Dia do Consumidor! Victoria TAP reajuste sua tabela de resgates na Star Alliance, confira aqui os novos valores :-(

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Finalmente saiu.

Vamos a eles.

Tabela Classe Econômica Star Alliance

Tabela Classe Executiva Star Alliance

Tabela Primeira Classe Star Alliance

Conclusão

Faço minhas as palavras do leitor Marcos (a quem desde já agradeço!):

“Por sorte, só subiu 10 mil milhas um round trip de classe executiva América do Sul – Central para EUA, Canadá, México ou Caribe. Foi de 90 mil milhas para 100 mil milhas.

Pra Europa, ficou inviável… 230 mil milhas o round trip de classe executiva… Melhor usar o Amigo Avianca, daqui em diante. Dos programas que temos à disposição, é o menos pior…

Também aumentou EUA, Canadá e México a 230k para Ásia. Acabou com aquela vantagem que havia, de você fazer uma executiva Brasil – EUA (90k), depois EUA – Ásia , por (145k), que na soma, ficava mais barato que fazer uma Brasil – Ásia (250k), e ainda ganhava um stopover a mais na viagem…

Por fim, outro que aumentou absurdamente foi América Sul – Central para América Sul – Central. Foi de 35k para 60k na econômica e 50k para 90k na executiva! Balaço…

Único resgate que vi diminuição do valor exigido foi First de América do Sul – Central – para EUA, Canadá, México ou Caribe, que passou de 130k para 135k. Mais fácil ver um duende do que conseguir um bilhete Award na First da United…

Enfim, vou usar o que tenho no programa pros EUA agora (único resgate ainda competitivo), porque pra Ásia, que não aumentou muito (foi pra 260k o round-trip, ante 250k), não tenho planos de ir tão cedo.

Pra Europa, houve o enterro oficial do programa, para as três classes ao meu ver, exigindo 140k, 230k e 320k para econômica, executiva e primeira classe, respectivamente”.

Os resgates na classe econômica para a Europa também ficaram muito caros: 140.000 milhas a ida e volta, ou seja, 70.000 milhas por trecho. Ganhou do Smiles! rsrs

A TAP cometeu uma grande mancada no “timing”: reajustar as tabelas justo no Dia do Consumidor? 🙁

E você, o que achou!?

  • Solrac

    Duas dúvidas:
    será que agora dá pra emitir one way pela metade do valor?
    será que vão continuar com o bônus de 100% uma vez por ano?

    • Solrac

      Opa, eu perguntei e eu mesmo respondo. Acabei de ver nos Termos e Condições:
      “Bilhete de ida (adultos e crianças): máximo de 3 segmentos. Sem desconto, aplica-se o valor de round trip.”

      • Guilherme

        Ou seja, tudo como dantes no quartel de Abrantes.

        O Victoria TAP ainda tinha uma pequena chance de continuar sendo uma alternativa viável para certos trechos, se permitisse a emissão de somente um segmento, por metade das milhas da round trip.

        Mas pelo visto eles não querem que os clientes continuem usando o programa.

        • what_the_hell??

          Exceto p os EUA, aí ainda acho q vale a pena sobretudo em executiva e podendo fazer stopovers!

          • Guilherme

            Você diz que valeria a pena emitir só uma perna por 100.000 milhas, ou vale a pena emitir a round trip por 100.000 milhas? 😉

            100k por uma perna só acho pesado, mas se for pela RT, aí sim!

            • what_the_hell??

              Round Trip, com certeza!

              • Guilherme

                Aí sim! Show de bola!

  • Marcos

    Guilherme, grato pela menção!
    Agradeço pelo ótimo conteúdo (acima de tudo, imparcial), que temos a disposição neste site!

    Tenho dois bilhetes na Business da Swiss, emitidos no ano passado, para fazer GRU-ZRH-AMS e ZRH-GRU neste ano. Foi minha primeira e única emissão pelo Victoria para a Europa. O pior de tudo foi a falta de transparência de todo o processo, feito sem nenhuma comunicação por e-mail E sem avisar os valores previamente!

