Voc? n?o vai morrer se viajar em classe econ?mica. O exemplo da brasileira herdeira de uma fortuna de USD 1,3 bilh?o que voou de Orlando para Guarulhos, na LATAM, na classe econ?mica…

Sinceramente, me d? n?useas quando eu ou?o algu?m dizer que preferia ficar em casa a viajar de classe econ?mica (s? por isso); que ficaria doente se tivesse que viajar na classe econ?mica; que passaria mal e morreria de vergonha se tivesse que andar na classe econ?mica, e outras babaquices, t?picas de filhinhos de papai, netinhos de vov? rico, playboyzinhos mimados, ou pessoas que nunca precisaram trabalhar na vida.

Aeronave

Essa verdadeira demoniza??o da classe econ?mica faz parte de uma cultura estimulada pela forte propaganda da ind?stria da avia??o, da qual fazem parte, por ?bvio, as empresas de avia??o, que tiram o grosso do lucro dos assentos que vendem na business, mas que tamb?m ? incentivada nas redes sociais, onde ostenta??o, exibicionismo e vaidade aparecem?que nem?areia no Deserto do Saara.

E ? l?gico que ? muito mais glamouroso voc? postar uma fotinha no Instagram mostrando que est? na classe executiva, do que na classe econ?mica, right? Voc? receber? muito mais likes e curtidas.

Eu inclusive acho que esse gasto exagerado de dinheiro em viagens luxuosas parece ser mesmo, para a gera??o Y (ou X, ou milleniuns, enfim, a gera??o “nova”) o que os gastos com carros representavam para as gera??es mais antigas. Ou seja: drenadores de riqueza.

Para se contrapor a tudo isso, imagine que voc? fosse herdeira de uma fortuna de mais de um bilh?o de d?lares, e tivesse que encarar um voo comercial noturno na LATAM de mais de 8 horas de dura??o, entre Orlando e S?o Paulo. Em classe econ?mica. Toparia?

Patr?cia Abravanel, filha do lend?rio S?lvio Santos, topou. E aparentemente sem problema algum. Vide nota publicada no UOL:

“Filha de Silvio Santos, Patricia Abravanel chegou ontem (12) de manh? dos Estados Unidos, onde passou f?rias. A apresentadora, como se pode ver na foto que ilustra esta nota, viajou de classe econ?mica, como a maioria dos mortais do voo JJ 8087 da Latam, de Orlando a Guarulhos. Na verdade, Patricia tinha bilhete na classe executiva, mas adiou a viagem em uma semana e perdeu o privil?gio. Para embarcar no ?ltimo s?bado na classe executiva, teria que desembolsar uma boa diferen?a”.

Conclus?o

Ao que tudo indica, ela sobreviveu ao voo. 😉

A fortuna de S?lvio Santos foi estimada em USD 1,3 bilh?o pela Forbes (link aqui).

E n?o ? s? ela quem toparia – como efetivamente topou – viajar na econ?mica.

Carlos Brito, CEO da AB Inbev, a maior empresa fabricante de cerveja do mundo, e multimilion?rio, ? outro que n?o se importa em viajar?de classe econ?mica. Ali?s, parece que ele s? viaja na classe econ?mica (link aqui).

Eu acho que existe um certo “desvirtuamento”, uma certa invers?o de valores, quando o assunto ? viagens. No Brasil e no resto do mundo, muitas pessoas acabam dando muito mais aten??o ao meio de transporte do que ? viagem em si, ou seja,??s experi?ncias no local de destino, que acabam meio que ficando em segundo plano. ? muito prov?vel?que uma viagem de avi?o numa cabine de primeira classe ou executiva seja mais confort?vel (em tese), mas se isso n?o vier a acontecer, tamb?m n?o ? o fim do mundo.

Na blogosfera financeira, acho que o Corey, o?Frugal Simple, e o SoulSurfer?(Pensamentos Financeiros), se enquadram nesse grupo: pessoas que poderiam tranquilamente pagar viagens de luxo a cada m?s, mas que preferem vivenciar outras experi?ncias mais enriquecedoras quando o assunto ? viagem.

Fica aqui a reflex?o. 😉

obs.: coment?rios sujeitos ? modera??o.

Tagged as: