Dúvida do leitor: atualmente concentro minhas compras nos cartões Itaú e a maior pontuação está no Multiplus. Quero viajar para EUA e Europa em classe executiva. Qual é a melhor opção?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

O leitor Barreto me enviou uma dúvida por email, sobre qual o melhor cartão e qual é o melhor programa, para o perfil específico dele. Como o perfil dele pode ser parecido com o de vários outros leitores, eu lhe sugeri que a pergunta fosse transformada em post, pois respostas diferentes de diferentes leitores lhe daria múltiplas perspectivas para a melhor tomada de decisão. 😉

Aqui está a dúvida:

“Boa tarde.

Por favor, preciso de um auxílio.

Qual seria o melhor cartão para acúmulo de milhas e qual o melhor programa.

Sei que depende de muitos fatores, mas vou ver se consigo dar mais dados para auxiliar na resposta.

Cartões que tenho:

  • Visa e Master, Itaú Uniclass Platinum;
  • Visa e Master TAM –  Itaucard Platinum

Hoje tenho acumulado:

  • Sempre Presente – 53.000 milhas;
  • Multiplus – 154.000;
  • Tudo Azul – 20.000;
  • Smiles – 11.000.

Meu acúmulo mensal, entre despesas com cartão e viagens, está entre 2.500 / 3.000 milhas / mês.

Sei que meus números são pequenos, em vista do que costumo ler em seu blog, e também que minhas opções utilizadas hoje são as piores (Itaú e Multiplus), por isso mesmo preciso de uma orientação para maximizar meus resultados.

Não está descartado mudar tudo, por exemplo, abrir conta em outro banco, outro cartão etc.

Pretendo ir à Europa e EUA no ano de 2018, com minha esposa e minha filhinha, que estará com 1 aninho e meio, em classe executiva.

Qual a orientação?

Desde já agradeço a imensa boa vontade (sei que vocês devem receber milhares de e-mails) e aproveito para parabenizá-los pelo excelente trabalho que realizam.

………………….

Minha resposta

Eu havia escrito para ele a seguinte resposta:

Boa tarde, Barreto,
 
Inicialmente, agradeço as palavras de elogio ao blog!
 
Sobre sua dúvida, tendo em vista suas metas de viagem para 2018 – Europa e EUA – e considerando que você já tem um bom saldo no Multiplus e no Itaú, eu consideraria aproveitar esse estoque de pontos para queimá-lo já em 2018, ainda mais considerando que o Itaú costuma ter bônus relevante quando transfere para o Multiplus. 
 
Acho difícil conseguir emitir todos os trechos em executiva para essas 2 viagens, mas não vejo como impossível que você consiga emitir pelo menos a ida ou a volta em executiva. 
 
Agora, se você não tivesse esse saldo todo, eu consideraria a possibilidade de migrar para o BB ou Bradesco, para aproveitar o Livelo, e as promoções com o Victoria TAP, como o Carlos fez em recentes guest posts – principalmente esse aqui.
 
Abraços!
 
Guilherme

Considerando os objetivos de viagens dele – Europa e EUA em classe executiva – o Victoria TAP, em conjunto com o Livelo, me parecem as melhores opções, quando combinadas duas promoções: desconto Livelo de 50% na compra de pontos, com bônus de 100% do Livelo para o Victoria TAP. Esse post é bem conclusivo a respeito.

Mas os leitores podem dar opiniões diferentes e bem embasadas, haja vista que outros programas de milhagens e/ou cartões de crédito podem ter sweet spots para as quais eu não me atentei ao elaborar a resposta acima.

Porém, para aproveitar o saldo já existente no Multiplus e Itaucard, achei oportuno queimar o saldo, que já é considerável (acima de 150k pontos no Multiplus, que facilmente passa de 200k quando se transferir do Itaú com alguma promoção de bônus de transferência), com alguma boa chance de resgate que apareça, considerando que o Barreto não vai começar totalmente do zero. Nessas horas eu sempre lembro da frase que costuma ser dita pelo Cristiano Andrade: earn and burn, ganhe e gaste.

Conclusão

Ao ler a dúvida dele, parecia que eu estava lendo minha própria situação tempos atrás, pois, no meu começo dos programas de milhagens, eu havia começado exatamente como ele começou: usando um cartão co-branded TAM Itaucard, e concentrando meus pontos no TAM Fidelidade. E aposto que muita gente experiente, que lê o blog, também começou usando esses cartões de crédito e programas de milhagens.

