Le Club oferece troca de pontos por pacotes promocionais para Roland Garros, com ingresso e almoço

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Novamente esse ano será possível a troca de pontos Le Club por pacotes promocionais para Roland Garros, com ingressos para algumas partidas, inclusive a final masculina, e uma refeição. Há ingressos disponíveis inclusive para a final masculina, pelo menos no horário em que eu entrei para ver os jogos disponíveis.

Roland Garros Le Club Accor

Os preços variam de 9 mil a 35 mil pontos Le Club.

RG LC

Conclusão

Os pacotes valem a pena se considerados o valor dos ingressos e o valor respectivo exigido para troca. Se alguém quiser aproveitar, corra, pois já há produto indisponível.

8 Comments

  1. Cristiano Andrade 21/03/2016 at 17:15 #

    700 euros (é o valor que esses pontos lhe dariam se usasse na reserva de hotéis) por ingresso na final em camarote e com almoço incluído. Na bilheteria os preços dos ingressos nas melhores localizações (sem o almoço) eram de 705 euros.
    Posso não querer gastar essa bagatela, ou não poder. Mas além de estarem esgotados (só via cambistas e pode pensar em 2x o valor), é uma proposta interessante.
    Mas não é pro meu bolso.
    Grande abraço

    • Paulo 21/03/2016 at 23:00 #

      Na verdade, levando-se em consideração as recentes promoções do Smiles onde você chega a um custo por milha de R$0,0195 (combinando promoção de Clube Smiles 5.000 e compra de milhas com cupom) e a transferência de 3 milhas Smiles para 1 ponto Le Club, você conseguiria comprar o ingresso da final (de 35.000 pontos) pela bagatela de R$2047,50. O ingresso equivalente que eu havia visto no site deles custa por volta de 1.100 EUR, ou ~ R$4.500. É um desconto de mais de 50%.

      • Guilherme 22/03/2016 at 14:55 #

        Bem observado, Paulo.

        De maneira geral, aliás, o Le Club tem feito ofertas atrativas para resgates em ingressos, shows etc. É uma maneira alternativa de usar os pontos.

      • Thiago 22/03/2016 at 16:41 #

        Eu tinha feito essa conta também! E fiquei aqui me coçando!

        O problema é que tem todo o resto… passagens, hospedagem, etc… a brincadeira sai no mínimo R$ 10 mil pra 2 pessoas.

        Agora, pra que eventualmente estiver em Paris (ou mesmo na Europa, em geral) nessas datas, puxa vida, é uma bela oportunidade!

        • Guilherme 22/03/2016 at 19:03 #

          Concordo, Thiago. A brincadeira toda sai bem salgada, mas há uma chance de “amenizar” os custos, que é já ir pagando as “prestações da viagem” para …2017, por que não!?

          Que tal programar suas férias de 2017 exatamente para esse período do ano?

          Já é a segunda vez que a Accor faz esse tipo de promoção, e é bem provável que ano que vem faça de novo. Vá acumulando os pontos Le Club e planejando a viagem, que ano que vem você pode aproveitar essa promo quando ela ir ao ar. 😀

          Abraços!

    • Guilherme 22/03/2016 at 14:55 #

      Olá Cristiano, realmente, é uma proposta interessante, e os pontos Le Club acabam tendo uma precificação que não considero desproporcional, quando comparados com os preços cheios dos ingressos em euros.

      Abraços

      • Leonardo 22/03/2016 at 18:39 #

        Olá Guilherme,

        A precificação de cada ponto Le Club é até fácil de fazer (2000 pontos = 40euros). Ou seja, se consigo juntar 2000 por menos de 40 euros (já calculando uma pequena margem de erro com euro desvalorizado), já vale a pena se o objetivo for se hospedar na rede.

        Mas pros programas HIlton HHonors e IHG Rewards Club, qual é a média de mercado dos pontos desses programas? Onde costuma compensar se hospedar com pontos nessas redes?

        • Guilherme 22/03/2016 at 19:16 #

          Olá Leonardo, dúvida bem pertinente, hein!? 😀

          Nos casos do HH e do IHG, um dos critérios que utilizo é o valor da venda dos pontos por essas redes.

          O HH de vez em quando lança promoções com percentual de bonificação. A última teve 80% de bônus, e o CPP (custo por ponto) ficou em 0,56 centavos de dólar, ou seja, USD 0,0056.

          Nesse caso, para essa compra valer a pena, por exemplo, o custo de uma diária com pontos deve ser inferior ao seu custo em dinheiro.

          Por exemplo, vamos supor que um hotel Hilton Garden Inn esteja com a diária (na melhor tarifa flexível) custando USD 250, ou 30.000 pontos. É melhor pagar em dinheiro ou pagar com pontos?

          Esses 30k pontos custaram USD 168, logo, valeria mais a pena pagar a diária resgatando os pontos, do que pagando em dinheiro.

          Agora, se essa mesma diária custasse USD 100, aí sem dúvida seria melhor pagar em dinheiro (que ainda acumula pontos), do que queimar os pontos.

          É claro que esses cálculos são simplificados, pois ainda devemos levar em conta o ganho em pontos que haveria se pagando a diária com dinheiro, mas, para efeitos de entendimento, é mais ou menos esse o critério que tenho adotado nas minhas precificações.

          Em suma: quanto mais cara for a diária em dinheiro, mais valiosos serão os pontos, desde que, é claro, tal diária não exija uma montanha de pontos desproporcional.

          Respondendo à sua segunda pergunta: geralmente, compensa bastante se hospedar em hotéis mais caros, do tipo Conrad, Intercontinental etc., mas, na minha experiência pessoal, tem valido a pena até em hotéis mais econômicos, como Hilton Garden Inn, Holiday Inn etc.

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×