    • what_the_hell??

      Realmente. isso foi o pior de tudo! Como vou mandar mais pontos pra lá, mesmo com alguma promoção??? Vai que daqui a 2 meses resolvem aumentar de novo????

      • Guilherme

        Isso é o pior, WTH, a falta de segurança na estabilidade das tabelas de resgates.

        Eu acho que a dica do Marcos, no sentido de substituir o Victoria TAP pelo Amigo Avianca em emissões na rede Star Alliance, faça todo o sentido daqui pra frente. Isso é claro, se o próprio Amigo Avianca não resolver botar as manguinhas de fora.

        • Marcos

          Com certeza, Guilherme. Se o Amigo não virar Inimigo, dá pra fazer Brasil – Europa em Executiva a 160k (Oeste) ou 170k (Leste) round-trip, podendo inclusive emitir one-way, se for necessário. Porém, hoje está compensando o round-trip, com as boas notícias do post que contém as ligações que o Carlos fez ao call center do Amigo, não pagando YQ. Outro resgate que virou ouro no Amigo é First para Europa a 100k o trecho. Uma pena não poder emitir cabine mista, o que obriga o passageiro a ficar como única opção ir para Frankfurt, saindo apenas de GRU ou GIG.
          70k econômica Brasil-EUA é o mesmo valor que o Amigo (Star) e a Latam (OneWorld) cobram para os EUA. Só que fica vantagem para o Amigo e Latam, pois não cobram taxa de emissão via Call Center e as taxas são em Reais direto, sem IOF, se a viagem não tiver stopover. Com stopover, o TAP Victoria ainda ganha.
          Agora vou respirar e gastar os pontos que tenho em business pros EUA para o próximo ano. Após liquidar o estoque, adiós Victoria…

          • Guilherme

            Excelentes exemplos, Marcos!

            É impressionante como as cias. aéreas não calculam bem a sua capacity pras emissões de resgates. Aumentar as tabelas de um modo um tanto quanto exagerado é uma resposta muito fácil pras empresas frearem a demanda, mas péssima do ponto de vista do marketing e da imagem da empresa, que tem sua credibilidade muito comprometida.

    • Guilherme

      Valeu, Marcos, pelas palavras!

      Eu também não costumo usar o Victoria. Esse programa tá se queimando fácil com os viajantes brasileiros.

  • d-Monitor

    E quanto será que estão cobrando de taxa de combustível? Alguém tem ideia?

  • spdy

    table { }tr { }col { }br { }td { padding-top: 1px; padding-right: 1px; padding-left: 1px; color: black; font-size: 12pt; font-weight: 400; font-style: normal; text-decoration: none; font-family: Calibri, sans-serif; vertical-align: bottom; border: medium none; white-space: nowrap; }.xl65 { }.xl66 { text-align: center; }

    Classe
    V. Antigo
    V. Novo
    Variação

    America Central e Sul

    Econ
    35000
    60000
    71%

    Exec
    50000
    90000
    80%

    Prim
    75000
    120000
    60%

    África Central, Ocidental e Oriental

    Econ
    110000
    120000
    9%

    Exec
    160000
    210000
    31%

    Prim
    240000
    300000
    25%

    Asia

    Econ
    190000
    160000
    -16%

    Exec
    250000
    260000
    4%

    Prim
    380000
    360000
    -5%

    Canadá, EUA, México, Caraíbas

    Econ
    55000
    70000
    27%

    Exec
    90000
    100000
    11%

    Prim
    135000
    130000
    -4%

    Europa e Norte de África

    Econ
    90000
    140000
    56%

    Exec
    120000
    230000
    92%

    Prim
    180000
    320000
    78%

    Médio Oriente

    Econ
    165000
    160000
    -3%

    Exec
    220000
    260000
    18%

    Prim
    330000
    360000
    9%

    Oceânia

    Econ
    190000
    160000
    -16%

    Exec
    245000
    260000
    6%

    Prim
    370000
    360000
    -3%

    África Austral

    Econ
    160000
    120000
    -25%

    Exec
    210000
    210000
    0%

    Prim
    320000
    300000
    -6%

    Tentei montar uma tabela com os valores antigos e novos para comparação, pra ver se dá pra tirar uma noticia boa daí 🙂

