Tudo Azul lança novos planos do seu Clube: 3.000 (R$ 90), 5.000 (R$ 145) e 10.000 (R$ 275 + categoria Safira) pontos mensais

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×

Dando sequência ao seu processo de cópia do Clube Smiles, o Tudo Azul criou mais 3 planos de assinatura, cujos valores vão de R$ 90 a R$ 275 mensais.

Confiram:

Planos Tudo Azul

A grande novidade, em relação ao Clube Smiles, é o upgrade automático para a categoria Safira para quem se dispõe a pagar pelo plano mais caro, que custa R$ 275 por mês.

Além disso, a validade dos pontos para quem faz parte de qualquer plano aumenta para 3 anos, o que é uma boa notícia.

Agora, a pergunta que não quer calar: vale a pena?

A resposta tem que ter como parâmetro principal os custos das viagens. Se os custos com pontos forem menores pagando as passagens em pontos do que pagando as passagens em dinheiro, pode haver benefícios na adesão aos planos. Do contrário, não.

Além disso, o custo desses planos tem que ser visualizado em termos anualizados, e deve ser feita, ainda, uma análise do possível custo de oportunidade com esse dinheiro.

Por exemplo, o plano 10 mil tem um custo anualizado de R$ 3.476,74 – considerei um investimento mensal de R$ 275 numa aplicação que rende 0,8% a.m. líquido de impostos e taxas.

Com esse valor, de cerca de R$ 3,5k, é perfeitamente possível, com as promoções que aparecem todos os dias, realizar duas viagens ida e volta Brasil-Europa ou Brasil-Estados Unidos.

Não são duas viagens, uma de ida e outra de volta, mas sim 4 trechos de longa distância (duas round trips), os quais, pontuados em programas de milhagens que premiam de acordo com a distância, como o LATAM Pass, podem render até 20.000 pontos/milhas adicionais (ou mais, se você tiver status elite).

Trocando em miúdos: no cenário do Clube Tudo Azul de 10 mil pontos, você paga R$ 3,4 mil e recebe 125 mil pontos. O que dá pra fazer com 125k pontos? É possível realizar duas viagens internacionais para Europa e EUA? Sim, é possível. Ou daria para resgatar uns 10 trechos nacionais a 12,5k pontos cada.

Já em dinheiro, as possibilidades mais básicas te rendem a possibilidade de fazer duas viagens internacionais de longa distância e mais 2 viagens nacionais por 10k pontos cada – ou até mais, se você conseguir resgatar trechos por menos de 10k pontos, ou tiver status elite que lhe permita ganhar ainda mais milhas-prêmio pelas viagens realizadas. Ou é possível resgatar 10 trechos nacionais por R$ 340 cada, e ainda receber milhas adicionais pelas viagens pagas em dinheiro.

Além de todas essas variáveis, é preciso prestar atenção também em que tipo de empresa você costuma viajar.

Talvez para quem viaje bastante com a Azul faça sentido aderir a algum desses planos – deve ser o caso do leitor Cristiano Andrade, por exemplo – ou será que não!?….rsrs….

Já para outros, pode não fazer sentido algum adicionar mais esse gasto mensal fixo ao orçamento doméstico, seja por não utilizar rotineiramente a Azul, seja pelo custo do plano ser maior do que o custo individual das passagens pagas com dinheiro.

Conclusão

De qualquer forma, uma análise criteriosa deve anteceder a qualquer tomada de decisão, já que o valor, se analisado mensalmente, pode parecer pequeno, mas, quando visualizado em termos anualizados, pode fazer você pensar duas vezes antes de aderir a qualquer dos planos oferecidos.

E você, o que pensa desses novos planos?

Eu só sei é que o Smiles deve estar doidinho pra anunciar em breve o plano Clube Smiles 10.000 com upgrade automático para a categoria Ouro. Quem viver, verá. 😛

Agradeço ao leitor Alencar pelo envio da notícia! 

14 Comments

  1. CRISTIANO ANDRADE 27/06/2016 at 14:17 #

    Oi Guilherme
    Vou pensar se vale a pena algum do planos do Tudo Azul. Tudo depende da estratégia de resgate e objetivos.
    Eu utilizo os pontos das Azul para emissão de passagens nacionais em viagens com a família, acabo completando os pontos de vôos com pontos transferidos de cartões nas promos de 100% de bônus.
    Na verdade, se olhasse apenas isso teria mesmo que mudar para a LATAM, porque como Platinum ou Black há os resgates com quantidade reduzida de pontos (cheguei a me beneficiar bastante disso no passado quando era Vermelho e voava com frequencia com a TAM, antes de migrar para a Azul). Mas enfim, acumulei tantas experiências de vôo ruins com a LATAM (tanto da antiga LAN quanto da antiga TAM) que abro mão de parte desses benefícios por uma melhor experiência de viagem (basicamente Azul doméstico e AA internacional).
    Agora vamos lá, curioso em relaçào a alguns pontos:
    1 – Há um bônus por transferência de pontos (5% ou 10%), será que nas promos de 100% de bônus então eles darão 110% (100%+10%) ? Caso contrário é um benefício nulo
    2 – Status Safira eu já tenho, logo não me agrega nada.
    3 – O que fazer com 125 mil pontos? Vale a pena para uso em vôos domésticos? Eu preciso, ou apenas milhas acumuladas em vôos e algumas transferência são suficientes?
    Na verdade é essa terceira pergunta que tenho que responder, para resgates internacionais não vejo a Azul como boa opção para meus planos (talvez se eu tivesse alguma viagem para Orlando no radar). mas minha tendência hoje é não aderir por não precisar destas milhas adicionais…
    Mas quem sabe, pode fazer sentido para quem tem uma previsão de viagens para dar esse uso.

