Está chegando a hora de dizer adeus para o British Airways Executive Club e o Iberia Plus…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Dica do Celso: estão com os dias contados dois dos melhores programas de milhagens aéreas estrangeiros “alcançáveis” pelo consumidor brasileiro.

O BAEC (British Airways Executive Club) e o IP (Iberia Plus) – parceiros do Santander Esfera para o envio de pontos (na verdade, o Esfera só transfere para o IP, mas é possível transferir do IP para o BAEC) – em breve se tornarão revenue based, de modo que o acúmulo de pontos se baseará no gasto de dinheiro: quanto mais você gastar por uma passagem, mais milhas acumulará.

Além disso, a piora também valerá para os resgates de pontos: quanto mais caro for o valor de mercado do bilhete, mais pontos serão necessários.

Ou seja, em breve a tabela de resgates deixará de ser fixa, e passará a ser flutuante.

As barganhas do programa também tendem a desaparecer, como trechos de curta distância (RJ-SP), que atualmente custam 4.500 Avios fixos.

As mudanças estão sendo implementadas gradualmente, sendo que a transição deverá ocorrer com mais força entre o final desse ano e o começo do ano que vem.

Fonte da matéria: Head For Points

Conclusão

Esse modelo revenue based é a tendência mundial entre os programas de milhagens aéreas, já tendo sido adotado, dentre outros, pelo AAdvantage (AA), Miles and More (Lufthansa e Swiss), Latam Fidelidade (Latam) etc.

A soma dessa notícia com a agravante da alta do euro tornará, no futuro, praticamente inviável o uso dos programas baseados em Avios para emissões de prêmios, já que os custos subirão vertiginosamente, tanto pela tabela flutuante que aumentará o valor dos prêmios, quanto pelo caro valor de complemento dos saldos via compras de pontos.

Tal notícia comprova mais uma vez um velho adágio já conhecido de todos nós: milha boa é milha gasta. Nunca encare sua conta de milhas como uma conta de poupança a longo prazo. Acumulou? Gaste! Antes que seja tarde demais.

Agradeço ao Celso pelo envio da dica!

Tagged as: , ,
  • Henry

    Em alguns casos talvez ainda não seja hora de dizer adeus..
    Brasileiros costumam acumular milhas em programa de fidelidade de forma muito acentuada através dos parceiros não aéreos dos programas, tais como cartões de crédito…
    No Brasil, o Santander e o Livelo permitem enviar pontos para Iberia Plus e o Livelo para o Executive Club tb…e, esses dois programas compartilham livremente esses ávios..
    Então.. para esse público que acumula milhas por envio dos cartões o sistema revenue based não vai afetar muito..
    Já com relação à tabela flutuante.. isto vai depender do quanto ela vai flutuar…
    Mas.. vamos à analise…
    Hoje, o EC/IP acumulam por milhas voadas o que implica em que as pessoas que voam acumulam muito mais milhas do que acumulariam pelo sistema revenue based…. e mesmo assim, o EC/IP tem uma boa tabela fixa de resgates…4.500 ávios na Europa, 25k para Brasil x EUA pelos parceiros (AA/Latam), e de 19.5k até 28k na BA, de 17.1k até 27k na IP e 30k nos parceiros (Latam) para Europa..
    Com o sistema revenue, devem entrar menos milhas no programa, o que, EM TESE, implicaria uma valorização das milhas que estão entrando lá..
    Assim, a tabela flutuante poderia ser um diferencial na medida em que valorizaria mais essas milhas mais escassas…
    Mas..o grande problema desse minha lógica puritana e inocente é o Srº Alex Cruz, que desde que assumiu a condução da cia. tem ferrado com tudo por lá…
    Ele pode simplesmente adotar uma solução “Smilesiana” e ferrar tudo… dificultar o acúmulo numa ponta e aumentar a quantidade de milhas noutra ponta…
    Vamos acompanhando e valendo a máxima que pontos de cartão de crédito são cada vez mais disputados e valiosos, então envie só para um uso imediato e que seja o melhor para você..
    Nada de ter fidelidade com empresas que não reconhecem a sua fidelidade….

