Multiplica: Multiplus agora permite comprar pontos com pontos transferidos de cartões de crédito: R$ 35 a cada mil pontos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Complicado o título? Explico melhor: você transfere 10 mil pontos do cartão de crédito, para a sua conta na Multiplus, e pode comprar mais 10 mil pontos, por R$ 350 – caro.

O novo serviço se chama Multiplica, e foi descoberto pelo nosso estimado leitor Leandro Luiz.

Termos & Condições

1. Condições de Elegibilidade.

1.1. São elegíveis ao produto Multiplica Pontos Multiplus, os participantes da Rede Multiplus, com Cadastro de Pessoa Física (CPF) válido e endereço de cadastro no Brasil e que tenham transferido pontos das Instituições Financeiras parceiras para a Rede Multiplus. Não são elegíveis a esse produto os pontos dos Cartões Multiplus Itaucard, LATAM Itaucard e dos Cartões Citi com acúmulo direto na Rede Multiplus.

2. Multiplica:

2.1. O produto Multiplica é um benefício que possibilita o participante multiplicar os pontos transferidos dos programas de recompensas das Instituições Financeiras para a Rede Multiplus, mediante o pagamento de uma taxa.

2.2. Os pontos serão multiplicados em sua totalidade relativo a transação selecionada dentro do menu Minha Conta, Multiplica. A título de exemplo, se o participante transferiu 10.000 (dez mil) pontos de uma Instituição Financeira em uma única transação a multiplicação será de 10.000 (dez mil) pontos.

2.2.1 O participante poderá selecionar mais de uma transação disponível para multiplicar os pontos, contudo, uma de cada vez.

2.2.2. Os pontos extras concedidos nos planos do Clube Multiplus ou em promoções não poderão ser multiplicados.

2.2.3. Os pontos multiplicados não serão passíveis de receber os pontos extras concedidos nos planos do Clube Multiplus.

2.3. Poderão ser multiplicados os pontos de transações realizadas nos últimos 30 (trinta) dias do processamento dos pontos na Multiplus.

2.4. As transações passíveis de serem multiplicadas estarão disponíveis no Minha Conta, Multiplica.

2.5. Preço: O preço por ponto não promocional é de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) a cada 1.000 (um mil) pontos. O valor do produto multiplicador poderá sofrer alteração, conforme consulta no ambiente da Minha Conta, a depender de ações promocionais periódicas vigentes.

3. Disponibilização dos Pontos.

3.1. Os Pontos Multiplus multiplicados serão disponibilizados na Minha Conta em até 48 (quarenta e oito) horas após a confirmação do pagamento à Multiplus pela Administradora de Pagamento e serão válidos por no mínimo 2 (dois) anos, podendo ser maior de acordo com o perfil do participante na Rede Multiplus.

4. Do processo do produto Multiplicador de Pontos

4.1. Após a confirmação do pagamento à Multiplus, não será possível realizar o cancelamento ou reembolso da transação efetuada.

4.2. Durante o processo de multiplicação dos pontos, caso o pagamento seja cancelado ou não concluído pelo participante, a transação selecionada ficará indisponível pelo período de até 24 (vinte e quatro) horas.

4.3. A multiplicação da transação selecionada somente será finalizada mediante a confirmação por e-mail enviada pela Multiplus no e-mail de cadastrado do Participante. A pré-autorização conferida pela instituição financeira emissora do cartão de crédito não garante a aprovação da transação.

4.5. As promoções e o funcionamento da Rede Multiplus considerarão o horário oficial de Brasília.

5. Disposições Gerais.

5.1. A Multiplus não se responsabiliza por transações não efetuadas em razão de falhas de comunicação de dados ou quaisquer outros problemas relacionados a provedores e servidores de Internet e de e-mail.

5.2. Na hipótese de verificação de fraude, tentativa de fraude ou abuso, ou ainda de utilização de qualquer meio eletrônico, informático, digital, robótico, repetitivo, automático, mecânico e/ou análogo com intuito deliberado de reprodução automática e/ou repetitiva de aquisições dos pontos, será anulada a operação, ainda que nem todas as operações tenham resultado do uso de tais meios e/ou sido realizadas com tal finalidade.