    • Guilherme 27/06/2016 at 18:30 #

      Oi Cristiano, ótimos argumentos, como sempre.

      Sobre suas dúvidas:

      1) Concordo, teria que ver como esse benefício se comportaria na prática;

      2) Com certeza, pra quem já consegue o status via outros meios, esse benefício adicional é nulo;

      3) Também compartilho do mesmo entendimento.

      Com relação ao custo v.s benefício comparando a experiência de voo da Azul com a LATAM, assino embaixo do que você disse. Também fui acumulando péssimas experiências de voo com a LATAM, que até desanimei de utilizar o programa de milhagens dela. 🙂

      Abraços!

      • Fernando 28/06/2016 at 01:23 #

        É porque vocês não devem ter voado na Alitalia. 2014, uma viagem para Suíça, um perfume roubado. 2015, um perfume roubado na volta de Roma e agora 2016, 10 camisas pólo Lacoste, 2 perfumes e 10 daqueles sabonetes de Florença italiano. Pior companhia do mundo. Alguém já teve experiência parecida?

        • Guilherme 28/06/2016 at 10:41 #

          Caramba, Fernando, realmente, muito ruim essa experiência.

          Me acendeu o alerta amarelo na hora de eventualmente ser tentado a comprar alguma passagem aérea por essa cia. aérea.

          Abç!

          • CRISTIANO ANDRADE 28/06/2016 at 13:01 #

            Felizmente nunca tive nada roubado na bagagem. Acho que umas das razões é que uso apenas malas rígidas ziperless. São um pouco mais caras, mas evitam problemas como esses.
            O único jeito de roubarem algo é levando a mala toda.
            Ahh, lembrando que usar malas com lockers TSA approved é bem importante, senão o TSA tem o direito legal de arrebentar o locker (em resumo, destruir sua mala).

  2. edgard L S Junior 27/06/2016 at 14:46 #

    uma peergunta como o smiles vc pode aderir e depois largar logo no mesmo mês?

    • Alencar 27/06/2016 at 17:09 #

      Olá, geralmente não.
      Principalmente quando há alguma promoção, normalmente a permanência minima é de seis meses.

      Eu já fui cliente clube smiles, uma dica leia atentamente as regras.

  3. Tlars22 27/06/2016 at 18:54 #

    Guilherme,
    Como funciona o esquema de 3 anos da validade dos pontos ?
    É só para pontos acumulados durante o ano de adesão ao clube ou este benefício também é estendido a todos os pontos, inclusive os já acumulados antes da adesão ?

    • Guilherme 27/06/2016 at 19:12 #

      Eu acho que se estende a todos os pontos acumulados, inclusive sobre os pretéritos.

  4. Guilherme 28/06/2016 at 13:04 #

    Boas dicas, Cristiano!

    • Tlars22 29/06/2016 at 10:01 #

      Guilherme,
      Liguei agora na central do TudoAzul e foi me passado a informação que os pontos que tem validade de 3 anos são os acumulados mensalmente, através de cada plano.
      Acreditem se quiser …. os pontos (pretéritos ou futuros) acumulados via transferência de parceiros ou através de vôos continuam com a validade de 2 anos.
      Parece até piada né?

      • Guilherme 30/06/2016 at 07:04 #

        Nossa, parece piada mesmo, Tiars.

        Mais um ponto negativo pro Tudo Azul. 🙁

  5. CRISTIANO ANDRADE 29/06/2016 at 10:53 #

    Eu adoto a política do “earn & burn”, então acabo não vendo meus pontos expirarem.
    Mas é uma prática bem ruim dos programas de fidelidade por aqui. O normal nos programas americanos ou europeus (sejam de cias aéreas ou hotéis) é que você precisa de alguma atividade de tempos em tempos para que não expirem os pontos.
    Um problema isso, não? quem soma poucos pontos e precisa de tempo para acumular e dar uso a eles é um problema mesmo.
    De qualquer forma, 2 anos com os pontos parados na conta é grande o risco de ver seus pontos se desvalorizarem com mudanças de regras e tabelas nos programas de fidelidade. Talvez o risco de desvalorização em programas que são revenue based seja menor (caso do TudoAzul, do Le Club, o novo AAdvantage a partir de agosto etc), mas mesmo assim eu eu não confiaria muito.
    Tal

    • Guilherme 30/06/2016 at 07:06 #

      Verdade, Cristiano.

      Para quem não é frequent flyer, ou para quem está caminhando nessa direção (meu caso, p.ex.), a melhor opção ainda parece ser a de escolher programas cuja prescritibilidade seja do tipo “móvel”.

Leave a Reply

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×