    • Guilherme

      Perfeita a sua explicação, Henry.

      Não tinha me atentado para esse trecho da sua percuciente análise:

      “Com o sistema revenue, devem entrar menos milhas no programa, o que, EM TESE, implicaria uma valorização das milhas que estão entrando lá..”

      Faz todo o sentido pensar assim.

      Abraços!

      p.s.: esse Alex parece um tal de Doug que também arranhou um programa de milhAAgens …..rsrsrsrrsrsrs

      • Henry

        Exatamente… eu tinha dito isso lá no site da Beatriz.. que o Doug Parker detonou a AA e o AAdvantage…
        Depois dos caras darem resultados rápidos de lucro, com o tempo as pessoas saem do programa.. o volume financeiro cai, idem o lucro, mas o cara já está a milhas (físicas) de distância e diz que os problemas são decorrentes da atual gestão e não da dele que dava lucro…
        Simplesmente os caras comprometem o futuro das cias…

        • Guilherme

          rsrssrrs… verdade. Já pensou um desses à frente de uma Gol, Latam, Azul…..rsrsrs

          • Henry

            A Gol tem o tal cara que veio da Audi… administra a empresa usando dinheiro do Smiles… por isso o Smiles quebrou….
            A Latam quem manda mesmo são os chilenos, mas botaram um rostinho feminino de CEO pra levar porra da… a tal lobista na ANAC…
            A Azul tem o águia do David… o cara dá nó em pingo d´água…ele tem parceria até com o diabo, quer dizer, chineses…pode ter coisa mais predatória que isso ????

            • Guilherme

              rsrsrsrsrsr…..

  • Observando Fato

    Quando eu mandava noticia o Guilherme colocava meu nome como enviando, agora nem isso. rsrsrsrsrs. Segundo o CEO teremos as modificaçoes a partir de dezembro 2.018.
    Mr. Cruz nao ira extrapolar mas colocara os premios nivelados com os concorrentes lembrando que na Europa a concorrencia e muito maior, EC , Flyng Blue, Miles and More ( LH e outro TK), etc….
    Nao compartilho das ideias do Henry e acredito em aumento de premio. O problema consiste na mudanca de paradigma do EC que agora tem tabela flutuante, o que e SEMPRE pessimo.
    Vejamos o que nos espera. Por via das duvidas irei limpar minha conta emitindo antes da modificacao.
    sds,
    Celso

    • Guilherme

      rsrsrsrsrsr…. perdão pela falha! Já editei o post!!!!

      Vamos ver como as coisas se darão no BAEC. A torcida é pela estabilização nos preços dos prêmios, mas, por via das dúvidas, também limparei minha conta por lá!

      • Observando Fato

        Eu nao vejo margem para estratosfericos aumentos no EC, entretanto por garantia vou emitir antes da mudanca.
        Tem leitor que quer comparar evo morales com Barack Obama, assim fica dificil.
        O EC foi um dos melhores programas por anos para FF, inclusive garantia ao menos 2 bilhetes para emissao com milhas, EM TODOS OS VOOS, EM TODAS AS CLASSES, EM TODAS AS ROTAS, EM QUALQUER DATA em voos British.
        Compara-lo ou mesmo associa-lo com Smiles e no minimo desconhecimento total.
        sds
        Celso

        • Guilherme

          “Tem leitor que quer comparar evo morales com Barack Obama, assim fica dificil.”…………rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs……. rachei de rir aqui! 😆

          Quanto ao EC, não tenha dúvidas disso: excelente programa, imbatível na época da paridade Multiplus 1:1 Le Club, com a subsequente conversão 2 pontos Le Club = 5 Avios

