Vamos ajudar os leitores a encontrar o melhor programa de fidelidade para creditar as milhas dos voos da Air Canada?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Em decorrência das passagens oriundas daquela ótima promoção que anunciei no post ALERTA DE TARIFAS! Passagens para Israel por R$ 1.277, *COM TAXAS INCLUÍDAS*!, o leitor Albino está com dúvida onde creditar as milhas que irá ganhar. A dúvida dele pode ser a de mais leitores, portanto, está aí o post! 😀

LifeMiles

Veja a dúvida dele:

“Pessoal, descobri algumas coisas sobre a pontuação desses voos:

1) GOL – SMILES:

1.1) O Smiles está com uma promoção que oferece o dobro de milhas nos voos Air Canada realizados até 19/06/16. Nesse caso, o acúmulo total será de 43.456 milhas na viagem (o dobro do total de milhas voadas.

1.2) Caso não tenha status no Smiles você ainda pode ganhar bônus de 5.000 milhas de boas vindas à categoria Smiles Prata, que é obtida no segundo trecho de ida da viagem (YYZ-TLV).

1.3) Dá pra ganhar mais 7.500 milhas de boas vindas à categoria Smiles Ouro, que é obtida no segundo trecho de volta para Guarulhos.

1.4) Quem realizar os voos até 19/06/16 e não tiver nenhum status no Smiles irá ganhar 43.456 + 5.000 + 7.500 = 55.956 milhas.

1.5) Como vou realizar os voos em Agosto, no meu caso eu ganharia 21.728 milhas base, mais 5.000 milhas da categoria prata, mais 7.500 milhas da categoria ouro, totalizando 34.228 milhas no Smiles.

2) AMIGO – AVIANCA BRASIL

2.1) Descobri que o programa Amigo tem uma tabela diferenciada para acúmulo de voos em parceiros, disponível no site http://www.avianca.com.br/amigo/acumule_pontos/parceiros_aereos

2.2) Segundo essa tabela, o voo GRU-YYZ-TLV pontua apenas 4.000 milhas na ida, e mais 4.000 milhas na volta TLV-YYZ-GRU. Ou seja, apenas 8.000 milhas para o bilhete inteiro, um completo absurdo.

2.3) Desta forma, o programa Amigo encontra-se completamente fora de cogitação para estes voos.

3) LIFEMILES – AVIANCA COLOMBIA

3.1) No Lifemiles, seriam obtidas as 21.728 milhas voadas. Com essa quantidade, dá pra resgatar 4 trechos dentro do Brasil pela Avianca BR, além de outras promoções do Lifemiles.

3.2) O Lifemiles exige pelo menos 5.000 milhas voadas na Avianca (não sei se na da Colombia ou na do Brasil, ou em ambas) para o status Star Alliance Silver. Sendo assim, não seria possível obter status no Lifemiles.

3.3) As milhas no Lifemiles não expiram, desde que a conta tenha movimentação a cada 24 meses.

Com isso, agora estou balançado entre o Smiles (status gold + 34.228 milhas) e o Lifemiles (21.728 milhas).

O Smiles possui uma tabela de resgate ridícula para voos nacionais, com trechos custando até 35.000 milhas. Então sabe-se lá o que eu conseguiria com essas milhas, tem que usar com muita consciência.

Já no Lifemiles eu tenho praticamente certo 4 trechos dentro do Brasil, além de eventuais outras promoções pro exterior.

Sugestões?”

…………………………….

Minha opinião: analisando o caso exclusivamente sob a ótica do valor das milhas ganhas, sabemos que, em média, o Smiles vende cada milha por R$ 0,03, às vezes mais, às vezes menos. Assim, as 34.228 milhas valeriam algo em torno de R$ 1.026,84.

Já o Lifemiles da Avianca Internacional normalmente, isto é, nas promoções de venda de milhas, vende cada milha por 1,50 centavo de dólar americano (USD 0,015) (inclusive há uma promoção em vigor desse naipe, sobre o qual falaremos ainda nessa semana), de modo que, se o Chief comprasse as mesmas 21.728 milhas da Avianca, pagaria por volta de USD 325,92. Acrescentando o IOF de 6,38%, os custos sobem para USD 346,71. Considerando o dólar do cartão de crédito, atualmente, na casa dos R$ 3,75, isso significaria um desembolso total de R$ 1.300,17.

