Itaú oferece o dobro de pontos no Sempre Presente pagando 4% a mais sobre o valor da fatura: não caiam nessa!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

A leitora Célia sugeriu:

Queria sugerir um assunto para sua análise: o acelerador de pontos do Itaucard vale a pena?

Pois bem! Aqui está o post! 😀

O Itaú está oferecendo aos seus clientes que têm cartões de crédito que participam do programa Sempre Presente a possibilidade de acumular o dobro de pontos mediante o pagamento de uma tarifa: 4% sobre o valor da fatura.

Itaú Dobro de Pontos 4 Por centos

4% é um valor absurdamente alto.

Vejamos.

Se você gastar R$ 10 mil num cartão de crédito do tipo Master Black, que pontua 2 pontos por dólar, e quiser ganhar o dobro de pontos que você normalmente ganharia, você teria que pagar R$ 400 – 4% sobre o valor da fatura de R$ 10 mil. Nesse caso, quantos pontos você ganharia?

Supondo a cotação do dólar “Itaú” a R$ 2,80 – o que, convenhamos, está até barato, haja vista que o Itaú já andou fazendo a conversão dos pontos à taxa de R$ 3,05 por dólar (duvida!? Leia esse comentário do SwineOne), esses R$ 10 mil corresponderiam a USD 3.571,42. Como o Black pontua 2 pontos por dólar, em condições normais de temperatura e pressão, você ganharia então 7.142,85 pontos no Sempre Presente.

Como você pagou a tarifa de 4%, R$ 400, você ganharia um adicional de 7.142 pontos.

Se 7.142 pontos custam R$ 400, então um bloco de 10 mil pontos custaria a fortuna de R$ 560,06.

Fica evidente, então, que não vale a pena usar o acelerador de pontos do Itaucard.

E como tudo o que é ruim pode ficar ainda pior, no caso do Itaú ainda há um agravante: esses 10 mil pontos no Sempre Presente não se convertem em 10 mil pontos no Smiles, Multiplus etc., porque existe um belo de um deságio na hora da transferência, de modo que esses 10 mil pontos acabam virando apenas 8.000 pontos no Smiles, Multiplus etc.

Ou seja, para você conseguir transferir 10.000 pontos para o Smiles, Multiplus etc., você precisa gerar 12.500 pontos no Sempre Presente.

E se, para gerar 10 mil pontos nesse programa você precisaria pagar R$ 560,06, para conseguir 12.500 pontos (10 mil pontos Smiles ou 10k Multiplus) você precisaria pagar R$ 700,07.

Resumo da ópera: para você conseguir gerar 10 mil pontos no Smiles ou Multiplus, usando o acelerador de pontos, você precisaria pagar R$ 700,07!

E isso considerando um cartão que pontua 2 pontos por dólar, e uma cotação do dólar Itaú bem baixa, na faixa dos R$ 2,80. Sabemos que, na vida real, com cartões com pontuação mais baixa e cotação do dólar mais alta, as coisas são ainda piores.

Conclusão

Não vale a pena. Simples assim! 🙂

Agradeço à leitora Célia pelo envio da pergunta!

7 Comments

  1. SwineOne 01/10/2014 at 09:32 #

    Se eu não me engano, a Credicard tem um sistema semelhante em alguns dos seus cartões, com a diferença (até onde eu sei) que a cotação do dólar deve ser menos fora da realidade, e não há deságio na transferência para os programas de milhagem. Mas a conta que você fez continua valendo, não vale a pena.

    Para quem tem um gasto razoável no cartão de crédito, a saída é “investir” num cartão MasterCard Black/Visa Infinite. Vou dar o meu exemplo. Tenho um cartão platinum (HSBC Premier Mastercard), no qual não pago anuidade, que dá 1.5 ponto por dólar, então usarei como parâmetro de comparação do melhor negócio que dá pra fazer “de graça”. Tudo bem, tem a tarifa da conta também — tenho um convênio e não pago, então pra mim é de graça mesmo. Existem cartões Mastercard Black que pagam 2.2 pontos por dólar, com anuidade de até R$ 600,00, como é o caso do cartão da Caixa, que de quebra, pelo que ouço falar, tem boa conversão do dólar, mas também vou deixar essa questão de lado (o efeito de uma melhor cotação seria tornar o valor limite para valer a pena, que vou calcular abaixo, até melhor). Não sei se a anuidade é negociável, então vou fazer a conta pelo valor cheio. Pelo que li, há ainda um bônus de inscrição, mas também, não vou considerar.