  • Luiz De Freitas

    … “quando receberes um limão, faça com ele uma limonada”! Qual a opinião de vcs sobre a seguinte emissão hipotética: Brasil –> Africa do Sul com stop over em algum ponto da Europa por 210K … Assim custaria 105K (ida e volta) até a Europa (Frankfurt ou London [altas taxas]) e outros 105K (inda e volta) da Europa até a Africa do Sul …

    • Guilherme

      Interessante, hein! Parece que há aí uma sweetspot!

      • Luiz De Freitas

        … da mesma forma uma emissão do Brasil até a Asia com stop over na Europa …

        • Guilherme

          Ótimo! É preciso agora aproveitar essas brechas pra extrair valor do programa.

    • Davi

      Não creio que esse resgate seja possível. Recentemente tentei resgatar Am. Sul > Am. Norte > Europa, com apenas os 3 trechos permitidos pelas regras e sem fazer stopover na Am. Norte, e o sistema deles não permitiu o voo de ligação Am. Norte > Europa. Tentei com diferentes atendentes e nenhum conseguiu completar o trecho.

  • Carlos

    Bom, pelo menos aproveitei bastante. Foram 1,4 milhões de milhas gastas em 15 passagens de ida e volta na executiva para Europa e Am. do Norte, a um custo médio de 1,6k reais por passagem.
    A desvalorização da tabela nem acho que foi o pior, embora tenha havido alguns massacres. Foi o modo absolutamente rasteiro e desonesto no qual o reajuste foi executado, feito de maneira a tentar enganar e esconder do cliente uma mudança significativa. Ética e respeito passaram longe.
    Apenas para comparação, atualizei a tabela de http://meumilhaodemilhas.com/2017/12/30/guest-post-comparativo-de-emissoes-resgate-das-passagens-em-classe-economica-ou-executiva-do-brasil-para-o-resto-do-mundo/, embora não sei se os percentuais de 60% para o Multiplus ainda se aplicam (como bônus direto, pois acabamos de ter um muito maior, mas indireto), assim como os 100% para o Victoria se repetirão. E mesmo que se repita, o nível de confiabilidade no programa está abaixo do Smiles, que pelo menos permite a emissão da passagem sem milhas na conta. https://uploads.disquscdn.com/images/6b80e612c0a0854031a1c3c316d58210e907d6418a4b6d61482d88e1ce3b4274.jpg

    • Guilherme

      Excelente, Carlos! Concordo com todos os seus argumentos. Nunca mais transfiro nada pro Victoria TAP. Falta de credibilidade, falta de respeito com os clientes, e resgates estratosféricos.

    • Bruno Pinho

      Show a sua tabela! Parabens!

  • Filipe

    Amigos leitores, qual é o melhor site de conhecimento de vocês caso eu queira:

    1) Vender milhas que eu tenha em meus programas;
    2) Cotar e comprar passagens emitidas por milhas de quem as tem e deseja vender?

    Penso que não tem sido interessante ficar segurando milhas nos programas e sim, é melhor vender o que temos e quando precisarmos emitir alguma passagem, comprar de quem esteja vendendo suas milhas no programa que esteja com a melhor oferta para o momento e trecho em questão. O que acham?

    • Rodrigo Rieger Maia

      O maior e melhor é o Max Milhas… procura lá

      • Filipe

        Max Milhas é muito caro!
        Alguem utiliza outros sites?

  • Bruno Pinho

    outro abuso foi que aumentaram a taxa de emissão pelo call center….antes era 25 euros por emissão, agora é 40 euros…
    a cobrança dessa taxa por si só já acho um abuso pois não temos a opção de emitir pelo site … é uma “venda casada” na minha opinião.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×