  • Cristiano Andrade

    Quem voa longas distâncias com a One World cada vez mais tem o AAdvantage (que foi extremamente desvalorizado) como melhor opção. BAEC vai ficar pior que o AAdvantage… uma opção para quem voa com AA, BA e Latam em longas distâncias é pontuar na Alaska (ainda em base de milhas e, por enquanto, sem previsão para mudança a revenue) que já desvalorizou bastante o acúmulo com parceiras.
    Lembro de ano passado quando começou a mudança do AAdvantage de ter pensado em migrar pro BAEC ou pro Latam Pass (ou Latam Fidelidade) ou mesmo migrar para Star Alliance (via Tap Victoria), acabei ficando no AAdvantage que para o meu perfil foi uma medida acertada (talvez Star Alliance fosse melhor). Esse ano pensei e repensei, Tap Victoria fez o que fez, Latam Fidelidade/Pass também com grandes downgrades (além da minha aversão além do racional para com eles), BAEC desvalorizando… virei free agent e pelo que falo com meus amigos no hemisfério norte, muita gente seguindo pelo mesmo caminho.
    Gol Diamante estou mantendo (até porque para quem viaja bastante nem é difícil de qualificar) sem precisar concentrar vôos com eles. Vou seguir o ano sem concentrar em ninguém.
    One World – mandando pontos pro AAdvantage (pelo menos Platinum consigo qualificar, o que me dará ao menos bagagens despachadas gratuitamente na One World)
    Star Alliance – mandando pontos pro… Amigo (é, pois é!), devo fechar o ano como Silver, não sei se chego a Gold
    Sky Team – (pra mim = Delta, Aeroméxico e Gol) – mandando pontos pro Smiles onde consigo manter o Diamante
    Qual o próximo a passar por grande mudança? Amigo na fusão com o LifeMiles? Alaska indo pra revenue também?

    • Guilherme

      Ótimas explicações, Cristiano. Realmente, o AAdvantage, mesmo com todas as mudanças ruins, ainda acaba sendo o menos ruim de todos.

      O Alaska seria uma boa opção para os brasileiros não fosse a dificuldade enorme de pontuar com eles.

      No final das contas, ser free agent acaba sendo o melhor mesmo. Não se fidelizando a programa algum…..

  • Guilherme

    programinha ficado safado…
    algumas barganhas citadas para esse programa em rotas curtas não vejo tanta valia…
    a ponte aerea mesmo por 4500 pontos é caríssimo… pelo mesmo tanto se encontra no smiles, cujo valor de aquisição das milhas é mt mais baixo…
    resgates curtos na europa por 4500 pontos, acaba em muitas vezes saindo mais barato comprar em real no site da iberia

    • Henry

      Mostra pra nós onde vc emite passagens domésticas na Europa emitindo pelo Smiles por 4.500 milhas…
      Olha a tabela do Smiles, que pesquisei agora pouco..
      LHR => CDG = de 15.000 milhas até 22.500 milhas;
      LHR => LIS = de 15.000 milhas até 18.000 milhas;
      CDG => FCO = de 18.000 até 50.000 milhas (sim.. isso mesmo, vc não leu errado, Smiles com aquela tabela flutuante tem a cara de pau de cobrar 50k numa econômica em voo doméstico na Europa)…
      MAD => FCO = 14.000 milhas…
      Se vc disser que o Smiles faz promoção e reduz estas quantidades, eu concordo contigo… mas apenas UMA vez fez por 4.000 milhas e mesmo assim, não foram todas as rotas na Europa..e isso é aleatório..
      Já o EC/IP tem a tabela “off-peak” que é permanente ao longo do ano e cobra quase 7 meses dos 12 meses… nela vc paga 3.900 ávios…além disso, até semana passada a Iberia estava com promoção de desconto de 25%… conclusão: vc pagaria por um trecho na Europa algo na faixa de 2.925 ávios..
      Quanto ao seu argumento de que as vezes sai mais barato comprar cash, concordo contigo… isso é ALGUMAS vezes, e não se esqueça que, normalmente, emitindo pelo EC/IP vc tem franquia de 1 mala… comprando cash, nem sempre tem… além disso, se vc parar pra pensar… ao invés de usar milhas Smiles, sai muito, mas muito mais barato comprar as passagens pagando cash… e isso é quase sempre…

      • Guilherme

        4500 me referia na ponte aerea sp rio…
        Emiti zrh fco por 11k smiles alitalia
        No baec tava 4500 num voo da vueling de horário ruim chegando 23h e cujo preco em dinheiro era metade do voo da alitalia… Se vender esses pontos rende mais

