Dólar: a contabilidade mental tem que ir a R$ 3,50 para cada USD 1 [atualizado]

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Em novembro do ano passado, escrevemos que, com a alta que a moeda norte-americana estava tendo, a contabilidade mental tinha que ir a R$ 3 por cada USD 1.

Hoje, infelizmente, a conta tem que subir para R$ 3,50.

Vejam a cotação do “dólar Santander”:

Dólar 3.31

Contudo, é preciso ainda acrescentar o IOF sobre operações com cartões de crédito, encarecendo as compras em 6,38%.

Com isso, o valor do dólar sobe para inacreditáveis R$ 3,52.

Desse modo, uma oferta de uma passagem aérea ou hospedagem de USD 1.200 (ou a compra de eletrônicos no exterior que custem esse valor), que tempos atrás sairia, numa operação mental, a mais ou menos R$ 2.500 a R$ 2.700, hoje não sai por menos de R$ 4.220.

Conclusão

Acumular milhas, principalmente em compras no exterior, ficou bastante caro e, em alguns casos, pode até mesmo valer mais a pena comprar no Brasil.

2015 está sendo um ano particularmente difícil para a economia, por conta da alta do dólar, pressão inflacionária etc., e o desafio não será acumular mais milhas, mas sim fazer sobrar mais dinheiro no final do mês.

Tagged as:

2 Comments

  1. SwineOne 14/03/2015 at 00:23 #

    Guilherme,

    Pensei numa estratégia interessante hoje, que vou aplicar para hospedagens em hotéis da rede Accor em uma viagem que farei para a Europa nesse ano. Espero que possa ser útil para outros leitores do blog.

    Usando o programa Km de Vantagens da Ipiranga, é possível trocar 1000 km por 2000 pontos Multiplus a uma taxa de R$ 51. Suponha a troca de dois blocos de 1000 km, totalizando 4000 pontos Multiplus, por R$ 102. Estes pontos podem ser trocados (à proporção de 2:1) por 2000 pontos Accor, que equivalem a um voucher de €40 na Accor. Em resumo, você compra um voucher de €40 por R$ 102, uma cotação de €1 = R$ 2,55. Considerando que o euro turismo está sendo vendido hoje em torno de R$ 3,64, isso se traduz em um “desconto” de 30% na cotação do euro.

    Além disso, neste mês, a Ipiranga está com uma promoção este mês onde você transfere Km para pontos Multiplus, e ganha Km de volta. Isso tem um efeito multiplicador que é simplesmente impressionante. Considere agora outra opção de transferência da Ipiranga: 500 km para 2000 pontos Multiplus por R$ 55 (um pouco mais caro que os R$ 51 do bloco de 1000 km para 2000 pontos Multiplus do exemplo acima, mas ainda assim, afirmo que vale a pena, como ficará claro adiante). Transferindo um bloco destes neste mês, você ganha 1000 km no mês seguinte. No outro mês, você transfere estes 1000 km por meio de dois blocos de 500 km para 2000 pontos Multiplus cada, obtendo 4000 pontos Multiplus. Estes 4000 pontos Multiplus são somados aos 2000 pontos Multiplus que você teria transferido no mês anterior, totalizando 6000 pontos Multiplus. Ou seja: os 500 km originais viraram 6000 pontos Multiplus, que viram 3000 pontos Accor. É um efeito multiplicador impressionante.

    Outro detalhe importante: como a cotação de transferência de Km para Multiplus, e depois para Accor, é fixa (a menos que as regras dos programas sejam alterados), você “trava” uma taxa de câmbio também fixa de €1 = R$ 2,55 ou €1 = 2,75, conforme a opção de transferência escolhida (1000 km = 2000 pontos Multiplus ou 500 km = 2000 pontos Multiplus, respectivamente). Isto se configura em um belo hedge contra a alta do euro.

    Espero que essa estratégia possa ajudar algum leitor do blog.

    • Guilherme 14/03/2015 at 07:52 #

      Excelente estratégia, Swine! Vai virar post no blog.

      Certamente, o uso de milhas e pontos pode servir como proteção cambial. Não tanto na questão das passagens aéreas, haja vista as inúmeras promoções de bilhetes aéreos, e sim mais na questão dos hotéis, onde não há tantas ofertas boas.

      Abç!

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×