Com o tempo, nós evoluímos no uso dos programas de milhagens e cartões de crédito, e tenho certeza de que a vida hoje, em termos de acesso à inteligência “milheira”, está bem melhor, e dou o exemplo do próprio blog, onde temos frequentes guest posts de excelente qualidade, dos leitores Celso e Carlos, por exemplo, que nos honram com dicas valiosas para explorar o que há de melhor nesse mundo.

Embora seja um tanto quanto arriscado pensar em termos de “futuro” e de “longo prazo” em matéria de programas de milhagens, há certamente opções no mercado bem melhores que as dos cartões Itaú e do programa Multiplus. Os cartões de crédito Santander e do sistema Livelo, por exemplo, oferecem condições melhores para maximizar a pontuação no banco; e, quanto aos programas de milhagens, o Multiplus deixa muito a desejar, havendo igualmente opções melhores ao alcance dos brasileiros, como o próprio Victoria TAP, citado acima.

E você, quais dicas daria ao Barreto?

Tagged as: ,
  • Cristiano Andrade

    Esse post vai dar o que falar Guilherme, pode ter certeza.
    Minhas considerações:
    Victoria TAP – já não é mais opção para as viagens de 2018 do Barreto. Por que?
    Ele quer emitir 2 Business, o ideal é emitir com um ano de antecedência para achar disponibilidade, ou seja, se ele tivesse os pontos hoje poderia emitir para segundo semestre de 2018 apenas. Além disso a TAP costuma fazer apenas uma promo de 100% por ano (esse ano ainda por cima foi limitado a Livelo apenas). Assim sendo, para 2019 a TAP pode entrar na jogada.
    A Filhinha – a melhor opção é emitir a passagem da bebê paga em dinheiro para lap seat (TAP cobra só taxa de embarque, Latam cobra 20% da passagem normal…)
    EUA – emitir Business para EUA com a Latam award promo (com a AA quase impossível) é uma epopéia, mas sim é possível, porém isso irá custar uns 75 mil ponto o trecho, assim ele precisaria de 300 mil pontos Multiplus, ele já tem metade disso, aproveitando algum bônus de 50% da Latam (acho que deve ter no Black Friday, chute apenas) iria precisar de mais 100 mil pontos do cartão, como ele deve ter uns 56 mil do Sempre Presente ele conseguiria 84 mil (faltando 76 mil que poderiam ser comprados em promos de 50% de desconto, por R$2660). Esta me parece a melhor opção, mas também tem o problema de emitir para 2018, acho que só no segundo semestre e com disponibilidade de datas. Ahh, ele pode completar os pontos com sign-up bônus do Multiplus (se ainda estiver disponível, não verifiquei).
    Se ele for para Orlando ou Miami, o Tudo Azul pode ser uma opção, com bônus de 100% que vez ou outra aparecem para o Tudo Azul. O problema é que ele precisaria de 300 mil pontos Tudo Azul (já tem 20 mil, faltam 280 mil, ou 140 mil pontos de cartão de crédito). Faltaria bastante coisa… para 2019 talvez funcionasse.
    E tem o Amigo, rezar para uma promo de 100%/120%, parece que estão como promos sazonais de 65 mil pontos por trecho no vôo direto Avianca (260 mil pontos total, ou 130 mil para 1 apenas, pagando o outro), estaria próximo da quantidade necessária de pontos numa promo de 120%. Mas não sei nem como é a disponibilidade, nem se é uma aposta ousada esperar esse bônus.

    Europa – Para Europa não é muito diferente, na verdade aparece até mais disponibilidade de Latam (Frankfurt, Madrid e Londres em especial), mas custa 90 mil o trecho (aí ele precisa de 360 mil… ele pode emitir a ida de Latam (180 mil pontos – faltam 26 mil apenas do cartão, ou seja, queimaria pouco mais de 17 mil pontos do Sempre Presente) e comprar a volta de Tap (a única que emite one-way pela metade do preço do round-trip).

    Ok, resolve uma das duas viagens (parcialmente, porque ou teria que comprar pontos multiplus ou comprar um trecho de TAP). A outra não tem como fugir…
    EUA tem vira e mexe promos da Avianca Internacional e Aeromexico ao redor dos R$4,5k round-trip em Business, até mesmo a Avianca Brasil no vôo direto para Miami chegou a fazer isso. Para Europa chegamos a ver promos da Latam (sempre com apenas 3 meses de antecedência no máximo) nesse patamar também.