        • Henry

          Tem dezenas de voos BAEC por 4.500 ou 3.900 na Europa… depende de época do voo….
          Quanto aos 11k da para ZRH=>FCO, o normal, hoje em dia, é o Smiles cobrar 13k… tudo bem que vc até pode pagar menos numa promoção no Smiles, mas tem sido raro…

          • Guilherme

            isso, o padrão tava em 13k…
            com certeza o Baec vai ter uns resgates bons na curta distância, mas mtas vezes esses voos curtos tem uma cia aerea operando a rota num valor bem em conta
            pensando no valor de mercado e custo de oportunidade dessas milhas, as vezes n eh uma pechincha como parece

  • Cinthia Rangel

    Para trechos curtos o BAEC é imbativel.
    Passei 35 dias na Australia em janeiro e emiti diversos trechos internos por 4500 avios, incluindo MEL-Hobart, cujos trechos, em AUD, são extremamente altos, especialmente em época de altíssima temporada. Fomos ao Outback australiano voando de MEL tb com pontos BAEC.
    Enfim, fizemos inumeros trechos que, pagando para nossa familia, sairia por mais de 10 mil reais e seria inviavel conhecer todos os lugares que conhecemos.
    Vou emitir todos os trechos internos da viagem pra Asia agora.

    • Guilherme

      Excelente, Cinthia! Milha boa é milha devidamente usada!

    • Observando Fato

      Eu te conheci na internet quando voce tinha uma filha recem nascida. Num site ate escrevi um roteiro para voce viajar, acho que foi Zurich, e voce tentou me derrubar perguntando onde compraria roupas especificas, rsrsrsrsrs mas lhe respondi. O tempo passou acredito que sua filha ja tenha uns 8 aonos e la e acola vejo seu nome em sites. Voce morava no Sul do pa[is…. E agora lhe encontro aqui no MMdM. Sua afirmacao e mais que correta. sds, CELSO.

      • Guilherme

        Cinthia e Celso: duas pessoas extraordinárias que conheci no Aquela Passagem! Velhos companheiros de jornada nesse mundo das milhas e pontos!

        • Cinthia Rangel

          Guilherme
          O Rodrigo faz uma falta! Mas hj temos o seu site, o da Beatriz e o do Paulo.
          Sem duvida, os melhores do ramo! Vida longa!

          • Guilherme

            Muito obrigado pelas palavras, Cinthia! Abraços!!!

            • Carlos

              Guilherme, como você escrevia para o AP, não tem o contato do Rodrigo ainda para pedir um Master Jedi Post sobre qualquer assunto que ele queira escrever, seja um histórico do AP, algum review da Singapore ou Cingapura? Pode ser que a medicina esteja ocupando muito o tempo dele, mas como o AP é o pai e mãe da comunidade de milhas na internet brasileira, seria fantástico tanto para apresentar o Mestre Yoda aos jovens padawans quanto para relembrar e homenagear os leitores do AP.

              • Guilherme

                Carlos, seria fantástico e brilhante poder materializar sua sugestão!

                Infelizmente, perdi o contato com o Rodrigo. Acho que ele está, e tenha decidido ficar, 100% offline, e não queira mais aparecer na Web. Essa sua sugestão me lembra muito o Joshua, do Radical Personal Finance, que tentou publicar uma entrevista com Amy Dacyczyn, considerada uma das precursoras da frugalidade nos EUA, tendo inspirado, dentre outros, por exemplo, o Mr. Money Mustache. O Joshua a contactou, mas ela não quis. Acho que o mesmo aconteceria com o Rodrigo.

                De qualquer forma, fica sempre a esperança de que um dia ele apareça e escreva qualquer coisa que ele queira. A memória do que ele transmitiu e escreveu eu faço e sempre farei questão de preservar e legar para as gerações que nos sucederão, pois é um caso raro de pessoa que sempre trabalhou inspirada nos princípios da ética, *HONESTIDADE* e amor pelo que fazia. Pessoas como ele, o Ric Freire, do VnV, a Lina, do Conexão Paris, e tantos outros daquela geração, são joias que precisamos sempre aprender a valorizar, respeitar, admirar, seguir, e difundir na maior amplitude possível.

