ALERTA DE TARIFAS! Passagens American Airlines, em classe executiva, saindo do Rio de Janeiro, para Orlando ou Las Vegas, ida e volta, por R$ 4.344,73, com todas as taxas incluídas

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Depois de um longo e tenebroso inverno, a American Airlines voltou a oferecer tarifas interessantes em seus voos em classe executiva com saídas originadas do Brasil, no caso, o Rio de Janeiro (GIG) para as cidades de Orlando e Las Vegas.

Há disponibilidade de datas para o resto do ano, e o parcelamento pode ser feito em até 5 vezes nos cartões de crédito.

Segue uma amostra:

Conclusão

Depois de um longo e tenebroso inverno… e bota loooongo nisso!

Pesquisando a seção de Arquivos do blog (link aqui), descobri que a última vez que a AA estava ofertando passagens nesse nível de tarifa havia sido em novembro de 2015 (post aqui) ocasião em que a AA estava vendendo passagens em classe executiva para Nova York por R$ 4k.

  • Marcos Santana ↙

    Sério que isso seja um excelente negócio? Será que pagar ao menos dois mil reais a mais por uma passagem para chegar no mesmo ponto deve ser anunciado como uma coisa a não se perder de jeito algum? Digo isso porque o mesmo trecho na classe econômica está por menos de dois mil reais. Ora, por mais que seja interessante viajar na classe executiva, confesso que não vejo necessidade de fazer esse upgrade por tal diferença monetária. Resumindo: só viajo de classe executiva quando é por conta da empresa que trabalho! Viagem particular, vou de econômica mesmo! Prezo muito pelo meu suado dinheirinho!

    • Observando Fato

      Ha pessoas que deliciam-se com um jantar nos restaurantes de Alain Ducasse. Seguindo sua filosofia voce deve comer churrasquinho grago na rua na Estacao da Luz? Respeite as diferencas. Existem pessoas que privilegiam o conforto e nem por isso estao erradas. Outros como voce nao, nao estando tambem errado por isso. Voce me lembra os politicos que quando assumem cargos com o dinheiro do povo andam em carros de alto luxo, mas na vida pessoal sao miseraveis. Da sua empresa vai de business, pagando do seu bolso se tiver lugar de pe no voo aceita. Eu ja penso diferente, pago os dois mil reais para nao ter do meu lado pessoas com essa mentalidade. Prezo muito pela felicidade. Sao visoes diferentes do mesmo mundo.

      • Marcos Santana ↙

        Respeito o seu ponto de vista, mesmo sem concordar com um vírgula do que disse! Aliás, não teria problema algum em sentar ao seu lado em uma econômica, afinal de contas, você não faria qualquer diferença pra mim, sem contar que não é por estar em uma executiva que não terá do seu lado alguém “com essa mentalidade”.

      • Guilherme

        Endosso suas palavras, Celso!

    • SirNiXXon

      Então, Marcos, você tocou no ponto: “suado dinheiro”, para aqueles que o dinheiro não é tão suado assim, classe econômica sequer é opção.
      E também tem os hobistas, aqueles para o qual o dinheiro pode até ser suado, mas que consideram mais o tempo de viagem passado no avião que no destino.

      É válido sim divulgar esse tipo de promo porque por mais que essas passagens não façam sentido pra gente “comum” como a gente, tem todo tipo de gente nesse mundo 😛