    Isso tudo considerando que ainda achará disponibilidade para uma dessas viagens em 2018. Sinceramente, muito difícil. O que me leva a outra sugestão: comece a planejar 2019 agora. tem um estoque de milhas nos programas citados, pode alterar o cartão: Porto Black (2,2 pontos por dólar), Amex TPC (2,2 pontos por dólar) e até mesmo o Itaú Black (2 pontos por dólar) no caso de Multiplus ou Tudo Azul serem companhias que ele pretende usar em resgates futuros.

    Desculpe Barreto, 2018 eu acho que já era… pense em 2019 que você está no caminho!

  • Observando Fato

    Barreto,
    Eu sou o Celso e se voce tiver paciencia ao ler meus proximos 2 guest post, na sequencia tera condicoes de avaliar com precisao como e qual programa escolher.
    NAO quero me adiantar, mas qualquer resposta em funcao dos dados fornecidos esta salvo melhor juizo incorreta e voce entendera depois porque.
    Essa duvida sera claramente destrinchada nos dois proximos artigos.
    Na proxima 2@ feira podera ler o primeiro.
    sds,
    Celso

  • Carlos

    Eu acho que são necessários dois enfoques diferentes. Acumular pontos em cartões de crédito para viajar na executiva, ainda mais em casal, é uma tarefa muito complicada. A quantidade de pontos necessários é muito alta para se conseguir atingir apenas com os gastos de cartão. Inevitavelmente, este tipo de resgate vai passar pela compra, de alguma forma, de pontos. A análise se dividiria em duas, sobre o melhor cartão para conseguir parte dos pontos e que oferece os benefícios mais interessantes; e onde ou como é melhor comprar pontos para chegar na quantidade que vai ser necessária.
    Sobre os cartões, sem dúvida nenhuma as melhores opções são ou Porto Infinite ou Santander Mastercard Unlimited, pela ótima pontuação e benefícios, principalmente o Priority Pass. Mas conseguir os dois cartões não é fácil. Uma opção um pouco abaixo seria o Amex TPC, que através de consultor, tem a primeira anuidade a R$ 240, algumas salas VIPs conveniadas e bons parceiros de transferência. Depois dele, viriam os Elos pontuando 2,2 (Nanquim) ou 1,8 (Grafite) no Bradesco ou BB e pontuando no Livelo.
    Sobre a compra de pontos, a melhor opção é esperar uma promoção com desconto de 50% no Livelo ou aderir a um clube. Eu já partiria para o clube 20k, a R$ 650 por mês, até juntar um saldo razoável e esperar uma promoção de transferência.
    Finalmente, a questão seria aguardar uma boa promoção de transferência (pelo menos 100% para Smiles, Tudo Azul, Amigo e Victória e 50% para Multiplus) e fazer simulações se, com a transferência, você já conseguiria emitir as passagens nas datas que lhe convierem ou forem possível.
    Concordo com o Cristiano que pode ser um pouco tarde para conseguir suas vagas. Flexibilidade e antecedência são fundamentais neste caso. Mas começar uma poupança de pontos no Livelo, ou comprar pontos Multiplus em promoção (devido ao seu saldo já elevado) devem ser a solução.
    Só é importante verificar se os valores que serão gastos estarão de acordo com o seu orçamento. Dá para emitir passagens na executiva a preço de econômica, mas as janelas de oportunidade para estas emissões acontecem poucos vezes no ano.

    • Albino

      Concordo plenamente. É preciso tomar cuidado com a validade dos pontos Multiplus, pois vencem rápido. Como já tem essa boa quantidade lá, também vejo como ideal juntar os pontos do cartão (que no final serão poucos) e focar mais nos pontos Livelo.

      Não sei se ainda existe, mas do Itaú para a Multiplus existia deságio, o que desvaloriza bastante os pontos. Daí que, mais uma vez, o Livelo se torna vantajoso.
      Emitir essas duas viagens para todos com pontos apenas do cartão será matematicamente impossível, pois irá demorar demais pra juntar a quantidade necessária e, consequentemente, pontos viriam a expirar no caminho.

      Para os EUA, eu usaria os pontos Mutilplus pois a tabela deles pros EUA costuma ser mais barata do que Europa.

      Para Europa, eu faria pela Tap, com a combinação de Clube Livelo, compra com 50 ou 40%, mais bônus de 100% para o Victoria. Se combinar com desconto na emissão seria melhor ainda.