5.3. A Multiplus se reserva o direito de adiar, alterar, cancelar ou prorrogar, bem como modificar, inserir ou excluir regras no Regulamento, além de alterar o preço dos Pontos Multiplus ofertados, a qualquer momento, comprometendo-se a divulgar na página do regulamento, quaisquer das mencionadas alterações.

Conclusão

A criatividade para gerar novas fontes de receitas com compras de pontos parece não ter limites!

A medida anunciada agora há pouco, pela mesma Multiplus, dizendo que vai excluir do programa quem emitir passagens para outras pessoas além de um certo limite (veja aqui), está causando bastante polêmica entre os consumidores.

Em tese, a Multiplus poderia com isso diminuir a entrada de pontos no sistema, sendo isso uma das possíveis interpretações dessa nova regra limitadora.

Porém, “o que se tira com uma mão se dá com a outra”, ao prever essa nova forma de entrada de pontos no sistema. Se o sujeito transferir 100 mil pontos numa eventual promoção de 50% de bônus, ele terá acumulado 150 mil pontos dessa transação e poderá acumular + 100 mil pontos oriundos do “Multiplica” (ao custo de R$ 3.500,00), resultando num valor final de 250 mil pontos.

Podem anotar: logo logo Smiles e Tudo Azul vão copiar a ideia (incluindo os preços)…

Agradeço ao Leandro pelo envio da dica!

  • Albino

    Vamos excluir a conta da Multiplus na Multiplus, pois não pode vender milhas.

    • Leandro Esteves

      Eu hoje tentei unificar minha conta Multiplus com a antiga latampass pelo atendimento telefônico. Pensa numa coisa complicada…

      • Albino

        Não vai ser automático ?

        • Leandro Esteves

          Não. Eles geraram um número Multiplus com o mesmo número Latam Pass. Tem que ligar lá e pedir a unificação. Detalhe é que se os dados não baterem, vai ter que fazer a correção primeiro pra depois pedir unificação. No meu caso as contas estão com e-mails diferentes. Tive que mandar RG, CPF e comprovante de residência pra tentar acertar. Prazo até amanhã. https://uploads.disquscdn.com/images/5fa11d8c9a949fc4cf0f027f3b1a3bedf3aae89b50d9bed2d928d6194c7408d1.jpg

          • Albino

            Também recebi isso, mas pensei que era uma das fases até a unificação.
            E com relação ao status do Latam Pass para o Fidelidade, vc também solicitou a unificação ?

            • Leandro Esteves

              Ainda não. Primeiro tenho que esperar eles acertarem o cadastro. TUDO nas duas contas tem que estar igual, data de nascimento, e-mail, telefones, endereço, etc. Depois que as duas contas estiverem com cadastros iguais, aí sim você tem que ligar e solicitar a unificação. Ela informou que prevalecerá o status maior entre os dois programas.

            • Leandro Esteves

              Alteraram os dados hoje. Liguei lá e fizeram o pedido da unificação. Informaram que leva até 3 dias úteis para a unificação ser concluída. Vamos ver como vai ser e se realmente o status será honrado. Eu sou gold na Multiplus e black na Latampass.

    • Diogo

      Só vai poder vender até 8/8. Depois a Multiplus será excluída.

  • Fabio

    Como faço para mandar e-mail pro adm da pagina?

  • Guilherme

    A pergunta que não quer calar: vc pode comprar pontos multiplus, mas depois de comprados não pode vendê-los, certo? Rsrs

    • Henry

      Pode sim…livremente… só não pode emitir passagem para mais de 25 pessoas (o que é um número exagerado… nem precisa tanto… só se o cara tiver harém em casa…)

      • Guilherme

        Não, não pode!!! Nem mesmo para as 25 pessoas…
        1.10.1 Uma vez que não é possível descrever todas as hipóteses de infração às regras deste Regulamento e utilização de má-fé, fraude ou ardil ao Programa e/ou à Rede Multiplus, abaixo algumas situações meramente exemplificativas:
        (d) a negociação com terceiros sob qualquer forma da compra e venda de passagens aéreas.