Portanto, seria o Lifemiles a primeira opção?

Sim, se analisarmos a situação exclusivamente sob a ótica do preço das milhas de mercado.

Há, contudo, outros fatores a ponderar, que podem levar o Albino a querer creditar as milhas no Smiles.

Por exemplo, o upgrade para a categoria Ouro poderia pesar a favor do Smiles se o Albino considerar que utilizaria os benefícios oferecidos por essa categoria, tais como bônus maior de milhas, franquia de bagagem extra etc., ou mesmo se ele tivesse em mente completar o saldo de milhas para a emissão de um prêmio com as 34k milhas que ganharia por essa promoção (por exemplo, suponha que ele tenha 66k milhas no Smiles e precisasse de 100k para emitir uma passagem, essas 34 mil milhas livrariam ele de comprar milhas do Smiles).

Por outro lado, e não considerando apenas o valor das milhas em si, pesa em favor do LifeMiles a possibilidade de uso das milhas para resgatar 4 trechos domésticos brasileiros por 5 mil milhas cada.

E agora, José, quero dizer, Albino? 😆

Para mim, um critério decisivo para o crédito das milhas é a relação custo/benefício do resgate. O resgate é um dos critérios principais. E isso tem a ver com a própria, digamos, “teleologia” das milhas, ou seja, com a sua finalidade precípua: milhas servem para serem gastas, e, mais do que isso, bem gastas.

Com 34k milhas no Smiles, dependendo da sua utilização, o Albino poderia ficar “a ver navios”, pois o Smiles não segue uma tabela de resgates. Aliás, o Smiles tem cobrado, em alguns trechos domésticos, exatamente essa exorbitante quantia pelo resgate de apenas um trecho (one way), como bem disse ele, aliás.

Por outro lado, as 21 mil milhas Avianca permitiriam o resgate de 4 trechos domésticos, havendo disponibilidade de assentos, haja vista que a Avianca Internacional, pelo menos até o momento, adota uma tabela de resgates.

Então, em resumo, eu creditaria as milhas no LifeMiles, não só pela maior certeza de resgates a custos menores em trechos domésticos brasileiros, mas também pelo fato de ela poder ser utilizada para completar a quantidade necessária de milhas em emissão de outros prêmios na Star Alliance, economizando dinheiro, e sobretudo havendo certa previsibilidade na quantidade de milhas cobradas.

E você?

E você? O que sugeriria para os leitores que se encontram na mesma situação? Lembrando que, como a Air Canada integra a Star Alliance, o Albino poderia também creditar as milhas em qualquer outra cia. da Star Alliance, como o Victoria TAP, o Singapore Krisflyer etc.

 

29 Comments

    • Guilherme 04/05/2016 at 13:39 #

      Obrigado, Alencar!

      E o mercado já tá comprando a ideia… Ações da Gol disparando mais de 15% só hoje….

  1. CRISTIANO ANDRADE 04/05/2016 at 09:27 #

    Esqueceu de colocar a Tap na conta… mas não geraria tantas milhas (apenas as 21.728 milhas base).

    Acho que o grande lance é, como o Guilherme disse, como você vai usar as milhas, o qual seu objetivo seguinte de viagem.

    Perguntas:

    1- Como você irá fazer para “inteirar”? se for com cartào de crédito é bom levar em consideração que Smiles e Avianca Brasil sempre tem promoções de bônus (Tap costumava ter, mas já faz alguns meses que não vemos nada), o que é uma desvantagem do Lifemiles. Se for fazer outros vôos, tem que levar em consideração que cia costuma operar (Gol, Avianca..).
    2 – Qual o objetivo? Se quer viajar pela Caribe ou América do Sul o Lifemiles pode ser muito vantajoso (mais disponibilidade de passagens-prêmio para membros do próprio programa), se for pelo Brasil o Amigo é imbatível e se quiser ir para Europa de Business a TAP é imbatível. E se você quiser ir para os EUA aí vale considerar Copa

    Note que essas opções lhe permitem a combinação de milhas com os principais cartões de crédito. Há ainda outras opções mais restritas como o programa da Copa, Singapore, Lufthansa ou United.

    Agora, digamos que você não saiba pra que vai usar, ou talvez não tenha como “inteirar” milhas. Nesse caso Smiles é a melhor opção, porque você pode transferir pro Le Club Accor (espera um momento de 3:1) e ao menos dá algum uso para essas milhas.

