Dúvida do leitor: onde creditar as milhas de voos realizados na Emirates Airlines, já que quase não viajo com ela?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

O leitor Eduardo me enviou uma pergunta bem interessante, via Twitter:

“Minha mãe vai voar de Emirates para a Ásia. Não quero acumular as milhas no programa da Emirates pois acho que ela não participa de nenhuma aliança global (Star Alliance, etc). e dificilmente ela voará Emirates em um curto espaço de tempo. Se fizesse isso as milhas provavelmente iriam expirar. Você sabe se consigo creditar as milhas em alguma cia parceira?”

Essa é uma dúvida corriqueira entre milhares de brasileiros, já que boa parte das pessoas acaba viajando pela Emirates só pra ir pro Oriente Médio, e, de lá, seguir para a Ásia. Ou seja, normalmente só viajam uma vez (ou pouco mais que isso) com ela. Depositar as milhas na própria Emirates não valeria a pena, dada a infrequência de voos com ela. Qual é a solução?

A minha resposta: Victoria TAP.

A mãe do Eduardo consegue creditar as milhas no programa português, e a quantidade de milhas depende da classe tarifária, conforme consta na página da parceria. Como se trata de um voo do Brasil para a Ásia, os ganhos de milhas serão consideráveis, mesmo à taxa de 50%.

Victoria TAP Emirates

É uma ótima maneira de não deixar as milhas expirando, pois o leque de possibilidades com o Victoria TAP é bem amplo: pode ser utilizado, por exemplo, para emitir prêmios intra-Europa na própria Victoria TAP, ou utilizando as cias. da Star Alliance, ou, ainda, para voos domésticos brasileiros através da parceria com a Gol.

Além disso, é possível completar o saldo de pontos Victoria TAP, através da transferência de pontos de alguns cartões de crédito brasileiros, como American Express, Bradesco, Itaú e HSBC.

Conclusão

É muito importante aproveitar os pontos gerados por esses voos, creditando-os em programas de fidelidade cuja probabilidade de utilização e acúmulo seja maior.

Isso acontecia com certa frequência com as próprias cias. árabes – Qatar, Emirates e Etihad – porém, nos últimos anos, graças às parcerias com outras empresas aéreas, ficou mais fácil aproveitar essas milhas. E isso sem contar o fato de que a própria Qatar acabou ingressando numa aliança aérea, a One World.

Por falar nisso, recordo-me agora daquela marcante entrada da Qatar no Brasil, com seu voo inaugural de Guarulhos para Barcelona, com conexão em Doha, com a tarifa promocional de USD 310, com taxas incluídas (o que dava pouco mais de R$ 500), exaustivamente comentada no Aquela Passagem. Uma das dúvidas era justamente onde creditar tais milhas, e um leitor sugeriu, salvo engano, fazer o crédito num programa (não me lembro qual) de tal forma que pudesse ser utilizado em voos da United Airlines, através de uma triangularização de programas de fidelidade (não lembro agora como funcionava a estratégia, mas exigia com certeza uma grande engenharia de milhas).

Hoje em dia, os laços comerciais entre diversas cias. aéreas árabes e o resto do mundo estão mais fortalecidos, o que favorece sobretudo os viajantes infrequentes, ou seja, aqueles que não costumam viajar tanto assim com as cias. árabes. 😉

13 Comments

  1. Observando 10/04/2016 at 18:11 #

    Negativo, orientação ruim.
    O melhor parceiro para o caso dele e sua mãe é a Qantas.
    TAP na Star exige emissão round trip e as milhas expiram após 36 meses.
    Na Qantas, parceira da Emirates, pode-se emitir Oneworld, One way (requerendo a metade
    das milhas da round trip) e as milhas nunca expiram desde que haja QUALQUER movimentação
    no prazo de 18 meses.
    A emissão pode ser feita pela net.
    Seria prudente orientar o leitor com base em conhecimentos no que afirma.

    • Guilherme 10/04/2016 at 20:16 #

      O problema da Qantas é que não há possibilidade de transferência de pontos de cartões de crédito brasileiros.

      • Paulo 10/04/2016 at 21:10 #

        Concordo com o Guilherme. Além do que ele disse, algumas tarifas acumulam até 300% das milhas voadas. Embora a Qantas aumente a validade das milhas quando há movimentação na conta, 36 meses para utilizar as milhas da TAP são mais que suficientes para completar o saldo com cartão de crédito brasileiro e realizar resgates de passagens nas promoções de milhas reduzidas que a TAP realiza. Além da Gol, também é possível resgatar na Avianca, pela Star Alliance.