  • Henry

    A tendência é o programa melhorar…
    Com a saída dos profissionais de compra/venda de milhas, o programa deve ter um perfil de usuários normais… aqueles que não compram milhas para depois vender, não estão pensando no lucro, mas apenas em comprar milhas para poder emitir passagens…
    Assim, com o travamento de emissões pelos tubarões das milhas, que são essas empresas que têm baita logística para detectar assentos livres primeiros, mesmo que a LATAM continue liberando a mesma quantidade de assentos, a probabilidade de acharmos será um pouco melhor…afinal, não vamos concorrer com robôs que ficam 24 horas por dia monitorando passagens livres…
    A pergunta que não quer calar: porque os sites que querem comercializar milhas, comprar/vender/ não montam um programa próprio de fidelidade ??? não querem ter custos de gerir um programa, né ??? mas querem continuar tirando os assentos dos usuários normais, que não estão a fim de lucrar, mas sim descolar uma viagem para si e para familiares…

    • Winicius Mendonca

      Já que você fez essa “pergunta que não quer calar”, irei te fazer uma pergunta mais complexa ainda. Você realmente entende como funciona os programas de milhas?

      • Henry

        Famosos “quem”, se achando de entendidos… leia meus comentários que faço há anos nos sites…

    • Gilberto Martins dos Santos

      Meus deus, esse povo não aprende. Primeiro foi a bagagem paga que iria baratear a passagem, agora já estão cobrando para marcar assento, antecipar voos, etc. Quem vai lucrar sempre é a companhia! Quem vai perder é seu vizinho que poderia pagar 300 reais e agora vai pagar 800 numa passagem, seu tio que não vai visitar a famila porque o preço está lá na alturas e não tem outra opção, etc. O Sujeito que gasta 5 mil reais no cartão todo mês, no final do ano não vai conseguir resgatar uma uma passagem para a ponte aérea. Agora a galera fica numa ilusão que vai melhorar, só me faz sentir pena .

      • Anderson Cunha

        Vou responder a essa sua pergunta complexa: NÃO. Ele não entende patavinas do mercado. Deve achar que as companhias aéreas boazinhas ainda estão na fase inicial, quando “doavam” os pontos aos passageiros frequentes.

        • Henry

          Não fala asneira… cias. não são boazinhas.. elas estão defendendo o lucro delas…
          A propósito: não é errado empresas terem lucro… (ou será que vc é comunista e acha que lucro é coisa do capeta ???).. o que é errado é o lucro desmedido, o lucro ganho sem o respectivo trabalho…sem o investimento e principalmente, o risco…
          Então, entre os programas de fidelidade e seus associados existe uma relação comercial: de um lado os programas vendem milhas e do outro lado, o associado usa as milhas pra emitir passagem..
          O grande problema é que tem um monte de pessoas que sabem gerar milhas a baixo custo e querem vender milhas… ou seja… estão tentando fazer disso um negócio…
          É ilegal ?? Não… nada de ilegal… mas é um desvio de finalidade dos objetivos dos programas… a finalidade dos programas, pelo menos para a imensa massa de associados, sempre foi emitir passagens… e das empresas que controlam os programas, lucrar com isso… gerar caixa para financiar a cia. aérea….
          Agora, pessoas que sabem gerar milhas mais baratas querem fazer da venda um negócio… tudo bem.. que façam… mas, então, assumam os programas… e avisem as outras pessoas que sustentam os programas….. porque ao vender as milhas para as empresas tubarões, tipo Max MIlhas, os outros associados não conseguem mais emitir passagens… e isso é tudo que essas empresas querem: o cara não emite passagem (por 2 motivos: pequeno lastro por parte do programa e quando tem a passagem, o tubarão chega na frente).. as milhas ficam em vias de expirar, o cara vende as milhas para os tubarões, que, novamente canibalizam as disponibilidades… e vai se criando um ciclo que só tende a piorar para o associado..
          Se já está uma droga descolar passagens nos programas de fidelidade, porque vamos admitir que o comércio de milhas gere como efeito a industria de empresas tubarões, que têm logística de emissão de passagens, com robôs 24horas/dia…
          E quanto a achar que cia. aérea é boazinha, olhe os meus comentários nos outros sites.. e veja o que eu sempre falei do Smiles/Gol, TudoAzul/Azul e Multiplus/Latam..
          Só que eu acho muito positiva as ações da Latam para tentar cercar/evitar que empresas tubarões lucrem em cima do programa, porque isso dificulta mais ainda para a imensa massa de associados…acho até mesmo que 25 pessoas é um número exagerado… Executive Club, por exemplo, permite 6 pessoas apenas da família… tem família maior ?? Sem problema, liga pro 0800 deles e eles confirmam o parentesco, e liberam mais… mas, existe controle…
          Ou seja, o Multiplus não vai proibir a venda de milhas, mas vai travar a emissão de passagens… infelizmente, erraram na dose… 25 é pra príncipe árabe que tem harém….