    Basicamente, com este cartão, ganharia 0.7 ponto por dólar a mais do que no meu cartão HSBC. Preciso ver quantos pontos vou ganhar para que a anuidade se pague. Vou considerar um valor de R$ 300 por bloco de 10 mil milhas, o que, como já disse em comentários no início do blog, é um valor típico pago pelas empresas de compra de milhas, e se você tiver paciência para aproveitar promoções de transferência com bônus e deixar para vender as milhas quando há mais procura, daria pra conseguir até melhor (novamente, o efeito seria reduzir o valor limite para valer a pena que eu vou calcular em seguida). Portanto, seria necessário ganhar 20 mil pontos a mais por ano para pagar a anuidade. Admitindo dólar a R$ 2.50 como está por esses dias, temos que a cada R$ 2.50 gastos, ganharíamos 0.7 ponto a mais do que no cartão platinum. Dividindo 20 mil por 0.7, obtém-se R$ 28600, aproximadamente. Dividindo isso por 12, temos uma valor mensal de pouco menos de R$ 2400. Portanto, para quem gasta esse valor no cartão ou mais mensalmente, a anuidade de certa forma já se paga.

    Até eu fiquei surpreso com os resultados, achava que o limiar seria muito maior do que isso — por favor, alguém me corrija se errei nas contas. Se estiverem certas, acho que estou indo lá na Caixa pedir meu cartão (:

    • SwineOne 01/10/2014 at 09:38 #

      Desculpe, já achei o erro na conta. Para obter os 20 mil pontos, preciso gastar US$ 28600, e não R$ 28600. Multiplicando pelo câmbio de R$ 2.50, daria cerca de R$ 71500, ou em torno de R$ 6000 mensais. Isso sem considerar a maxidesvalorização do real que ocorrerá em breve, levando o dólar para no mínimo R$ 4 (sendo muito otimista) — vamos agradecer antecipadamente ao governo do PT por isso.

      Ainda assim, fica a dica. Mas não estou indo mais buscar meu cartão não.

      • Guilherme 01/10/2014 at 14:20 #

        Olá Swine, excelentes ponderações!

        A maxidesvalorização do real provocará também uma maxidificuldade para o acúmulo de milhas e pontos via cartões de crédito.

        Se já está difícil acumular milhas atualmente, no futuro próximo isso tende a ser ainda mais complicado.

        Abç!

  2. Fernando 05/02/2015 at 16:03 #

    O problema não é o sistema de pontos, até ai tudo bem pois você recebe de volta o da fatura em dolar, show! A coisa toda volta a realidade da malandragem quando você vai realizar o resgate dos produtos e descobre que o valor do mesmo que é taxado em pontos (onde 1 ponto = 1 dolar dependendo do cartão), está extremamente acima do valor normal. Por exemplo: um Liquidificador de R$ 68,40 com o preço nomal sai por 9.243 pontos, ou seja, US$ 9.243 o que é um absurdo. Na realidade esses programas são criados para atrair clientes e nada a mais. Os bancos não jogam pra perder !!!

    • Guilherme 05/02/2015 at 18:40 #

      Exato, Fernando, não vale a pena trocar os pontos por produtos.

      Abç!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Itaú oferece 0,5 ponto adicional para compras internacionais nos cartões Platinum e Black. E daí? | Meu Milhão de Milhas - 02/08/2015

    […] Detalhe importante: esqueçam esse acelerador de pontos, pois só serve para doar ainda mais dinheiro para esse banco, conforme post que já publicamos no blog tempos atrás. […]

  2. O quê!? Comprando 10.000 milhas AAdvantage – ou 5.000 pontos Multiplus – por R$ 0,16!!!??? | Meu Milhão de Milhas - 11/09/2016

    […] Já falamos que esse tipo de serviço é um tremendo pega-ratão, mas agora o leitor Albino nos mandou uma promoção muito interessante: você se cadastra no serviço, realiza uma transação de qualquer valor, e recebe 10 mil milhas AAdvantage – para cartões Citi AAdvantage – ou 5 mil pontos Multiplus, para os cartões Diners. […]

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×