    Albino, qual o seu objetivo?

    • Albino 04/05/2016 at 10:16 #

      Olá Cristiano. Não tenho hoje um objetivo específico, mas sim uma estratégia em mente para usar as milhas.

      O status Gold no Smiles nem faz tanta diferença pra mim pois raramente viajo na Gol. Fiz bons resgates no Smiles no ano passado, principalmente pra voar no Oriente Médio e Ásia. Mas com essa mudança recente da tabela, piorou muito para futuros resgates.

      O Victoria seria apenas para completar saldo lá, uma vez que o Santander não transfere mais pra lá. Mas não vejo futuro nisso, uma vez que não tenho nada em mente.

      Acho que o melhor custo-benefício está no Lifemiles que, por enquanto, possibilita os 4 resgates nacionais garantidos, por pessoa. Como vou com mais uma pessoa, serão no total 8 trechos internos no Brasil. Bom demais.

      • CRISTIANO ANDRADE 04/05/2016 at 13:54 #

        Isso aí.. cada caso um caso.
        Como eu concentro no Amex, Vitoria TAP é uma boa pra mim (e tenho um Itau Black como segunda opção, que também transfere para lá).
        Aliás acabei de emitir com TAP uma viagem ida e volta pros EUA em Business (de United) por 90 mil milhas. Um bom benefício, a maior parte das milhas eu tinha no saldo de vôos e completei com umas 15 mil milhas que enviei (mesmo sem os aguardados “bônus”) do Amex.
        Por isso que eu digo que depende do uso que fará das milhas…
        Grande abraço

        • Albino 04/05/2016 at 14:11 #

          Exatamente, seu raciocínio está corretíssimo.
          Eu não tenho o TPC, mas sim o Platinum normal, e não concentro os gastos nele.
          Forte abraço

    • Albino 04/05/2016 at 10:28 #

      Ah, apenas salientando que o bom não é o Avianca Amigo, mas sim o Avianca Lifemiles.

      O Avianca Amigo só dá 8.000 milhas para o voo todo GRU-YYZ-TLV-YYZ-GRU. Não dá nem um trecho no Brasil, que custa 10.000.

      • Bruno Feliciano 04/05/2016 at 12:58 #

        Engraçado que nessa página (http://www.avianca.com.br/amigo/acumule_pontos/parceiros_aereos/parceiro-air-canada) diz que o acumulo da classe U é 100%.

        São duas informações desencontradas. Você já ligou no atendimento do Amigo para confirmar qual é a informação correta?

        • Albino 04/05/2016 at 14:32 #

          Olá Bruno. Eu não liguei, mas outras pessoas ligaram e eles confirmaram que é apenas 8.000 pontos.

          Veja o que tem no site:

          “O acúmulo de pontos no AMIGO pode variar de acordo com a classe de assento e classe tarifária de cada companhia aérea parceira, e tem uma pontuação base por região.”

          Sendo assim, tenho a seguinte interpretação:

          Primeiro é verificada a pontuação base por região. No caso específico é América do Sul – Oriente Médio, que dá 4.000 milhas base.

          Em seguida se verifica a classe tarifária. Neste caso, a tarifa U corresponde a 100% das milhas base e não das milhas voadas.

          Lembre-se que a Tam tinha esse mesmo critério até pouco tempo atrás.

  2. Albino 04/05/2016 at 11:29 #

    Guilherme: acho que o título correto do post seria ajudar a todos que compraram este mesmo bilhete no bug da Aircanada 😉

    • Guilherme 04/05/2016 at 13:40 #

      Corrigido! 🙂

      • Albino 04/05/2016 at 14:33 #

        Fica mais justo, não acha ? Afinal a informação é útil para todos 😉

        • Guilherme 04/05/2016 at 15:10 #

          Com certeza! 😀

  3. Carlos 04/05/2016 at 12:20 #

    Acho que o melhor neste caso é pensar em uma provável utilização para saber o que vai ser mais útil (nacional ou internacional e região). Não sei exatamente a classe dos bilhetes, mas no meu caso eu jogaria na Singapore (supondo o ganho de 100%) e completaria o restante com transferência do TPC.
    Se você não tem um uso previsto (o que quer dizer que não vai usar tão cedo), eu não mandaria de jeito nenhum para o Smiles, já que suas 35k milhas lá podem daqui a pouco valer um resgate de um picolé!