          • Winicius Mendonca

            Muito do que vc falou, faz sentido. Mas isso tudo chegou no ponto que tá, devido a ganância das próprias cias. Pois Antigamente, só davam os pontos em voos com intuito de fidelizar o cliente., a partir do momento em que ela quis fazer desse programa algo lucrativo (vendendo pontos), ficou vulnerável ao mercado paralelo de milhas.
            Mas eu gostaria muito de entender o seu ponto de vista, onde as empresas tubarões poderiam criar seu próprio programa de fidelidade pra comercializar os pontos.

      • Henry

        Quando a ANAC baixou a Portaria.. eu disse que ia acontecer exatamente isso o que ocorreu: iam manter as tarifas e não iam baixar nada…e iam cobrar pelo despacho das malas… mas eu estava errado… não só isso ocorreu, como eles aumentaram as tarifas.. então, não venha falar besteira.. porque vc não acompanha os sites especializados para saber a minha posição…

    • Odair Fernandes

      Véio… não fale bobagem…

      Eu poderia falar mil coisas aqui mas escolhi apenas uminha pra falar: antes de criticar quem COMPRA milhas, critique as cias aéreas que VENDEM essas milhas. Vá primeiro bater às portas da Multiplus, Km de Vantagens e afins e lá vc reclama por venderem milhas e somente depois venha reclamar com que compra as milhas.

      • Henry

        Eu compro milhas… mas compro para emitir passagens ( o que tem sido cada vez mais difícil, porque de uma lado o lastro de passagens não acompanha a emissão/venda de milhas, e de outro, e isso é cada vez pior, as empresas tubarões, com seus robôs para localizar disponibilidades, saem na frente)….. nada contra comprar as milhas…
        Se o pessoal quer transformar os programas de fidelidade em negócio, sem problemas.. só que as pessoas que desejam usar os programas precisam saber disso, pra não ficar financiando a estrutura para os outros lucrarem, na moleza…
        A Multiplus, Km de Vantagens venderem milhas não tem o menor problema… esse o objetivo claro deles… são empresas… agora, vc como pessoa física quer lucrar ?? sem problemas… só que os usuários que usam para emitir passagens precisam saber de que lado o programa está…
        Não dá pra nós ficarmos sustentando monte de “empresários” fazendo do comércio de milhas um negócio altamente rentável e sem risco para eles…
        Programa de fidelidade, foram feitos para as pessoas emitirem passagens… esse é o lucro delas.. se não for isso, é melhor procurar outro programa.. e muitos no exterior, simplesmente encerram a conta de quem desvirtua o objetivo do programa, que é uso pessoal.. não comércio…e olha que lá fora tem venda de milhas pelos programas de diversas formas tb.. inclusive club do programa…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×