    • Marcelo Migon

      Carlos definiu mto bem. A opção mais razoável seria realmente entrar no clube 20k livelo e esperar uma boa promo de transferência. Com esse acúmulo de 3k por mês vc teria em um ano 36k q, mesmo c 100% de bônus para o victoria q seria a melhor possibilidade de transferência, vc teria 72k. O q não dá nem p emitir uma executiva “RT” Am. do norte. Vc tem uma pontuação boa no multiplus. Dependendo da época já até consegue uma executiva ída e volta eua. “Meu conselho”: torra esses pontos da forma q for mais conveniente e espera acumular seus pontos no clube. Depois transfere num bônus “bom” da smiles ou victoria. Em raríssimos casos pode ser q transferir para multiplus e tudo azul seja interessante…por exemplo. Se a multiplus por milagre oferecer um bônis de 100% na transferência e/ou o tudo azul oferecer um de 150%. Ou se sua região só for atendida pela malha aérea de uma das duas…e mesmo assim eu ainda pensaria duas vezes.
      Agora como vc q 2 executivas eua e 2 executivas europa para 2018, lamentavelmente vc terá q usar os pontos da multiplus para uma e comprar as outras 3.ou dar sorte de aparecer uma promo mto boa de compra de pontos e arriscar esperar aparecer outra de transferência…aí vai depender da sua disponibilidade de data e aceitar o risco…
      Os cartões o carlos diase tudo. Quanto antes vc mudar é melhor.
      Há anos passei por isso e me senti perdido. Fiz várias escolhas erradas e ainda faço. Mercado de milhas é bem parecido c o de valores. Sempre haverá risco e qto mais se dedicar melhor será sua chance de sucesso…hj temos mta informação e uma “galera boa” ajudando mto.

  • Mariano

    Não poderia emitir os bilhetes em classe econômica de companhias que permitissem o upgrade para executiva utilizando milhas?

    • Carlos

      Não, não são todos os bilhetes em econômica que permitem o upgrade. Somente certas classes de bilhete na econômica podem, e, normalmente, estas classes tem preços superiores à executiva mais barata.

  • Carlos

    Um adendo aqui, parece que Disqus do MMdM não gosta muito do Cristiano Andrade. O comentário dele foi novamente retirado para moderação. Guilherme está boicotando um assíduo contribuinte do blog? 🙂

    • Guilherme

      rsrsrs….oi Carlos, estou brigando com o DisqUS desde que ele foi implantado aqui no blog….rsrsrs

      Alguns dos melhores comentários do blog, escritos pelo Cristiano e pelo Adrián, por exemplo, são barrados, sem justificativa lógica, pelo DisqUS. Já os adicionei como leitores “confiáveis” do DisqUS (pois pra mim e pro blog eles sempre foram confiáveis), mas nem assim o sistema deles consegue entender a dinâmica da situação.

      O mais chato é o comentário deles aparecer aqui, e, depois, subitamente, ser excluído automaticamente pelo DisqUS.

      Mas agradeço a observação. Peço desculpas ao Cristiano, ao Adrián, e a todos os demais leitores que tiverem seus comentários excluídos sem justificativa pelo sistema. Estou trabalhando para corrigir o problema.

      Abraços!!!

      • PauloHCM

        Estranho, nunca vi isso em todos os sites que participo com Disqus… Boa sorte para decifrar esse enigma…

        • Guilherme

          Pois é, Paulo, eis aí mais um desafio pro MMdM! rsrrs Abraços!

  • Kleybsonn

    Bom vamos la nao sou muito entendido igual aos nossos colegas ai, mas acho que vc consegueria emitir com parceiros oneworld por um valor melhor que o da Latam para USA, a tabela eh fixa, particularmente nunca emiti. Acredito que seja uma boa opcao, pelo que ja li, para USA na economica, 70k ida e volta, nao sei a executiva.
    Me corrigam se estiver errado, mas seria uma opçao a curto prazo.

    • Cristiano Andrade

      É fixa, seriam 110k round-trip, o problema é achar disponibilidade da AA, algo muuuuuuuuuito difícil.

    • Cristiano Andrade

      Para Europa tem disponibilidade de BA e até razoável com a Iberia, aí sim é possível.

