Ranking de câmbio em espécie do Banco Central comprova: fujam dos grandes bancos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Domingo, eu postei uma dica de se procurar o ranking de VET (valor efetivo total) de câmbio do Banco Central para você ter uma ideia de quais bancos/corretoras fornecem a melhor cotação para compra de dólar em espécie.

Dei uma olhadinha nas estatísticas do mês de julho para saber em que pé andavam os grandes bancos/corretoras que trabalham com câmbio – Cotação, Confidence, Safra (que tem postos de atendimento em grandes aeroportos internacionais brasileiros), Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Citibank etc. – e não tive surpresas: são eles que apresentam as piores cotações para compra de moeda em espécie. Minha pesquisa foi feita tomando-se como base a compra de USD 1.000 em espécie.

Vejam o resultado das melhores instituições:

Ranking VET Melhores

Você conhece alguma?

Agora, vejam o ranking dos lanterninhas:

Ranking VET Piores

E aí, algum nome conhecido?

Dos grandes bancos, a CEF é a que fica com a melhor posição – 28º lugar no ranking de julho – o que não quer dizer, obviamente, que ele permanecerá à frente dos outros grandes bancos nos meses seguintes, pois geralmente as posições variam de um mês para outro.

Portanto, é sempre bom fazer uma cotação na hora de fazer a compra, e tentar uma barganha, claro, na hora de fechar o negócio. Também é bom verificar se a corretora em questão cobra alguma taxa de serviço, o que pode encarecer e inviabilizar o valor efetivo total, principalmente se a compra for de pequena quantidade.

Conclusão

Parece que a lógica dos investimentos também se aplica quando o assunto é câmbio: corretoras independentes têm chance de oferecer melhor preço, assim como elas geralmente oferecem produtos de investimentos com melhores remunerações.

Apenas se certifique, antes, que a casa de câmbio é autorizada pelo Banco Central a operar com esse segmento.

Ah, sim, e fique longe dos postos de câmbio situados dentro de aeroportos (Safra e Global Exchange, os piores da lista): a comodidade definitivamente não vale o preço a ser pago.

Tagged as:

8 Comments

  1. SwineOne 24/08/2015 at 08:00 #

    Guilherme,

    Não entendi muito bem como funciona esse ranking. Minha hipótese que balizará o restante do comentário: o VET é a cotação média do dólar cobrada por cada instituição ao longo do mês.

    Se esta for a metodologia mesmo, algum economista do BC, que por sinal está sendo muito bem pago, deveria ir para a rua. A menos que a cotação do dólar fosse exatamente a mesma durante o mês inteiro (ah tá… agora conta a do papagaio!) fica impossível comparar. Uma solução muito mais simples e útil seria calcular a média dos spreads das operações realizadas, comparando com o dólar comercial no instante da operação.

    Outro problema muito sério com esta metodologia é que, particularmente nas corretoras menores, que fazem poucas operações (veja a primeira e a quarta da lista: 5 e 12 operações no mês, respectivamente), é que numa população de muitas corretoras pequenas (com poucas operações), de forma puramente aleatória, algumas terão realizado as suas poucas operações num momento em que o dólar estava baixo, enquanto outras terão realizado as operações num momento de dólar alto (e de fato vejo algumas corretoras desconhecidas na rabeira do ranking). Já corretoras com mais movimentação formarão uma média verdadeira. Também há que se considerar as distribuições de operações ao longo do mês, formando uma espécie de média ponderada que pode guardar pouca relação com a média simples do valor do dólar no mês. Ou seja, às vezes certa corretora é mais procurada em momentos do mês em que o dólar está mais alto, e outras em que o dólar está mais baixo.

    Isso não tira completamente o mérito do ranking, e o raciocínio básico de fugir das grandes corretoras provavelmente está correto. Porém, não basta olhar a primeira do ranking e fazer operações com ela, como podemos fazer com o ranking do Tesouro Direto, por exemplo. Pessoalmente, se fosse fazer uma compra grande de dólar, faria uma pesquisa com, idealmente, dezenas destas mais próximas do início do ranking, e priorizaria aquelas com maior número de operações, pois mostram a capacidade de consistentemente realizar operações baratas, não sendo apenas uma questão de sorte.

    Mas ainda defendo que uma metodologia com base nos cálculos de spreads, e não apenas do valor do dólar, seria muito mais útil.

    • Guilherme 30/08/2015 at 10:56 #

      Concordo, Swine!

  2. Edo 24/08/2015 at 20:13 #

    Guilherme,
    Melhor que o Banco Central é o comparador de taxas de câmbio “Jooin”
    http://jooin.com.br/
    Forte Abraço!

    • Guilherme 30/08/2015 at 10:56 #

      Ótima dica, Edo!

  3. Leonardo 24/08/2015 at 23:22 #

    Eu já conhecia esse ranking mas ele nunca me serviu pra muita coisa.
    Desses que estão bem ranqueados, há algum em Brasília?

    Uma coisa é certa: Citibank, Bradesco e Itaú sempre estarão na “zona de rebaixamento” desses rankings.

    • Guilherme 30/08/2015 at 10:57 #

      Certeza, Leonardo!

      Quanto maior o banco, pior tende ser a cotação.

  4. Paloma Borba 27/08/2015 at 15:50 #

    Cadê a Caixa nesse ranking? O dólar na caixa é sempre bem menor, usa a cotação do dólar comercial e não turismo.

    • Guilherme 30/08/2015 at 10:57 #

      Está em 28º lugar.

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×