    • Bruno Feliciano 04/05/2016 at 12:55 #

      Na Singapore é % também.

      Na StarAlliance a única companhia que não ganha % nesse bilhete é a All Nippon Airways (70%)

      • Bruno Feliciano 04/05/2016 at 12:55 #

        Quis dizer 100% aonde apareceu apenas “%”

        • Guilherme 04/05/2016 at 13:42 #

          Bem lembrado, Carlos, o Krisflyer também seria uma ótima alternativa. Daria para completar o saldo de milhas através, por exemplo, dos seguintes parceiros:

          – Cartões de crédito Amex;

          – Estadias em hotéis parceiros, como os da rede Hilton Honors, utilizando-se a opção Double Dip;

  4. Bruno Feliciano 04/05/2016 at 12:51 #

    Interessante como ninguém está considerando a Copa nessa equação.

    No ConnectMiles com 20k é possível regatar um trecho entre Brasil – América do Sul / Central / Caribe.

    • Guilherme 04/05/2016 at 13:42 #

      Bem lembrado, Bruno!

    • CRISTIANO ANDRADE 04/05/2016 at 13:50 #

      Eu cheguei a citar a Copa… problema é falta de opções para “inteirar” as milhas, já que os cartões locais ainda não transferem para eles.

      • Guilherme 04/05/2016 at 15:10 #

        Realmente, a falta de opções de cartões de crédito é um problema para diversos programas de fidelidade bons que existem no exterior.

        • Bruno Feliciano 04/05/2016 at 15:51 #

          Concordo com essa ponto. Porém o fato de que as só com as milhas acumuladas nessa viagem já garantem uma boa emissão imediata, é algo a se considerar.

          • Guilherme 04/05/2016 at 17:24 #

            Sem dúvida, Bruno. O interessante, nesse caso, é que a viagem praticamente “se paga” com as milhas. É o famoso “pague 1, leve 2”, ou seja, pague 1 viagem, ganhe outra. 🙂

  5. CRISTIANO ANDRADE 04/05/2016 at 14:14 #

    Guilherme,
    fora de tópico, chance de ganhar 700 milhas AAdvantage em 3 minutos, sem dor nem esforço.
    https://secure.fly.aa.com/milesformilestones/

  6. Albino 03/08/2016 at 23:09 #

    Reabrindo o post, o Smiles relançou a promoção, ampliando agora pra outros parceiros na América:

    Mas como o assunto é Air Canada, voltemos ao cálculo:

    1) Smiles: agora sim eu poderei ganhar no Smiles 43.456 + 5.000 + 7.500 = 55.956 milhas. Teoricamente e em média, dá pra tirar uns 5 trechos dentro do Brasil, ou outras opções internacionais. Além disso, eu ficaria com status Ouro (precisa de 20.000 milhas pra chegar);

    2) Lifemiles: 21.728 milhas, suficientes pra 4 trechos dentro do Brasil.

    Enfim, ainda estou com duvidas hehehe 😁

    • Albino 03/08/2016 at 23:37 #

      Faltou o link:

      https://www.smiles.com.br/dobro-milhas-americas

      Um ponto negativo ao Smiles é o fato das milhas bônus (21.728) terem apenas 6 meses.

      Por outro lado, descobri que o Lifemiles cobra uma taxa de emissão por bilhete de $25, mesmo pelo site.

      Eita, tá difícil hein !?

Trackbacks/Pingbacks

  1. Ganhe 100% de milhas Smiles ao voar, com voos pagos em dinheiro, pelas Américas nas cias. parceiras | Meu Milhão de Milhas - 04/08/2016

    […] Dica quente do leitor Albino: essa promoção abrange voos até setembro, o que significa beneficiar inclusive aqueles que aproveitaram a promoção da Air Canada que anunciamos há algum tempo. […]

  2. Amigo Avianca imita Smiles e oferece o dobro de pontos em voos em parceiros aéreos. A bola da vez são os voos Air Canada | Meu Milhão de Milhas - 04/10/2016

    […] alguém tiver comprado passagens para Israel naquela promobug anunciada tempos atrás, e vai viajar nesse período, pode ser uma boa ideia creditar os pontos no […]

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×