                Abraços!

      • Cinthia Rangel

        Celso
        Claro que lembro de ti! Tanto do Aquela Passagem qto do Falando de Viagem.
        Salvo todos os seus posts maravilhosos aqui no MMdM. Adoro! E indico pra todos que conheço!
        Ah, boa memória a sua! Minha filha fez 8 anos semana passada! E vive viajando conosco! Agora, um pouco mais difícil por causa do calendário escolar!
        E, sim, sigo morando no Sul! Aliás, amo esse Estado!
        E tb te vejo sp viajando em cabines top! Nós tb viajamos, mas não tanto pq não dá pra ficar fazendo roteiros mirabolantes com uma criança, que quer logo chegar ao destino final!

        • Observando Fato

          sds, Felicidades. Celso.

        • Guilherme

          Daqui a pouco é a sua filha quem vai estar dominando esse mundo das milhas e pontos, hein!? rsrsrsr

          • Cinthia Rangel

            Ela já sabe que viajamos com
            Milhas. E sabe tb que transformo em milhas tudo o que compramos dentro de casa. Hahaha

            • Guilherme

              Hahahaha…. boa!

    • Guilherme

      Os voos curtos devem ser analisados em cada caso… há muitas dessas rotas com passagens em cash a preços baixos
      no exemplo citado (mel-hobart) tem voos da Tiger com ampla disponibilidade a preços baixos.. numa rápida simulação que fiz aqui pra maio, saiu a 62 AuD com 1 bagagem despachada inclusa…
      dos 62 AUD, as taxas aeroportuarias são aproximadamente 30AUD, sendo então uns 32 AUD pra cia aerea (equivalente a 85 reais)…
      A pontuação baixa (4500 avios) seduz, mas tem que analisar o quanto elas valem

      Comparando o custo de oportunidade de mandar para outros programas, considero que esses 4500 avios valem aproximadamente 200 reais…

      ou seja, se o voo em cash, antes das taxas de embarque, custa menos de 200 reais (como a rota MEL-HBA), n vale a pena emitir a passagem com pontos…

      a unica vantagem que vejo seria apossibilidade de acionar a british/iberia judicialmente no brasil, no caso de ter problemas com o voo (atraso, cancelamento, etc)

      • Cinthia Rangel

        Guilherme
        Fomos a Hobart partindo de Melbourne em altissima temporada. Voos entre os dias 02/01 e 08/02. Não encontrou nada, nesse periodo, por menos de 3 mil reais para nós 3.
        Maio não é alta temporada na Tasmania.
        Viajar pela Australia, em janeiro, é muito caro, mas muito caro mesmo.

        • Guilherme

          Cinthia,

          em janeiro do ano que vem as tarifas estão parecidas, aproximadamente uns 70 Aud com taxas aeroportuárias… talvez não houvesse empresas low cost fazendo essa rota na época que vc foi… mas enfim, só uma sugestão

          • Cinthia Rangel

            Boa sugestão, Guilherme. Mas emiti em maio de 2017 para janeiro desse ano e não achei por 70 dolares não. Se tivesse achado, poupava meus avios, com certeza.

            • Observando Fato

              De Australia com licenca que eu sei um pouquinho. A Tiger inclusive esteve a beira da falencia, suspendeu rotas, etc, etc. Em janeiro e da cultura do Australiano sair de ferias, e muitos saem, MUITOS MUITOS MESMO. Estradas, hoteis, campings, tudo lotado. Sydney a maior cidade australiana fica as moscas de locais. Somente turistas. A loja de departamento David Jones fica as moscas. Downtown so tem turistas. Os escritorios estao quase todos fechados. Tiger nao pode ser referencia. Os precos dos bilhetes na Qantas e Virgin Australia sofrem imenso incremento no preco. https://www.macroaxis.com/invest/ratio/J7X.SI–Probability_Of_Bankruptcy

              • Cinthia Rangel

                Voltamos completamente encantados pela Australia! Que país maravilhoso!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×