  • Alexandre

    Conforme já falado acima, antes de migrar para o Tap Victoria, ele já tem pontos Multiplus para queimar. Primeiramente se inscrever no programa Livelo , se não for correntista Bradesco ou BB fazer cadastro pelo CPF e já assinar alguma modalidade do clube. Em Novembro durante a Black Friday é provável que tenha promos de compra e transferência de pontos, assim sendo possível melhorar o saldo na Multiplus e o quanto antes decidir as datas das viagens e emitir as passagens.
    Após ter “queimado”os pontos Multiplus migrar para o programa TAP , as promos de transferência com bonus 100% são imbatíveis .
    Eu estava nessa mesma situação , cartão Itaú e Multiplus, dificilmente conseguia viajar de executiva. Fiz a migração para TAP, aprendi como funciona o programa e já faz 2 anos que não viajo em econômica , até mesmo uma viagem em primeira classe com a Lufthansa consegui graças a essa estratégia de acumulo total no TAP Victoria. Boa Sorte!!

  • PauloHCM

    Tem mais opções como:
    – usar o mercado pago para pagar boletos e contas e aumentar o acúmulo
    – comprar passagens em agência de viagens, em executiva, de gru para Santiago, com escalas em Buenos Aires e Bogotá. Com 3 viagens dessa custa 8700 e da i status LATAM black/ one world enerald, que te dá up para executiva em vôo LATAM para vc e acompanhante mediante disponibilidade.

    Essa última parece ser loucura, mas me pareceu ser um bom investimento, visto que passagens em econômica custam poucas milhas, e o up para executiva fica de grátis em várias viagens.

    Terceiro e último caso: smiles+money, onde o up para executiva Delta para rua custa = o valor que vc pagaria em econômica, geralmente 35.000 smiles + 1050+reais. Ou seja, 1050 reais por trecho para ir de executiva. Ficaria mais barato comprar pontos Livelo com desconto e transferir com bônus para Smiles, msg em ambos os casos sai muito mais barato que comprar a passagem em executiva, além de ser mais uma opção.

    • Angelo Gomes

      Estou pensando em utilizar a 2 opção, considerando a regra 3 do black para chegar ao status.

      Essa seria a forma mais barata mesmo?

      Uma dúvida que me bate, mudando o status black minha tabela de resgate muda para resgate por menos pontos?

      Pq esse ano de 2018 tenho bastante viagens e usarei latam e acho que com status black teria boas vantagens.

      Além do up para executiva

      • PauloHCM

        Não sei quais são todas as vantagens, além do up para executiva. Tem o status match para outras companhias One World, entrada em salas VIP mesmo tendo passagem para econômica (sem o up da executiva)

        • Angelo Gomes

          Resgate Latam existia uma tabela especial para black. Antes eu sei que a emissão poderia chegar a 30% de economia.

          Não sei como está isso hoje em dia.

          Lembro que fazia trecho CGH x GYN para resgate no Tam normal eram 15 mil e no black poderia achar por 9 a 10 mil. Existia um resgate diferenciado.

          Seria interessante alguém que possui Status black confirmar como está esses resgates.

      • PauloHCM

        Creio que seja a mais barata. Quem deu a dica foi um outro site. inclusive, nesse momento, ele está fazendo essas viagens apenas para manter o Status na aliança One World (ele divulga as lives no instagram e em alguns tópicos no face, antes de lançar no site). Dá um google ou vai direto no site dele e volta alguns tópicos. Nesse post, ele recomendou para obter ou manter status black. Já na live esse disse que está utilizando as milhas obtidas no serviço da Britsh. As engenharias milheiras para esse tipo de operação são bem variadas, rsrsrs.

        • Angelo Gomes

          Obrigado. Vi agora no Face. Basicamente ele fez o que eu tinha planejado ao analisar uma outra conversa aqui mesmo. Contudo com outros trechos e o investimento está próximo de 9 mil, contudo o tempo exigido é grande. Seriam 4x com 3 conexões o que seria necessário fazer em 4 datas.

          Parece loucura só que vale a pena mesmo. Só pela Upgrade para executiva, são 3 trechos que devo fazer ano que vem o que daria uma pela economia.

          O problema é o tempo mesmo.

  • Márcio Peixoto Tibiriça

    Posso estar escrevendo besteira, mas em relação aos pontos Multiplus ele pode transferir para o Le Club Accor (3/1) e trocar por descontos em hospedagens (principalmente na Europa) ou/e transferir do Le Club para a Livelo (1/1) e do Livelo transferir para TAP (1/1)

  • Rodrigo Rieger Maia

    Como faço para sugerir um post? Tem um email especifico? Sou leitor diario do blog e gostaria de contribuir.

