LATAM fará voos diretos entre Santiago do Chile e Melbourne na Austrália a partir de 5 de outubro de 2017. Motivo para ficar animado?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Segue notícia do PanRotas (os destaques ficam por minha conta):

“A Latam anunciou hoje que irá operar um voo direto entre Santiago, no Chile e Melbourne, na Austrália, a partir de 5 de outubro de 2017. O trecho Santiago-Melbourne, tem mais de 11 mil quilômetros de distância e terá duração de 15 horas, sendo o voo mais longo da história da aérea. O fluxo previsto é de 75 mil passageiros por ano.

A frequência será operada três vezes por semana, e torna a Latam a primeira aérea a oferecer voos diretos entre as duas cidades. O voo será operado por aeronaves Boeing 787-9 com 220 assentos na classe econômica, 54 lugares na Espaço mais e 30 assentos na Premium Business.

O planejamento inicial mostra que a partir de 5 de outubro, o voo LA805 sairá de Santiago (SCL) às 12h55 (horário local) às segundas, terças e sábados, e chegará a Melbourne (MEL) às 17:55 (horário local) do dia seguinte, totalizando 15 horas de viagem.

No sentido inverso, o voo LA804 partirá de Melbourne às 19:55 (horário local) às terças, sextas e domingos, e chegará a Santiago às 19:00 do mesmo dia (horário local), totalizando 13 horas e 5 minutos de viagem.”

Conclusão

TAM

Em princípio, a notícia é boa, porque irá encurtar o caminho para quem pretende ir do Brasil para a Austrália, com apenas uma conexão ou parada em Santiago, para quem parte do Brasil em voos diretos (saindo de Guarulhos ou Rio, por exemplo).

Por outro lado... bem, por outro lado, veja que estamos tratando de TAM, ou melhor, LATAM.

Se em voos de curta duração, o serviço, tanto em terra, quanto no ar, tem sido lastimável, imagina aguentar um voo de QUINZE horas com comissários de bordo ríspidos e pouco prestativos, serviço deixando a desejar, poltronas velhas, espaços apertados entre as poltronas… huuuummmm…. será que vale a pena essa “comodidade” do voo direto entre SCL e a Austrália?

Os horários, pelo menos, não são tão ruins. Já é um começo… ou não?

Com a palavra, os viajantes!

 

Tagged as: , ,
  • Albino

    Eu viajei duas vezes com a Lan e achei o atendimento deles excelente. Como esse voo vai sair do Chile, ele será operado pela equipe da Lan, e não da Tam, embora hoje seja tudo a mesma companhia.

    O tratamento dos chilenos em geral é muito bom. Dos países que visitei na América do Sul, só perderam para os Colombianos que realmente é um povo fantástico.

    Enfim, acho que ter mais opções sempre é bom pro mercado em geral, pois gera competitividade. Mesmo que não escolhamos voar com ela, vai fazer com que a concorrência repense tanto no preço quanto no serviço a oferecer. Notícia ruim é quando voos são cancelados.

    • Guilherme

      Pontos muito bem observados, Chief!

  • Vpm

    Guilherme boa tarde.
    Eu vi vários relatos de experiências com a latam, principalmente com relação ao tratamento para com o cliente.

    Realmente a latam está caindo em discredito.

    Na sua opinião qual a melhor executiva
    Latam ou tap para Europa?

    • Guilherme

      Vpm, já li relatos de pessoas que voaram de TAP para a Europa, e aprovaram a experiência.

      O hardware dos aviões deles não é dos melhores (embora estejam em fase de renovação), mas isso é compensado pelo serviço de bordo.

      LATAM realmente só se for em último caso, principalmente se for originário das 3 últimas letras da sigla, ou seja, da TAM.

      Abraços!

    • Cristiano Andrade

      Vou dar minha opinião sem ser chamado…

      Hard Product (configuração dos assentos) – LATAM superior a TAP, pois os da LATAM são lie-flat (180o) e os da TAP são angle-flat (150/160o). Observe que na TAP a configuração 2-2-2 tanto nos A330 quanto nos A340, já LATAM é 2-3-2 nos B777 e 2-2-2 nos outros (A350, B787, B767), então eu evitaria o B777.

      Soft Product (serviço, catering, check-in, boarding etc) – eu acho a TAP beeeeem melhor que a LATAM (inclusive que os chilenos ou peruanos), as refeições são superiores, a carta de vinhos é melhor e os comissários e atendimento em terra muito mais prestativos.

      Na média, eu valorizo mais o hard product para um vôo overnight porque a qualidade do sono é muito maior. Mas se fosse um vôo diurno eu preferiria TAP.

      • Guilherme

        Ótimas dicas, Cristiano!

  • Cristiano Andrade

    Fora de tópico… é Natal e um bom momento para fazer um doação que pode não lhe custar nada.

    Um tempo atrás quando a Cop lançou seu próprio programa de fidelidade (Connect Miles) havia uma manaira de ganhar 4 mil milhas preenchendo uma série de dados. Eu acabei fazendo, mas passou-se o tempo e cheguei a conclusão de que as milhas ficariam lá até expirar.

    Agora não mais! Eles acabaram de lançar uma campanha de doação de milhas para ONGs (Make a Wish entre elas) para doação a partir de 500 milhas. Acabei de doar 4 mil milhas.

    http://email.connectmiles.com/2PG3-CVGN-FB1Y01G2FB/cr.aspx

    • Guilherme

      Excelente, Cristiano! Ótima forma de fazer um bom uso das milhas. 🙂

  • Fernando

    Eu viajei para Inglaterra mês passado com a TAM e, só te digo uma coisa: o espaço está sofrível!!! Configurar 3-4-3 e fiquei a viagem inteira roçando meu joelho na poltrona da frente (1,81m). Fiquei na janela e, sinceramente, não tive coragem de ir ao banheiro, passando por cima dos meus companheiros de voo que estavam dormindo. Eu voei de Ibéria no início do ano e Alitália ano passado e não lembro de ter espaços tão apertados assim. A Ibéria e Alitália usam a configuração 2-4-2 que alivia um pouco.

    • Guilherme

      Verdade, Fernando!

      E pensar que há muitos aviões por aí com 5 poltronas na fileira do meio… imagina quem senta no meio da fila do meio… 🙁

      Abç!

  • Alberto

    Em termos de equipamento, só uma palavra: DREAMliner. Não conheço a configuração, mas é um bom sinal.
    Em termos de staff, pessoalmente falando, a pior experiência a bordo que já tive, em qualquer voo internacional, foi num LAN de Guarulhos para Santiago.
    A tripulação de cabine era todo mimos e gracejos com passageiros falando espanhol, era só virem para nossos assentos que de repente fechavam o semblante e se tornavam investigadores da polícia civil em interrogatório.
    E agiam como domadoras de canil dando pitos para nós, vira-latas, não transgredirmos a estrita obediência a tudo que não haviam explicado em português.
    Serviço de bordo, simplesmente não me deixou impressão nenhuma. Nenhuma. E isso porque eu me lembro bem de refeições em cabine pressurizada, desde o frango servido no voo TAM da volta, até a total ausência de tudo num voo da finada Pluna para Montevidéo.
    Eu não pagaria para passar por mais traumas semelhantes, ainda mais durante 15 horas.

    • Guilherme

      Caramba, Alberto, realmente esse serviço da LAN foi bem horrível.

      Cada vez que leio um relato como esse é mais um motivo pra ficar bem longe deles.

      Abç!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×