        • Guilherme 10/04/2016 at 21:40 #

          Muito bem lembrado, Paulo! 😀

          Abraços!

  2. Albino 10/04/2016 at 23:24 #

    Sem nenhuma informação dos voos a serem realizados, também indicaria a Tap pela maior integração com os brasileiros.

    Mas sugiro ao Eduardo nos fornecer mais detalhes para podermos aconselhá-lo adequadamente, como:

    – os trechos dos voos a serem realizados
    – as classes tarifárias (não apenas se é econômica ou executiva, mas a letra da classe tarifária)
    – quais cartões de crédito a mãe dele possui (para complemento do saldo, caso necessário)
    – quais os objetivos previstos de resgate

    • Guilherme 11/04/2016 at 11:02 #

      Ótima sugestão, Albino!

    • CRISTIANO ANDRADE 11/04/2016 at 12:24 #

      Eu iria entrar aqui na discussào porque eu sempre mando meus pontos Star Alliance pra TAP devido as minhas razões:
      – Vou uma vez por ano pra Europa em família, e aí a quantidade de pontos necessários para emissão ida-e-volta em Business com 2 crianças pequenas voando TAP é IMBATÍVEL (100 mil por adulto + 50 mil por criança = 300 mil no total se for para Portugal, ou acrescente 10% a mais se for para outros lugares da Europa, com direito a stop-over em Lisboa!)
      – Como eu normalmente não consigo juntar 300 mil pontos apenas voando Star Alliance (chego em metade disso normalmente), posso completar com pontos do cartão de crédito. Aí fico de olho nas promoções de transferência (nenhuma ainda esse ano, mas nos 2 últimos anos consegui promoções de pontos dobrados), se conseguir uma de pontos dobrados, precisaria de menos de 100 mil milhas transferidas do cartão (dependendo da promoção) e assim garanto (pagando apenas as taxas de embarque) passagem para 2 adultos e 2 crianças em Business para a Europa
      – a TAP é muito amigável com crianças!
      – a TAP é uma das poucas companhias que, com frequência, disponibiliza 4 lugares ou mais em Business Class em seus vôos.
      Finalmente, voando Emirates eu pontuo na TAP, já fiz isso uma vez indo pro extremo oriente.

      • Guilherme 11/04/2016 at 12:42 #

        Excelentes observações, Cristiano!

        Realmente, para seu perfil de viajante, o Victoria TAP é praticamente imbatível.

        Abraços!

  3. Eduardo 14/04/2016 at 00:37 #

    Albino,
    Seguem os trechos:
    GRU-Dubai
    Dubai-Cingapura
    Beijing-Dubai
    Dubai-GRU
    Todos os voos em classe X. Cartão de crédito Santander. Objetivo de resgate para Londres.

    • Albino 15/04/2016 at 10:24 #

      Ok, então vamos lá:

      1) Tap Victoria (50% de milhas na classe X)

      1.1) GRU-DXB =3.796 milhas
      1.2) DXB-SIN = 1.817 milhas
      1.3) PEK-DXB = 1.820 milhas
      1.4) DXB-GRU = 3.796 milhas

      Total = 11.229 milhas Victoria

      2) Qantas

      2.1) GRU-DXB = 1.875 pontos
      2.2) DXB-SIN = 850 pontos
      2.3) PEK-DXB = 1.050 pontos
      2.4) DXB-GRU = 1.875 pontos

      Total = 5.650 pontos

      3) Emirates

      3.1) GRU-DXB = 1.625 milhas na tarifa Special / 2.275 milhas na tarifa Saver
      3.2) DXB-SIN = 875 milhas na tarifa Special / 1.225 milhas na tarifa Saver
      3.3) PEK-DXB = 875 milhas na tarifa Special / 1.225 milhas na tarifa Saver
      3.4) 1.625 milhas na tarifa Special / 2.275 milhas na tarifa Saver

      Total = 5.000 milhas na tarifa Special / 7.000 milhas na tarifa Saver

      Agora vêm as grandes perguntas:

      a) o que fazer com 11.229 milhas Victoria ?

