“A LATAM Airlines Brasil informa que a ocorrência esta sendo investigada pelas autoridades aeronáuticas competentes.

A empresa reforça que segue os mais elevados padrões de segurança, atendendo rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais.”

 

Tagged as:
  • Cristiano Andrade

    Realmente a Latam eu tenho passado longe….
    Achei uma frase do press release deles particularmente hilária: “porque nós buscamos um modelo mais simples para facilitar o seu dia a dia”
    Aí você tem que ficar calculando dependendo do tipo de vôo doméstico, dividir por dólar, ou manter em Real.. uma zona, super simples kkkk
    Eu pessoalmente acho que um programa de fidelidade tem que ter thresholds altos, mas também tem que dar benefícios reais. Poucos benefícios, thresholds baixos. Muitos benefícios thresholds altos.
    E mais, alguma estabilidade, né? Se a companhia altera as regras a todo momento, você se questiona se vale a pena entregar sua fidelidade a ela, não é mesmo?
    E para piorar, os caras fazem parte de uma aliança global, mas voando na aliança global você só considera uma pequena porção dos seus vôos para se qualificar… afff

    • Seu último parágrafo não poderia ser mais preciso em demonstrar o quanto essa aérea é uma piada… Sempre foi, desde que Rolim bateu as botas…

      • Guilherme

        De fato!

  • Aí você acorda, dá aquela espreguiçada, prepara um café, senta pra tomá-lo e ler as notícias do dia no blog do Meu Milhão e dá de cara com essa bomba na capa!!! 🤦🏻‍♂️🤦🏻‍♂️🤦🏻‍♂️ Eu disse! Não disse?!? Ah, disse sim. É “Fear The Walking Dead” mesmo!!!

    • Guilherme

      rsrsr…. Total!

  • Viajante

    Muito bom o título da postagem kkkk

    • Guilherme

      rsrsr… valeu!

  • E tem mais, Gtuilherme! Mesmo pro 1%, ele vai ser tratado, vai ser recebido, e vai receber o mesmo serviço lixo de todo mundo. Sua única vantagem de agora em diante será dividir a sala nada vip da Latam com menos gente a partir de 2020… Me poupe!!!

    • Guilherme

      rsrsrr…. verdade!

  • Nelzon

    Daqui a pouco eles lembram e tiram o Gold no Clube 10k pra completar esse pacote de mudanças marotas.
    Ta certo que não serve pra muita coisa mas pelo menos não precisa gastar milhares de reais para consegui-lo.

    • Pensei a mesma coisa.. lembrando que o Gold está no clube 10k e no 5k tbm.. não vai demorar muito não.. o que é essa mudança perto das outras ne?!

      • Nelzon

        Não sabia que o 5K também tem Gold.

        Olha que mudança interessante no Clube que deve fazer parte dessas mudanças marotas:
        Acabei de ligar pra cancelar meu Clube e o atendente me alertou da seguinte sacanagem: se eu cancelar meu clube e tiver alguma promoção de bonificação de bancos nos próximos 6 meses, eu não vou poder participar. Isso não ocorre se houver downgrade ou upgrade do clube. Do jeito que eu sou azarado, é eu cancelar o Clube hoje e amanhã sair 110% de bônus para meu banco.
        Sinceramente, não lembro de isso estar no regulamento do Clube quando assinei.

        • Fábio

          Extorsão. É com isso que essa medida parece. Estão tratando quem sai do clube de forma pior do que quem nunca fez parte do clube

  • Carlos Telles

    Me deram 50% de desconto na anuidade do black deles, mas depois dessa somado a todos os outros problemas de emissão e valores absurdos, fica complicado se manter com eles. Poderia rolar um post com alternativas na OW fora latam para nós brasileiros.

    • Lee

      No Multiplus Black? Tem gente conseguindo até isenção. Me ofertaram 50% e eu cancelei sem pensar um segundo.

  • Daniel Gadelha

    Valha gente, estou pretérito 🤣

  • Observando Fato

    Guilherme Roland,

    Observe que os leitores nao conseguem perceber o cerne do fato.
    REPOSICIONAMENTO!
    Os novos parametros para o programa que tem algo como 10 milhoes de usuarios, torna-se totalmente inatingivel pela QUASE totalidade dos usuarios.
    Juntamente com outros fatos recentes mostra que o grupo LATAM pretende extinguir no media prazo se programa de fidelidade ou torna-lo diminuto na oferta de premios.
    Isso tem um nome – LATAM LOW COST.
    O grupo esta se reposicionando, pois vislumbra a entrada no medio prazo de novos players LOW COST no mercado e nao teria como concorrer mudando abruptamente seu plano de negocio.

    Quem viver vera!

    sds,
    Celso

    • Olha, Celso, eu acho que faz sentido mas nem tanto. O que se vê aqui é a exclusão de grande parte de sua carteira fidelizada portadora de status. Ainda não se mexeu o suficiente na tabela de resgate nem na de acúmulo para resgate. Se não, vejamos: se o modelo se torna o mais próximo possível de low cost, não haverá acumulo logo não haverá resgate (exceto os extraordinariamente inflacionados, possivelmente). Acumulo e/ou resgate só pros 1% que se enquadram na nova regra e ainda terão acesso a eventuais (porem improváveis) benefícios de status, que por sua vez, não condiz com modelos low cost. Olhando o nariz da medida mas enxergando o rabo dela, seria como pagar por uma executiva da Etihad e voar num sucatão antigo da TAP. O que me leva a pensar que, sendo esse o caso, até mesmo esses 1% deixariam de existir… É realmente muito difícil avaliar a situação. O mercado aéreo nacional sempre teve espaço pra assentos executiva em voos domésticos mas não vingou por muito tempo… Talvez um meio termo pra possibilidade trazida por você (e aventada já por muita gente) seria uma especie de partição. Voou domestico, vai de low cost. Voou internacional, econômica toda em low cost e executiva reservada aos 1%… Sei la… Muito difícil…

      • Observando Fato

        Low cost se fala para domestico. Nao temos expertise em long haul low cost.

        sds

        Celso.