  • Marcio Brasileiro

    Desencana da executiva.Transforme seus pontos em pontos Leclub,troque-os por um bom Hotel nos EUA e na Europa,afinal você vai dormir mais noites no hotel do que no avião.Compre passagens de classe econômica pela United,selecionando múltiplos destinos,saindo de GRU para os EUA(NY ou Chicago).Depois saia de um desses destinos para a Europa,de NY são varias opções.O trecho europeu você faz de trem.Da Europa você volta para os EUA em direção a Chicago(Roma ou Paris são boas opções pois são voos direto),NY ou Washington(nesse você tem voo direto de Amsterdam).Toda essa confusão que disse anteriormente vai te custar em torno de US$ 1.050,00 por adulto,todos os trechos, fazendo voos direto entre os continentes,passeando por EUA e Europa em uma tacada somente.O único senão,seria tentar não fazer muitas cidades na Europa para não ficar cansativo.Fique na ida e na volta pelo menos 3 a 4 noites nos EUA para descansar e se adaptar ao fuso.Uma boa dica seria GRU-NY-Veneza(trecho interno de trem pela italia)-Roma-Chicago-GRU.Ou GRU-NY-Londres(trem em direção a Amsterdam,ficando uns dias em Bruxelas)-Amsterdam-Washington-GRU.Lembre-se de pegar bons hotéis ao lado das estacoes de trem na Europa,para evitar traslados com criança.Para tudo isso você tera que separar no mínimo 3 semanas de suas ferias.Seriam 3 noites de avião,pois o voo de volta Europa-EUA costuma ser diurno,com o fuso horário a favor.

    • Alexandre

      Desculpe, mas com as promoções de milhas em dobro TAP tenho emitido uma passagem para Portugal em executiva para fevereiro de 2018 que me custou 980 reais , sim REAIS, ida e volta em executiva!
      E já emiti agosto de 2018 para o Canada com Air Canada (SP- Toronto – Quebec , Montreal – SP em executiva também, e me custou 1500 REAIS a emissão… então me desculpe, mas pra mim o papo de viaje de econômica esqueça a executiva está defasado.
      Estude os planos e regras de emissão, aprenda com funcionam as buscas e emissões, planeje com antecedência e combine promoções de compra de pontos e transferência, sim é possível viajar só em executiva gastando menos que econômica, sou a prova disso. Mas como tudo de bom na vida não vem fácil, as passagens não se materializam na sua frente, é preciso estudar e ter paciência e estratégia para esperar a hora certa para emitir.

      • Marcio Brasileiro

        Pois é,você tem razão.Mas minha resposta foi para esse caso especifico,na qual a pontuação dele esta restrita ao multiplus.

        • Alexandre

          Enfim, são várias formas de gastar os pontos, e sim sua alternativa é válida para “queimar”os pontos múltiplos que já ele já tem. Apesar de ele especificar que gostaria de voar em executiva. Inclusive respondi acima o que fiz no meu caso quando acumulava cartão Itaú e Multiplus, o que era exatamente o caso do leitor. Boa sorte e boas emissões a todos.

      • Rodrigo Rieger Maia

        Boa tarde Alexandre, este voo para o Canada em executiva voce emitiu com qual cia e por qual programa de milhagem? Abraço

        • Alexandre

          Boa tarde Rodrigo. vou explicar como combinei diversas promoções para conseguir esse preço.
          Pelo programa TAP Victoria, a tabela América do Sul – América do Norte pede 90 mil pontos para ida e volta em classe executiva, em parceiros Star Alliance.
          A TAP faz parte da Star Alliance, bem como a Air Canada. Eu emiti pelo programa TAP Victoria para voar Air Canada. ( voando Boeing 787 no caso dessa emissão )
          Eu possuo Clube Livelo 7000, no qual a cada mês acumulo 7000 pontos Livelo, o preço médio que de cada lote de 1000 pontos é R$ 27,00. Em junho passado a Livelo e TAP tiveram uma promoção com transferência 100% de bônus, a qual aproveitei. Logo precisei de 45000 pontos Livelo, que ao transferir se transformaram em 90.000.
          logo R$ 27,00 vezes 45 ( lotes de mil ) = R$ 1.215,00 , mais as taxas de embarque e emissão tive um custo de R$ 1500,00 ( na verdade foi R$ 1.480,00 , mas varia pelo cambio pois as taxas são cobradas em Euro).
          Como falei as passagens não “brotam “automaticamente nesse preço, requer aprender e planejar. Bem como aproveitar as promoções de bônus que ocorrem durante o ano.

