Pessoas “forçando a barra” pra tentar entrar na sala VIP: você já testemunhou casos assim?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Sim, eu já testemunhei.

Aeronave

Eu acho incrível que muitas pessoas, ainda nos dias de hoje, com tanta informação disponível ao clicar de um Google, ainda queiram “forçar a barra” ao tentar entrar nas salas VIP, exigindo supostos direitos que, efetivamente, não possuem.

As regras de acesso às salas VIP, na sua grande maioria, são de acesso público, e atualizadas permanentemente. “Óbvio”, você diria, e eu também acho óbvio, mas o que eu acho incrível é algumas pessoas ainda não quererem enxergar o óbvio, e reclamarem para si direitos que não têm.

Basta um mínimo de informação, que pode ser facilmente encontrada via Google, para constrangimentos dos mais diversos tipos serem evitados.

Vou listar abaixo duas situações que eu testemunhei, relacionados ao tema, e que poderiam ser facilmente evitadas pelo passageiro em questão.

1. Sujeito querendo entrar na sala VIP da American Airlines em GRU com o cartão Visa Infinite.

Sim, eu sei, é bizarro, principalmente para quem já conhece um mínimo do mundo das milhas e pontos, mas aconteceu.

Ao entrar na recepção do Admirals Club em GRU (Terminal 3), me deparei com um cara, já aparentando ter entre 50 e 60 anos, que estava batendo boca com a funcionária da American Airlines (muito paciente, por sinal), querendo entrar na sala VIP com o cartão de crédito Visa Infinite (!!!???).

Rapaz, que constrangimento: é óbvio que o Visa Infinite não oferece acesso a essa sala, mas o senhor em questão achava que tinha essa direito, talvez achando que portar um cartão de crédito com anuidade mais cara lhe conferisse determinados “privilégios” (por mais estranho que isso possa parecer).

Ora, o acesso ao Admirals Club da AA tem regras bastante claras (passageiros viajantes em primeira classe ou classe executiva na AA ou em cias. One World, passageiros com status elite Esmeralda ou Safira viajando em cia. membro da One World etc.), de modo que bastava uma simples pesquisa no Google – ou uma conversa prévio com algum atendente da AA no aeroporto antes de entrar na área segura – para checar as condições de acesso.

2. “Autoridade” querendo entrar na sala VIP da LATAM só pelo fato de ser – ou “estar” – “autoridade”

Mais bizarro ainda foi essa segunda situação, testemunhada em outra época, na sala praticamente vizinha à da AA, que é a sala VIP da LATAM, no mesmo Terminal 3 do GRU.

Ao entrar nessa sala VIP da LATAM, uma pessoa, que aparentava ser uma “autoridade”, um funcionário público de alto escalão, pois estava vestindo terno e gravata, e parecia estar indo viajar para o exterior a serviço, exigia (sim, exigia) a entrada na sala VIP da LATAM, apesar de não preencher os requisitos de acesso (certamente estava viajando em classe econômica, e não possuía status elite em programa de milhagens  na rede One World que conferisse esse direito; ou viajava em cia. aérea da Star Alliance ou Sky Team etc.).

Da mesma forma que no caso acima relatado, a funcionária da LATAM estava sendo bastante paciente e educada, explicando as regras de acesso, e tal.

O pior é que o sujeito, a tal “autoridade”, entrou “na marra” mesmo. A funcionária da LATAM ficou paralisada, perplexa, sem saber o que fazer.

Não sei o que aconteceu depois (provavelmente ele deve ter sido “convidado” a se retirar pelos agentes de segurança do aerporto), mas isso demonstra bem a falta de respeito às regras de acesso às salas VIP, que algumas pessoas ainda possuem.

Conclusão

Se sua intenção for passar algum tempo numa sala VIP de aeroporto, é fundamental conhecer as regras de acesso às salas VIP antes de chegar ao aeroporto. Isso evita muitas frustrações, constrangimentos e, sobretudo, estresse desnecessário.

E você, já presenciou algo parecido? Conte pra gente! 

14 Comments

  1. Daniel 02/04/2017 at 07:07 #

    Estamos falando de um país dos direitos: todos acham que tem direito a tudo… mas deveres, para que?

    Isto não é exclusivo às salas VIPs… é algo endêmico: as pessoas passaram a achar que tem direito a tudo… mas dever de respeitar o direito do outro, jamais.

    As mesmas pessoas que vão à rua protestar contra a “corrupção” ou contra o “golpe” estacionam o carro em local proibido, passam no semáforo vermelho, param em vaga de idoso dizendo que “é rapidinho”…. enfim, acham que tem direito a tudo, mas dever de respeitar o direito dos demais, ignoram.

    Já testemunhei, no mundo aéreo, coisa pior: passageiro da econômica sentando em cadeira da executiva e ao a tripulação pedir para se retirar tentou argumentar que estaria vazia e que não haveria custo algum… e em dezembro, ao voar no trecho GRU-SCL na animal da GOL, uma passageira quis usar o banheiro da economic plus (os do fundo a fila estava enorme), sob o argumento de que banheiro para uma outra classe é “inconstitucional”….

    Enfim, não é à toa que estamos onde estamos… e sem qualquer perspectiva de melhoras. Ainda que se xinguem os políticos, estes são espelho do povo.

  2. Renato 02/04/2017 at 08:19 #

    Esse é o brasileiro. Antes escutávamos muito que o melhor do Brasil é o brasileiro. Mas é exatamente o oposto: o brasileiro é quem estraga o país, o Brasil seria perfeito se não existissem os brasileiros.
    A lei aqui é o desrespeito. Cada um só pensa em si e danem-se todos os outros. Não existe senso algum de vida em comunidade.