        • Mas aí você me confunde. A cabotagem (low cost doméstica por estrangeira) ainda, AINDA, não está prevista. Só os ponto a pontos…

          • Observando Fato

            Como voce diz AINDA.
            O grupo LATAM esta apostando que virao em breve.

    • Cristiano Andrade

      Alguém lembra de como era o mercado nacional antes de existir a GOL? Serviço de bordo decente, maior espaço entre os assentos (a TAM tinha até Business em algumas aeronaves domésticas), serviço de solo era muito bom, Fidelidade Vermelho era tratado como devem ser tratados clientes fiéis e frequentes…
      Mas aí veio a GOL, derrubou preços e a TAM (ainda TAM, sob controle da família Amaro, já que o Rolim já havia falecido) resolveu seguir… cortou preços, custos e serviços… a cultura de serviço foi sendo perdida e perdida… Funcionou? não! Nunca deram lucro e perderam fidelidade de muito passageiros corporativos (os de maior rentabilidade).
      Veio a venda para os chilenos e o processo de sucateamento foi acelerado! Hoje a Latam perde em pontualidade, em serviço de solo, em espaço entre os assentos, no serviço de bordo e até pousa na pista errada!! OMG
      Dependem mais e mais de preços… e quem entrega preço sem ter uma estrutura de preços efetivamente mais competitiva… prejuízo certo.
      Nos EUA a Delta fez o caminho contrário, melhorou a eficiência operacional, atendimento e é disparada a melhor entre as 3 grandes por lá… e a que dá mais lucro! A que mais cresce…
      Aqui a GOL que só perdia share, deu uma virada em serviço, eficiência operacional e serviços (em especial os assentos com mais espaço e wifi), voltou a crescer (mas daí ao lucro é outra história!).
      Enfim, para ser Low Cost de verdade tem que ser low cost, zero serviço e se vender assim! Não dá para ter crise de identidade…

      • Guilherme

        Excelentes ponderações, Cristiano!

      • Bruno Miceli

        Eu que vivo na ponte aérea priorizo a gol… serviço está excelente (obviamente dentro do ofertado), aeronaves para quem é cliente diamante muito espaçosas, serviço de bagagem que nunca uso mas 3 malas.. excelente.. emissão de um voo para acompanhante… e para quem mora em Brasília o 737-max atende muito bem MCO e MIA.. ainda mais no espaço conforto… ou seja a gente ve uma empresa buscando se restruturar e a outra com medidas cada vez mais absurdas.. triste.. para quem já foi líder no mercado perde feio pra todas hj.

  • Felipe Souza

    O programa está porco. Não se consegue resgatar passagem com as parceiras, há uma “falha sistêmica programada”.

    • Beto Junior

      Cada vez mais evidente que a cegueira é proposital.

      • Fábio

        Provavelmente proposital, para quem tem milhas próximas do vencimento faça troca por cafeteiras superfaturadas. Ou então perca suas milhas

  • Bruno Morgado

    Tenho uma que não precisa fingir, é pra ficar surpreso mesmo: Pela primeira vez, em 2 anos, o smiles durante essa semana não está dando bônus para transferência nos cartões de crédito (exceto Santander).

    • Guilherme

      rsrsrsrsrs….. essa sim é pra ficar surpreso!

    • Fábio

      Pois é, peguei 90% transferindo alguns pontos do Santander para o Smiles essa semana. Estou com muitos pontos para vencer nesse programa em dezembro. Estou até pensando em pegar uma executiva na Delta para queimá-los. Alguém tem informações se a executiva da Delta vale a pena? Ou Air Canada é melhor?

      • Cristiano Andrade

        ambas muito boas! vai sem medo…

      • Guilherme

        Concordo com o Cristiano. Fiz alguns voos com a Delta e achei excelente, bem melhor que a American.

  • SirNiXXon

    Inovação! Será uma das primeiras companhias aéreas do mundo que, na prática, tem um programa de fidelidade sem status.
    Pelo menos é assim que eu vou encarar a companhia.

    Temos que ver o restante das mudanças que virão – no Multiplus e Clube Multiplus – pra ter uma perspectiva maior da coisa, mas com o direcionamento atual, é quase certeza de piora.

    Agora é parar pra pensar: qual outra opção na OneWorld nos atende?

  • Sílvio Carneiro

    Pelo visto, vamos ter que morar dentro dos aviões da Latão para obter status…

  • 100 não. Faça essas contas direito aí. Henry é prova que eu fiz Pronatec. Da quase 120K…

  • Pingback: Comentários dos leitores: para a LATAM ser low cost de verdade, não pode haver crise de identidade… | Meu Milhão de Milhas()

  • Cristiano Andrade

    Aí agora você descobre que depois de gastar 15 ml dólares em passagens para poder ser black, só será elegível a upgrade de comprar passagem nos perfis mais caros (Top e Plus)… ripo aquelas que são mais caras que Business Promo. Geniais!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×