      Um voo ida e volta dentro de Portugal custa 7.500 milhas na baixa temporada e 10.000 na alta. Pra Madeira ou Açores custa 10.000 milhas na baixa e 15.000 na alta. Pra Espanha custa 12.000 milhas na baixa e 15.000 na alta. Para parceiros, não vale a pena.

      Como o cartão de crédito do Santander não transfere mais para a Tap, só haveria como acumular mais milhas lá voando em companhias da Star Alliance, como a Avianca.

      Se já tiver um saldo no Victoria, serve pra complementar ainda mais para possibilitar um resgate pra Londres. Lembrando que em promoções que a Tap faz periodicamente, é possível ir pra Europa com 35.000 milhas ida e volta.

      b) o que fazer com 5.650 pontos da Qantas ?

      Um voo GRU-LHR-GRU custa 100.000 pontos, ida e volta. Um trecho interno na Europa, como LIS-LHR por exemplo, custa 14.000 pontos. Como a Qantas não tem nenhuma parceria com cartões de crédito brasileiros, só vejo possibilidade de acúmulo de milhas lá voando em companhias da Oneworld, como a Tam.

      Porém, é muito pouco ponto gerado num voo tão longo. Eu não creditaria na Qantas de jeito nenhum.

      c) o que fazer com 5.000 ou 7.000 pontos na Emirates ?

      Com 5.000 pontos, não vejo nada possível. Com 7.000 pontos, a única possibilidade seria transferir 6.000 pontos para o Heathrow Rewards e resgatar £20 no Duty Free de LHR. Vale a pena ? Pra mim, não.

      Por fim, peço aos amigos que confiram meus cálculos e dêem suas opiniões quanto à minha análise e, principalmente, peço ao Eduardo que compartilhe conosco sua decisão.

      Abraço !

  4. Julia 07/09/2016 at 16:26 #

    Oi pessoal, adorei o post! Muito colaborativo, com diversos pontos de vista! Vou precisar ir e voltar de Kuala Lumpur pelo menos 4 vezes, a trabalho, e viajando ou pela Emirates, ou pela Qatar, a depender da melhor tarifa. Como compro por uma agência parceira da minha empresa, não consigo saber qual tarifa é a minha para o cálculo de milhas, mas estou entendendo que criar um login na TAP Portugal e pontuar as milhas lá será a malhor opção. Gostaria de saber se quando viajando pela Qatar, vale a pena lançar as milhas no programa Latam, ou não? Sempre falando de classe econômica… Como vou e volto nos meses de setembro, outubro, dezembro, janeiro e talvez ainda fevereiro, preciso saber onde valerá mais a pena! As informações de vocês me ajudam muito. Ah, na Smiles sou Diamante e na nova LATAM sou Platinum (One World Azul). Obrigadaaaa! E bons voos a todos!

    • Guilherme 07/09/2016 at 19:37 #

      Olá Julia, seja bem-vinda!

      Sobre a sua dúvida, a melhor opção depende da resposta à seguinte questão: onde você prefere resgatar os pontos: no Smiles ou na LATAM?

      Pergunto isso porque a Qatar também é parceira do Smiles: https://www.smiles.com.br/qatar-airways e você acumula milhas Smiles voando Qatar.

      Infelizmente, a página da LATAM Fidelidade está inoperante no momento, e não consigo visualizar a pontuação que você teria no LATAM voando Qatar. O que eu sei é que a pontuação é por distância, então, em princípio, você acumularia uma boa quantidade de pontos no LATAM, uma vez que essa rota que você faz é de ultra-longa-distância.

      O ideal seria sabermos também a letra da tarifa, para podermos ter uma noção mais precisa da quantidade de pontos que você acumularia. Pelas informações passadas, não seria má ideia acumular na LATAM, mas precisaríamos verificar se a LATAM faz uma diminuição de pontuação em função da categoria da tarifa. Falo isso pois algumas tarifas em classe econômica, em outros programas de milhagem, acumulam apenas 25% de pontos da distância percorrida.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Onde creditar as milhas de voos realizados na Emirates: Victoria TAP, Qantas ou Emirates? A análise ponto a ponto do leitor Albino! | Meu Milhão de Milhas - 15/04/2016

    […] leitor Eduardo teve uma dúvida muito interessante no começo dessa semana: sua mãe iria fazer um voo longo na Emirates, e queria aproveitar as milhas voadas. Das diversas […]

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×