Hedge cambial usando milhas e pontos para economizar com hotéis: a estratégia do leitor SwineOne

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×

Em tempos de dólar nas alturas, as milhas e pontos acabam servindo como proteção cambial, e, quanto mais alto o valor do dólar, maior também acaba sendo a utilidade das milhas e pontos.

KM Vantagens

No post de hoje, destacaremos a estratégia do leitor SwineOne para economizar com gastos em hotéis, através de uma triangulação que envolve o KM de Vantagens, o Multiplus Fidelidade como ponte de transferência e o Le Club Accor:

“Guilherme,

Pensei numa estratégia interessante hoje, que vou aplicar para hospedagens em hotéis da rede Accor em uma viagem que farei para a Europa nesse ano. Espero que possa ser útil para outros leitores do blog.

Usando o programa Km de Vantagens da Ipiranga, é possível trocar 1000 km por 2000 pontos Multiplus a uma taxa de R$ 51. Suponha a troca de dois blocos de 1000 km, totalizando 4000 pontos Multiplus, por R$ 102. Estes pontos podem ser trocados (à proporção de 2:1) por 2000 pontos Accor, que equivalem a um voucher de €40 na Accor. Em resumo, você compra um voucher de €40 por R$ 102, uma cotação de €1 = R$ 2,55. Considerando que o euro turismo está sendo vendido hoje em torno de R$ 3,64, isso se traduz em um “desconto” de 30% na cotação do euro.

Além disso, neste mês, a Ipiranga está com uma promoção este mês onde você transfere Km para pontos Multiplus, e ganha Km de volta. Isso tem um efeito multiplicador que é simplesmente impressionante. Considere agora outra opção de transferência da Ipiranga: 500 km para 2000 pontos Multiplus por R$ 55 (um pouco mais caro que os R$ 51 do bloco de 1000 km para 2000 pontos Multiplus do exemplo acima, mas ainda assim, afirmo que vale a pena, como ficará claro adiante). Transferindo um bloco destes neste mês, você ganha 1000 km no mês seguinte. No outro mês, você transfere estes 1000 km por meio de dois blocos de 500 km para 2000 pontos Multiplus cada, obtendo 4000 pontos Multiplus. Estes 4000 pontos Multiplus são somados aos 2000 pontos Multiplus que você teria transferido no mês anterior, totalizando 6000 pontos Multiplus. Ou seja: os 500 km originais viraram 6000 pontos Multiplus, que viram 3000 pontos Accor. É um efeito multiplicador impressionante.

Outro detalhe importante: como a cotação de transferência de Km para Multiplus, e depois para Accor, é fixa (a menos que as regras dos programas sejam alterados), você “trava” uma taxa de câmbio também fixa de €1 = R$ 2,55 ou €1 = 2,75, conforme a opção de transferência escolhida (1000 km = 2000 pontos Multiplus ou 500 km = 2000 pontos Multiplus, respectivamente). Isto se configura em um belo hedge contra a alta do euro.

Espero que essa estratégia possa ajudar algum leitor do blog”.

Conclusão

Parabéns ao leitor Swine pela estratégia, que demonstra quão útil podem ser as milhas e pontos em épocas de crise. Eu também adotei uma estratégia similar envolvendo outro programa de fidelidade, que em breve relatarei aqui no blog.

16 Comments

  1. joao 14/03/2015 at 16:54 #

    Esta é uma boa estratégia, eu ja havia utilizado na minha ultima viagem a Europa em 2014.
    No meu caso eu tenho outra estratégia, concentro os KMs em 3 CPFs diferentes, faço 1 transferência anual de 10.000 kms = 10.000 Multiplus por R$100,00 – Custo milha de R$0,01 e consigo juntar os pontos de CPFs diferentes transferindo do Multiplus p/ o LeClub numa conta unica. Considerando que 8.000 Multiplus, da pra trocar por 2 vouches de 40 Euros e ainda sobra 2.000 pontos. Voce compra 80 Euros por R$100,00. E se voce fizer a reserva do hotel online pagando com os pontos LeClub e deixando so um residuo para pagar no hotel voce ainda pontua no Leclub. E voce ainda foge dos 6,38% iof do cartão de crédito e ja viaja com quase tudo pago.

    • Guilherme 15/03/2015 at 08:52 #

      Ótima estratégia, João!

    • SwineOne 15/03/2015 at 22:07 #

      Olá João,

      Tanto a minha quanto a sua estratégia tem seus pontos fortes. Supondo que você consegue juntar 30 mil km por ano, você tem duas opções. A primeira é gastar R$ 300 para conseguir 15 mil pontos Accor, o que dá 7.5 vouchers, ou seja €300. Esses €300 saem por R$ 300. O problema é que você só consegue 300 euros; por exemplo, na minha viagem, vou gastar quase 1000 euros em hotéis. Eu teria que tirar €700 do bolso, pagando (para usar a minha cotação do outro post) R$ 3,63 nesses €700. Gasto total: R$ 2841.

      Suponha agora que você transfira 25.000 km hoje, na opção de transferência de 1000 km que viram 2000 pontos Multiplus, e retornando 1000 km para você no mês seguinte. Com isso, você conseguirá 50.000 pontos Multiplus com essa transferência inicial de 25.000 km, e conseguirá mais 25.000 km no mês seguinte, que você novamente transfere para o Multiplus, conseguindo mais 50.000 pontos Multiplus. Ao todo, você terá 100.000 pontos Multiplus, que você transforma em 50.000 pontos Accor, que você converte em 25 vouchers de €40, ou seja, €1000 ao todo. Você terá que transferir 50 lotes na Ipiranga a R$ 51 cada, totalizando R$ 2550. Quer dizer, a mesma hospedagem custou R$ 291 a menos. Também, sobraram 5.000 km que você pode usar para outras coisas.

