Dica de pesquisa de passagens aéreas (com milhas ou com dinheiro): utilize o nome da cidade ou o código do aeroporto menor

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Essa dica eu aprendi com, salvo engano, o leitor Cristiano Andrade: quando for pesquisar passagens aéreas, utilize o nome da cidade ou o código do aeroporto menor, no caso de cidades que tenham dois ou mais aeroportos.

Isso porque tal artimanha amplia o leque de opções de resultados, lhe retornado mais opções na hora de encontrar uma passagem.

Quem costuma fazer pesquisa frequente de passagens sabe, por exemplo, que o código do aeroporto de Paris, no caso, o principal aeroporto, o Charles de Gaulle, é CDG.

Ocorre que Paris tem outro aeroporto menor, chamado Orly, ORY, que serve a diversas empresas aéreas também, dentre as quais a portuguesa TAP.

Assim, por exemplo, se você estiver pesquisando, no Smiles, passagens para Paris, talvez de modo “automático” você já insira os códigos GRU e CDG, e venha a ficar frustrado caso a pesquisa não retorne resultados. Porém, para ampliar o leque de resultados, o mais interessante é utilizar Paris ou mesmo ORY (caso já tenha procurado com o CDG), pois, nesse caso, o motor de busca irá fazer uma varredura também por ORY, o que lhe possibilita achar resultados a partir de conexões da portuguesa TAP.

Conclusão

Ampliar o leque de opções digitando o nome da cidade ou o nome de outro aeroporto menos conhecido irá te dar mais chances de conseguir aquela passagem, às vezes com um custo financeiro até menor. 😉

6 Comments

  1. Paulo 30/07/2016 at 02:36 #

    Guilherme, se você pesquisa CDG, depois ORY, irá perder tempo procurando voos duas vezes para a mesma cidade (embora aeroportos diferenteS). Geralmente este tipo de cidade possui um terceiro código que engloba todos os aeroportos. No caso de Paris é PAR. Este seria o melhor a ser utilizado pois já procura voos para CDG e ORY de uma só vez.
    O mesmo se aplica a outras cidades como Nova Iorque (NYC – engloba: JFK, LGA, EWR), Londres – LON (engloba: LCY, LHR, LGW), São Paulo – SAO (engloba: GRU, VCP e CGH), Rio de Janeiro – RIO (engloba: SDU e GIG); Belo Horizonte – BHZ (engloba: CNF e PLU), Milão – MIL (engloba: MXP, LIN, BGY), etc.

    • Guilherme 30/07/2016 at 09:00 #

      Tem razão, Paulo! Valeu pelas dicas!

      • Bruno 30/07/2016 at 15:53 #

        Para os que gostam do assunto, faltou citar os dois outros grandes aeroportos de Londres (Stansted e Luton), e ainda os dois pequenos Southend (a Easyjet opera lá). 🙂

        • Bruno 30/07/2016 at 15:54 #

          * o pequeno

        • CRISTIANO ANDRADE 30/07/2016 at 17:33 #

          Nem sei se fui eu mesmo que falei pro Guilherme, mas sempre procuro aeroportos alternativos.
          No Google Fligths você pode escolher mais de um aeroporto ou mesmo a cidade.
          Problema escolhendo a cidade podem existir, por exemplo:
          – SAO (São Paulo) – inclui Congonhas (CGH), Guarulhos (GRU) e Viracopos (VCP), mesmo o aeroporto campineiro estando a 100km de distância
          – LON (Londres) – inclui na verdade 5 aeroportos, Heathrow (LHR), Gatwick (GTW), City (LCY), Stanstead (STN) e Lutton (LTN). O problema dos 2 últimos (onde operam as Low cost em geral) é que não tem acesso de trem/metrô e estão a mais de 100km de distânca de Londres.
          A mesma coisa em Paris (são 3, Charles de Gaulle – CDG , Orly – ORY e Beauvais – BVA, sendo o último o que a Ryan Air opera e sem acesso de trem e quase 100k de distância)
          Então por vezes prefiro selecionar os aeroportos.
          Outro detalhe, em alguns casos (ao menos 2 que eu me lembro) o código da cidade não funciona para cobrir todos os aeroportos, como é o caso de San Francisco e Bay Area, que tem San Francisco (SFO), Oakland (OAK) e San Jose (SJC). Aí não tem jeito, nas buscas tem que colocar os códigos destes aeroportos, mesmo o aeroporto de Oakland por vezes sendo até mais próximo do centro de San Francisco do que o aeroporto de San Francisco. Miami também o mesmo problema já que o código da cidade (MIA) é o mesmo do aeroporto e não puxa Fort Lauderdale (FLL), imagino que o problema seja esse com San Francisco, então vale pensar nos detalhes.

          • Guilherme 31/07/2016 at 14:25 #

            Ótimas observações, Cristiano!

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×