      • Cristiano Andrade

        Dear Sir
        Achei meio agressivo o comentário. Se o cara “suou” pelo dinheiro, não teria direito de gastar como bem entendesse?
        Mas enfim, posso falar por mim (e sim, me senti ofendido).
        Imagine viagens a trabalho, se você voar de econômica vai chegar no destino cansado e a produtividade do dia será baixa, ou pouco poderá produzir. Ou então, tem que chegar um dia antes… e chegar um dia antes é um dia a menos com a família? qual o valor disso? ahh, e a volta, saudades da família, você vem num vôo de econômica, 16/17 horas sem conforto, chega morto… menos um dia de convivência com a família. Ida e volta, são 2 dias que se perdem.
        Ahh, e viagens de lazer. As minhas “suadas” férias são limitadas e tenho que quebrar em alguns dias separados. Imaginando aqui você fazendo 10 horas de viagem de econômica para Orlando, chega lá cedinho, nem pode fazer check-in no hotel, será um dia na Disney de zumbis, né? Um dia de férias pouco aproveitável, se você voou de Business, dormiu a noite bem e chega descansado, já aproveita desde que chega. O mesmo se aplica a Londres, ou ainda mais quando atravessa o mundo até Hong Kong. Meus 10 dias de férias se tornam 8. Ahh, prezo muito pelos meus suados dias de férias com a família.
        Além disso, com certeza a viagem começa já no aeroporto de partida, uma experiência bacana nessa parte da viagem também conta nas suas férias de lazer! Para alguns mais, para outros menos…
        E sinceramente, entendo e respeito que discorde e tenha os seus próprios critérios de como e porque gastar seu dinheiro e seu tempo. O que não concordo é o desrespeito a opinião alheia que seja diversa da sua. Um pouco mais de amor e menos de ódio faria muito bem a sociedade.
        By the way, emiti para Las Vegas em Maio (e complemento com trecho doméstico separado lá nos EUA). Veio bem a calhar.

        • Guilherme

          Excelentes comentários, Cristiano!

        • SirNiXXon

          Cristiano, ficar ofendido é uma pena, mas um direito teu – ao mesmo tempo acredito que exacerbas a questão, não tem ódio nenhum no meu comentário, muto pelo contrário, acho-o até bem humorado, mas é difícil transmitir tom e postura apenas por texto, não é verdade? 🙂 Então deixa eu explicar melhor:

          Claro que todo mundo tem o direito de gastar o dinheiro da forma que bem entende – pode ver que em nenhum momento questionei isso, tanto que frisei que é válida a divulgação desse tipo de promoção porque sempre vai interessar a alguém.

          O meu comentário anterior destaca (de maneira um tanto debochada, admito) que essa promoção não interessa tanto ao viajante médio e/ou econômico, que têm a grana mais limitada. Mas há no mundo gente com significativamente mais grana (em diversos graus) – e foi a esse público que me referi “àqueles para quem o dinheiro não é tão suado”.

          Você pode até achar que tem um preconceito aí nesse comentário, mas vamos extender a metáfora: Alberto “suou” 200 horas num mês pra ganhar R$2 mil, esses 2.000 extras da passagem executiva representam 100% do suor/mês de Alberto.
          Raquel “suou” 200 horas num mês pra ganhar R$20 mil, os 2.000 extras da passagem representam apenas 10% do suor/mês de Raquel. Os R$2 mil de Raquel são menos “suados” que os de Alberto, logo embora *preço* da passagem continue o mesmo para os dois casos, o *valor* muda.

          Em teoria, qualquer pessoa da classe média brasileira consegue, se quiser, comprar uma bolsa da Louis Vuitton. É praticável. Mas dificilmente alguém vai estar disposto a gastar o salário inteiro de três meses (por exemplo) numa bolsa. Já alguém que ganha R$ equivalente a cinco bolsas da LV por mês, vai achar o preço dela bem menos agressivo. Mesmo preço, valores distintos.

          Claro que ter ou não mais dinheiro no orçamento não é o única forma de mexer no *valor* das passagens, por isso que destaquei também os hobistas, público para o qual a viagem é menos “meio” e mais “fim”, é uma paixão por si só. Para essas pessoas, o *valor* das passagens se torna muito maior em comparação ao dinheiro gasto, independentemente da sua relação “suor/mês por R$ recebido”. Claro que além do hobismo existem outras questões que podem alterar a percepção de valor, você mesmo dá exemplo de algumas que considera pessoalmente importantes. Mas acho que já tá bom, né?

          Sem julgamentos aqui, só matemática e lógica. E claro, não estou discutindo a questão com rigor científico, só com bom humor, espero que receba a mensagem da mesma forma! 🙂 Abraço!

      • Guilherme

        Concordo com você, SirNixxon. A promoção em questão pode não ter utilidade para alguns, mas terá inegável valor para outros e, para esse público, vale a pena aproveitar essas oportunidades.

    • E tem gente que trabalha (muito) para poder viajar de executiva.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×