Banco do Brasil diminuindo a pontuação dos cartões de crédito Mastercard a partir de 1º de julho de 2018?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Olhem a notificação recebida pelo leitor Leandro:

O que chama a atenção é a parte final da mensagem: pontuação diminuída para cartões de crédito Mastercard a partir de 1º de julho de 2018.

A pontuação a menor é referente à pontuação do Elo (na promoção) ou do Visa? Não se sabe. Mas em julho saberemos. 😉

No app, segundo o Leandro, a pontuação que consta para o Visa Platinum é a mesma que consta para o Master Platinum:

A mensagem do BB não é clara se a diminuição de pontuação ocorreria apenas para o Master Platinum (que foi a visualizada pelo Leandro dentro do app), ou para todas as variantes da linha Mastercard (incluindo Gold e Black).

Só aguardando julho chegar para saber das novidades.

Conclusão

Quem é mais antigo na área de cartões de crédito já deve ter sacado quem se dá bem com quem.

Por exemplo, a bandeira Mastercard é notoriamente a preferida pelo banco Santander – vide as promoções de bônus em triplo, por exemplo, onde o espanhol (eu acho) que nunca incluiu a bandeira Visa (que ganha no máximo pontos dobrados).

A bandeira Mastercard também é a preferida do Itaú.

Já a bandeira Visa tem um relacionamento “mais forte” com os bancos Bradesco e BB. Inclusive, o famigerado Aeternum, que ainda não foi lançado oficialmente, é da bandeira Visa.

Resta saber até onde isso vai chegar. Alguém arrisca um palpite de qual seria a nova pontuação diminuída do Master BB? Eu chuto uma pontuação entre 10% a 20% inferior à pontuação do Visa e do Elo, de mesma categoria.

Agradeço ao Leandro pelo envio da notícia!

Tagged as: , , ,
  • Henrique

    Recebi também a mesma mensagem ontem, tanto no App e quanto no Home Banking. Tenho a trinca Black, Infinite e Nanquim.

    • Darklilson Santos

      A desvantagem é compartilhar o mesmo limite e não ser clara a política de isenção de anuidade. Estou curioso pra saber qual será a nova pontuação do Black.

      • Cristiano

        Não está clara a política, mas pelo menos no segmento Estilo, para isenção da anuidade, tem que ter média de gastos de 5299 nos últimos 3 meses para os Platinum e 10299 nos Infinite / Black / Nanquim. De qualquer forma, tem que ligar na central de atendimento para pedir a isenção. Parece que no Bradesco se você tem um volume x de investimentos também não cobram anuidade, essa isenção sendo automática (acho que pros cartões top é 500k).

        • PauloHCM

          No Bradesco já isentam o Visa Infinite com 9k por mês. Já os Amex e Elo deles eu não sei.

  • Carlos

    O que achei mais estranho foi o platinum pontuar 1,2. Acabaram os platinum pontuando 1,5? O abismo para o Infinite, a 2,0 e Nanquim, a 2,2, é significativo.
    E fiquei mais surpreendido por, no Bradesco, Infinite, Black e Nanquim pontuaram só 1,8 para compras até 9k e 2,0 acima disso.

    • E você espera algo do Bradesco? É unanime nos grupos de Whatsapp de cartões: Bradesco e BB são piada. O investimento e pontuação maior no Elo eu até entendo (e apoio: afinal temos um mercado enorme e ter um cartão nacional seria excelente barganha) mas não justifica a pontuação mediocre nos outros “de alta renda” até por que a pessoa que tem uma bandeira nesse segmento normalmente tem outras também.

      • Carlos

        Eu achava que BRA e BB fossem equivalentes, mas não são. Infinite e Black do BB pontuam 2,0, Nanquim pontua 2,2. No BRA, os três pontuam 1,8 até gastos de 9k reais e 2,0 acima.
        O Elo Grafite Estilo pontua 1,7 no BB, praticamente o que pontuam os cartões superiores do BRA com menos de 9k reais de gastos.
        Eu achei o Aeternum muito fracum, mas pelo jeito que o Bradesco trabalha, é um tremendo salto para os seus padrões. Pontuação de 2,3 e 6 visitas em lounges equivaleria ao BB e CEF oferecerem seus Infinites pontuando 2,5 e com Priority Pass Prestige.

        • Por outro lado com bem mais vantagens e PP incluso, além é claro de anuidade menor, temos o Porto Infinite. Tapa na cara de ambos, BB e BRA.

          • Guilherme

            rsrsrsrs…… verdade, Kabum. O que salva o BB e BRA é o Livelo e seu frenético ritmo de 859 promoções de bônus de transferência por semana….rsrsrs

            • Carlos

              Guilherme, me esclareça uma coisa, continuando aquela nossa conversa sobre milhas e dólares: eu só vim a saber que existiam cartões Black e Infinite com aqueles seus artigos no AP. Tem idéia de quando eles foram efetivamente lançados? Fiquei curioso em verificar qual a cotação do dólar para comparar com a situação atual e o limite psicológico dos 2,2 e 2,3.