      Outra possibilidade é uma estratégia mista. Transfira 10.000 km para obter 10.000 pontos Multiplus hoje e 2.500 km de volta no mês seguinte, gastando R$ 100. Também, transfira 20.000 km para obter 40.000 pontos Multiplus e 20.000 km de volta no mês seguinte, gastando R$ 1.020. No outro mês, transfira 20.000 km para obter mais 40.000 pontos Multiplus, gastando R$ 1.020. Ainda sobram 2.500 km (os que retornaram da transferência dos 10.000 km no mês seguinte). Transfira esses 2.500 km usando a opção de transferência de 500 km por 2.000 pontos Multiplus, totalizando 2.500 km e 10.000 pontos Multiplus, e gastando R$ 275. Somando tudo, você consegue os mesmos 100.000 pontos Multiplus, que viram 50.000 pontos Accor, que viram €1000. Gasto total: R$ 100 + R$ 1.020 + R$ 1.020 + R$ 275 = R$ 2.415, ou seja, uma economia de R$ 426 em relação à sua estratégia original.

      Claro, tudo isso depende de quanto você gasta em hotel. Se você só gastar €300 no ano, sua estratégia é a melhor. Para gastos acima disso, uma estratégia mista, ou até uma estratégia baseada completamente nas transferência mais caras (de 500 km ou 1000 km) será mais vantajosa.

      • Guilherme 16/03/2015 at 18:32 #

        Ótimas sugestões!

  2. Rafael 16/03/2015 at 13:55 #

    Dá pra usar esta estratégia com o programa Hilton Hhonors?

    • Guilherme 16/03/2015 at 18:35 #

      Rafael, é possível também transferir pontos para o HH vindos da Multiplus, mas há dois empecilhos que eu acho que onerariam demais a operação:

      1) A taxa de conversão do Multiplus para o HH é 1:1,25 apenas (antes era 1:2);

      2) Os pontos HH têm sofrido forte desvalorização, sendo precificados, em média, por USD 0,007 por cada ponto.

      É possível usar os pontos HH para pagar estadias em hotéis, o qual, em face da atual cotação do dólar, se mostra uma estratégia muito boa para economizar dinheiro, conforme explicarei num post mais adiante. Porém, não sei até que ponto a estratégia KM Ipiranga > Multiplus > HH seria vantajosa, do ponto de vista financeiro.

      Abç

  3. Rodrigo Resende 16/03/2015 at 21:39 #

    A minha pergunta que gostaria de fazer para os Experts é se, depois de transferir para o Le Club, não seria melhor usar estes pontos para programas de milhagem do tipo Iberia Plus. Fico pensando que usando estes mesmos 50mil pontos do Le Club para transferir para o Iberia Plus (na proporção de um para um, pois não existe mais a mamata de outrora), eu conseguiria emitir até dois bilhete do Brasil (Rio ou Sampa) para Madrid, acrescentando um certo valor, claro, mas que na maior parte das vezes é mais reduzido do que a metade do valor dos bilhetes aéreos.

    Acabo de fazer uma simulação e com 50 mil pontos no Iberia Plus eu conseguiria emitir dois bilhetes usando 25mil pontos cada, acrescendo 230 euros na classe azul por pessoa (além da taxa de embarque de 62,05 euros, mas esta não tem mesmo como escapar). Ou seja, com 50 mil pontos + 460 euros + taxa de embarque, duas pessoas conseguem ir a Madrid.

    Parece-me uma boa opção quando o bilhete aéreo envolver datas de demanda elevada e desde que emitido com boa antecedência para garantir a emissão, pois nestas datas são poucos os lugares oferecidos.

    O que acham?

  4. Rafael 19/03/2015 at 12:09 #

    Esses vouchers de EUR 40 da Accor podem ser usados nos hotéis da rede no Brasil?
    Se sim, qual seria o câmbio feito no hotel?

    Por exemplo, caso vc hospede em um Mercure cuja diária seja de R$278 (EUR80 com o cambio de 3,475 de hoje)
    Se usar esta estratégia do km de vantagens estará pagando R$204 ao invés de R$278.

    • Guilherme 19/03/2015 at 13:49 #

      Sim, Rafael, é plenamente possível.

      O câmbio é feito segundo critérios próprios, não seguindo exatamente a cotação do câmbio oficial.

      A taxa de câmbio é extraída do banco de dados “Multidevises” (o banco de dados monetário e financeiro do Banco Natixis), o que somente é possível de ser acessado pela intranet da rede Accor.

      Portanto, espere um deságio na conversão, que é feita no câmbio do dia, podendo variar.

      Abç

      • Rodrigo Resende 20/03/2015 at 08:20 #

        Como bem explicou o Guilherme, a cotação tem um deságio, que é bem vultoso, o que desencoraja seu uso por aqui.

        • Guilherme 20/03/2015 at 09:18 #

          Exato!

Trackbacks/Pingbacks

  1. A bem-sucedida estratégia de transferência de pontos Ipiranga > Multiplus > Le Club, by SwineOne | Meu Milhão de Milhas - 09/04/2015

    […] O leitor SwineOne nos deu, tempos atrás, os detalhes de uma estratégia para ganhar dinheiro com milhas e pontos, que você pode conferir aqui. […]

  2. Barbada (restrita): comprando 1 euro de hospedagem Le Club Accor por R$ 2,49! | Meu Milhão de Milhas - 17/09/2016

    […] Hedge cambial usando milhas e pontos para economizar com hotéis: a estratégia do leitor SwineOne […]

Leave a Reply

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×