Euro cada vez mais barato (R$ 3,40): consequ?ncias para as viagens, passagens a?reas com custo origin?rio na Europa, e uso dos vouchers/pontos do Le Club Accor Hotels

A cota??o do euro, na faixa dos R$ 3,40 no exato instante em que esse artigo est? sendo escrito (por volta do meio-dia do dia 28 de dezembro de 2016), est? tornando muitas coisas mais baratas – mas nem tudo.

euro

Fonte do gr?fico: UOL

Vamos analisar como est?o as consequ?ncias para v?rios campos relacionados ?s viagens.

Viagens para a Europa

Obviamente, as viagens para a Europa est?o no n?vel mais barato, ao menos nesse ano de 2016.

Quem viajou para a Europa no primeiro trimestre do ano, particularmente entre janeiro e fevereiro, quando o Brasil estava vivendo a fase mais aguda de sua crise pol?tica, teve que arcar com um euro do cart?o de cr?dito beirando os R$ 5.

Por outro lado, quem est? viajando agora para a Europa poder? pagar bem menos do que pagou quando viajou no come?o do ano. Uma verdadeira defla??o de gastos provocada unicamente pela desvaloriza??o cambial do euro.

Passagens a?reas com custo origin?rio na Europa

Essa ? outra ?tima not?cia. Muitas passagens a?reas com custo origin?rio em pa?ses europeus est?o mais baratas, pelo simples fato da desvaloriza??o cambial do euro.

E por qu? eu digo isso?

Ora, porque muitas promo??es que costumam ser divulgadas aqui no blog s?o de voos partindo da Europa para o resto do mundo,?que t?m, portanto, o euro como moeda-base, ainda que a cia. a?rea n?o seja origin?ria da Europa.

Vejam o caso da promo??o Travel Festival, da Qatar, com voos originados na Europa, que anunciamos em agosto.

Dentre as v?rias ofertas dispon?veis naquela oportunidade, havia uma viagem Helsinki > T?quio > Helsinki, em classe executiva, por 1.283 euros (com todas as taxas inclu?das, por ?bvio).

Como o euro, l? em agosto, estava valendo R$ 3,60, essa viagem estava custando, naquela ?poca, por volta de R$ 5.118, j? computando o IOF de 6,38%, e assumindo um ?gio de 4% na cota??o do euro.

Agora, se essa mesma passagem estivesse dispon?vel por esse mesmo pre?o em euros, o custo final, em reais, ficaria por volta de R$ 4.826 (com as mesmas premissas: ?gio de 4% na cota??o, e IOF incluso).

Por isso, ? bom ficar ligado nas promo??es de passagens com origem na Europa, principalmente nos pa?ses da zona do euro, onde o potencial para barganhas tende a ficar ainda?maior.

Uso dos vouchers/pontos Le Club: ou melhor, o n?o uso

Esse ? outro ponto que vale uma reflex?o. Com o euro em patamares t?o baixos, ser? que vale a pena usar os vouchers para abater as despesas com hot?is Accor?

Embora a resposta definitiva e precisa seja estritamente pessoal, pois deva levar em conta fatores pessoais imposs?veis de se universalizar, como capacidade or?ament?ria, teto de despesas fixadas para a viagem etc., como regra geral, eu acho que vale a pena pagar as despesas nos hot?is Accor com dinheiro, e isso por dois motivos principais.

Primeiro, porque eu vejo os vouchers e pontos Le Club como uma forma de hedge cambial, de prote??o, em caso de fortes oscila??es na cota??o do euro. Ou seja, ? melhor deixar para utiliz?-los quando o desembolso de dinheiro ficar invi?vel, como foi, por exemplo, no come?o desse ano.

E, segundo, porque o pagamento em dinheiro ainda permite o ganho de pontos adicionais no programa de recompensas, o que ser? bastante ?til agora entre 2016 e 2017, j? que os pontos adicionais ser?o refor?ados pelo ganho de pontos extras pelo status Platinum, status esse que muitos clientes provavelmente n?o conseguir?o manter a partir de 2018, devido ?s mudan?as nas regras do programa.

Eu visualizo os vouchers e pontos como uma esp?cie de “reserva de emerg?ncias” para viagens, o que pode ser muito ?til em momentos em que haja uma forte oscila??o na cota??o do euro, mas nem t?o ?til quando o mar est? mais calmo.

? bem verdade que, em mat?ria de milhas e pontos, o mais sensato, como princ?pio, ? usar a t?tica “earn and burn” (ganhe e resgate, acumule e queime/use), como costuma?dizer o expert no assunto e comentarista ass?duo do blog?Cristiano Andrade.

Por?m, no caso espec?fico dos vouchers Le Club Accor Hotels, em face da instabilidade cambial e do fato de os vouchers e pontos terem valores fixos (2 mil pontos sempre valer?o 40 euros, bom, pelo menos at? que se mude essa regra), eu penso que se pode adotar uma estrat?gia um pouco diferenciada nesse caso espec?fico.

Conclus?o

De modo geral, ? positiva essa tend?ncia de cota??o cada vez mais baixa do euro.

E voc?, tem aproveitado esse momento tamb?m!? Qual sua estrat?gia em rela??o ao uso dos vouchers e pontos Le Club?

Tagged as: ,