          • Rodrigo Rieger Maia

            Boa jogada Alexandre. Eu imaginei que fosse isso, tambem faço parto do Clube Livelo 7000, estou sempre monitorando para conseguir essas emissões de executiva por preço abaixo de economica. Boa sorte pra voce e boa viagem! Aproveite o Canada que você vai adorar.

            • Alexandre

              Obrigado!! Abraço

          • Andre Ramos

            Olá a todos…
            Tá aí uma coisa que não consigo encontrar…

            A tabela da TAP Victoria para parceiros Star Alliance

            Alguém pode me ajudar?

            • Alexandre

              Andre, eu tenho um print da tabela, tem em outro site , mas acho que posso colocar link aqui pela moderação. Escreve aqui seu e-mail e te encaminho.

              • Andre Ramos

                Obrigado Alexandre
                andreneox@gmail.com

                • Alexandre

                  Já passei lá.

                  • Andre Ramos

                    Obrigado Alexandre

  • Davi

    Reforçando um aspecto da mensagem do Cristiano, acho que uma das principais mudanças a ser feita é procurar um cartão de crédito mais vantajoso.
    Se você ganha entre 2500 e 3000 milhas por mês, significa que seu gasto mensal em reais fica entre 8250 e 9900 (considerando dólar a 3,30, já que o dólar das operadoras de cartão é sempre mais alto). Não sei qual sua renda, mas se você gasta 10 mil reais por mês de cartão, imagino que você tenha renda pra pegar um cartão black (a Caixa exige renda de 15 mil mensais, por exemplo). Subir o seu multiplicador de milhas de 1,5 para 2 pontos por dólar significa que você está aumentando em 33% o seu acúmulo. Se em um ano você consegue 36 mil pontos no seu cartão Platinum, passará a conseguir 48 mil. E imagino que sua média de gastos no cartão te conseguirá isenção da anuidade (acho que no BB eles pedem 9 mil de gasto por mês e na Caixa certamente é menos que isso).
    Vale a pena também colocar na balança a mudança de banco para ter acesso ao Livelo ou às frequentes promoções de pontos em triplo do Santander.

  • Pablo

    Prezados,
    Aproveitando as milhas que tenho na TAP (promo livelo 100%), estou planejando uma viagem a Roma com stop-over em Lisboa na volta. No entanto, não há possibilidade de resgatar passagens com stop-over no site da Tap. Ao tentar pelo telefone, o atendente, muito gentil e prestativo, informou que também não é possível fazer stop-over pela Tap. Alguém sabe alguma solução pra isso?

    • Carlos

      A princípio, a informação está correta. Em resgates usando a tabela da TAP o stopover não é permitido. Os valores são um pouco mais baixos, mas também diminui a quantidade de vôos possíveis (4 no total). O stopover é permitido na tabela Star Alliance e Outros Parceiros, que é um pouco mais cara e permite 6 vôos no total.

      • Pablo

        Pois é. A solução pra mim parece ser fazer um resgate multicity (brasil-roma e lisboa-brasil) e fazer um resgate separado para o voo roma-lisboa. Terei que desembolsar mais 20k milhas por isso, o que estava fora do meu planejamento, pois imaginava que era possível o stop-over. Bem, terei que transferir mais 15k para o victoria. Ao menos tenho essa quantia na Livelo.

        • Carlos

          Veja o preço da passagem. Executiva intra-Europa não tem nada de mais e o preço da passagem pode ser razoável.

          • Cristiano Andrade

            Iria responder a mesma coisa… só atente para a questão das taxas de bagagens despachadas (exceto que tenha alguma status na aliança da companhia). Outra probabilidade de valer a pena a Business intra-europa é você aproveitar o vôo pela refeição de bordo se for almoço ou jantar… mesmo assim os 20k por pessoa acho que são mal investidos.

            • Pablo

              A diferença entre a básica e executiva é de 5k milhas. Então, considerei vantajoso. Porém não estou conseguindo fazer o resgate, ainda que separadamente, dos bilhetes. Faz 5 dias que estão com “problema técnico”. Resgatar por telefone gera um custo de 25 euros por passageiro para cara reserva, em resumo, 100 euros. É dose!