              • Guilherme

                Oi Carlos, acho que eles foram lançados em meados da década de 2000, talvez (estou chutando) entre 2002 e 2006. Legal que vc tenha sido leitor daquela série no AP. 🙂

                • Carlos

                  Consegui achar só uma referência, pelo menos o do Bradesco foi em 2001: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,bradesco-lanca-cartao-para-clientes-alto-padrao,20011113p15803. Não há menção à pontuação, mas se fosse 1,8 ou 2,0, o dólar estava na casa de R$ 2,50, significando que haveria espaço para uma reformulação da pontuação (e tenho certeza que os lucros dos bancos na época não chegavam nem perto do atual).
                  De qualquer forma, achei outra informação que talvez explique a parceria preferencial de BB e BRA com Visa:
                  A marca no Brasil
                  No Brasil a marca está presente desde 1971 operando inicialmente com o banco Bradesco. Em 1986 passou a operar juntamente com a Credicard e finalmente poucos anos depois passou a operar por conta própria. Em 1995 a Visa Internacional, o Bradesco, o Banco do Brasil, o Banco Real (hoje Santander) e o extinto Banco Nacional uniram suas forças para desenhar o que viria a ser a VisaNet Brasil. O objetivo do novo empreendimento era administrar as relações com toda a rede de estabelecimentos comerciais afiliados ao sistema VISA. Um ano depois, o desafio era vencido e a empresa já operava com mais de 100 mil comerciantes herdados dos bancos. Em 2009 a VisaNet Brasil passou a se chamar Cielo.

                  • Guilherme

                    Bastante interessantes essas informações.

                    De fato, BB e Bradesco eram/foram os maiores acionistas da IPO da VisaNet (que depois virou Cielo), o que explica, em parte, a preferência desses dois bancos pela Visa.

                    Da mesma forma, Santander e Itaú tinham grande participação na IPO da Redecard (Master), o que explica, também em parte, a preferência respectiva.

                    O curioso é que esse é um mercado cheio ainda de alternativas financeiras para serem exploradas. Do jeito que a Livelo está fazendo e gerando receitas, não duvido nada que ela vire uma empresa listada em Bolsa.

                    Da mesma forma, a bandeira Elo pode vir um dia a também ser uma empresa listada em Bolsa, já que ela tem 3 grandes bancos de varejo por trás, BB, BRA e CEF.

                    • Carlos

                      Sim, pode ser que tanto para Livelo quanto para Elo, estejam apenas esperando um momento melhor da economia para fazer o IPO de ambos.
                      O engraçado é que, devido à concentração bancária, tanto o Santander (Real) quanto o Itaú (Nacional depois Unibanco) acabaram fazendo parte do VisaNet.

          • Darklilson Santos

            Entretanto são raras as promoções de pontos e quando tem os bônus são de 50% em media

    • Cristiano

      Já tem um tempo que os Platinum do varejo BB pontuam 1,2. Para pontuar 1,5 só os Platinum Estilo. E Bradesco pontua 1,8 até 9k ou 2,0 acima disso nos Black e Infinite, mas o Nanquim pontua 2,2.

    • Wagner Vinicius Macêdo

      Então Carlos, realmente já tem um tempinho que o BB diminuiu a pontuação dos cartões Platinum’s de 1,5 para 1,2. O único que continua em 1,5 é o BB Platinum Estilo.

    • Ulisses Tambosi

      Platinum Estilo paga 1,5. Só platinum paga 1,2.

  • Por falar em Santander, cadê a promoção 3x? Ja era pra ter saido, as ultimas foram anunciadas dia 10 do mês.

    • SwineOne

      A essa altura, dou 95% de certeza que não haverá, pelo menos não nos moldes que era.

  • SwineOne

    Pessoal, esse ano queria assistir o GP Brasil de F1.

    Alguém sabe de oportunidades que existam para comprar ingressos mais em conta (sei que em anos anteriores houve promoção com o Ourocard), ou talvez por pontos (tipo algumas coisas que a Accor faz)?

    • Guilherme

      Sim, BB Ourocard e Accor Le Club geralmente fazem boas promoções de resgates de ingressos por pontos.

      Em 2016, a promoção com o Le Club ocorreu em julho => http://meumilhaodemilhas.com/2016/07/24/clientes-accor-le-club-podem-trocar-pontos-por-ingressos-da-corrida-do-gp-de-interlagos-da-formula-1-versao-2016/

      Não sei se vai ocorrer de novo esse ano, mas eu já encheria a conta Le Club com alguns pontos a mais, só por via das dúvidas. 😉

    • Não tenho experiência, mas já ouvi de alguém que teve com muito sucesso – Premmia, da Petrobrás. Pede pra família toda informar seu CPF na hora de abastecer e vai pontuando. PARECE, não sei se minha memória garante a fidelidade da informação, que no ano passado com 25 mil pontos emitia-se dos ingressos gratuitos para o GP do Brasil – e eu me arrependi, naquele momento, de ter focado meus ganhos no KM de desvantagens… Acho que dá pra buscar se a informação é essa mesma – sei também que o período para resgate é bem curto porque os ingressos são limitados.