    • Paulo Sor. 03/04/2017 at 15:30 #

      Concordo Daniel.

  3. Marcelo 02/04/2017 at 09:58 #

    Já cheguei em vôo lotado onde um “esperto” estava sentado na cadeira que havia marcado para minha esposa, filho(3 anos) e sobrinha(7 anos). Viu três lugares vazios e pensou: “se dei bem”. E acreditem! Após informar que os lugares estavam marcados, ele negou-se a sair alegando que já tinha trocado de lugar no vôo anterior e que agora ninguém o tiraria dali. Confusão armada, vôo atrasado e ele voltou para o lugar de origem após belo sermão. Pena que não pude dar o verdadeiro corretivo que faltava àquele rapaz.

  4. Cristiano Andrade 02/04/2017 at 10:24 #

    Já presenciei cenas como essas incontáveis vezes, mas não apenas no Brasil.
    Recentemente no Admirals Club em MIA vi uma mulher entrar direto e ignorar a atendente da sala. Por um acaso quando fui me sentar num canto lá estava a dita cuja.. e logo atrás veio um a funcionária da sala solicitando que se retirasse. Enfim , basicamente como o vôo da referida atrasou (e era americana) ela se sentiu no direito de usar a sala. Enfim, esse é um caso bem recente nos EUA.
    Aqui já citei da galera que pede na cara de pau para que você coloque ele ou um amigo como seu convidado nas salas Bradesco.
    Já vi gente fazendo barraco na sala da Latam de GRU porque eram Black ou tinha cartão de crédito da empresa, mas estavam voando por companhia que não era One World e queriam entrar da mesma forma.
    Também já vi em Lima (onde a sala é terceirizada) discussão da pessoa querendo entrar porque tinha status X na cia Y (não lembro o detalhe) mas estava voando em Econômica, e como a sala é terceirizada ela só confere acesso a quem está em Business.
    Não sei dizer se aqui no Brasil é pior, mas isso é muito frequente.

    • Leonardo 09/04/2017 at 18:04 #

      Sem dúvida que vemos exemplos de arrogância e supostos direitos no Brasil. Mas pessoas são pessoas. Há de todo tipo, isso não é só no Brasil. Em alguns casos é pura desinformação mesmo. Às vezes, na hora da contratação do cartão de crédito caro, a gerente fala que aquele cartão dará direito às salas VIP. Aí a pessoa pensa que pode entrar em qualquer uma em qualquer situação.

  5. Jorge Sampaio 02/04/2017 at 11:11 #

    Alguém aqui sabe se cliente Smiles Diamante tem acesso a Sala Vip em GRU voando em uma cia não parceira? Ou é apenas para quem está voando em companhia parceira? No site não deixa claro.

    • Marcos 03/04/2017 at 06:27 #

      Se for a internacional tem. A domestica nao.

      • Jorge Sampaio 03/04/2017 at 09:47 #

        É internacional. Esterei voando pela Air Europa. O trecho nacional é com a Gol. Entrei em contato com o smiles por twitter e me disseram que não tem acesso com outras cias, só se fosse cia parceira. 🙁

  6. Alexandre 03/04/2017 at 09:44 #

    Realmente, é importante ler as regras sempre, antes de qualquer viagem, pois elas mudam!
    Recentemente, fui “barrado” na sala Star Aliance em GRU com o Priority Pass, sob o argumento de que havia restrição de uso (nos meses de alta temporada, de quinta à domingo, o horário para ingresso é limitado até às 17:00hs, salvo engano).
    Sem bater boca, olhei no aplicativo do Priority Pass e constatei que tal restrição estava informada.
    Dei meia volta e me dirigi à sala Executive GRU.
    Agora, se não houvesse a informação no site, aí a confusão estaria formada, até porque a Executive GRU é pior do que a Star Aliance!!

  7. Paulo 03/04/2017 at 09:53 #

    Dando direito à discórdia e ao contraditório, já vi vários casos onde os passageiros foram, de fato, enganados, pois ao se receber ofertas de cartões, por exemplo, eles prometem mundos e fundos, acesso às melhores amigas Vips, em 500 aeroportos etc, etc, etc. Então algumas pessoas acabam confundindo direitos. Não são todas, claro, mas existem.

    Já viajei muito de ônibus, na roda Itabuna – Salvador, onde a Águia Branca no serviço Plus Service e leito dão acesso a sala VIP, simples, mas com ar, água, café, banheiro e alguns petiscos. Quando não consegui uma passagem Plus Service, me deixaram numa boa entrar e usar enquanto aguardava meu ônibus executivo, que não dá acesso, apenas por já me conhecem como um passageiro costumeiro e educado.

  8. Phillip 04/04/2017 at 16:55 #

    Tenho o The Platinum Card do Amex que dá acesso a várias salas vips pelo mundo e venho utilizando normalmente em minhas viagens internacionais, sempre me atentando às regras. Só que na última vez que tentei usar, eu fui barrado. Tentei usar na sala Royal Orchid da Thai Airlines no aeroporto de Bangkok que, segundo os sites brasileiro e americano da Amex, os portadores do TPC tem acesso, independente da cia. e classe viajada. Chegando lá, apresentei meu cartão e fui barrado com a justificativa que somente cartões AMEX emitidos na Tailândia dariam acesso à sala. Argumentei que não constava essa informação e ressalva no site da AMEX e mesmo assim fui barrado. Fiquei indignado mas não insisti, e fui aguardar meu vôo na sala de embarque. Aproveitei e abri uma reclamação aqui no Brasil no call center do TPC.

    • Carlos 04/04/2017 at 17:21 #

      Phillip, qual o link brasileiro para esta listagem de salas?

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×