  • Angelo Gomes

    assim como alguns leitores estou esperando o livelo com bônus 50% e depois 100% TAP. Uma ótima opção e espero que volte, veremos no black friday

    • Cristiano Andrade

      Eu acho a opção excelente. Mas o histórico da TAP é de poucas promos por ano, aliás de 1 só. em 2015 eles fizeram 2x para todos os cartões (sendo que uma foi só pra quem era TAP Gold), 2016 foi apenas uma para todos os cartões, 2017 teve aquela restrita ao Livelo (a não ser que tenha tido alguma pra TAP Gold já que perdi o status esse ano). Talvez surja alguma esse ano, mas eu não contaria com isso.

      • Carlos

        Também acho pouco provável. Mas, se a intenção é aproveitar estas oportunidades raras, o ideal é formar sua poupança no Livelo. O desconto de 50% não aparece desde junho, mas acho possível voltar ainda este ano. O clube Livelo 20k também é uma boa opção, já que o custo dos pontos sai um pouco mais baixo (R$ 32,5) do que os 50% (R$ 35).

  • Observando Fato

    Barreto,

    Dentro de algumas horas você estará lendo o post desta
    segunda que será publicado.

    Confesso que fiquei surpreso com a quantidade de pessoas se
    manifestando sobre sua viagem com aqueles mesmos e clássicos erros de sempre,
    que por muito tempo também cometi.

    Vou começar falando dos erros, mas não lhe deixarei na mão.
    Apresentarei a solução que me parece o melhor conserto aos seus e nossos
    outrora erros.

    1º Erro =ALAVANCAGEM!

    Enquanto você tem suas milhas no seu cartão, você detém a
    propriedade e o destino das mesmas.

    Ao transferi-las a um programa de fidelidade, perde a
    propriedade e pode somente determinar o destino dado a elas e em alguns casos por
    determinado tempo apenas, submetendo-se integralmente as regras do programa
    inclusive FUTURAS E DESCONHECIDAS.

    Logo, não se transfere milhas para programas de fidelidade sem imediata emissão. Existe
    exceção a isto> transferir com bonificação muito vantajosas, tipo 2X1. Aqui outro erro comum. Com o impulso do bônus você transfere a
    programa com péssima relação prêmio rota e o bônus se diluem num prêmio
    excessivamente mais alto que em seus concorrentes mesmo sem bônus. Outro erro e
    esse mais grave ainda é desconhecer os destinos que você REALMENTE quer ir.

    A transferência com bônus deve obrigatoriamente ter destino
    em mente, pois do contrário pode se frustrar com o fato de ter milhas e não poder
    emitir o que deseja.

    Você disse que quer voar a EUROPA e aos ESTADOS UNIDOS.
    Pois, bem as respostas que recebeu devem ser descartadas pois se vai a MIAMI
    quase todos os programas servem, porém se pretende ir a Anchorage ou Honolulu,
    Azul e Smiles já estão descartados, pois nunca encontrará disponibilidade nos
    mesmos. Se teu objetivo de Europa for Lisboa, o programa a investir será um ou outro,
    porém se pretender ir ao leste europeu a coisa muda de figura.

    Portanto, todas as respostas que lhe foram dadas são no mínimo
    precipitadas e não lhe ajudarão efetivamente a obter melhor resultado.

    Como premissa você deve colocar pelo menos os seguintes
    dados:

    1- Cidade da Europa ou dos Estados Unidos que pretende ir.

    2- Você tem disponibilidade para viajar em baixa, só na alta ou em altíssima temporada?
    (a disponibilidade muda e pode eventualmente ser totalmente inexistente na rota)

    3- Viaja de executiva, aceita assento recliner ou voo somente de flat bed?

    4- Viaja de executiva, busca somente empresa top ou aceita TAP, IBERIA, ROYAL AIR
    MARROC, UNITED, DELTA….. ?

    Para 2018 sua viagem não se concretizará com os dados previamente informados. Só
    depois destas respostas iniciais pode-se falar algo embasado sobre sua situação.

    Entretanto, aquelas 11.000 milhas do Smiles não servem e não servirão para nada no

    seu caso. Compraria 1.000 e com 12.000 transferiria tudo para a Accor e ganharia

    desconto de 80 Euros em futuras diárias, pois no Smiles é inutilidade na certa!

    Sds,

    Celso

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×