  • Alysson

    Eu já acho que é 20% a mais para visa e elo pq vão manter exatamente como está. Só vão diminuir Master em 20% o que dá 20% a mais nos outros. Ou seja, podiam reduzir o texto para: “vamos diminuir a pontuação do master em 20% a partir de julho.

    • Guilherme

      Também acho que vá acontecer algo nessa linha.

      Meu receio é outros bancos aderirem à moda, e estabelecerem distinções para V e M. O Santander, por exemplo, que já privilegia o Master nas promoções 3x, pode simplesmente diminuir, de forma permanente, a pontuação dos Visas.

      • Carlos

        Eu não acho isso ruim, uma maior diferenciação entre os cartões seria interessante, já que são muito homogeneizados, hoje em dia. Pode haver alguma perda no curto prazo, mas a longo prazo isto poderia acirrar a concorrência (embora estejamos no Brasil, nunca dá para confiar).

        • Beto Junior

          O problema é que a diferenciação é sempre “prejudicando” uma bandeira e não com um incremento na preferencial… Se começarmos a somar aumento do dólar, redução de pontuação no cartão, mais inflação dos programas, a coisa ficará cada vez mais difícil e potencialmente menos interessante.

  • Carlos

    Aproveitando a postagem, saíram as informações relativas ao Bradesco Visa Aeternum, parte no sítio oficial (banco.bradesco/cartoes/aeternum), parte no fórum do Falando de Viagem. Para os padrões Bradesco, talvez achem que estão esbanjando, mas, no geral, é muita pose para pouco conteúdo:
    . Cartão em metal (pose);
    . Pontuação de 2,3, promocionalmente 4,0 até o final do ano (muito bom, mas muito semelhante ao Amex TPC oferecido pelo próprio Bradesco, que pontua 2,2 e tinha oferta dos mesmos 4,0 promocionais para novos associados);
    . Acesso gratuito às salas Bradesco (igual ao Amex TPC e BRA Elo Nanquim) e Loungekey com apenas 6 visitas gratuitas (empata com o TPC, que tem acesso ilimitado aos seus lounges pelo mundo e alguns convênios);
    . Pontos que não expiram (igual TPC);
    . 100k pontos de bônus para os primeiros 1.000 clientes (este é o único grande diferencial do cartão que justificaria seu pedido, mas apenas para quem conseguir o bônus);
    . R$ 1.500 de anuidade (muito para o que o cartão oferece, sem o bônus inicial limitado; a do TPC será reajustada para R$ 1.360).
    O Bradesco ainda finge oferecer algo diferente mas que é disponível para todos os clientes Visa Infinite e Platinum, como o Visa Luxury Hotel Collection e Concierge.
    No final das contas, são sempre benvindas novas opções, mas o Bradesco está oferecendo um novo produto muito parecido com o que já tem (e canibalizou, o TPC). E se as informações de que o requisito para o cartão é de 50k reais de renda forem corretas, isto apenas mostra que o banco não tem a menor noção do mercado e/ou subestima a inteligência de seus clientes.
    É um cartão muito semelhante ao TPC e, na minha opinião, inferior ao Porto Visa Infinite e Santander Mastercard Black, principalmente pelo Priority Pass ou Loungekey ilimitados gratuitos e anuidade mais baratas. No caso do Porto, com 6k reais de gastos mensais, a anuidade fica em R$ 600 e oferece o Priority Pass Prestige (visitas gratuitas ilimitadas para o titular e convidados) e excelente atendimento.
    Mas para quem oferece pontuação de 1,8 para Visa Infinite e Mastercard Black (se gastos abaixo de 9k reais no mês), não dá para esperar muito.

    • Henry

      Como é que o cara vai saber se está entre os 1.000 primeiros clientes ??? No ato do pedido de adesão aparece a posição em que ele está / estará como cliente ???

      • Carlos

        Bradesco? Deve ser mais complicado. Podem ser os 1000 primeiros que pedirem o cartão, ou que o tiverem aprovado, ou emitido, ou desbloqueado, ou usado, ou que tenham pago a anuidade.

        • Guilherme

          Ótimas informações!

          Realmente, o Bradesco perdeu a noção do bom senso. Os 100k de bônus são interessantes, mas essa limitação é muito subjetiva, e dá margem a discussões.

          Abraços!

  • Pingback: Voltou a promoção do BB concedendo 90% de desconto na anuidade dos cartões de crédito Elo | Meu Milhão de Milhas()

  • Tarcísio Bezerra

    Guilherme recebia mensagem hoje, via aplicativo, fiz o questionamento da pontuação gerente, estou aguardando a resposta dele.

    Sou cliente estilo, tenho os 3 cartões, Nanquim, black, infinity. aguardar a posição deles.

    • Guilherme

      Ótimo, Tarcísio, assim que tiver uma novidade, nos avise!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×